42Vegetarianos
Por: Samira Menezes
Como organizar
sua festa de
casamento sem
usar nada de
origem animal
ESPECIAL
Casamento...
Vegetarianos 43
A
data mais esperada por
pombinhos apaixonados, o
dia do casamento, é uma
empreitada que costuma
levar mes...
44Vegetarianos
ESPECIAL
KOJI E THAISA
Eles levaram apenas 3 meses para
organizar a festa de casamento
vegana, que contou i...
Vegetarianos 45
a gente precisava de um serviço que já
tivesse experiência de como fazer”,
relembra Ellen, que recebeu div...
46Vegetarianos
ESPECIAL
das empresas de cosméticos que se
declaram veganas.
Para não ter problemas na hora da
maquiagem de...
48Vegetarianos
ESPECIAL
França e se equiparam à seda em
questão de caimento e corte”, conta
Renata Buzzo, que prefere usar...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

My vegan wedding by Vegetarianos Magazine in Brazil

740 visualizações

Publicada em

My and a friend vegan wedding party in Brazil

Publicada em: Alimentos
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
740
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

My vegan wedding by Vegetarianos Magazine in Brazil

  1. 1. 42Vegetarianos Por: Samira Menezes Como organizar sua festa de casamento sem usar nada de origem animal ESPECIAL Casamento VEGANOFoto:FernadaCruzFotografiaeYogueAlencar
  2. 2. Vegetarianos 43 A data mais esperada por pombinhos apaixonados, o dia do casamento, é uma empreitada que costuma levar meses de preparação e exigir muita paciência do casal. Independentemente do quão glamuroso o evento será, os noivos precisam fazer a lista de convidados, enviar convites, escolher o lugar da festa, decidir a decoração e, a noiva, escolher o vestido dos sonhos. Para casais veganos, porém, nada disso tem um peso tão grande quanto a escolha do cardápio da festa. Por mais natural, gostoso e saudável que seja, encontrar empresas de gastronomia que preparem cardápios sem nenhum ingrediente de origem animal, como carnes, ovos, queijos e manteiga, ainda costuma ser uma odisseia para veganos que buscam qualidade e sofisticação para a tão esperada festa. Difícil sim, mas não impossível, principalmente para casais que têm criatividade de sobra e sabem exatamente o que querem, como os mineiros Koji Pereira, de 35 anos, e Thaisa Fernandes, de 29. Os dois se casaram em agosto de 2014 e levaram apenas 3 meses para organizar toda a festa, que contou com a presença de 170 convidados e um padrinho de quatro patas. Moleque, o nome do cachorro do casal vegano, não só ganhou um terno feito sob medida como ainda executou com elegância a tarefa de levar as alianças até o altar, onde dois amigos de Koji e Thaisa fizeram discursos em homenagem ao casal. “O casamento foi feito no civil alguns dias antes”, explica a noiva. Devido ao pouco tempo disponível para a organização da festa, os dois contam que fizeram até um cronograma da lista de coisas que tinham que resolver e a data limite para cada uma delas, mas nada foi tão complicado quanto a escolha do lugar onde seria realizada a festa e das empresas que preparariam o menu salgado, o bolo e os docinhos. “A gente queria um espaço aberto, onde o Moleque pudesse entrar, e também queríamos que a decoração fosse feita por nós, porque a decoração proposta para festas de casamentos são muito tradicionais, com arranjos que não acho bonitos, com um monte de flor. E, geralmente, quando você aluga o lugar, eles tentam empurrar tanto o bufê quanto a decoração e não abrem mão disso. A gente queria que isso fosse separado”, conta Thaisa, que diz ter ficado insatisfeita com a proposta dos bufês vegetarianos consultados. Como a festa foi feita em Belo Horizonte (MG), onde não há tantas opções veganas para montar uma festa desse tipo, o casal chegou inclusive a pesquisar empresas veganas de São OMAIORDESAFIOÉAESCOLHADOCARDÁPIO. PORMAISNATURAL,GOSTOSOESAUDÁVEL QUESEJA,ENCONTRAREMPRESASQUE PREPAREMCOMIDASEMINGREDIENTESDE ORIGEMANIMALCOSTUMASERUMAODISSEIA A FESTA DO SEU JEITO Para organizar o dia mais importante do casal, é preciso pesquisar muito, principalmente em bufês tradicionais Foto: Lifelines Photography Foto: Fernada Cruz Fotografia e Yogue
