1. pl ifg fito ii

2.869 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.869
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.750
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1. pl ifg fito ii

  1. 1. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO - CAMPUS URUTAI PLANO DE ENSINO CURSO ANO LETIVO PERÍODO Agronomia 2-2012 Vespertino DISCIPLINA CÓDIGO NOME CARGA HORÁRIA CHS CHT AGR 225 FITOPATOLOGIA II 60 4 EMENTA Estudar doenças em plantas perenes, hortaliças, plantas ornamentais, plantas daninhas, essênciasflorestais, grandes culturas, dando ênfase as culturas da soja, feijão, milho, algodão, arroz, café, cana,mandioca, trigo, pastagens, batata, ervilha, tomate entre outras. OBJETIVOSFornecer conhecimentos sobre doenças nas culturas de interesse agrícola e outras espécies de exploração,bem como, traçar medidas de controle. CONTEÚDO PROGRAMÁTICOUNIDADE I – Clínica Fitopatológica. OBJETIVO: Conceitos e natureza das doenças. 1. Conceito 2. Natureza das doenças de plantasUNIDADE II – Doenças das Hortaliças. OBJETIVO: Reconhecer diagnosticar, caracterizar e traçar medidas de controle de doenças de plantas. 1. Sintoma 2. Etiologia 3. Epidemiologia 4. ControleUNIDADE III – Doenças das Grandes Culturas OBJETIVO: Reconhecer diagnosticar, caracterizar e traçar medidas de controle de doenças de plantas. 1. Sintoma 2. Etiologia 3. Epidemiologia 4. ControleUNIDADE IV – Doenças em espécies florestais. OBJETIVO: Reconhecer diagnosticar, caracterizar e traçar medidas de controle de doenças de plantas. 1. Sintoma 2. Etiologia 3. Epidemiologia 4. ControleUNIDADE V – Doenças em culturas perenes (fruteiras) OBJETIVO: Reconhecer diagnosticar, caracterizar e traçar medidas de controle de doenças de plantas.
  2. 2. 1. Sintoma 2. Etiologia 3. Epidemiologia 4. ControleUNIDADE VI – Doenças em plantas daninhas OBJETIVO: Reconhecer diagnosticar, caracterizar e traçar medidas de controle de doenças de plantas. 1. Sintoma 2. Etiologia 3. Epidemiologia 4. ControleUNIDADE VII – Doenças em plantas ornamentais e de arborização urbana. OBJETIVO: Reconhecer diagnosticar, caracterizar e traçar medidas de controle de doenças de plantas. 1. Sintoma 2. Etiologia 3. Epidemiologia 4. ControleUNIDADE IX – Doenças abióticas OBJETIVO: Reconhecer diagnosticar, caracterizar e traçar medidas de controle de doenças de plantas. 1. Sintoma 2. Etiologia 3. Epidemiologia 4. ControleUNIDADE X – Doenças das pastagens OBJETIVO: Reconhecer diagnosticar, caracterizar e traçar medidas de controle de doenças de plantas. Sintoma Etiologia Epidemiologia Controle METODOLOGIA DE ENSINO I) ENSINO A metodologia utilizada será a exposição de slides em data-show associado a explicações em quadrobranco. Caso permaneçam dúvidas por parte dos alunos, espera-se que estas sejam esclarecidas durante asaulas práticas e teóricas. E, se ainda assim persistirem as dúvidas, as aulas serão gravadas (*.wav) e osarquivos serão disponibilizados para estudo. Faz-se necessário por parte dos alunos leituras prévias dos assuntos a serem lecionados, como forma defacilitar melhor o aprendizado e garantir uma boa discussão em sala de aula sobre o assunto. Caso hajanecessidade o professor poderá ministrar exame escrito ou objetivo (caráter surpresa), como forma deavaliação do aproveitamento durante a aula ministrada. A chamada será realizada a qualquer momento durante a aula e fica