Definição do sector de 
Turismo de Natureza 
• Motivação principal 
– Viver experiências de grande valor 
simbólico, inter...
Definição do sector de 
Turismo Natureza 
• Mercados 
– Natureza soft 
• As experiências baseiam-se na prática de activida...
Duração das viagens de TN dos 
europeus - 2004
PERFIL DO CONSUMIDOR
PERFIL DO CONSUMIDOR
PERFIL DO CONSUMIDOR
FACTORES BÁSICOS 
• Diversidade de recursos naturais 
(ecossistemas, flora e fauna, etc.). 
• Existência de espaços natura...
FACTORES CHAVE
RECURSOS DISPONÍVEIS 
• Abundantes recursos e espaços 
naturais 
– Parque Nacional 
– Parques Naturais 
– Reservas Naturai...
ORGANIZAÇÃO DEFICIENTE 
• Pequena dimensão das empresas que 
operam no sector 
• Insuficiente acumulação de experiência, 
...
COMPOSIÇÃO DA PROCURA 
• Escassa presença de procura internacional 
(só 4% da procura actual é estrangeira) 
• Existe uma ...
SEGMENTOS / PÚBLICOS 
ALVO 
• Os segmentos prioritários para Portugal 
devem ser os consumidores de Turismo de 
Natureza s...
O Sistema de Valor para o sector 
de Turismo de Natureza em 
Portugal 
deve centrar-se na diversidade e 
singularidade de ...
Actividades mais frequentes dos 
consumidores/praticantes de 
Turismo de Natureza
Actividades mais frequentes dos 
consumidores/praticantes de 
Turismo de Natureza
No Turismo de Natureza, a 
produção de valor deve 
concentrar-se, 
preferencialmente, na função 
Viver.
EXPERIÊNCIAS
EXPERIÊNCIAS ESTÉTICAS 
• Desenvolvimento de infra-estruturas e serviços que 
permitam ao turista contemplar a natureza du...
EXPERIÊNCIAS ESTÉTICAS 
• Programar espectáculos que recriem tradições e 
histórias do país. Exemplo: batalhas navais, 
hi...
EXPERIÊNCIAS DE EDUTENIMENTO 
• Delinear cursos educacionais sobre temas relacionados 
com a natureza. Exemplo: cursos de ...
Linhas de actuação para o desenvolvimento 
do Turismo de Natureza (Lisboa)
Turismo de natureza
Turismo de natureza
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Turismo de natureza

326 visualizações

Publicada em

Turismo de natureza

Publicada em: Marketing
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
326
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Turismo de natureza