  3. 3. 44Vegetarianos ESPECIAL KOJI E THAISA Eles levaram apenas 3 meses para organizar a festa de casamento vegana, que contou inclusive com a presença do cachorro Moleque Paulo, mas nenhum delas atendeu às expectativas de Thaisa e Koji, que esperavam um menu mais criativo e com menos derivados da soja, alimento que a noiva não aprecia. “Os bufês vegetarianos não eram muito originais porque propuseram muita coisa com soja e com queijo. Um deles chegou inclusive a oferecer bolo falso só para decorar. O bolo verdadeiro viria em pedaços, enrolados em papel alumínio. Também ofereceram coisas muito comuns, como coxinha vegetariana recheada com proteína de soja, coisa que a gente come no dia a dia. Queríamos um cardápio especial e que não tivesse um sabor muito estranho para os convidados onívoros”, recorda Koji. Como os bufês vegetarianos não estavam dando certo, o casal partiu então para os bufês convencionais. “Em Belo Horizonte não tem tanto bufês veganos, mas percebemos que as pessoas tinham muita boa vontade para atender o cliente. Vale muito a pena conversar com os bufês convencionais. Alguns foram bem intransigentes e disseram que não mudariam o cardápio, mas outros eram mais abertos. Então, demos preferência para as empresas que tinham mais boa vontade em fazer o que a gente queria”, conta Thaisa. Ao todo, o casal consultou 7 bufês antes de fecharem com o Kaluia e com o Sóbria Mesa, ambos de Belo Horizonte e com experiência em menus vegetarianos (não veganos). Enquanto o Kaluia preparou delícias como moqueca, casquinha de “siri”, escondidinho nordestino, tortillas com guacamole e outras delícias inspiradas na cozinha brasileira e americana, o Sóbria Mesa cuidou dos docinhos, do bolo (um naked cake decorado de acordo com as cores do ambiente) e dos queijos vegetais, como ricota e pão de queijo. “A gente criou uma sugestão de menu e apresentava para as empresas, porque, se você deixa em aberto, pode dar errado. O Sóbria Mesa nunca tinha feito casamentos, por exemplo, mas aceitou o desafio e nossas sugestões. O Kaluia é um bufê vegetariano, mas topou fazer vegano. A responsável por ele tinha muito boa vontade e era muito agilizada e sincera, dizia que não sabia fazer o que a gente queria, mas que tentaria. O resultado foi maravilhoso”, comemora Thaisa. Por dificuldades parecidas passaram o casal vegano Ellen Guimarães, 26 anos, e Paulo Victor Pinheiro, de 28, que se casaram em Salvador, na Bahia, em novembro de 2014, depois de nove meses de organização. “A escolha do bufê foi difícil, porque em Salvador a gente só tem uma empresa vegana de alimentação, mas eles não têm experiência com eventos grandes. Fazem salgadinhos para festas, mas nada como um casamento com um cardápio mais elaborado e sofisticado. E como nossa festa foi grande, para 250 pessoas, “AGENTECRIOU UMASUGESTÃO DEMENUE APRESENTAVAPARA ASEMPRESAS, PORQUE,SEVOCÊ DEIXAEMABERTO, PODEDARERRADO” ThaisaFernandes–noivavegana Fotos: Fernada Cruz Fotografia e Yogue
  4. 4. Vegetarianos 45 a gente precisava de um serviço que já tivesse experiência de como fazer”, relembra Ellen, que recebeu diversas recusas de bufês tradicionais até encontrar a Duo Gastronomia e Eventos, que foi recomendada pelo decorador da festa. “Um dos sócios da empresa, Vinícius Figueira, é um personal chef jovem que faz cardápios personalizados para cada cliente. Ele me disse que nunca tinha feito um cardápio vegano, mas se mostrou bem disposto e foi super atencioso. Estudou alguns livros de culinária vegetal, teve a preocupação de nos mostrar todos os ingredientes que usaria, a procedência de cada um e as marcas que estava utilizando. Ele foi muito transparente e isso só aumentou nossa confiança nele”. No total, o cardápio da festa de casamento de Ellen e Paulo contou com 36 pratos salgados, entre entradas, canapés e pratos principais, como miniacarajé, minimoranga com creme de palmito, risoto de funghi com rúcula, bobó de presunto de soja com farofa de licuri e amêndoas, só para citar alguns. Além dos salgados, o menu teve minibrownies (em alternativa aos bem- casados), trufas, minicupcakes, pão de melado, brigadeiro de potinho entre outras guloseimas veganas. “O bolo de lichia com ganache de chocolate foi feito pela boleira Duda Lima, aqui de Salvador. Ela sabia o que era veganismo e inclusive tinha uma opção vegana na sua lista. A responsável pelos docinhos foi Divegana, que também deu dicas para a Duda sobre como aprimorar a consistência da ganache do bolo”, comenta Ellen. Ela também diz que o bolo foi o ponto alto do casamento: “Todos adoraram. Minha irmã, que não é vegetariana, disse que foi o bolo mais gostoso que ela já comeu em um casamento.” O mesmo espanto pôde ser visto na festa de Koji e