Hipertensão arterial x treinamento de força

10.880 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.880
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
331
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Hipertensão arterial x treinamento de força

  1. 1. HIPERTENSÃO ARTERIAL XTREINAMENTO DE FORÇAProf. D Luis P l MascarenhasP f Dr. L i Paulo M h
  2. 2. INTRODUÇÃO A hipertensão arterial ou hipertensão arterial sistêmica (HAS) conhecida popularmente como pressão alta é uma das doenças com maior prevalência no mundo moderno e é caracterizada pelo aumento da p pressão arterial. Causas a hereditariedade, a obesidade, o sedentarismo, o alcoolismo, o estresse, o fumo e outras causas.
  3. 3. O TAMANHO DOPROBLEMA
  4. 4. HIPERTENSÃO ARTERIAL A doença causa diminuição da expectativa de vida e aumento da mortalidade de homens e de mulheres. mulheres Estimava-se que 15% d i di íd E ti dos indivíduos com mais de i d 20 anos e 35% com idade superior a 50 anos apresentavam pressões arteriais elevadas elevadas. Em 2004, 35% da população brasileira acima de 2004 40 anos estava hipertensa (Ministério da Saúde).
  5. 5. QUANTOS HIPERTENSOS EXISTEM NO BRASIL? Estimativa de Prevalência de Hipertensão Arterial (1998) 13 milhões se considerar de PA > 160 e/ou 95 mmHg 30 milhões se considerar entre 140-159 e/ou 90-94 mmHg 15 milhões nem sabem que são hipertensos UFRGS- Achuti. UFRGS- A. Achuti.
  6. 6. HIPERTENSÃO ARTERIAL Sabe-se que os indivíduos sedentários têm probabilidades de apresentarem hipertensão arterial elevadas em 20 a 50% 50%.
  7. 7. CLASSIFICAÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL SISTÓLICA DIASTÓLICA Nível 130 85 Normal N l 130-139 85- 89 Normal limítrofe 140 -159 159 90 - 99 Hipertensão leve Hipertensão 160-179 100-109 moderada > 179 > 109 Hipertensão grave Hipertensão > 140 >90 sistólica ou máxima
  8. 8. SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA (2010)
  9. 9. CUIDADOS PARA MEDIR A PRESSÃOARTERIAL Repouso de 15 minutos em ambiente calmo e agradável Bexiga d B i deve estar vazia (urinar antes) t i ( i t ) Após exercícios, álcool, café ou fumo aguardar 30 minutos para medir Manguito do aparelho deve estar firme e bem ajustado ao braço e ter a largura de 40% da circunferência do braço,sendo que este deve ser mantido na altura do coraçãoç
  10. 10. CUIDADOS PARA MEDIR A PRESSÃOARTERIAL não falar durante o procedimento , esperar 1 a 2 minutos entre as medidas, manguito especial para crianças e obesos devem ser usados, a posição sentada ou deitada é a recomendada na rotina d medidas. ti das did
  11. 11. COMO PREVENIR A HIPERTENSÃO A melhor maneira de prevenir é através de lh i d i t é d "modificações do estilo de vida“. A redução do peso é indicada (obesidade). Existe larga variação de resposta à ingestão de sódio. O álcool pode causar aumento da resistência periférica ál l d t d i tê i ifé i das paredes arteriais e por isso elevar a pressão arterial. Prática de atividade física regularmente (30 a 45 minutos). minutos)
  12. 12. FARMACOLÓGICOS
  13. 13. TREINAMENTO RESISTIDO HIPERTENSOS
  14. 14. DÉFICIT AERÓBIO FUNCIONAL FAI% = VO2 max predito – VO2 max obtido x 100 VO2 max predito dit VO2 max predito ditHomem ativo = 69,7 – (0,612 x Idade) sedentário = 57,8 –(0,445 x Idade) 57 8 (0 445Mulher ativa = 42 9 – (0 312 x Idade) 42,9 (0,312 sedentária = 42,3 – (0,356 x Idade) Bruce et al., 1973
