Furtos no Varejo

6.292 visualizações

Publicada em

Saiba como age quem comete furtos em super e hipermercados.

Publicada em: Negócios
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.292
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
99
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Furtos no Varejo

  1. 1. LOJA FURTOS: COMO OS LADRÕES AGEM POR FERNANDO SALLES Horário, encomenda de duas multinacionais e do instituto inglês Perpetuity movimento da E les são ousados. Sabem que o varejo investe cada vez mais no sentido de reduzir furtos, loja e vestimentas Group. Os pesquisadores entrevis- taram 30 pessoas que cometem fur- tos com freqüência em supermer- mas insistem em tentar levar mer- cados e drogarias da Grande São cadorias da área de vendas. E o pior adequadas. Paulo e, para entender o passo-a- é que muitas vezes obtêm suces- passo das ações, foram gravadas so. “Agarrar” esses furtantes ou Nada é escolhido quatro simulações de furtos. pelo menos mantê-los longe da loja é um grande desafio para qualquer por acaso por Entre os resultados da pesqui- sa, ficou claro que super e hiper- supermercadista e para tornar isso possível, um bom começo é enten- quem pretende mercados ainda são considerados locais atrativos para quem preten- der o perfil dessas pessoas, seu furtar produtos de furtar. Prova disso, é que 83% FOTOS: JOÃO DE FREITAS comportamento e forma de agir. disseram ter escolhido lojas do se- É exatamente o que mostra a na loja. tor para furtar pela primeira vez, pesquisa realizada pela Fundação contra apenas 17% que optaram Getúlio Vargas de São Paulo, sob por drogarias ou perfumarias. Fi- O Wal-Mart age ostensivamente contra furtos na seção de produtos para depilar e barbear: câmeras, monitores e avisos inibem a ação dos furtantes DEZEMBRO 2006 SUPERMERCADO MODERNO 61 http://www.sm.com.br
  2. 2. LOJA cou constatado também que as nham até R$ 1.200 por mês. Ao perdas com furtos variam de 0,3% contrário do que muitos pensam, a 5% do faturamento, com média praticar essas ações não é privilé- de 1,38%. Os pequenos furtos res- gio dos homens: 47% são mulhe- pondem por 80% dessas perdas. res. O nível de escolaridade da Para que o seu supermercado pos- maioria é baixo, já que 57% se- sa obter maior sucesso no combate a esse mal, a seguir você conhecerá A pesquisa da FGV quer concluiram o segundo grau. No entanto, 40% têm curso supe- melhor o perfil, comportamento e método de ação dos furtantes. mostra que 54% rior incompleto. Entre os itens preferidos, nenhu- QUEM SÃO E O QUE dos furtantes têm ma surpresa: aparelhos e lâminas de barbear, pilhas e baterias, esco- COSTUMAM FURTAR entre 18 e 29 anos vas de dentes, desodorantes, cre- Segundo a pesquisa, 54% dos mes para pele, shampoos e condi- furtantes têm entre 18 e 29 anos, e 67% ganham cionadores, bebidas alcoólicas, 43% entre 30 e 39 anos e 3% têm além de cremes e tinturas para ca- mais de 40. Em geral, começaram até R$ 1.200 belos. O estudo identificou, inclu- a furtar antes dos 16 anos, exer- sive, as marcas mais visadas. São cem atividade remunerada, seja por mês elas: Gillette, Duracell, Nívea, formal ou informal, e 67% ga- Dove, Johnson’s, L’oreal, Oral B e WAL-MART: TECNOLOGIA E TREINAMENTO PARA EVITAR FURTOS disso, um aviso informa oferece ajuda”. Polesi é também aos clientes que as presidente do Núcleo de medidas de segurança Etiquetagem na Origem (Neo), ajudam a manter o que reúne indústrias e redes de posicionamento de preço varejo empenhadas em baixo. Paulo Polesi (foto), disseminar essa tecnologia de diretor de prevenção de etiquetagem, que pode reduzir perdas, afirma que essa os furtos quase pela metade. medida ostensiva é O método já é adotado em 55 apenas parte da filosofia produtos bastante visados na de prevenção de perdas. rede Wal-Mart: os itens já No Wal-Mart todos os chegam dos fornecedores com JOÃO DE