VISITA DE ESTUDO

                                       Central Termoeléctrica de Mortágua
                              ...
contribui para a diminuição do número de incêndios e para o ordenamento florestal da zona Centro do País, que produz
anual...
As cotas de água na albufeira são: NPA de 124,70 metros, NMC (Nível Máximo de Cheia) de 126,00 metros e NmE (Nível
       ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Visita De Estudo

1.204 visualizações

Publicada em

Visita de Estudo Mortágua/Agueira

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.204
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Visita De Estudo

  1. 1. VISITA DE ESTUDO Central Termoeléctrica de Mortágua e Barragem da Aguieira 30 de Junho de 2009 Objectivo  Identificar formas de aproveitamento e gestão sustentável dos recursos renováveis e não renováveis. Central Termoeléctrica de Mortágua A floresta foi e será sempre uma grande fonte de energia. Desde os primórdios da humanidade que é ela que fornece lenha para o Homem se aquecer e cozinhar os seus alimentos. Hoje em dia, esta energia que provêm das florestas, a biomassa, representa 15% da energia primária consumida no mundo inteiro. Em Portugal, existe apenas uma instalação de produção de electricidade utilizando como principal combustível a biomassa. Esta central é a Central Termoeléctrica de Mortágua, localizada na zona Centro do País, na margem direita da albufeira da Aguieira. Esta central utiliza os resíduos florestais, muito abundantes naquela zona, para produzir electricidade, criando assim, além da energia que nos é indispensável no nosso dia-a-dia, condições que permitam aos proprietários florestais sentirem-se motivados para manterem as matas e florestas limpas. Desta forma, a Central de Mortágua
  2. 2. contribui para a diminuição do número de incêndios e para o ordenamento florestal da zona Centro do País, que produz anualmente um valor estimado de perto de 500 mil toneladas de resíduos florestais (biomassa). A Central Termoeléctrica de Mortágua começou a operar em Agosto de 1999 e permite o escoamento de 100 000 toneladas ano resíduos florestais queimados numa caldeira de 33MWth. A Central tem uma potência instalada de 10MVA – 9MW e foi projectada para entregar à rede de distribuição de energia eléctrica cerca de 63GWh por Ano. De salientar que a Central tem preocupações ambientais, nomeadamente ao nível do impacte que o seu próprio funcionamento pode acarretar. Assim, apresenta um conjunto de tecnologia que a auxilia a cumprir a legislação ambiental e a ser uma empresa “amiga do ambiente”. Curiosidades sobre a Biomassa A Biomassa de acordo com a definição constante da Directiva 2001/77/EC de 27 de Setembro de 2001, é: a fracção biodegradável de produtos e resíduos da agricultura (incluindo substâncias vegetais e animais), da floresta e das indústrias conexas, bem como a fracção biodegradável dos resíduos industriais e urbanos. O uso da energia da biomassa apresenta vantagens pois revela-se como uma contribuição positiva para o objectivo mundial em termos de limitação das emissões de gases com efeito de estufa, como o CO 2, e outras emissões atmosféricas, por exemplo, o SO2. Por outro lado, contribui também para o objectivo de redução da dependência energética nacional, para os objectivos de política energética e de desenvolvimento sustentável, e para uma política nacional de criação de empregos sustentáveis a longo prazo. Barragem da Aguieira Inserida numa paisagem de grande beleza natural, no leito do Rio Mondego, a Barragem da Aguieira, é uma das mais imponentes barragens do País, chegando a atingir cerca de 90 metros. A sua bela albufeira é extensa, abrangendo parte dos concelhos de Carregal do Sal, Penacova, Santa Comba Dão, Tondela, Tábua e Mortágua, promovendo paisagens de franca beleza e paz de espírito, perfeita para as mais variadas actividades náuticas, de lazer e desporto. A barragem iniciou actividade em 1981, visando a produção de energia eléctrica, a irrigação agrícola, a regulação de caudais de cheia e, claro, o abastecimento de água às populações. A barragem de Aguieira situa-se no distrito de Coimbra, no concelho de Penacova. Entrou em funcionamento em 1981 e é alimentada pelo curso de água do rio Mondego. A Aguieira é uma barragem de arcos múltiplos, com 89 metros de altura. Pertence à bacia hidrográfica principal do Mondego e tem uma bacia hidrográfica 2 própria de 2629,0 km . A sua albufeira tem uma capacidade total de armazenamento de 3 3 3 3 água de 423030x10 m e uma capacidade útil de 216030x10 m . A superfície inundável ao NPA (Nível Pleno de Armazenamento) é de 2000 hectares.
  3. 3. As cotas de água na albufeira são: NPA de 124,70 metros, NMC (Nível Máximo de Cheia) de 126,00 metros e NmE (Nível 3 Mínimo de Exploração) de 110,00 metros. A capacidade do descarregador é de 2180m /s. Curiosidades A construção da Barragem da Aguieira, obrigou à submersão de diversas aldeias, destacando-se Breda, no concelho de Mortágua, e Foz do Dão, no concelho de Santa Comba Dão. Devido à extrema proximidade do paredão da barragem em relação a esta última aldeia, há quem defenda que a barragem deveria ser denominada de Barragem da Foz do Dão, numa homenagem ao que foi submerso pela albufeira. Sites interessantes http://www.renovaveis.tecnopt.com www.energiasrenovaveis.com http://engenhocasrenovaveis.blogspot.com

×