Thaisa. “Um amigo onívoro simplesmente não acreditava que o cupcake que servimos era vegano, pois pensava que por não conter ovos, leite e manteiga, o doce não seria gostoso”, relembra Thaisa. Thaisa, aliás, é firme na sua convicção e sugere que os casais veganos façam a festa do jeito que sonharam, sem abrir exceções para queijos ou carnes só porque os convidados serão, em sua maioria, onívoros. “Faça tudo do jeito que você quer, sem querer agradar demais os convidados, porque esse é o seu dia”. O importante é oferecer comida vegana saborosa, afinal, jamais um casal conseguirá agradar gregos e troianos. Dia da noiva e do noivo Quando os noivos são veganos, a preocupação vai além do cardápio da festa. Outros itens que costumam ter ingredientes provenientes de animais são maquiagens e cosméticos em geral, que podem ter sido testadas em animais ou então conterem substâncias que derivam de animais, como cera de abelha, glicerina, cochonilha e quitosana. No caso dos cosméticos, não só as noivas, mas também os noivos precisam ficar atentos para não acabarem usando algum produto que não seja veganos. Em listas na internet elaboradas por organizações como a brasileira Projeto Esperança Animal (PEA) ou a americana PETA (sigla em inglês para Pessoas para o Tratamento Ético dos Animais), você pode conferir os nomes BOLOSEDOCES EM SÃO PAULO • Chubby Vegan: www.chubbyvegan.net • Flor do Cacau: (11) 5071-7349 www.flordocacau.blogspot.com.br • Vegan Cakes: (11) 95605 7710 (11) 2204 2736 • www.vegancakes.com.br NO RIO DE JANEIRO • Cake Vegan Cake: (21) 98899-1955 www.cakevegancake.com EM BELO HORIZONTE • Sóbria Mesa: (31) 9162-4213 www.sobriamesa.com.br EM SALVADOR • Duda Lima Confeitaria: dudalima.confeitaria@gmail.com www.facebook.com/dudalimaconfeitaria • Divegana: diveganadiva@gmail.com • www.facebook.com/Divegana CASAMENTOVEGANO DO BEM Os docinhos não levaram nenhum ingrediente de origem animal
  5. 5. 46Vegetarianos ESPECIAL das empresas de cosméticos que se declaram veganas. Para não ter problemas na hora da maquiagem de casamento, essas listas podem servir de apoio para a noiva que está pensando na maquiagem. Converse com o seu maquiador e acerte antes as cores e os produtos que serão usados para a maquiagem. Assim, a própria noiva pode comprar os produtos da marca vegana escolhida, como Alva Brasil, Flor de Magnólia, linha mineral da Tracta e Natura, que diz não testar em animais, e colocar à disposição do seu profissional. O mesmo pode ser feito com os produtos que serão usados no dia da noiva ou do noivo, que inclui massagens, serviços de cabeleireiro e maquiagem. Casais que estão na capital paulista também têm à disposição o Espaço Surya, localizado no bairro da Vila Mariana. O espaço não tem exatamente um dia dedicado às noivas, porém oferece serviços diferenciados de massagem relaxante corporal e facial, pedicure, manicure e tratamentos capilares, como hidratação e coloração. Lá tudo é feito com cosméticos veganos e orgânicos da marca. O serviço completo custa R$ 510 e é necessário agendar com alguns dias de antecedência. Vestido, acessórios e decoração Por mais estranho que possa parecer, as noivas veganas ainda têm outro obstáculo para o dia do casamento: a escolha do vestido. É praticamente senso comum que o vestido da noiva deve brilhar, por isso a seda e pérolas verdadeiras costumam ser muito usadas nessas peças. Mas também é comum aparecer botões feitos a partir de ossos de bovinos. “O tecido de origem animal mais usado em vestidos de noivas é a seda. E se você se casar com vestido de aluguel, pode ter certeza de que a seda será chinesa, que é pior ainda porque a China não tem ética social nem animal, não tem políticas de direitos humanos nem medidas sustentáveis. Não adianta nada ser vegano e usar uma roupa que foi feita por trabalho escravo infantil”, observa a estilista de noivas Renata Buzzo, que inaugurou sua marca, o Atelier Renata Buzzo, em abril de 2013, em São Paulo. O problema da seda é o fato de ela ser produzida a partir de larva cozida, mais especificamente os filhotes da mariposa Bombyx mori. Segundo a PETA, são necessárias 1.500 larvas para produzir 100 g de fio de seda. Ou seja, roupas e vestidos de seda não combinam com quem é vegano ou pensa nos animais. “Prega-se que o caimento da seda é impossível de se obter com um tecido sintético, o que não é verdade. Eu uso tecidos de alta performance, que vêm da Itália e da CASAMENTOVEGANO