2. projeto

1.379 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.379
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
598
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2. projeto

  1. 1. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO - CAMPUS URUTAÍ DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Rodovia Geraldo da Silva Nascimento, km 2,5, Urutaí-GO Telefone: (64) 3465-1974– E-mail: pibic.urt@ifgoiano.edu.br Projeto de Pesquisa (Edital 02-2012 ICJ/DPPG/IF Goiano – Câmpus Urutaí)Controle de doenças e promoção de crescimento de Azospirillum basilense na cultura do milho, soja e braquiaria Milton Luiz da Paz Lima e Marcio Eduardo Pereira Martins Urutaí, 18 de novembro de 2012
  2. 2. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Controle de doenças e promoção de crescimento de AzospirillumTítulo do Projeto: basilense na cultura do milho, soja e braquiariaCoordenador do Projeto: Milton Luiz da Paz Lima e Marcio Eduardo Pereira MartinsEquipe de execução: Luis Gustavo de Sousa Assis, Natanael Marcos Lemes e Grande área Área SubáreaNome da Área de Microbiologia/FitopatoloConhecimento (CNPq) Ciências Agrárias Fitossanidade giaDuração do Projeto Duração: 12 Início: novembro/2012 Término: outubro/2013Referência da Chamada EDITAL 02/2012 – ICJ/DPPG/IF Goiano – Câmpus Urutaí(Edital)Palavras-Chave Adubação, fixação de nitrogênio, resistência a doenças(máximo de cinco) O uso de Azospirillum spp. como ativador de funções vitais importantes para os vegetais, tal como, a indução de mecanismos bioquímicos de resistência representa uma promissora ferramenta e tecnologia de desenvolvimento das atividades agropastoris. O objetivo deste projeto é avaliar o efeito de Azospirillum basilense associado a dosagens de N na cultura do milho, tal como, avaliar em qual estádio fenológico a cultura da soja sofre maior influencia de aplicações aéreas de A. basilense o experimento será realizado a campo. Em posse de isolado de A. basilense industrializado (AZOS) serão instalados três experimentos: Primeiro) será aplicado no momento do plantio sementes de milhoResumo do Projeto com os seguintes tratamentos: 1) Nitrogênio 0%, 2) Nitrogênio 50%, 3)(máximo de 25 linhas) Nitrogênio 100%, 4) Nitrogênio 0% + Azos 500 mL/ha (aplicação em V4), 5) Nitrogênio 50% + Azos 500ml/ha (aplicação em V4), 6) Nitrogênio 100% + Azos 500ml/ha (aplicação em V4), 7) Masterfix 0,5 litro para 100 kg de sementes de milho ( 100 ml/ha-¹), sendo por fim representado por 7 tratamentos, quatro repetições, num delineamento em blocos causalizados; Segundo) tratamentos aplicados via aérea 1) testemunhas sem aplicação de AZOS, 2) aplicação de 0,5 L/ha de AZOS no estádio V2, 3) aplicação de 0,5 L/ha de AZOS no estádio V5, 4) aplicação de 0,5 L/ha de AZOS no estádio V10, 5) aplicação de 0,5 L/ha de AZOS no estádio R1, 6) aplicação de 0,5 L/ha de AZOS no estádio R3, 7) aplicação de 0,5 L/ha de AZOS no estádio R5.1, sendo representado por sete tratamentos e quatro repetições, num delineamento em blocos ao acaso; Serão avaliados parâmetros de produção e sanitários nos dois experimentos, procurando verificar o efeito de AZOS no crescimento e no controle de doenças. Terceiro: os mesmos tratamentos aplicados no primeiro experimento serão aplicados para parcelas de 2x5 m de dimensões, com 4 repetições. Este projeto visa identificar parâmetros para uso a campo de um isolado purificado e corretamente identificado de bactéria, visando promover crescimento das culturas da soja, milho e B. brizantha cv. Marandú. Página 2 de 7