proibida a entrada ou saída de alunosquando esta estiver sendo realizada, permanecendo com falta os alunos que não estiverem presentes ou nãoresponderem a mesma por qualquer motivo (ressalvados aqueles protegidos pela lei). Aulas práticas: durante as aulas práticas será cobrado a confecção de um relatório descritivo (Introdução,Materiais e Métodos, Resultados e Discussão e Literatura Citada) sobre os acontecimentos decorrentes. Nasegunda prova todos os relatórios corrigidos deverão serem agrupados. Relatórios de Saída de Campo: Poderão ser individuais ou em grupos. Deverão ser entregues na semanaapós as realizações das aulas práticas. Os sintomas, bem como, a identificação dos seus agentes etiológicosencontrados no campo serão utilizados nas provas práticas. Devem conter os desenhos (à mão) dos fungosvistos na aula (desenho dos patógeno vistos ao microscópio). O aluno ganhará nota de participação se estiverpresente nas saídas de campo. Boletim Técnico de uma Doença: O aluno irá compor um boletim descrevendo aspectos, da Sintomatologia,Etiologia, Epidemiologia e Controle. Todas as informações deverão seguir critérios estabelecidos dentro da
  3. 3. disciplina. A prévia da entrega do trabalho deverá ocorrer no dia da primeira prova e a segunda versãodefinitiva no dia da prova final. Laboratório: Alunos que não estiverem usando jaleco não poderão assistir aula prática. Revisão de literatura: a respeito das doenças de uma determinada cultura com ênfase em táticas de manejode doenças e ilustrações. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃOA avaliação será realizada através da aplicação de exames teóricos e trabalhos práticos.MB 1 = média bimestral 1 será composta dos seguintes itens:a) Trabalhos, seminários, pesquisa de ocorrências na internet, relatórios de aulas práticas, testesSurpresa = 40 % de MB1B) Previa do Boletim técnico+ Prévia Revisão de literatura de doenças+1ª. Prova Teórica + 1ª. ProvaPrática/4= 60 % de MB1MB 2 = médias bimestral 2 será composta dos seguintes itens:a) Trabalhos, relatórios de aulas práticas, testes surpresa: 20 % de MB2b) Revisão de literaturac) Trabalho Boletim Técnico; 2ª. Prova Escrita e 2ª. Prova Prática: 60 % de MB2.Datas Importantes:Boletim Técnico entrega no dia da prova a primeira prévia:Prévia da Revisão:Entrega da primeira versão do vídeo (arquivo):Saída de Campo: a determinar1ª. Avaliação escrita/pratica:Versões finais Boletim Técnico:Versão final da Revisão:Versão final do vídeo (link):2ª. Avaliação escrita: BIBLIOGRAFIABIBLIOGRAFIA BÁSICA 1. ALFENAS, A.C., MAFIA, R.G. Métodos em fitopatologia. Editora UFV, Viçosa, MG. 2007 (13 exemplares). 2. AMORIM, L., KIMATI, H., Manual de fitopatologia: doenças das plantas cultivadas. Editora Agronômica Ceres, 2005 (8 exemplares). 3. BARBOSA, H. R.; TORRES, B. B. Microbiologia Básica. Ateneu: São Paulo, 1999. 196p. (5 exemplares). 4. BERGAMIN FILHO, A., AMORIM, L. Doenças das plantas tropicais: epidemiologia e controle econômico. Editora Ceres. São Paulo, SP, 289 p. 1996. (2 exemplares). 5. BERGAMIN FILHO, A., KIMATI, H. & AMORIM, L. Manual de Fitopatologia: princípios e conceitos. 3a Ed, Vol. I, Editora Agronômica Ceres Ltda, São Paulo SP. 1995 (2 exemplares). 6. BERGAMIN FILHO, A., KIMATI, H. & AMORIM, L. Manual de Fitopatologia: princípios e conceitos. 4a Ed, Vol. I, Editora Agronômica Ceres Ltda, São Paulo SP. 2011 (5 exemplares).