Para o casal não passar por aperto em relação à comida durante a lua de mel, a vegana Ellen Guimarães recomenda escolher um destino onde a comida vegana seja fácil de encontrar. “A gente escolheu os Estados Unidos para nossa lua de mel porque não queríamos passar nervoso por causa de comida, então tinha que ser um lugar onde a comida vegana fosse fácil de achar. Fomos para Miami, Orlando, São Francisco, Los Angeles e Las Vegas, e conseguimos comer muito bem”, conta. Também valem as pousadas e hotéis que tenham opções veganas. Dê uma olhada em blogs de veganos viajantes, como www.vegan4you.com.br, www.veggie- hotels.com e www.vegporai.com. ELLEN E PAULO O casal de Salvador recebeu diversos elogios não só pela festa, mas também pelo bolo vegano e pela comida servida no bufê ALUADEMEL Fotos: Lifelines Photog-
  6. 6. 48Vegetarianos ESPECIAL França e se equiparam à seda em questão de caimento e corte”, conta Renata Buzzo, que prefere usar o brilho com cuidado. “Vestidos com cetim, mais pomposos, não têm a ver com a minha estética como estilista. Gosto de um brilho mais discreto, uma coisa mais aveludada, por isso uso muita renda francesa”, diz ela, que cobra a partir de R$ 3 mil por um vestido com sua assinatura. “Todas as peças são exclusivas e produzidas sob medida para cada noiva”, explica. Além do vestido, as noivas veganas que procuram Renata ainda têm a possibilidade de mandar fazer o sapato. Recentemente, a estilista deu início a uma parceria com a marca Killa, que confecciona sapatos (também feitos sob medida) com couro sintético. Mas o preço pedido é salgado demais: cada par custa, em média, R$ 1.000. Se o seu orçamento é apertado, vale a pena apostar na sua criatividade. Além disso, saber exatamente o tipo de vestido que você procura também é fundamental. “Comecei a procurar meu vestido em Belo Horizonte, mas não achei nada do que queria, porque era tudo muito tradicional. Fui para São Paulo e lá encontrei o vestido por acaso. Eu estava em uma loja de festas e olhei todos os vestidos de noiva, mas não tinha gostado de nenhum. Comecei a olhar então a parte da loja reservada para os vestidos para festas de 15 anos e quando bati o olho em um deles, pensei: é esse! Ele foi inspirado no Cisne Negro”, conta Thaisa Fernandes. Ela e Koji gastaram, no total, R$ 20 mil para fazer a festa completa. Na opinião deles, o custo foi baixo porque eles fizeram praticamente tudo – do convite, feito a mão por Koji, que trabalha como designer, à decoração. “A gente foi pegando varias referências em blogs e sites de decoração, e adaptávamos aquelas ideias que achavámos mais legais para montar a decoração, que foi baseada em uma paleta de cores com rosa, azul e marrom. Uma das primeiras coisas que fiz foi definir as cores que usaríamos na decoração”, comentou Koji. De estilo vintage, a decoração ainda contou com malas antigas que foram recheadas com docinhos e garrafas que foram pintadas e colocadas embaixo da mesa. “Desde o começo, a gente guardou garrafas de vidro usadas depois pintamos com spray nas cores da paleta que o Koji escolheu e espalhamos pelo local. Também ganhamos as fotos de um amigo nosso que é fotógrafo e a ajuda de um amigo DJ, que discotecou na festa”, lembra Thaisa. Seja qual for o tamanho do seu bolso, o importante é que o dia do seu casamento seja com muito amor e muitas boas recordações. CASAMENTOVEGANO DICASPARAAESCOLHADOBUFÊ • Faça tudo do jeito que você quer e sonhava, pois o dia do casamento é o dia do casal. Tudo precisa ser feito com muito amor e de forma especial. • Pesquise diversos bufês e converse com as pessoas para explicar o que você tem em mente. Em alguns casos, será necessário explicar o que é veganismo. • Se na sua cidade não houver opção de bufê vegano ou vegetariano, considere a possibilidade de prepará-lo você mesmo, com a ajuda de familiares e amigos. Acredite: se você ou alguém puder organizar, isso pode dar muito certo • Pesquise muito na internet. Redes sociais são ótimas ferramentas para conhecer empresas que realizam cardápio para festas, personal chefs e boleiras. • Escolha profissionais que passem confiança além de qualidade. • Acompanhe de perto toda a produção e dê assistência sempre que o profissional que está realizando o seu bufê precisar. VESTIDO DE NOIVA Em São Paulo, o Atelier Renata Buzzo confecciona vestidos de noiva sem nenhum tecido de origem animal. Na foto, um modelo da coleção 2015 Foto: Divul-

×