  3. 3. 1. INTRODUÇÃO A soja (Glycine max L.) é a cultura agrícola brasileira que cresceu nas últimas três décadas ocorresponde a 49% da área plantada no país. O aumento da produtividade nestes anos deveu-se aosavanços tecnológicos, ao manejo e eficiência dos produtores. O grão é componente essencial nafabricação de rações animais e com uso crescente na alimentação humana encontra-se em francocrescimento (MAPA, 2012). Uma das principais características das soja é sua capacidade de associaçãocom bactérias do gênero Bradyrhizobium sp., que formam estruturas especializadas nas raízes,chamadas de nódulos, nos quais ocorre o processo de fixação biológica de N2. Essas bactériasproduzem uma enzima chamada de dinitrogenase, capaz de romper a tripla ligação de N2 atmosférico eprovocar sua redução até amônia (NH3) (HUNGRIA et al., 2001). De acordo com o Ministério da Agricultura o Brasil é o terceiro maior produtor mundial de milho(Zea mays L.), apresentando uma produção de 53,2 milhões de toneladas na safra 2009/2010. Aprimeira idéia foi o cultivo do grão para atender ao consumo na mesa dos brasileiros, mas essarepresenta a menor fatia do uso do produto colhido, sendo o principal destino da safra a alimentação deindústrias de rações para animais (MAPA, 2012). A Brachiaria brizantha Hochst Stapf, é originária da África Tropical e África do Sul. A cultivarMarandu apresenta porte quase ereto, enraíza muito pouco nos nós, adapta-se a regiões mais ou menosúmidas, desde o nível do mar até mais de 3.000 m de altitude. É moderadamente tolerante à seca,desenvolve-se bem em solos não úmidos, é tolerante ao frio, resistente ao ataque de cigarrinhas, tembom valor forrageiro e alta produção de massa verde, e baixa produção de sementes. Kelemu et al.(2003) selecionaram cerca de onze fungos nas espécies de Brachiaria spp.e verificaram que fungosendofíticos podem atuar como protetores de algumas espécies de braquiárias, de certas doençasfúngicas e ataque de insetos. Os efeitos em forrageiras de bactérias diazotróficas ainda são insipientes. Os sistemas atuais de produção que visam o uso maçal de moléculas artificiais como fertilizantese pesticidas, a proposta e tendência mundial de uma produção socialmente justa, ambientalmentecorreta e agronomicamente eficiente, e a substituição de técnicas de cultivo que possam fomentar umaatividade agrícola equilibrada, representam o futuro das atividades de produção de alimentos. SegundoMello (2012) o desenvolvimento de novas tecnologias conta com inúmeras alternativas que buscamsubstituição de técnicas agressivas ao sistema. Porém, para alcançar altos rendimentos de grãos é necessário o uso de alguns recursos, umdestes é o investimento na nutrição das plantas, de forma a suprir suas necessidades. Neste contexto, onitrogênio (N) é um dos elementos necessários em maior quantidade para o funcionamento adequado
  4. 4. das plantas, pois faz parte, por exemplo, de nucleosídeos de fosfato e aminoácidos, que compõe aestrutura dos ácidos nucléicos e das proteínas. É um dos nutrientes mais importantes, pois a maioria dosecossistemas depois de serem fertilizados com N apresenta expressivos ganhos de produtividade (Melo2012). Desta forma, o uso de fertilizante nitrogenado é uma prática comum e responsável por elevar oscustos da produção agrícola, além de poder gerar danos ao ambiente, uma vez que parte do totalaplicado é geralmente perdido. Calcula-se que a eficiência de utilização dos fertilizantes nitrogenados éem média 50%, devido à ação de processos como a lixiviação, volatilização de amônia, desnitrificação,erosão e imobilização microbiana (REIS JR et al., 2010). Azospirillum brasilense é uma bactéria quesobrevive no solo e que coloniza o interior ou a região ao redor das raízes das plantas. Esta bactéria tema capacidade de fixar o nitrogênio