Es

284 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
284
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Es

  1. 1. Durante 1947-1985, Os EUA e a URSS viveram um clima de tensão e antagonismo. A este clima chamamos de GUERRA FRIA. Estas duas superpotências, eram duas conceçõesopostas, quer na política, quer na economia e na sociedade. OsEUA era um sistema liberal, apoiante da liberdade individual; a URSS apoiava o marxismo, que subordina o indivíduo aointeresse da coletividade. O Mundo dividia-se, assim, com uma “cortina de ferro”, na Europa Ocidental (capitalistas) e na de Leste (comunistas).
  2. 2.  Em 1947, Truman expõe a sua visão de um mundo dividido em dois blocos antagónicos: EUA, baseavam-se na liberdade e a URSS na opressão. Por isso, Truman afirma “Penso que devemos ajudar os povos livres a moldar o seu próprio destino como entenderem.”, “Penso que a nossa ajuda deverá ser essencialmente de natureza económica e financeira, essencial à estabilidade económica e a uma vida política serena.” Com isto, o presidente anuncia que, um enorme plano, o Plano Marshall, vem auxiliar toda a Europa, mesmo os países que estavam do lado da URSS, com vista a conter o comunismo e a reforçar os laços com os EUA.
  3. 3. 1948-49 1949-50 1950-51 Total (milhões (milhões (milhões (milhões País de dólares) de dólares) de dólares) de dólares)Alemanha 510 438 500 1,448Áustria 232 166 70 488Bélgica e Luxemb 195 222 360 777urgoDinamarca 103 87 195 385França 1,085 691 520 2,296Grécia 175 156 45 366Irlanda 88 45 — 133Islândia 6 22 15 43Itália e Trieste 594 405 205 1,204Noruega 82 90 200 372Países Baixos 471 302 355 1,128Portugal — — 70 70Reino Unido 1,316 921 1,060 3,297Suécia 39 48 260 347Suíça — — 250 250Turquia 28 59 50 137
  4. 4.  Em 1949, a Europa Ocidental criou uma aliança político-militar, muito devido à tensão provocado pelo Bloqueio de Berlim. Esta aliança tem o nome de OTAN (Organização do Tratado Atlântico Norte). Esta aliança é uma organização defensiva, que luta contra qualquer ataque que possa surgir.
  5. 5.  Assim, para além da OTAN, os EUA firmam alianças multilaterais por todo o mundo, devido à tensão e à vontade de consolidar a sua área de influência. Na América, a OEA (Organização dos Estados Americanos), 1948; - Na Oceânia, a ANZUS (Austrália, Nova Zelândia e Estados Unidos), 1954; - No Sudeste Asiático, a OTASE (Organização do Tratado da Ásia e do Sudeste), 1954; - No Médio Oriente, a CENTO (Organização do Tratado Central), 1955.
  6. 6.  Após a 2ª Guerra Mundial, verificaram-se mudanças no sistema democrático ocidental. Começaram a aparecer democracias que fundiam os valores demoliberais (liberdade individual, sufrágio universal e multipartidarismo) com a ideologia socialista (bem-estar dos cidadãos e justiça social). Assim, surgem duas novas correntes políticas: a Social- Democracia e a Democracia-Cristã.
  7. 7.  A social-democracia defende o pluralismo democrático e os princípios da livre-concorrência económica com o intervencionismo do Estado, com vista a regular a economia e a promover o bem-estar dos cidadãos. É portanto, necessário redistribuir a riqueza obtida pelos cidadãos. Defendem a implementação de reformas socializantes, como meio de melhorar as condições de vida das classes trabalhadoras. A rosa vermelha é o símbolo da social-democracia.
  8. 8.  Esta corrente política foi inspirada na doutrina social da Igreja, que condena os excessos do liberalismo capitalista. A democracia-cristã pretende aplicar à vida os princípios de justiça, entreajuda e valorização da pessoa humana, assegurando o bem-estar dos cidadãos. Em 1945, Konrad Adenauer, participou na fundação da União Democrata-Cristã (CDU) e foi um dos protagonistas da democracia- cristã.
  9. 9.  Assim, estas diferentes ideologias promovem reformas económicas e sociais profundas. O Estado torna-se o principal agente económico do país, exercendo a função reguladora da economia, garantir o emprego e definir a política salarial. Reforça-se o carácter progressivo das taxas, permitindo assegurar uma redistribuição mais equitativa da riqueza nacional. Um tal conjunto de medidas deu origem ao Estado- Providência.
  10. 10.  É o Estado do bem-estar, onde casa cidadão tem asseguradas as suas necessidades básicas. Estabeleceu-se um sistema nacional de saúde grátis nos serviços médicos e extensivo a todos os cidadãos. O sistema de proteção social generaliza-se a toda a população, acautelando o desemprego, acidente, velhice e doença; estabeleceu-se prestações de ajuda familiar e outros subsídios aos mais pobres. Com isto, o Estado passou a ter mais responsabilidades e estas medidas visam reduzir a miséria e o mal-estar social, bem como, assegura a estabilidade económica.
  11. 11.  O crescimento económico do pós-guerra deveu-se à rentabilização do Plano Marshall . O objectivo dos EUA era criar condições às nações europeias para o estabelecimento da democracia (travando assim o avanço para ocidente da influência soviética) e tornar dependentes dos EUA as economias da Europa. Não só com a ajuda do Plano Marshall, mas também com a criação da G.A.T.T., isto é, com a liberalização do comércio internacional, e por fim, através da estabilidade monetária (acordos de Bretton Woods). Deste modo, o capitalismo que parecia ter perdido as forças durante a Grande Depressão dos anos 30, ressuscitou dos destroços da guerra. As economias cresciam a grande vapor, não se registando períodos de crise e atingiram o seu auge entre 1945 e 1973 e, os analistas batizaram este período como os “Trinta Gloriosos”.
  12. 12.  A aceleração do progresso tecnológico; Recurso ao petróleo como matéria energética por excelência; Aumento da concentração industrial e do número de multinacionais; Aumento da população ativa; Modernização da agricultura; Crescimento do setor terciário.
  13. 13.  O pleno emprego, os salários altos e a produção maciça de bens a preços acessíveis, conduziram à sociedade de consumo, que transformou o estilo de vida da população capitalista. Identifica-se pelo consumo de bens supérfluos, que passam a ser encarados como essenciais. Esta sociedade é uma sociedade de desperdício, pois o cidadão despende mais do que é necessário. As férias são pagas, o que veio a acentuar que a vida merece ser desfrutada e o dinheiro é para se gastar.
  14. 14.  Os espaços comerciais cresceram e tornaram-se um santuário do consumo, onde tudo se encontra ao alcance do comprador. A publicidade lembra as “maravilhas” a que todos têm direito e que as vendas a crédito permitem adquirir. O consumismo instala-se e torna-se o emblema das economias capitalistas da 2ª metade do século XX.
  15. 15.  O aumento do consumo, mostra que o nível de vida ficou mais elevado.
  16. 16.  http://www.infopedia.pt/; www.wikipedia.org; “O Tempo da História”, 2ª parte- Porto Editora, 12ºano.

×