A suástica em São Paulo antes dos nazistas
Por Douglas Nascimento — 23/01/2014
Em 18 de abril de 1920 os principais jornai...
E o mistério continuou mais alguns dias (será que alguém
comprava o jornal diariamente só para saber o desfecho
desta camp...
Não se tratava de crença religiosa ou algo do gênero,
mas sim a marca (ou emblema como dizia no
anúncio) da empresa Anglo-...
O símbolo não se restringia a publicidade.
Estavam também presentes nos papéis timbrados
da empresa, nas embalagens e tamb...
Bomba antiga à venda em antiquário (clique na foto para ampliar)
O leitor pode estar se perguntando: A Anglo-Mexican era s...
Anúncio veiculado em dezembro de 1933
Era o fim da linha para a suástica na empresa e apenas o
início como símbolo marcante do nazismo e dos horrores
que viriam...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A suástica em são paulo antes dos nazistas

311 visualizações

Publicada em

Aula de História FLASF

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
311
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A suástica em são paulo antes dos nazistas

  1. 1. A suástica em São Paulo antes dos nazistas Por Douglas Nascimento — 23/01/2014 Em 18 de abril de 1920 os principais jornais paulistanos, e possivelmente muitos outros espalhados pelo Brasil, publicaram esta misteriosa propaganda, com uma suástica estampada: Se fosse publicado nos dias de hoje, este anúncio causaria repulso e indignação, mas na época causou muita curiosidade. Afinal, o que representava aquele emblema? Alguns dias depois, em 22 de abril, outro anúncio seria publicado, explicando o que tal desenho representava ao redor do mundo. O texto, bastante curioso, dava explicações da origem histórica do símbolo, mas nada ainda de dar detalhes ainda do que viria a ser a razão daqueles anúncios.
  2. 2. E o mistério continuou mais alguns dias (será que alguém comprava o jornal diariamente só para saber o desfecho desta campanha publicitária?) até que no dia 27 de abril foi revelado aos leitores do que se tratava aquele emblema.
  3. 3. Não se tratava de crença religiosa ou algo do gênero, mas sim a marca (ou emblema como dizia no anúncio) da empresa Anglo-Mexican Petroleum Company ou, como conhecemos hoje, a Shell. A empresa estava no Brasil desde 1913, mas foi na década de 20 que ela realmente se expandiu por aqui, instalando bombas de gasolina de rua e em garagens de São Paulo e no restante do país. A publicidade com a suástica era para fazer os produtos da empresa ainda mais conhecidos por aqui.
  4. 4. O símbolo não se restringia a publicidade. Estavam também presentes nos papéis timbrados da empresa, nas embalagens e também em seu maquinário, como as bombas de gasolina. Na imagem abaixo, junto a outras marcas, podemos observar alguns dos produtos da Anglo- Mexican que ostentavam a suástica. E nas duas imagens a seguir, o símbolo presente em duas bombas de combustíveis. A primeira, em uma Rua de Fortaleza, no Ceará, é a bomba de rua, que hoje ficam nos postos de abastecimento. A segunda, menor, é a bomba que ficava em garagens particulares espalhadas por São Paulo e pelo Brasil.
  5. 5. Bomba antiga à venda em antiquário (clique na foto para ampliar) O leitor pode estar se perguntando: A Anglo-Mexican era simpatizante do nazismo? A resposta é não! Em 1920 o símbolo ainda não era ligado ao regime nazista. Naquele momento a suástica não tinha recebido a associação a algo tão terrível e negativo para a humanidade e era até simpático adota-lo como um emblema. Porém alguns anos mais tarde, com a crise da Alemanha pós Primeira Guerra Mundial, o nazismo começaria a crescer e o símbolo adotado por Adolf Hitler era justamente a suástica, que já estava disseminada também pela empresa. Embora idêntica, a suástica nazista tinha a orientação diferente desta, apontando para lado oposto. Mesmo com os nazistas utilizando largamente a suástica desde a segunda metade dos anos 20, a Anglo-Mexican manteve-a como emblema da empresa. O símbolo só seria descartado com a ascensão no nazismo ao poder, na Alemanha, em 1933. Neste mesmo ano, a empresa voltaria aos principais jornais do Brasil para anunciar a adoção de um novo símbolo, hoje também mundialmente conhecido: a concha.
  6. 6. Anúncio veiculado em dezembro de 1933
  7. 7. Era o fim da linha para a suástica na empresa e apenas o início como símbolo marcante do nazismo e dos horrores que viriam com a Segunda Guerra Mundial. O emblema antigo é tão tabu que não há qualquer menção a ele no site da empresa. Porém, acredito que a história foi feita para ser contada e não escondida. Fica a pergunta: Se não tivessem os nazistas adotado a suástica, será que o símbolo estaria sendo utilizado até hoje pela empresa? Comente.

×