atmosférico disponibilizando-o para as plantas. Além do mais, ela écapaz de produzir diversas substâncias, dentre elas hormônios de crescimento, que induzemmodificações morfológicas e fisiológicas nas raízes, promovendo uma maior absorção de água eminerais induzindo assim, um maior desenvolvimento das plantas. Os dados de literatura indicam queganhos de até 30%na produtividade podem ser obtidos nas culturas do milho e trigo, e que resultadospositivos são expressos em cerca de 70% dos casos. O inoculante Azos® é formulado com uma cepaselecionada de Azospirillum brasilense. O nitrogênio fornecido pelo processo de fixação biológica é menos propenso a lixiviação evolatilização já que ele é utilizado in situ, sendo assim, o processo biológico é uma alternativa barata,limpa e sustentável para o fornecimento de N na agricultura comercial (MELLO, 2006). A rizobactérias, consideradas promotoras do crescimento de plantas, que proporcionam diversosbenefícios devido às alterações que podem causar no metabolismo das mesmas (Mello et al., 2012),dentre estes benefícios pode-se citar a fixação biológica de nitrogênio. A adaptabilidade de genótipos de milho a ambientes onde os nutrientes não estejam prontamentedisponíveis pode ser relacionada com a adaptação à predominância, nos solos, das formas de N nítricae amoniacal e à associação com microrganismos benéficos como as bactérias diazotróficas e, ou,promotoras de crescimento de plantas (REIS JR et al., 2008). A inoculação com A. amazonense promoveu maior produção de matéria seca e acúmulo de Nnas raízes (REIS JR et al., 2008). Cavallet et al. (2000) informam que são muitas as evidências de que a inoculação das sementesde milho com Azospirillum brasilense seja responsável pelo aumento da taxa de acúmulo de matériaseca, principalmente na presença de elevadas dosagens de nitrogênio, o que parece estar relacionadocom o aumento da atividade das enzimas fotossintéticas e de assimilação de nitrogênio.
  5. 5. Bactérias do gênero Azospirillum são conhecidas pela sua capacidade de fixar o nitrogênio eproduzir hormônios de crescimento. De acordo com CAVALET et al., (2000), concluem que o gêneroAzospirillum spp. promove ganhos em rendimento em importantes culturas nas mais variadas condiçõesde clima e solo; contudo, salientam que o ganho com Azospirillum spp. vai mais além do que simplesauxiliar na fixação biológica do nitrogênio, auxiliando também no aumento da superfície de absorção dasraízes da planta e, consequentemente, no aumento do volume de substrato do solo explorado. Talconstatação é justificada pelo fato de a inoculação modificar a morfologia do sistema radicular,aumentando não apenas o número de radícolas, mas, também, o diâmetro da raízes laterais eadventícias. Pelo menos parte, ou talvez muitos desses efeitos de Azospirillum spp. nas plantas, possamser atribuídos à produção, pela bactéria, de substâncias promotoras de crescimento, entre elas auxinas,giberilinas e citocininas, e não somente a fixação biológica de nitrogênio. Em inoculação mista de Bradyrhizobium spp. juntamente com bactérias Azospirillum brasilensetem sido observado resultados importantes quanto a promoção de crescimento. Essa técnica alternativade co-inoculação ou inoculação mista consiste na utilização de combinações de diferentesmicrorganismos, aos quais produzem um efeito múltiplo (resistência a seca e doenças, absorção denutrientes), em que se superam os resultados produtivos obtidos com os mesmos, quando utilizados naforma isolada. Com o objetivo de que ocorra a potencialização da nodulação e maior crescimentoradicular, em resposta a interação positiva entre as bactérias simbióticas (Bradyrhizobium sp.) e asbactérias