Relatorio estagio educação infantil

12.162 visualizações

Publicada em

Relatório Estágio em Educação Infantil

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.162
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
169
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatorio estagio educação infantil

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS – UFPEL LICENCIATURA EM PEDAGOGIA A DISTANCIA - EaD CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTANCIA VALE DO JACUÍ – CEAD PÓLO CACHOEIRA DO SUL – RS RELATÓRIO DE ESTÁGIO PRÁTICA DOCENTE I Filícia Terezinha Nunes da Silva Cachoeira do Sul, 2013.
  2. 2. Filícia Terezinha Nunes da Silva Relatório de Estágio em Educação Infantil Relatório de Prática Docente I apresentado ao Curso de Licenciatura em Pedagogia- UFPel/UAB, como requisito à conclusão do Estágio Supervisionado de Educação Infantil Supervisor do Estágio CLPD : Lilian Lorenzato Supervisor do Estágio Escola: Josiele Flores Cachoeira do Sul, 2013.
  3. 3. Equipe docente responsável: Professores a distância Suzana Mattos da Rosa Professores presenciais Edeni Aparecida Leal Silveira Fernanda da Silva Rosa Professor Formador Márcia Berenice Pereira André
  4. 4. Resumo O presente artigo tem como objetivo não apenas descrever o estágio realizado na Escola Municipal de Educação Infantil Pró-Infância Patrona Marisa Timm Sari, Rua Gregório da Fonseca, 700 – Tibiriçá, Cachoeira do Sul – RS, Pré-Nível A I, faixa etária de três a quatro anos e aplicação do Projeto Brinquedos e Brincadeiras, mas também regatar experiências vividas por pais, avós, tios e professores unindo estudos teóricos com a prática vivenciada. O estágio Supervisionado contribuiu para nossa formação, pois podemos compreender que o papel do professor de Educação Infantil é fundamental para a construção das crianças, proporcionando a analise de que teoria e prática devem caminhar juntas, possibilitando a construção da identidade profissional do educador. Palavras-chaves: Brinquedos, Brincadeiras, Vivências, Teoria e Prática
  5. 5. SUMÁRIO 1. Apresentação..................................................................................................5 2.Desenvolvimento..............................................................................................6 2.1. Etapa de Ensino...........................................................................................6 2.2. Processo de Ensino.....................................................................................6 2.3. Aprendizagem dos Alunos............................................................................7 2.4. Trabalho Docente.........................................................................................8 CONCLUSÃO......................................................................................................9 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS..................................................................10
  6. 6. 5 1. Apresentação O presente artigo tem por objetivo apresentar situações que demonstram a importância da brincadeira e brinquedos construídos juntamente com os alunos com materiais diversos, bem como o resultado obtido através do estágio realizado na Educação Infantil, onde são citados itens como: aprendizagem, avaliação, planejamento adequado e diferenças. Traz ainda o relato da realização de prática que proporcionaram novas experiências para pais, alunos e professores que interagiram neste projeto. O trabalho teve como enfoque o desenvolvimento do planejamento e avaliação dos resultados obtidos, bem como uma reflexão sobre a prática docente. Traz ainda uma abordagem sobre as etapas de ensino durante o estágio, tendo como embasamento teórico Vygotsky e a LDB. Na reflexão sobre as atividades propostas e a participação de todos os envolvidos, pais, professores e alunos, observou-se o desenvolvimento, aprendizagem e interação das crianças frente a estratégias diferenciadas.
  7. 7. 6 2. Desenvolvimento O desenvolvimento deste trabalho se dividirá em quatro subtemas como veremos a seguir: 2.1. ETAPA DE ENSINO A primeira etapa da educação básica prima pelo desenvolvimento da criança e seu bem estar no convívio social. Dentro desta ainda realizam-se estimulação para o desenvolvimento do corpo, das relações interpessoais, estratégias para que os alunos tenham contato com o mundo letrado de forma lúdica e natural aprendendo assim a reconhecer seu nome, manipular e apreciar materiais diversos, reconhecer numerais até 10, vivenciar e resgatar brinquedos, brincadeiras e valores, promovendo a socialização e interação afetiva entre criança, escola e família. Assim observamos o Art. 29 da LDB: A Educação Infantil, primeira etapa da educação básica, tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e comunidade. (Art.29, Lei 9.394/1996 - LDB). Dessa forma a Educação Infantil tem sido o centro de atenção na educação das crianças desde o nascimento, para o pleno desenvolvimento das mesmas. Para tanto, cada escola tem suas estratégias quanto à rotina diária. Assim sendo, durante a prática de estágio na turma de pré-nível A I, o desenvolvimento da rotina de planejamento quanto aos materiais, espaço e tempo, foram sendo ajustados conforme andamento do trabalho, de acordo com a necessidade da turma. Por isso é fundamental o papel do professor na observação e ajustes de seu trabalho diariamente, fazendo com que a criança seja plenamente inserida no meio, relacionando-se com colegas e professores de forma prazerosa. 2.2. PROCESSO DE ENSINO Durante o período de aplicação do planejamento percebeu-se que as atividades propostas foram todas executadas por inteiro, porém foi preciso