  4. 4. 7. BLUM, L.E.B., CARES, J.E., UESUGI, C.H. Fitopatologia: estudo das doenças de plantas. Editora Otimismo. Brasília, DF. (2 exemplares) 8. DUARTE, M.L.R. Doenças de plantas no trópico úmido brasileiro. I – Plantas industriais. Embrapa, Belém, Pará, 1999. (5 exemplares). 9. DUARTE, M.L.R. Doenças de plantas no trópico úmido brasileiro. II – Fruteiras nativas e exóticas. Embrapa, Belém, Pará, 1999. (6 exemplares). 10. FREIRE, F.C.O., CARDOSO, J.E., VIANA, F.M.P. Doenças de fruteiras tropicais de interesse agroindustrial. Embrapa Informação Tecnológica, Brasília, DF, 2003 (1 exemplar). 11. GALI, F., TOKESHI, H., CARVALHO, P.C.T., Manual de fitopatologia – princípios e conceitos. 2ª. Edição. Editora Agrônimca Ceres, São Paulo, SP, 1978 (3 exemplares). 12. HUNGRIA, M.; ARAUJO, R.S. Manual de métodos empregados em estudo de microbiologia agrícola. Brasília: Embrapa-CNPAF/Embrapa-CNPSO/Embrapa-SPI, 1994. 542p. (Download: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/handle/CNPAF/8927) (1 exemplar). 13. IAMAMOTO, M.M. Doenças foliares do algodoeiro. Editora Funep. (3 exemplares). 14. KIMATI, H., AMORIM, L. REZENDE, J.A.M. BERGAMIN FILHO, A. , CAMARGO, L.E.A., Manual de Fitopatologia, Doenças das plantas cultivadas, volume 2., 4ª. Edição, 2005. (2 exemplares) 15. LEDO, A.S., NUNES, A.M.L., DUARTE, M.L.R. Doenças das plantas no Trópico Úmido brasileiro: II fruteiras nativas e exóticas. Editora Embrapa. (7 exemplares) 16. LORDELLO, L.G.E. Nematóides das plantas cultivadas. Biblioteca Rural, Livraria Nobel, São Paulo, SP, 1968. (1 exemplar). 17. MIZUBUTI, E.S.G., MAFFIA, L.A. Introdução a fitopatologia – cadernos didáticos, Editora UFV, Viçosa, MG, 2006 (5 exemplares). 18. PICCINI, E.C., FERNANDES, J.M. Guia de identificação de doenças em Cereais. Editora Embrapa Trigo, Passo Fundo, RS, 2002. (3 exemplares). 19. ROMEIRO, R. da S. Bactérias fitopatogênicas. Viçosa: UFV, 1995. (5 exemplares). 20. ROMEIRO, R.S. Controle Biológico de doenças de plantas: fundamentos. Editora UFV, Viçosa MG, 2007 (1 exemplares). 21. ROMEIRO, R.S. Controle Biológico de doenças de plantas: procedimentos. Editora UFV, Viçosa MG, 2007 (5 exemplares). 22. ROMEIRO, R.S. Métodos em bacteriologia de plantas. Editora UFV, Viçosa, MG. 2001. (3 exemplares). 23. ROSSETTI, V.V. Manual ilustrado de doenças do citros. Editora Fundecitrus, 2001 (1 exemplar). 24. RUEGG, E. F., et. al., Impacto dos agrotóxicos ed. Ícone, São Paulo ed. Ícone, 1986. (11 exemplares). 25. SILVA, N., CANTÚSIO NETO, R., JUNQUEIRA, V.C.A., SILVEIRA, N.F.A. Manual de métodos de análise microbiológica da água. Editora Livraria Varela. São Paulo, SP, 2005. (4 exemplares). 26. TORTORA, J.G; FUNKE, B.R.; CASE, C.L. Microbiologia. 6ª ed. Porto Alegre: ARTMED, 2000. (11 exemplares). 