diazotróficas, em especial as pertencentes ao gênero Azospirillum a metodologia aplicada porBárbaro et al. (2011) representa uma boa alternativa de uso. Desse modo ocorre a potencialização da nodulação e maior crescimento radicular, em resposta ainteração positiva entre as bactérias simbióticas (Bradyrhizobium) e as bactérias diazotróficas, emespecial as pertencentes ao gênero Azospirillum (BARBARO et al., 2009). Burdmann, Hamaqui e Okon (2000), verificaram que a estimulação da nodulação posterior pelainoculação de leguminosas com Azospirillum brasilense pode estar relacionada com o incremento naindução da produção de genes Nod, responsáveis pelo incremento de raízes laterais, da densidade depelos radiculares e das ramificações dos seus pelos. Em vários ensaios a campo com Azospirillumbrasilense, verificaram-se incrementos nos rendimentos das leguminosas com a inoculação mista,obtendo-se valores superiores aos obtidos com somente a inoculação com Bradyrhizobium (BÁRBARO,2009).2. JUSTIFICATIVA
  6. 6. A identificação, a seleção e o uso de cepas de Azospirillum basilense utilizados como fixadorasde N em espécie vegetais constitui estratégia de grande relevância para a agricultura sustentável. Nessesentido, deve ser considerada a busca por genótipos que formem associações mais eficientes combactérias diazotróficas e, ou, promotoras de crescimento. Sabe-se que existem interações entre o N eestas bactérias veiculação desses nutriente pelas plantas, bem como, promover indução de resistênciade plantas a doenças.3. OBJETIVO GERALEstudar o efeito de Azospirillum basilense no crescimento em substituição de adubação nitrogenada eavaliar o estádio fenológico que mais influencia no crescimento.4. OBJETIVOS ESPECÍFICOSAvaliar a importância da substituição de adubação nitrogenada com Azospirillum sp. e o reflexo naincidência de doenças na cultura do milhoIdentificar a fase ideal que Azospirillum basilense age em diferentes estádios de crescimento e seu efeitona incidência de doenças na cultura da soja.5. METODOLOGIA Dois experimentos serão aplicados na Fazenda Experimental Palmital, em área sob regime depivô Central, do Instituto Federal Goiano câmpus Urutaí, na safra agrícola de verão 2012-2013. A concentração de AZOS será de X 108 cfu/mL(100 milhões de células bacterianas por mL).Atividade Azospirillum sp. e dosagens de nitrogênio na cultura do milho Antes da instalação do experimento serão coletadas amostras de solo para análise físico-químicae microbiológica antes da instalação do experimento e após a condução do experimento. Serão aplicados no momento do plantio sementes de milho com os seguintes tratamentos: 1)Nitrogênio 0 %, 2) Nitrogênio 50 %, 3) Nitrogênio 100 %, 4) Nitrogênio 0 % + Azos 500 mL/ha (aplicaçãoem V4), 5) Nitrogênio 50 % + Azos 500 mL/ha (aplicação em V4), 6) Nitrogênio 100 % + Azos 500 mL/ha(aplicação em V4), 7) Masterfix 0,5 L para 100 kg de sementes de milho ( 100 mL/ha -¹), sendo por fimrepresentado por 7 tratamentos, quatro repetições, num delineamento em blocos causalizados. Serão avaliados parâmetros de produção e incidência de doenças representados por: a)produção serão avaliados o peso e 1000 sementes, diâmetro do colmo (abaixo da inserção da espiga,
