Seminário em Fitopatologia II - Apresentador José Fernando M. Gondim

1.262 visualizações

Publicada em

Seminário em Fitopatologia II - Apresentador José Fernando M. Gondim

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.262
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
973
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário em Fitopatologia II - Apresentador José Fernando M. Gondim

  1. 1. Instituto Federal Goiano câmpusUrutaí. Curso de AgronomiaDisciplina de Fitopatologia ǁ Manejo da estrutura racial de Phytophthoraparasiticavar.nicotianae com rotação de cultivares. Apresentador : Jose Fernando .M. Gondim SULLIVAN, M. J., MELTON, T. A., e SHEW, H. D. Managing the Race Structure of Phytophthoraparasiticavar. nicotianaewithCultivar Rotation. PlantDisease, 89:1285- 1294. 2005. 1
  2. 2. Artigo a ser apresentado: 2
  3. 3. Introdução •Patógenodahastepreto,Phytophthoraparasiticavar.nicotianae,resultounumaumentorápidonaocorrênciadaraça0e1dopatógenonaCarolinadoNorte(EUA). •EstudosdasCultivarescomrotaçãoforamrealizadoemtrêscamposparaavaliarcomodiferentesníveisetiposderesistênciaafetadoaocorrênciasimplesoumistasdopatógeno. 3
  4. 4. Introdução •Adoençatambémestápresentenamaioriaregiõesprodutorasdefumodomundoepoderesultaremperdasdeprodutividadeemtodasascultivaresdefumo. •Opatógenocausainfecçãodasraízes,caulesefolhas. •Podeocorreremqualquerfasedecrescimentodaplanta,resultandoemsintomasdenecrosedaraiz,murcha,eclorosenotronco,lesões,nanismoemortedaplanta. •Epodemsobrevivernosolopor5anosoumaisnaausênciadetabaco 4
  5. 5. Introdução •Aspodridões-de-fitóftoratemcausado prejuízosdeimportânciaeconômica,comperdasanuaisnosúltimos10anoscommédiademaisdeUS$10milhõesnaCarolinadoNorte(EUA). 5 Fonte: www.cals.ncsu.edu
  6. 6. Objetivo •OobjetivodestetrabalhaofoiavaliaraimportanciaeefeitomaioremenordogenePhnodesenvolvimentodeestruturaderaçasedinâmicadepopulaçõesdapodridão-negra-docolo-de-fumocausadaporPhytophthoraparasitivavarnicotianae. 6 Fonte: www.apsnet.org Fonte: www.ephytia.inra.fr
  7. 7. MATERIAIS E MÉTODOS •OsestudoscomrotaçãodecultivaresforamrealizadosquatroanosetrêscampoemdiferentescomopatogenoP.parasiticavar.nicotianaeem: •EdgecombeCounty, Carolina do Norte a partir de 1998 até 2001,em Du-plinCounty2000 a 2003, e em GuilfordCounty. •Foramutilizadostrêscultivares,comdiferentesníveisetiposderesistência,326K,comumabaixanívelderesistência,346K,comumelevadonívelderesistênciaeNC71,comresistênciatotal. 7
  8. 8. MATERIAIS E MÉTODOS •Osterrenosutilizadosparaosensaiosforamdequatrolinhasdelargurade(1,22mespaçamentoentrelinhas)por13,72mdecomprimentoeeramdispostosemblocosaoacaso,comcincorepetiçõesportratamento. •Ostratamentosforampara4anos, submetidaapopulaçãodopatógeno. 8
  9. 9. MATERIAIS E MÉTODOS •ǀfigura.Ascultivarescomdiferentesníveisetiposderesistência:K326=baixonívelderesistênciaparcial, K=346elevadonívelderesistênciaparcial,eNC=71completo(Ph)genederesistênciaeumbaixoníveldeparcialresistência. seguidoostratamentosderotaçãoapartirde(2000)até(2003). •ǁfigura.seguidodoano1998a2001.tratamentoscomrotação. 9
  10. 10. MATERIAIS E MÉTODOS •AInfecçãodosolo:Omaterialfoidespejadoapartirdeumaúnicadosede20mLnasuperfíciedosolo. •Asamostrasforamtomadasdentrodeumsemanadecolheitaafinaldecadaano. 10
  11. 11. RESULTADOS E DISCUSSÃO •FiguraA:Densidadesdeinóculocaiusignificativamentede2000para2001. •Densidadesdeinóculorecuperouem2003eforammaioresnostratamentosdeNC71-K326;contínuoK326eK346 11
  12. 12. •FiguraA-D,aincidênciadadoençafinalde2000a2003,nocampoDuplinCounty,ondearaça0estavadeterminadoaserpredominante.decincorepetiçõesportratamentoportemporada.Barrascomamesmaletranãodiferemsignificativamente(Waller-Duncan).