  8. 8. 7 alguns ajustes como adaptação de exercícios: pintura realizada no muro (não no papel pardo), gráfico realizado com brinquedos da sala de aula e levados pelos professores (não vindos de casa), ambas as atividades atendendo ao tempo disponível e a adequação a proposta pedagógica da escola. Conforme cada situação e objetivo alcançado através da prática docente na turma de pré-nível A I, podemos perceber que todos têm potencial, porém cada aluno com suas especificidades e ao seu tempo, obtém sucesso no que é proposto, mesmo a turma sendo pouco frequente e diferente em seu aprendizado. 2.3. APRENDIZAGEM DOS ALUNOS Ao decorrer do estágio percebemos que a turma de pré-nível A I apresentou algumas dificuldades de concentração, pois a turma no geral é muito agitada. Foi observado também que alguns alunos são pouco frequentes nas aulas, tornando assim o papel do educador mais desafiador na questão de cobrar dos mesmos regras e limites. Por esse motivo decidimos construir junto com eles os brinquedos e as atividades práticas, lúdicas e psicomotoras com a intenção de envolvê-los no grupo e individualmente, permitindo assim que todos participassem e pudessem ser avaliados e acompanhados de forma que fosse trabalhado em seu intelectual, emocional, social, psicomotor. De acordo com Vygotsky: O brincar é uma atividade humana criadora, na qual imaginação, fantasia e realidade interagem na produção de novas possibilidades de interpretação, de expressão e de ação pelas crianças, assim como de novas formas de construir relações sociais com outros sujeitos, crianças e adultos. ( Vygotsky 1987, p.35) Brincar é uma ação que ocorre no campo da imaginação, assim ao brincar está se fazendo uso da linguagem simbólica. Poder brincar já é um processo terapêutico, brinca-se para ressignificar a vida. Na brincadeira o sujeito exercita-se cognitivamente, socialmente e efetivamente. Toda criança
  9. 9. 8 deve ter prazer no que faz, no que estuda, brincar é a verdadeira atuação entre o divertimento e a aprendizagem deve fazer sentido para a vida da criança. Ao observar e analisar os questionamentos e comentários realizados após cada atividade, percebemos que quase todos extraíram aprendizado do conteúdo realizado, tendo em vista que é necessário buscar atividades ainda mais envolventes e que se encaixem no perfil de cada um, mas que possam ser trabalhados num todo. 2.4. TRABALHO DOCENTE O educador precisa ter total domínio das atividades, porém não realizá- las pelos alunos. O educador deve ser um mediador entre a atividade e o aluno, mostrando o caminho para o conhecimento e aprendizado. A respeito da sala de aula deve ser organizada de forma lúdica, com materiais que estimulem e estejam de acordo com a faixa-etária dos alunos, como: livros, brinquedos, jogos, obstáculos, ser alegre e bem higienizada para que transmita aos mesmos o bem estar e prazer ao ocupá-la. As propostas pedagógicas tanto da escola quanto do professor devem ser de acordo com a realidade e idade dos educandos. É essencial para a aprendizagem dos mesmos que o educador conheça a realidade, cultura e toda bagagem que estes possuem. Só assim o educador terá ferramentas e embasamento adequado para transmitir seu ensinamento e despertar o interesse na turma, analisando respeitando o tempo, espaço, fragilidades e potencialidades de cada aluno. A aplicação do projeto brinquedos e brincadeiras proporcionaram momentos importantes à prática docente tais como: a exposição dos brinquedos construídos por eles quando os alunos fizeram demonstração de suas criações. É importante salientar que os mesmos ao apresentar suas produções demonstraram euforia, isso tudo no dia da brincadeira quando pais e responsável foram convidados a participar, promovendo a socialização e a interação entre pais, alunos e professores.
  10. 10. 9 Conclusão Neste estágio prática docente I, tive como experiência o fato de que mesmo sendo crianças de uma mesma faixa etária é necessário conhecer cada um mais profundamente tendo um olhar não apenas de alguém que está ali para ensinar,mas para aprender e trocar experiências,assim como se deparar com culturas diferentes que precisamos saber dominá-las e respeitá-las. Através dos estudos e atividades realizadas durante o estágio pude perceber que a educação infantil tem como objetivo o desenvolvimento das crianças até seis anos. Assim sendo, o trabalho do professor deve buscar esse desenvolvimento através de atividades lúdicas e prazerosas que envolvam a criança nos diversos aspectos, não se esquecendo da interação família e sociedade em geral. Um professor deve ter um olhar diagnóstico defensor, corretor, sensível, emocional equilibrado, sobretudo amar o que faz, procurando sempre resgatar valores. Percebi ainda que cada criança tem um jeito único de participar das atividades propostas, sendo que devemos respeitar cada um no seu tempo e capacidade de desenvolver as tarefas solicitadas. Sendo assim, precisamos ter um olhar atento a cada um de nossos alunos, para que todos tenham suas potencialidades desenvolvidas e aproveitadas para seu pleno desenvolvimento. Por tanto na minha concepção o professor precisa sempre buscar novos conhecimentos, evitando acomodar-se ou cair na rotina, buscando novas estratégias para motivar os alunos conforme seus interesses, tornando o ambiente agradável e propício a aprendizagem.
  11. 11. 10 Referências Bibliográficas BRASIL. LEI Nº 9. 394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm, Acesso em 24-11-13. DASILVA, Aline Fernandes Felix e DOS SANTOS Ellen Costa Machado, A importância do Brincar na Educação Infantil, Rio de Janeiro, 2009. Disponível em: http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/desafios- cotidianos/arquivos/integra/integra_SILVA%20e%20SANTOS.pdf CRAIDY, Carmem Maria e KAERCH Gládis Elise, Educação Infantil: pra que te quero, secretaria do Trabalho e Cidadania e Assistência Social, Porto Alegre, 1998.

×