FREITAS funcionários recebem etiquetas anti-furto gravadas treinamento para inibir na própria embalagem, furtos e quando um deles o que impossibilita a retirada precisa ir até a retaguarda, dos sensores. Até o fim do ano A Wal-Mart é uma das redes propositadamente faz o percurso por que vem, o Wal-Mart que têm investido pesado em dentro da loja, passando por áreas pretende ter 150 itens prevenção de furtos e um de menor movimento e, dessa etiquetados na origem. “Com exemplo disso pode ser forma, inibindo a ação de pessoas isso reduzimos os furtos em observado na seção de itens má intencionadas. “Sempre que um 40% e aumentamos para barbear/depilar. Um de nossos associados percebe as vendas em 25%, já que monitor transmite as imagens alguém em atitude suspeita, usa o não precisamos mais captadas por uma câmera que chamamos de hospitalidade confinar esses produtos posicionada ao lado. Além agressiva, ou seja, se aproxima e em armários”, comemora. 62 SUPERMERCADO MODERNO DEZEMBRO 2006 http://www.sm.com.br
  3. 3. LOJA Sensodyne. Na hora de escolher COMO AGEM quais produtos serão furtados, con- Para começarmos a entender a for- sideram três aspectos fundamen- ma como agem esses criminosos, tais: valor do produto, tamanho e vale observar as características marca, respectivamente. descritas sobre a última vez em – O valor e a marca têm impor- que furtaram. A grande maioria tância porque 50% dos itens furta- Como 50% dos (86%) escolheu praticar o último dos são revendidos, normalmente furto em lojas grandes, em geral pela metade do preço de gôndola. produtos furtados com mais de 20 checkouts. Quan- Já o tamanho diz respeito à facili- to ao melhor horário, destaque dade de esconder o objeto furtado são revendidos, para o período da noite, escolhi- – explica José Bento Carlos Ama- do por 47% dos larápios. José ral Jr., coordenador da pesquisa. os criminosos Bento Carlos Amaral Jr., coorde- nador da pesquisa, lembra que as FREQÜÊNCIA DOS FURTOS observam o escolhas se explicam pela crença A maior parte dos entrevistados de que em lojas grandes é mais afirmou furtar uma ou duas vezes valor e a marca fácil passar despercebido e de que por semana (47%). Apenas 17% disseram praticar furtos três a qua- do produto à noite a segurança está mais re- laxada ou menos presente. tro vezes por semana, e o restante Na última ação, 70% levaram se divide em ações quinzenais ou apenas uma categoria de produto mensais. Entre os fatores que jus- se a preocupação em não chamar e metade levou somente uma uni- tificam a periodicidade, destacam- a atenção e não ficar visado por dade. A lógica de furtar pequenas seguranças e funcionários. quantidades para não correr riscos – Em geral eles agem por um prevalece na maioria das ocasiões, tempo em uma loja e depois mu- mas é preciso considerar que 23% dam para outro local – diz Amaral. disseram ter furtado quatro ou Em comparação com a época em mais unidades de produtos. que começaram a furtar, 40% con- tinuam praticando os delitos com a mesma freqüência, 33% intensifi- COMO ELES caram as ações e apenas 27% di- DESISTEM minuíram. Apesar disso, 57% reco- DO FURTO nhecem que ficou mais difícil fur- Dos 30 furtantes tar. Observando as razões alegadas, entrevistados, 80% disseram é possível extrair procedimentos já ter desistido de furtar no DIVULGAÇÃO que inibirão os criminosos de atuar meio da ação. Eles desistem quando percebem que o na sua loja. Vamos a elas: câmeras segurança: espalhadas por todo lado; reforço ‘‘ Os furtantes em geral agem por um tempo em uma loja e no número de seguranças, inclusi- ve à paisana; produtos expostos com sensor de metal e presença de • segue pela loja como uma • olha insistentemente sombra depois mudam, para não ficarem visados ,, espelhos de aumento. Já a parcela que acredita estar mais fácil furtar cita entre as prin- • olha e fala pelo rádio • pergunta se precisa de ajuda caminha em sua direção • usa óculos escuros dentro José Bento Amaral cipais razões a falta de vigilância • raio de ação do FGV e a distração dos funcionários. 64 SUPERMERCADO MODERNO DEZEMBRO 2006 http://www.sm.com.br