  13. 13. RESULTADOS E DISCUSSÃO •AincidênciadadoençaeoperfilocorridaduranteAeBde1999,eCeD,de2000,nocampodeEdgecombeCounty,asrepetiçõesportratamento. Barrascomamesmaletranãodiferemsignificativamente. 13
  14. 14. RESULTADOS E DISCUSSÃO 14
  15. 15. Conclusões •Ogenederesistênciaaohospederoaraça1dopatógenoeo(Ph)eestegenepossuemecanismoderesistenciaparcialdemostradopelarotaçãodecultivaresdemostradanestetrabalho. •Arotaçãodefontesderesistênciareduzaniveisdedoençasnocampo. •Aocorrênciaderaca1naregiãoDuplinCountyindicaaocorrênciamúltiplasdenovasraçasdopatógeno •Aocorrênciaderaça1indicaosurgimentodenovasraças. 15
  16. 16. REFERÊNCIAS •1 maçã, JL 1962 especialização fisiológica dentroPhytophthoraparasiticavar.nicotia-nae.Fitopatologia 52: 351-354. •2 de Apple, JL 1963 Persistência dePhytophthoraparasiticavar.nicotianaeno solo.Planta Dis. Rep47.: 632-634. •3. a Apple, JL 1967 Ocorrência da raça 1 de Phytophthoraparasiticavar.nicotianaeem Carolina do Norte e suas implicações no melhoramento para resistência a doenças.Tob.Sei.11: 79-83. •4. Bender, CG e Shoemaker, PB 1984.Prevalência de Verticilliumwiltde tomate e virulência deVerticilliumdahliaeraça 1 e Corrida 2 no oeste da Carolina do Norte.Planta Dis.68: 305-309. •5. Cameron, DR 1959 Os monosomicsde Nicotianatabacum.TobSci.3: 164-166. •6. Carlson, SR, Wolff, MF, Mostra, HD e Wernsman, EA 1997 Herança de resis- tânciapara correr 0 dePhytophthoraparasiticavar.nicotianaeda cultivar tabaco fluecuredCoker371-Gold.Planta Dis.81: 1269-1274. •7 Chaplin, JF 1962 Transferência de haste preta resistência deNicotianaplumbaginifoliaa fluecuredN.tabacum.Tob.Sei.6: 184-189. 8. Chaplin, JF 1966 Comparação de tabaco resistência haste preta de quatro fontes.Tob. Sei.10: 55-58. •9 Csinos, AS, e Bertrand, 1994 PF Distri-buiçãodePhytophthoraparasiticavar.nicotia- 16
  17. 17. REFERÊNCIAS •10. Csinos, AS, Fortnum, BA, Powell, NT, Reilly, JJ, e mostrar, HD 1984 Resistência de cultivares de tabaco e cultivares candidatos à Phytophthoraparasiticavar.nicotianae.Tob. Sei.28: 153- 155. •11 Csinos, AS, e Minton, NA 1983 Controle de tabaco haste preto com combinações de fungicidas e nematicidas sistêmicos ou fumi-gants.Planta Dis.67: 204-207. •12 Dukes, PD, eaApple, JL 1961 Influência de passagem de acolhimento da virulência doPhytophthora •parasiticavar.nicotianae.Planta Dis.Rep.45: 362-365. •13 Dukes, PD, eaApple, JL 1962 Relacionamento com navio do potencial de produção zoosporee Zoo- •motilidadeesporos com virulência emPhytophthoraparasiticavar.nicotianae.Fitopatologia •52: 191-193. 14 Fisher, LR, e Sacerdote, JA 2003 Toppinge gestão de otário e uso de ethephon.Páginas 106-130 em: 2004 Tabaco fluecuredInformação.NC Coop.Ext.Serv.Touro.AG-187 (revista). •15. Johnson, ES, Wolff, MF, Wernsman, EA,Atchley, WR, e mostrar, HD 2002 Origindogene de resistência à haste preto,Ph, em to-cultivarBaccoCoker371-Gold.Planta Dis.86: 1080-1084. •16 Jones, KJ, e mostrar, HD 1995 Início de épocaproduçãode raízes e infecção de zoosporosde culti-varsde tabaco fluecuredque diferem em nível de resistência parcial àPhytophthoraparasiticavar.nicotianae.Solo Planta 172: 55-61. •17 Kannwischer, ME, e Mitchell, DJ 1978.A influência de um fungicida na Epidemiologygiade haste preta do tabaco.Fitopatologia 68: 1760-1765. •18 Lucas, GB 1975 Doenças do tabaco, 3 ª ed.Consultores Associados Biológicas, Raleigh, NC. •19 Melton, TA, e Broadwell, A. 2003 Dis-facilitar o gerenciamento.Páginas 142-166 em: 2004 Informações tabaco fluecured.NC Coop. 17

×