27. VERMELHO, A.B., BASTOS, M.C.F., SÁ, M.H.B. Bacteriologia Geral. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, RJ, 2007 (2 exemplares). 28. ZAMBOLIM, L., do VALE, F.X.R., MONTEIRO, A.J.A., COSTA, H. Controle de doenças em plantas fruteiras. Volume 2., Editora UFV, Viçosa, MG, 2002 (5 exemplares).BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR 1. AGRIOS, G.N. Plant pathology. 4a Ed., Academic Press. 1997. 606p. 2. ALEXANDRE, M.A.V., RIVAS, E.B., TOZETTO, A.R.P., DUARTE, L.M.L. Lista Comentada sobre a Ocorrência Natural de Vírus em Plantas Ornamentais no Brasil. São
  5. 5. Paulo: Instituto Biológico, 2005.3. BARRET, R.E., et al., Compedium of tomato Diseases. The American. Phytopathological Society, 1991.4. CARDOSO, E. J.B. N, TSAI, S.M., NEVES, M.C.P. Microbiologia do solo. Campinas: SBCS, 1992.5. CENARGEN, Disponível em: http://pragamall.cenargen.embrapa.br/aiqweb/michtml/ fgbanco01.asp. Acessado em junho de 2010.6. CORDEIRO, Z.J.M., Banana Fitossanidade, Brasília-DF Embrapa Comunicação para Transferência de Tecnologia, 2000.7. CROUS, P.W., VERKLEY,G. J. M., GROENEWALD, J.Z., SAMSON., R. A. Fungal Biodiversity CBS KNAW Fungal Biodiversity Centre Utrecht, The Netherlands, 2009.8. DATNOFF, L.E, ELMER, W. H., HUDER, D. M. Mineral nutrition and plant disease The American. Phytopathological Society. St. Paul, Minnesota U.S.A,2007.9. DAVIS, R.M, SUBBARAO, K.V., RAID, R.N., KURTZ, E.A. Compedium of Lettuce Diseases. The American. Phytopathological Society, 1997.10. FARR & ROSMAN, SBML Systematic Botany of Mycological Resources. Disponível em: <http://www.ars.usda.gov/main/site_main.htm?modecode=12-75-39-00>. Acesso em: 24 de abril de 2010.11. FERREIRA, J. M. S, FONTES, H.R. Produção Integrada de coco, Aracaju, Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2006.12. FREDERIKSEN, R.A. Compedium of Sorghum Diseases. The American. Phytopathological Society, 1986.13. INDEX FUNGORUM. Disponível em: <http://www.indexfungorum.org/Names/Na- mes.asp>. Acesso em: 24 de abril de 2010.14. LUZ, W. C., INÁCIO, C. A. Micologia avançada. Vol II Passo Fundo, RS, 2009.15. MATHRE, D.E. Compedium of Barley Diseases second edition. The American. Phytopathological Society, 1997.16. MATSURA, F. C. A. U., FOLEGATTI, M. I. S.,Banana Pós-Colheita Cruz das Almas, BA: Embrapa Informação Tecnológica, 2001.17. OKURA, MH & RENDE, J.C. Microbiologia – roteiros de aulas práticas. Editora Tecmedd, Ribeirão Preto, SP, 2008.18. OLIVEIRA, A. M. A., TERAO, D., Dantas, S. A. F. Patologia Pós-Colheita, Embrapa Informação Tecnológica, Brasília-DF, 2006.19. PELCZAR, M., REID, R. & CHAN, E.C.S. Microbiologia. McGraw-Hill do Brasil, vol. 1e 2, São Paulo, 1980.20. PERNEZNY, K., Roberts, D. P., Murphy, J. F., Goldberg, N. P., Compendium