  7. 7. cm), altura de planta (cm), peso de espiga (g), massa fresca de raiz (g), massa seca de raiz (g). Dosparâmetros de sanidade serão avaliados após 50 dias a incidência e severidade da doença(porcentagem de área lesionada, %) com intervalos intermitentes de sete dias. A identificação do estádio fenológico para a cultura do milho para estudos de incidência dedoenças obedecerá à escala fenológica de Fancelli (1996).Atividade sobre parâmetros de produção e incidência de doenças da aplicação de Azospirillumbasilense em diferentes estádios fenológicos de soja. O experimento será realizado em delineamento blocos casualizados, sendo constituídos de setetratamentos, seis blocos, xx plantas de soja por bloco. A área experimental total será de 600 m 2. Oproduto a ser testado tem denominação comercial AZOS (Azospirillum basilense). Os sete tratamentoscorrespondem: 1) testemunhas sem aplicação de AZOS, 2) aplicação de 0,5 L/ha de AZOS no estádioV2, 3) aplicação de 0,5 L/ha de AZOS no estádio V5, 4) aplicação de 0,5 L/ha de AZOS no estádio V10,5) aplicação de 0,5 L/ha de AZOS no estádio R1, 6) aplicação de 0,5 L/ha de AZOS no estádio R3, 7)aplicação de 0,5 L/ha de AZOS no estádio R5.1. Cada parcela será constituído de 5 linhas de 7 metro de comprimento, totalizando 35 m linearesde cultivo e avaliação por bloco. A identificação do estádio fenológico para aplicação das dosagens de AZOS seguirá a EscalaFenológica de Fehr & Caviness (1977), elaborada para identificação dos estádios de desenvolvimentoda cultura da soja. Após 10 dias após a aplicação do ultimo tratamento de AZOS os parâmetros deprodução a serem avaliados serão: massa fresca de raiz e caule e da parte aérea, além da avaliação dodiâmetro do caule, número de internódios, numero de vagens por nó, quantidade de vagens por planta eprodutividade final, comprimento da planta, numero de nódulos radiculares. Os parâmetros de incidênciade doença serão monitorados de sete em sete dias e avaliado a severidade aos 10 dias da doença maisincidente nos tratamentos. Dos parâmetros de produção serão avaliados o peso e 1000 sementes, comprimento de internós,altura de planta (cm), peso de espiga (g), massa fresca de raiz (g), massa seca de raiz (g). Dosparâmetros de sanidade serão avaliados após 50 dias a incidência e severidade da doença(porcentagem de área lesionada) com intervalos intermitentes de sete dias. Serão relacionados aincidência da doença com o estádio fenológico. Na parte aérea das plantas, serão quantificadas a matéria seca, após secagem em estufa a 65°C até peso constante. Nas raízes, serão determinadas as características morfológicas: comprimento(L), estimado pelo método de interseção das quadrículas (TENNANT, 1975); raio (r), calculado por r =
  8. 8. (pu/π.L)1/2 , considerando peso do material úmido (pu) e comprimento (L); área radicular (AR),calculada a partir da fórmula AR = 2.π.r.L, e peso do material seco.Atividade Azospirillum sp. e dosagens de nitrogênio em Brachiaria brizantha. Antes da instalação do experimento serão coletadas amostras de solo para análise físico-químicae microbiológica antes da instalação do experimento e após a condução do experimento. Serão aplicados no momento do plantio sementes de braquiária (Brachiaria brizantha cvMarandú) com os seguintes tratamentos: 1) Nitrogênio 0 %, 2) Nitrogênio 50 %, 3) Nitrogênio 100 %, 4)Nitrogênio 0 % + Azos 500 mL/ha (aplicação em V4), 5) Nitrogênio 50 % + Azos 500 mL/ha (aplicaçãoem V4), 6) Nitrogênio 100 % + Azos 500 mL/ha (aplicação em V4), 7) Masterfix 0,5 L para 100 kg desementes de braquiária ( 100 mL/ha-¹), sendo por fim representado por 7 tratamentos, quatro repetições,num delineamento em blocos causalizados. As parcelas serão constituídas das dimensões de 2 x 6 m. Serão avaliados parâmetros de produção e incidência de doenças representados por: a)produção - serão avaliados a massa fresca de raiz (g), massa seca de raiz (g), massa fresca da parteaérea (g) e massa seca da parte aérea; Dos parâmetros de sanidade serão avaliados após 50 dias aincidência e severidade de doenças (porcentagem de área lesionada, %) com intervalos intermitentes desete dias.
