www.cronospeed.com.brFabricaçãoAo contrário do que se imagina quando falamos em fabricação de pneus, todos são construídos...
www.cronospeed.com.brsomente nylon, só de aço, ou só poliéster. Cada estrutura de pneu irá utilizar uma ou mais camadasde ...
www.cronospeed.com.brapoiada em uma espécie de “tambor”, que também fará a junção dos anéis dos talões à carcaça,permitind...
www.cronospeed.com.brelástica. Nesta etapa também o pneu recebe todas as inscrições laterais e o desenho da banda, poistod...
www.cronospeed.com.brApesar de parecer simples e contar ainda com um processo manual de fabricação, muita tecnologiaprinci...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Verdade sobre-pneus 3-fabricacao

1.716 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.716
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
41
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Verdade sobre-pneus 3-fabricacao

  1. 1. www.cronospeed.com.brFabricaçãoAo contrário do que se imagina quando falamos em fabricação de pneus, todos são construídos deforma artesanal, manualmente, um a um, não existindo uma “máquina onde colocam todos oscomponentes e sai o pneu pronto do outro lado”.A construção de um pneu novo é muito parecida, seja de que marca e tipo for, com mudanças emtecnologia de materiais e controles de processo. Nesta etapa vou tentar passar de uma forma bemsimples um resumo sobre o processo de fabricação desses pneus.A primeira etapa consiste em misturar todos os componentes, para cada parte específica de umpneu, em uma máquina chamada “Misturador Banburry” que irá transformar toda a matéria primaem uma mistura homogênea com a consistência da borracha.Essa mistura dos componentes envolve aquecimento, e após a mistura estar completamentehomogeneizada, as mantas ficam em descanso e resfriamento até a próxima etapa.Uma das etapas é a preparação das lonas de corpo. Diversos carretéis de aço, poliéster ou nylon,formam uma trama perfeitamente alinhada e que será “fundida” nas camadas de borracha própriaspara estas partes do pneu. Nunca serão encontrados todos os materiais numa mesma camada, mas
  2. 2. www.cronospeed.com.brsomente nylon, só de aço, ou só poliéster. Cada estrutura de pneu irá utilizar uma ou mais camadasde cada material, conforme a necessidade da aplicação. A informação com a estrutura de corpo éencontrada nos flancos dos pneus, e veremos mais tarde detalhadamente.No exemplo acima aparecem somente 9 carretéis, mas são diversos, de acordo com a estrutura queestá sendo construída.Outra parte estrutural são os talões, responsáveis pelo assentamento e estanqueidade dos pneus.Os talões são anéis formados por fios de aço de alta resistência, que são recobertos por umaborracha muito resistente e flexível, própria para este fim. Também neste exemplo aparecemapenas 3 carretéis, mas são diversos de acordo com o tipo do pneu.Finalmente começa a montagem do futuro pneu! Até esta etapa, quase não há envolvimentohumano e boa parte do processo é totalmente mecanizado. Porém, a montagem do pneu é manual,quase artesanal. Os pneus são montados a partir da primeira camada chamada “innerliner”, que faráo papel da câmara de ar nos pneus Tubeless, e sobre ela é montada a carcaça. Essa estrutura é
  3. 3. www.cronospeed.com.brapoiada em uma espécie de “tambor”, que também fará a junção dos anéis dos talões à carcaça,permitindo ao montador iniciar o processo a partir de então. Todos os pneus de passeio e pickupspossuem a carcaça formada por cabos de fibras têxteis, e somente os pneus de caminhões possuemaço na carcaça, sendo que nos demais apenas as lonas de corpo contém aço na estrutura. A carcaçaé o “esqueleto” do pneu, e será responsável por sustentar a carga e velocidade do veículo onde foraplicado.Sobre a carcaça, o montador aplica as lonas de corpo, uma a uma conforme a necessidade e tambémreforços de estrutura. Estas lonas são “coladas” em um primeiro momento, até que realmente sefundam na vulcanização. As lonas são cortadas e emendadas, fechando a circunferência totalmente.O ângulo do corte influencia também na resistência da estrutura.Após a colocação de todas as lonas de corpo e os flancos, a ultima camada é aplicada e será a maisvisível: a banda de rodagem. Até este momento, a banda de rodagem não passa de uma camada deborracha lisa, sem absolutamente nenhuma marca a não ser a numeração do fabricante queidentifica qual será o desenho daquela estrutura e composto.Feito isto, o resultado de toda a operação é o chamado “pneu verde”, que apesar do nome, continuapreto! Ele é chamado assim por ainda estar cru, e nesta forma não possui ainda nem a resistência enem o formato real como conhecemos, parecendo mais um barril mole de borracha.Este pneu “verde” ou incurado entrará então em um molde para ser vulcanizado, onde nesteprocesso todos os componentes serão ligados e curados, passando da forma plástica para a forma
  4. 4. www.cronospeed.com.brelástica. Nesta etapa também o pneu recebe todas as inscrições laterais e o desenho da banda, poistodos estes itens estão nas paredes do molde. No meio do molde há uma espécie de “câmara”,semelhante a uma câmara de ar, que vai inflar com água quente pressionando esse pneu verdecontra as paredes a uma pressão muito alta, e este será aquecido a uma temperatura de até 200ºCpor até 20 minutos, tempo e temperatura que podem variar de acordo com o tipo do pneu. Comocuriosidade, os “cabelinhos” dos pneus novos são resultados de furos nas paredes do molde, poronde saem o ar e o excesso de material das camadas quando estas são pressionadas.Após o processo de vulcanização, o pneu que agora já tem o formato e consistência conhecidosficará em um período de descanso e resfriamento, onde pneus de passeio ficam em torno de 1hr, epneus maiores como pickups ou caminhões ficam entre 2 e 3hs.Finalizado o descanso, os pneus passam por baterias de exames que indicarão se estão ou nãoaprovados para venda. Cada fabricante reserva seus métodos para exame, mas a grande maioriainicia com um exame visual e testes de balanceamento em todos os pneus, e outros como raio-x,força e momento, ruptura e demais testes destrutivos são feitos aleatoriamente por amostragem.
  5. 5. www.cronospeed.com.brApesar de parecer simples e contar ainda com um processo manual de fabricação, muita tecnologiaprincipalmente em compostos de borracha e materiais cada vez mais nobres nas estruturas sãoutilizados pelos principais fabricantes, cada um buscando um efeito ou vantagem própria para seuproduto para que o usuário tenha cada vez mais conforto e segurança na condução, pois o pneu éresponsável direto pelo comportamento do veiculo e sua especificação define os níveis de confortoe performance que poderão ser atingidos.Na próxima etapa vamos falar das partes principais e suas funções na estrutura de um pneu.Grande abraço!

×