of Pepper Diseases. The American. Phytopathological Society, 2003.21. SHEW, H.D., Lucas, G. B., Compedium of Tobacco Diseases. The American. Phytopathological Society, 1991.22. SHURTLEFF, M.C., et. al., A compedium of corn diseases. The American. Phytopathological Society, 1973.23. SMILEY, R. W., DERNOEDEN, P. H., CLARKE, B. B. Compedium of Turfgrass Diseases second edition. The American. Phytopathological Society, 1992.24. TRABULSI, L.R. & ALTHERTHUM, F. Microbiologia 5ª. Ed. Editora Atheneu, São Paulo, SP. 2008.25. VALE, F. X. R., JUNIOR, W. C. J., ZAMBOLIM, L. Epidemiologia aplicada ao manejo de doenças de plantas. Belo Horizonte. Ed. Perfil, 2004.26. WHITESIDE, J. O., GARNSEEY, S. M, TIMMER., L. W. Compedium of Citrus Diseases. The American. Phytopathological Society, 1988.27. ZAMBOLIM, L., VALE, F X R, MONTEIRO, A J A, COSTA, H. Controle de doenças de plantas fruteiras Vol I. Viçosa, 2002.28. ZILLINSKY, F. J., Guia para la Identificacion de Enfermedades en Cereales de Grano
  6. 6. Pequeño. Londres.29. ZITTER, T.A., HOPKINS, D.L., THOMAS, C.E. Compedium of curcurbit diseases. The American. Phytopathological Society, 1996. VISTO DO PROFESSOR VISTO DA COORDENAÇÃO
  7. 7. PROGRAMAÇÃO DE ATIVIDADES LEITURA LEITURAAULA TEMA DA AULA BÁSICA MATERIAL ATIVIDADES COMPLEMENTAR 1a4 Apresentação da Disciplina 1,2 Aula expositiva(13/09) 5 Clínica Fitopatológica 1,4,5,6 29, Aula expositiva(20/09) 6 a 10 Aula expositiva Doenças em Hortaliças 1,2,5,6,14,28 3,9,20,29,(27/09) 11 Doenças em Hortaliças 1,2,5,6,14,28 3,9,20,29, Aula expositiva(27/09)12 e 16 Doenças em Hortaliças 1,2,5,6,14,28 3,9,20,29, Aula Expositiva(04/10) 17 Doenças em Hortaliças 1,2,5,6,14,28 3,9,20,29, Aula expositiva(11/10)18 e 22 Doenças em Grandes Culturas 1,2,5,6,13,14,18,28 12,15,21,22,28 Aula expositiva(18/10) 23 Doenças em Grandes Culturas 1,2,5,6,13,14,18,28 12,15,21,22,28, Aula expositiva(25/10)27 e 31 Doenças em Grandes Culturas 1,2,5,6,13,14,18,28 12,15,21,22,28, Aula expositiva (1/11) 32 Primeira prova teorica e pratica Prova (8/11)33 e 37 Doenças em espécies florestais. 1,2,5,6,14,28 Aula Expositiva(15/11) 38 Doenças em espécies florestais. 1,2,5,6,14,28 Aula expositiva(22/11) 39 Doenças em espécies florestais. 1,2,5,6,14,28 Aula expositiva(29/11)40 e 44 Doenças em plantas ornamentais e 1,2,5,6,14 2 Aula expositiva(06/12) de arborização urbana. 45 Avaliação Doenças em plantas daninhas 1,5,6,14(13/12)46 e 50 Saída de Campo Aula expositiva(20/12) 51 Doenças em culturas perenes 1,2,5,6,8,9, 6,11,16,18,26,27 Avaliação (10/1) (fruteiras) 10,14,15,23,52 e 56 Aula expositiva Doenças abióticas 1,2,5,6,14 8 28/9 57 Aula expositiva Doencas das pastagens 1,2,5,6,14 23 (17/1)58 e 62 a Prova 2 prova Teórica e Prática (24/1) Prova 31/1 Recuperação

×