  1. 1. Definição do sector de Turismo de Natureza • Motivação principal – Viver experiências de grande valor simbólico, interagir e usufruir da Natureza • Actividade – Actividades desportivas – Contemplação da Natureza – Actividades de interesse especial
  2. 2. Definição do sector de Turismo Natureza • Mercados – Natureza soft • As experiências baseiam-se na prática de actividades ao ar livre de baixa intensidade (passeios, excursões, percursos pedestres, observação da fauna, etc.). Nota: Representa cerca de 80% do total de viagens de Natureza. – Natureza hard • As experiências relacionam-se com a prática de desportos na Natureza (rafting, kayaking, hiking, climbing, etc.) e/ou de actividades que requerem um elevado grau de concentração ou de conhecimento (birdwatching, etc.). Nota: Estemercado representa cerca de 20% do total das viagens de Natureza.
  3. 3. Duração das viagens de TN dos europeus - 2004
  4. 4. PERFIL DO CONSUMIDOR
  5. 5. PERFIL DO CONSUMIDOR
  6. 6. PERFIL DO CONSUMIDOR
  7. 7. FACTORES BÁSICOS • Diversidade de recursos naturais (ecossistemas, flora e fauna, etc.). • Existência de espaços naturais protegidos (parques nacionais, reservas naturais, • etc.). • Boas acessibilidades. • Limpeza e conservação das zonas envolventes.
  8. 8. FACTORES CHAVE
  9. 9. RECURSOS DISPONÍVEIS • Abundantes recursos e espaços naturais – Parque Nacional – Parques Naturais – Reservas Naturais – Paisagens Protegidas – Monumentos Naturais – Pouco preparados e adequados para o seu aproveitamento turístico
  10. 10. ORGANIZAÇÃO DEFICIENTE • Pequena dimensão das empresas que operam no sector • Insuficiente acumulação de experiência, tecnologia e know how • Falta de regulamentação e/ou controle • Limitações para a estruturação de produtos ou experiências integrais • Déficit de recursos humanos especializados
  11. 11. COMPOSIÇÃO DA PROCURA • Escassa presença de procura internacional (só 4% da procura actual é estrangeira) • Existe uma percepção positiva de Portugal como destino para Turismo de Natureza
  12. 12. SEGMENTOS / PÚBLICOS ALVO • Os segmentos prioritários para Portugal devem ser os consumidores de Turismo de Natureza soft, na suas modalidades básicas.
  13. 13. O Sistema de Valor para o sector de Turismo de Natureza em Portugal deve centrar-se na diversidade e singularidade de experiências com alto conteúdo recreativo, de aprendizagem lúdica e estética
  14. 14. Actividades mais frequentes dos consumidores/praticantes de Turismo de Natureza
  15. 15. Actividades mais frequentes dos consumidores/praticantes de Turismo de Natureza
  16. 16. No Turismo de Natureza, a produção de valor deve concentrar-se, preferencialmente, na função Viver.
  17. 17. EXPERIÊNCIAS
  18. 18. EXPERIÊNCIAS ESTÉTICAS • Desenvolvimento de infra-estruturas e serviços que permitam ao turista contemplar a natureza duma perspectiva diferente. Exemplos: teleféricos, funiculares, passeios em balão, etc. • Delinear rotas onde o turista possa observar formas tradicionais de trabalho. Exemplos: visitas aos campos de cultivo, aos ateliers de móveis rústicos, a zonas de pastoreio, etc. • Desenvolver itinerários que passem por sítios de alto valor paisagístico, cultural e histórico. Exemplo: itinerários que passem por aldeias pitorescas, portos pesqueiros, aldeias históricas, sítios arqueológicos, castelos, etc.
  19. 19. EXPERIÊNCIAS ESTÉTICAS • Programar espectáculos que recriem tradições e histórias do país. Exemplo: batalhas navais, histórias de amor, formas de cultivo, etc. • Organizar visitas a eventos relacionados com a natureza. Exemplo: competições desportivas, exposições de plantas aromáticas típicas, feiras de agricultura, feiras de gastronomia, etc. • Desenvolver actividades temáticas. Exemplo: tours nocturnos para a observação da fauna, etc. • Organizar eventos e espectáculos em espaços naturais, que incluam elementos históricos ou culturais típicos do destino. Exemplo: espectáculos nocturnos de luzes e de música portuguesa, concertos em redor de vulcões, etc.
  20. 20. EXPERIÊNCIAS DE EDUTENIMENTO • Delinear cursos educacionais sobre temas relacionados com a natureza. Exemplo: cursos de protecção do ambiente, cursos de protecção da natureza, etc. • Organizar encontros com profissionais do ambiente. Exemplo: encontros com estudiosos, professores universitários, documentalistas, etc. • Delinear circuitos que incluam visitas a centros dedicados à conservação do ambiente. Exemplo: institutos de desenvolvimento de ecoprodutos, centros de protecção, institutos de investigação ambiental, etc. • Criar actividades onde o turista possa participar e aprender com a comunidade. Exemplo: trabalhos têxteis, azulejo, etc. • Delinear circuitos temáticos-educacionais: zonas vinícolas, zonas de pastorícia, vias romanas, etc.
  21. 21. Linhas de actuação para o desenvolvimento do Turismo de Natureza (Lisboa)

×