  9. 9. 6. ATIVIDADES Atividade Nome da Atividade 01 Análise físico-química do solo e microbiológica 02 Plantio e instalação dos do experimento: milho, soja e brachiaria 03 Aplicação de AZO milho, soja e brachiaria 04 Aplicação de AZO em estádios de soja 05 Avaliação de parâmetros produtivos 06 Avaliação de parâmetros sanitários 07 Análise dos dados 08 Interpretação dos resultados 09 Redação do relatório 10 Apresentação dos dados no Congresso de IC e Especializado7. RESULTADOS E IMPACTOS ESPERADOS Verificar a combinação de N e AZOS eficiente para controle de doenças e promoção decrescimento na cultura do milho, reduzindo o uso de adubação química para a cultura do milho. Identificar o estádio fenológico da cultura da soja em que AZO promove maior crescimento eredução da incidência de doenças no campo. Verificar a combinação de N e AZOS eficiente para controle de doenças e promoção decrescimento na cultura do milho, reduzindo o uso de adubação química para a cultura do B. brizantha.8. CONSIDERAÇÕES FINAIS Este projeto visa identificar parâmetros para uso a campo de um isolado purificado ecorretamente identificado de bactéria, visando promover crescimento das culturas da soja, milho e B.brizantha cv. Marandú.9. BIBLIOGRAFIABÁRBARO, I. M. et. al. Resultados preliminares da co-inoculação de Azospirillum juntamente comBradyrhizobium em soja. Pesquisa & Tecnologia, São Paulo vol. 8, n. 2, Jul-Dez 2011.BÁRBARO, I.M.; et. al. Produtividade da soja em resposta á inoculação e co-inoculação. ColloquiumAgrariae, Colina, v. 5, n. 1, p. 01-07, Jan-Jun. 2009.CAVALLET, L. E. et. al. Produtividade do milho em resposta á aplicação de nitrogênio e inoculação dassementes com Azospirillum spp. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, CampinaGrande, v.4, n.1, p.129-132, 2000.HUNGRIA, M.; CAMPO, R. J.; MENDES, I. C. Fixação biológica do nitrogênio na cultura da soja. Circular
  10. 10. Técnica / Embrapa Soja, Paraná: n.35 48p., Agosto 2001.MAPA Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Disponível em<http://www.agricultura.gov.br/vegetal/culturas/soja>, acessado em 22 de outubro de 2012.REIS JR, F.B., MACHADO, C.T.T., MACHADO, A.T., SODEK, L. Inoculação de Azospirillumamazonense em dois genótipos de milho sob diferentes regimes de nitrogênio. Revista Brasileira deCiência do Solo, 32:1139-1146 2008.KELEMU, S.; DONGYI, H.; GUIXIU, H.; TAKAYAMA, Y. 2003. Detecting and differentiating Acremoniumimplicatum: Developing a PCR-based method for an endophytic fungus associated with the genusBrachiaria. Mol. plant patho 4(2):115-118.Urutaí, 17 de novembro de 2012. ___________________________________________ Milton Luiz da Paz Lima Assinatura do Orientador
  11. 11. 10. CRONOGRAMA DE ATIVIDADESAtividade ANO 2012 ANO 2013 ANO 2014 Responsável pela(Número) NOV DEZ FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN Atividade 01 x Bolsista/Orientador 02 x x Bolsista/Orientador 03 x Bolsista/Orientador 04 x x x Bolsista/Orientador 05 x x x x Bolsista/Orientador 06 x x x x Bolsista/Orientador 07 x x x x x x Bolsista/Orientador 08 x x x x Bolsista/Orientador 09 x x x x x x Bolsista/Orientador 10 x x x Bolsista/Orientador
  12. 12. 11. CONTRAPARTIDA DAS INSTITUIÇÕES PARCEIRAS VALOR ELEMENTO DE VALOR DESCRIÇÃO DO OBJETO UNIDADE QTDE UNITÁRIO DESPESA TOTAL (R$) (R$)Material deconsumoMaterialpermanenteServiços deterceiros (pessoafísica)Serviços deterceiros (pessoajurídica)Passagensterrestres/aéreasDiárias TOTAL - - - R$0,00

×