Aula Anorexígenos Na Obesidade

6.415 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.415
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
58
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
83
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Aula Anorexígenos Na Obesidade

    1. 1. Tratamento da Obesidade Ainda existe espaço para os derivados de anfetamina na prática clínica? Dra. Fernanda Gomes de Melo D’Elia
    2. 2. Obesidade Conceitos Gerais <ul><li>Quem é obeso? </li></ul><ul><li>Peso normal: proporção saudável do peso para altura </li></ul><ul><li>IMC= índice de massa corporal (peso kg/ altura x altura m) </li></ul><ul><ul><li>Exemplo: peso= 65 kg </li></ul></ul><ul><li>altura= 1,75m </li></ul><ul><ul><ul><li>IMC= 65 / 1,75 x 1,75 # </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>IMC= 21,22 </li></ul></ul></ul>
    3. 3. Obesidade Conceitos Gerais II <ul><li>Mulheres Homens </li></ul><ul><li>Abaixo da média < 19 < 20 </li></ul><ul><li>Normal 19 - 24,9 20-25,9 </li></ul><ul><li>Sobrepeso 25-29,9 26-29,9 </li></ul><ul><li>Obesidade 30-39,9 30-39,9 </li></ul><ul><li>Obesidade 40 ou mais 40 ou mais </li></ul><ul><li>mórbida </li></ul>
    4. 4. Obesidade IMC X mortalidade
    5. 5. Obesidade X Estética X Distribuição Regional de Gordura
    6. 6. Obesidade Distribuição de Gordura <ul><li>A gordura depositada na região abdominal (andróide) acarreta mais riscos à saúde do que se ela estiver concentrada em outra parte do corpo, como região dos quadris e coxas (ginóide). </li></ul><ul><li>Mulheres com cintura > 0,80 = Risco Homens com cintura: quadril > 1,00 = Risco </li></ul>
    7. 7. Obesidade: Doença crônica <ul><li>Obesidade é uma doença crônica: </li></ul><ul><li>É um problema de saúde que requer acompanhamento constante por período de anos ou décadas (WHO, 2003). </li></ul><ul><li>Está associada a outras doenças, como fator de risco ou como fator agravante. </li></ul>
    8. 8. Impacto da obesidade na saúde Doença Pulmonar Função alterada Apnéia do sono Síndrome de hipoventilação NASH (Nonalcoholic fatty liver disease) esteatose esteatohepatite cirrose Doença Cardiovascular Diabetes Dislipidemia Hipertensão Alterações Ginecológicas irregularidade menstrual infertilidade Síndrome dos ovários policísticos Risco obstétrico maior Osteoartrite e Osteoartrose Colelitíase Câncer mama, endométrio,colon, esôfago, pâncreas, bexiga, rim, próstata Doença Vascular Estase venosa, varizes, edema, úlcera, flebite, erisipela Gota Ansiedade e Depressão AVC Hérnia de hiato e refluxo gastro-esofágico
    9. 9. Síndrome Metabólica <ul><li>Obesidade abdominal; </li></ul><ul><li>Resistência à insulina e hiperinsulinemia; </li></ul><ul><li>Alteração do controle glicêmico; </li></ul><ul><li>Intolerância à glicose - DM2; </li></ul><ul><li>Hipertrigliceridemia; </li></ul><ul><li>Baixo HDL-colesterol; </li></ul><ul><li>Hipertensão. </li></ul><ul><li>Doença Cardiovascular </li></ul>
    10. 10. Síndrome Metabólica Impacto na mortalidade em geral Índice (%) SEM síndrome metabólica COM síndrome metabólica * Isomaa B et al. Diabetes Care. 2001;24:683-689. * P < 0,001 *
