O marketing da Música

5.400 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre algumas novas tendências do marketing e da indústria da música.

Publicada em: Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.400
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
288
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
346
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O marketing da Música

  1. 1. O marketing da música
  2. 2. O mercado da música <ul><li>Dezenas de fusões e takeovers durante os anos 80 e 90 levaram a uma grande concentração do mercado discográfico. Actualmente, há apenas quatro grandes editoras. </li></ul>
  3. 3. Pequenas mudanças <ul><li>No início do milénio, a Internet e o MP3 vulgarizaram-se. Os downloads também. As editoras começaram a ligar aos advogados. </li></ul><ul><li>Ao mesmo tempo, na Internet, as pessoas começaram a ter acesso a música que nunca teriam ouvido de outra forma. </li></ul>
  4. 4. Grandes consequências <ul><li>O comércio de CDs diminui todos os anos. Em Portugal, o mercado discográfico representa menos de metade do que representava há 9 anos. </li></ul><ul><li>As editoras apoiaram o lançamento de lojas de música como o iTunes um bocadinho tarde demais. Os downloads legais não crescem o suficiente para compensar as perdas nas vendas de CDs. </li></ul>
  5. 5. O que temos agora <ul><li>Downloads gratuitos. </li></ul><ul><li>Downloads pagos. </li></ul><ul><li>CDs nas lojas do costume. </li></ul><ul><li>Ressurgimento do vinil. </li></ul>
  6. 6. Como ouvimos música <ul><li>Leitor de MP3. </li></ul><ul><li>Telemóvel. </li></ul><ul><li>Computador. </li></ul><ul><li>Aparelhagem. </li></ul><ul><li>Rádio. </li></ul><ul><li>Televisão. </li></ul>
  7. 7. O que a indústria faz <ul><li>Lança edições especiais. </li></ul><ul><li>Dinamiza negócio dos toques de telemóvel e da venda de música em formato digital. </li></ul><ul><li>Envia discos para os jornalistas. </li></ul><ul><li>Mantém os preços elevados. </li></ul><ul><li>Coloca cartazes em taipais de chapa. </li></ul><ul><li>Tem uma ou outra ideia brilhante. </li></ul>
  8. 8. Entretanto... <ul><li>O mercado dos concertos ultrapassa o dos discos (tal como há umas décadas o da música gravada ultrapassou o das pautas). </li></ul><ul><li>Alguns músicos tentam a sorte sozinhos. </li></ul><ul><li>Os Nine Inch Nails lançam álbuns de graça. </li></ul><ul><li>Os Radiohead dizem aos fãs para pagarem o que quiserem pelo download de um álbum (inclusivamente zero). </li></ul>
  9. 9. Uma teoria <ul><li>O mercado da música não está tão mau quanto isso. </li></ul><ul><li>O do disco é que já esteve bem melhor. </li></ul>
  10. 10. O que se pode fazer <ul><li>Ir ter com os consumidores de música onde eles costumam estar e mostrar o produto: Last.fm, MySpace, Facebook, Twitter, fóruns e blogs de música, pelo menos. </li></ul><ul><li>Ter um site e dinamizá-lo. </li></ul><ul><li>Tocar muito ao vivo (ou mostrar o produto, mais uma vez). </li></ul><ul><li>Dar música. As pessoas arranjam-na de graça de qualquer forma. </li></ul><ul><li>Criar e manter uma marca, uma identidade. </li></ul><ul><li>Oferecer experiências. </li></ul><ul><li>Apostar em sinergias (multimédia!). </li></ul>
  11. 11. Algumas más apostas <ul><li>Micro-sites. </li></ul><ul><li>DRM. </li></ul><ul><li>Publicidade. </li></ul><ul><li>Discos a 20 euros. </li></ul><ul><li>Reedições. </li></ul><ul><li>Fnac. </li></ul>
  12. 12. Outra vez os Radiohead <ul><li>Dois blogs. </li></ul><ul><li>Um concurso de videoclips. </li></ul><ul><li>Dois concursos de remisturas. </li></ul><ul><li>Uma rede social própria. </li></ul><ul><li>Dois webcasts. </li></ul><ul><li>Uma página no Facebook. </li></ul><ul><li>Estreia de vídeos online, um dos quais feito sem quaisquer câmaras e estreado no Google. </li></ul><ul><li>Lançamento de um álbum sem dizer o preço. </li></ul>
  13. 13. Algumas tendências <ul><li>Implementação de novas ferramentas espalhadas pela Web na produção e divulgação de música. </li></ul><ul><li>Serviços de música por subscrição. </li></ul><ul><li>Música gratuita como forma de atrair público para os concertos. </li></ul><ul><li>Envolvimento dos fãs nas escolhas. </li></ul>
  14. 14. Ideias-chave <ul><li>Os downloads de música colocaram a indústria sob um novo paradigma. </li></ul><ul><li>As editoras têm de escolher: ou continuam com os discos e encolhem ou diversificam o negócio. </li></ul><ul><li>A divulgação de música nunca foi tão fácil. </li></ul>
  15. 15. Uma certeza <ul><li>Nunca tantos ouviram tanta música. </li></ul>
  16. 16. Eu estou por aí <ul><li>Filipe Marques </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>ouve-se.com </li></ul><ul><li>twitter.com/filipemarques </li></ul><ul><li>friendfeed.com/filipemarques </li></ul><ul><li>delicious.com/filipemarques </li></ul>

×