  4. 4. LOJA Quando os pesquisadores da ro passo é verificar novamente se FGV-SP solicitaram justificativas há seguranças à vista, caso real- para o último furto, as respostas mente estejam por lá, passam a mais comuns foram: necessida- memorizar suas posições. O po- de/falta de dinheiro, ser um item sicionamento das câmeras, claro, fácil de pegar e esconder e ser um também é observado. produto de alto valor. José Ben- As justificativas A partir daí, a regra é tentar se to, da FGV, ressalta que quando passar por um cliente comum. Para se fala em necessidade, não dadas para os isso, estabelecem um percurso dis- estamos falando de gente que fur- simulado: pegam um produto aqui, ta para comer. furtos são: falta de verificam o preço de outro, lêem – A necessidade é de comple- embalagens, colocam itens no car- mentar a renda, já que a pesquisa dinheiro, produto rinho, até, enfim, chegarem à se- deixou claro que essas ações são ção de seu interesse. Nesse mo- praticadas por profissionais, que fácil de roubar ou mento fazem nova verificação ganham dinheiro revendendo as quanto à presença e ao posiciona- mercadorias furtadas – afirma. item com alto mento de câmeras e certificam- Na primeira vez em que agi- ram, 83% dos entrevistados o fi- valor agregado se de que ninguém os observa. Nesse instante, o alvo do furto zeram em supermercados, contra já foi identificado na gôndola e o 10% nas drogarias e 7% nas per- próximo passo é se aproximar dele fumarias. Ainda considerando o nos, camisas e blusas largas e distraidamente, sempre atento a ele- “início de carreira”, 60% agiram compridas cobrindo a cintura, cal- mentos hostis. Se tudo está tranqüi- acompanhados, praticamente a ças largas e com bolsos grandes, lo, pegam o produto e escondem, metade planejou o furto antes de jeans e saias são utilizadas pois principalmente, dentro da calça ou no bolso, na cintura, na bolsa, na jaqueta, na manga da blusa, ou nas Roupas como jaquetas e casacos com bolsos axilas. Continuam o percurso dis- simulado até chegarem ao checkout. internos são usadas para cometer furtos – Raramente deixam de com- prar algum produto para despis- chegar aos estabelecimentos e só facilitam na hora de esconder o tar, normalmente itens baratos e 13% foram pegos, porém nin- item surrupiado. de uso pessoal – afirma. guém acabou preso. Antes de entrar na loja, os fur- Como em muitos casos a gôn- Se considerarmos a média das tantes observam a presença de se- dola dos produtos mais visados é ações, e não apenas o primeiro e guranças uniformizados e à pai- bastante vigiada, também é proce- o último furto, observamos que sana e de policiais. Vêem também dimento comum colocar o produ- em 70% dos casos o furtante age como está o movimento, tendo to no carrinho e escondê-lo em áre- sozinho. Para 47% deles a deci- como base inicial a quantidade de as da loja consideradas mais tran- são do furto é tomada na loja, já carros no estacionamento: o ideal qüilas, como a seção de frios. ■ 33% decidem antes de chegar, en- para eles é que a loja não esteja quanto o restante alterna ambos nem cheia e nem muito vazia. No ■ MAIS INFORMAÇÕES os procedimentos, dependendo primeiro caso, há risco de ser de- das circunstâncias. Nem a forma nunciado por clientes, no segun- FGV-SP: www.fgvsp.br de se vestir é escolhida ao acaso, do viram alvo fácil da segurança. NÚCLEO DE ETIQUETAGEM NA ORIGEM: fschueler@neovarejo.com.br roupas especiais como jaquetas e Já na área de vendas, outro ro- WAL-MART: www.walmartbrasil.com.br casacos grandes com bolsos inter- teiro é seguido à risca. O primei- 66 SUPERMERCADO MODERNO DEZEMBRO 2006 http://www.sm.com.br

×