    11. 11. Benefícios da Perda de Peso <ul><li>Perda de peso modesta, 5 a 15% do peso total, para uma pessoa acima do peso ou obesa, reduz os fatores de risco para uma série de doenças, principalmente para doença cardiovascular; </li></ul><ul><li>A perda de peso: controle da pressão arterial, diminuir os níveis glicêmicos e melhorar o perfil lipídico; os sintomas de osteoartrose podem melhorar bastante com a perda modesta de peso. </li></ul>
    12. 12. Tratamento da Obesidade Ingestão Calórica Gasto de Energia
    13. 13. Tratamento da Obesidade
    14. 14. Tratamento da Obesidade: Causas <ul><li>Obesidade é uma doença crônica com forte componente familiar. </li></ul><ul><li>Etiologia multifatorial </li></ul><ul><ul><li>Componentes: </li></ul></ul><ul><li>sociais, </li></ul><ul><li>comportamentais, </li></ul><ul><li>culturais, </li></ul><ul><li>psicológicos, </li></ul><ul><li>metabólicos </li></ul><ul><li>genéticos. </li></ul>
    15. 15. Tratamento da Obesidade: Causas <ul><li>Aumento na incidência e prevalência: </li></ul><ul><ul><li>Transição demográfica; </li></ul></ul><ul><ul><li>Padrões de consumo e de comportamento </li></ul></ul><ul><ul><li>s edentarismo </li></ul></ul><ul><ul><li>X </li></ul></ul><ul><ul><li>alimentação altamente calórica mais barata </li></ul></ul>
    16. 16. Dieta ideal X oferta
    17. 18. Pirâmide de Tratamento da Obesidade Dieta Atividade Física Mudança de Hábitos Medicação Cirurgia
    18. 19. CASO CLÍNICO 1 <ul><li>A. L. G. M. , 47 anos, casada, 2 filhas, dona-de-casa. </li></ul><ul><li>Procura o endocrinologista por que quer emagrecer. </li></ul><ul><li>Sempre foi gordinha, já fez várias tentativas prévias, emagrece e volta a engordar. Não fumante, sedentária. Atualmente, ganhou 25 kg nos últimos 12 meses. </li></ul><ul><li>Adora doces, queixa-se de muita ansiedade, freqüentemente come sem ter fome. Sono de má qualidade, tem tido muito sono e acorda cansada. Rendendo normalmente no trabalho do dia a dia, nega tristeza. </li></ul><ul><li>AF: Pai e mãe obesos. Avó materna DM. Todos da família da mãe são obesos </li></ul><ul><li>EF: alt: 1,65 peso: 86kg IMC: 31,58 cintura: 91cm </li></ul><ul><li>PA=140 X 90mmHg </li></ul><ul><li>Exames laboratoriais: </li></ul><ul><li>Colesterol: 200 (nl até 200). Triglicérides: 300 (nl até 150) </li></ul><ul><li>glicemia: 100 (nl até 100) </li></ul><ul><li>Restante sem alterações, ECG e ECO nls. </li></ul><ul><li>Qual a programação de tratamento que você proporia a A. L.G.M. ? </li></ul>
    19. 20. Uso de Medicação Anorexígena no Tratamento da Obesidade <ul><ul><ul><ul><ul><li>dietilpropiona </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>fentermina </li></ul></ul></ul></ul></ul>
    20. 21. Uso de Medicação Anorexígena no Tratamento da Obesidade <ul><li>É eficaz? </li></ul><ul><li>Discussão: </li></ul><ul><li>sempre com associação com dieta e atividade física. </li></ul><ul><li>Números </li></ul><ul><li>Sibutramina: 4.45 kg / 12 ms </li></ul><ul><li>Orlistat: 2.89 kg / 12 ms </li></ul><ul><li>Phentermine/ Femproporex: 3.6 kg / 12 ms </li></ul><ul><li>Dietilpropiona: 3.0 kg / 6 ms </li></ul><ul><li>Fluoxetina: 3.15 kg / 12 ms </li></ul><ul><li>Bupropiona: 2.8 kg / 6 to 12 ms </li></ul>
    21. 22. Efeitos colaterais e precauções <ul><li>Efeitos colaterais: </li></ul><ul><ul><li>Comuns: nervosismo, agitação, insônia, taquicardia ou palpitação, boca seca, náusea, obstipação, cefaléia, alteração de libido. </li></ul></ul><ul><ul><li>Menos comuns e raras: diminuição de limiar convulsivo, arritmias, depressão, quadros psiquiátricos, delírio, síndrome psicótica orgânica. </li></ul></ul><ul><ul><li>Risco de dependência e tolerância </li></ul></ul><ul><li>Contra-indicações: </li></ul><ul><ul><li>Glaucoma </li></ul></ul><ul><ul><li>Doença psiquiátrica atual ou prévia </li></ul></ul><ul><ul><li>Epilepsia </li></ul></ul><ul><ul><li>Hipertireoidismo </li></ul></ul><ul><ul><li>Arritmia </li></ul></ul><ul><ul><li>Gravidez </li></ul></ul><ul><ul><li>Crianças </li></ul></ul><ul><ul><li>Histórico de dependência </li></ul></ul>
    22. 23. CASO CLÍNICO 1 <ul><li>L. G. , 37 anos, casado, 2 filhos, executivo de multinacional. </li></ul><ul><li>Procura o clínico geral para check-up anual obrigatório, com queixa de cansaço físico intenso nos últimos anos. Trabalha cerca de 18 horas por dia, com viagens freqüentes. Refere ter tido peso normal até o casamento, há 12 anos, quando passou a apresentar ganho ponderal progressivo. Sedentário. Não fumante. Nega sintomas depressivos. Não tem horários regulares para alimentação. Tem muita fome. Passa muitas horas sem se alimentar. </li></ul><ul><li>AF: Pai teve IAM aos 50 anos, tio paterno morte súbita aos 46 anos. Avó materna DM. Todos da família da mãe são obesos </li></ul><ul><li>EF: alt: 1,78 peso: 116kg IMC: 36,61 cintura: 110cm </li></ul><ul><li>PA=150X100mmHg </li></ul><ul><li>Exames laboratoriais: </li></ul><ul><li>Colesterol: 300 (nl até 200). Triglicérides: 300 (nl até 150) </li></ul><ul><li>Restante sem alterações, ECG e ECO nls. </li></ul><ul><li>Qual a programação de tratamento que você proporia ao L? </li></ul>
    23. 24. Uso de Medicação Anorexígena no Tratamento da Obesidade <ul><li>Mecanismo de ação: </li></ul><ul><ul><li>Anorexígenos (Adrenérgicos): diminuem o apetite por estimular liberação de Noradrenalina e Dopamina na fenda sináptica no centro hipotalâmico da fome. Agentes adrenérgicos(exemplo:dietilpropiona, fentermina, femproporex, mazindol e outros) atuam modulando os receptores de NE e DA em todo SNC, através da promoção dessa liberação de catecolaminas. Outros efeitos dessas drogas, como: diminuição da secreção gástrica, aumento de temperatura corporal com sudorese, e aumento de energia, podem contribuir também para a perda de peso. </li></ul></ul><ul><ul><li>Outras drogas : </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>pela estimulação de subtipos de receptores de serotonina (subtypes 1B, 1D, and 2C) e de receptores adrenérgicos 1 - e 2 -, diminuem a ingestão alimentar por regular a saciedade. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Sistema endocanabinóide : rimonabant </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Orlistat: bloqueio da absorção de gordura no intestino </li></ul></ul></ul>
    24. 25. Efeito do tratamento contínuo ou intermitente de fentermina na perda de peso 0 Time (semanas) 8 24 28 Munro JF et al. Brit Med J 1:352, 1968 Weight Loss (lbs) 36 4 12 16 20 32 Alternate Phentermine and Dummy Continuous Phentermine Continuous placebo
    25. 26. Hipótese <ul><li>Com base na sua pesquisa, você escreverá uma resposta ou solução – a melhor suposição bem informada – para a sua pergunta. Assegure-se de escrever sua hipótese antes de iniciar a experiência. </li></ul>
    26. 27. Futuro

    ×