  15. 15. CLASSIFICAÇÃO DO FAI 0-26% - sem déficit funcional significativo Baixo condicionamento físico 27-40% - déficit funcional leve Baixo condicionamento físico e possível p p presença de ç cardiopatia 41-54% - déficit funcional moderado 55-68% - déficit funcional importante > 68% - déficit funcional extremo FAI negativo indica bom condicionamento g
  16. 16. DIRETRIZES PARA O TREINAMENTORESISTIDO EM HAS Series repetições IntensidadeAHA (2007) 1 série 8-12 rep. 50%-70% de 1 RMACSM (2006) 1 série 3-20 rep. 50%-80% de 1 RMAGS (2001) baixa 10-15 rep. 40% de 1RM moderada 8-10 rep. 40% - 60% de 1 RM Alta 6-8 rep. p > 60% de 1 RM
  17. 17. ESTUDOS Os estudos sobre HAS e exercício contra- resistência são escassos e, por isso, não se pode afirmar qual intensidade e volume ótimos de exercício para otimizar a redução da PA após a atividade (POLITO, 2006; FAGARD, 2007). ( , ; , )
  18. 18. Sujeitos: 11 indivíduos do sexo masculino (23,9 +4,3 anos; 79 + 7,7 kg; 177,6 + 7,4 cm) praticantesde exercícios resistidos no mínimo há 6 meses meses.Protocolo : executaram 2 sessões de exercíciosresistidos, sendo uma a 80% de 1 RM (80% 1 RM)e outra a 30% de 1 RM (30% 1 RM). Sete dos 11 participantes executaram ainda 2outras sessões de exercícios, uma envolvendo ,apenas membros superiores (MS) e outra apenasmembros inferiores (MI), ambas a 30% de 1 RM.
  19. 19. Sujeitos: 20 pessoas hipertensas (61 ± 12 anos;70,2 ± 14,4kg; 160,0 ± 6,2cm) de ambos osgêneros (16 homens e quatro mulheres) mulheres),Protocolo: realizaram de forma aleatória uma(SER1) ou três (SER3) séries de, no máximo, 10repetições dos exercícios propostos, com intervalode dois minutos entre as séries e os exercícios.
  20. 20. Conclui que:a) Por até 60 minutos pós-exercício, uma sessão de treinamento d f t i t de força pode promover reduções d d õ nos níveis pressóricos, principalmente para PAS, PAS em indivíduos hipertensos controlados por medicação;b) Ser necessário um maior volume de treinamento para que tal efeito ocorra.
  21. 21. Sujeitos: 16 voluntários, sendo nove hS j it l tá i d homens (20 ± 1anos; 68 ± 11kg; 173 ± 7cm) e sete mulheres (21 ± 5anos; 53 ± 6kg; 164 ± 5cm).Protocolo: testes de seis repetições máximas (6RM)para os exercícios supino horizontal, leg-pressinclinado,inclinado puxada no pulley mesa flexora pulley, flexora,desenvolvimento na máquina e rosca bíceps.Os exercícios foram realizados em três séries de 6RMcom i t intervalo d recuperação estipulado em dois l de ã ti l d d iminutos (SEQ6).12 repetições com a carga correspondendo a 50% p ç g pdaquela associada a 6RM (SEQ12).O total de peso mobilizado foi o mesmo em cada dia,porém através de intensidades distintas distintas.
  22. 22. Os resultados sugerem que a intensidade dotreinamento de força pode influenciar a duraçãodo efeito hipotensivo após o término da atividade atividade,mas não a magnitude da redução.Sessões mais intensas promoveriam um períodomaior de redução da PAS.Sessões menos intensas reduziriam a PAD porum período relativamente curto.
  23. 23. Efeito Sub-Agudo do Exercício Direção d Resposta Di ã da R t Efeito Provocador (+) iávelVari l Efeito Inibidor (-) Exercício
  24. 24. Sujeitos: oito idosos com hipertensao arterial bem controlada (62,1 ― 3,1 anos). Protocolo: teste de 12 repeticoes maximas (RM) em ordem aleatória para cada um dos seguintes exercícios: í i1) supino sentado na maquina;2) puxada alta anterior; d lt t i3) remada rlta;4) l press 90 ) leg 90o;5) extensao de joelhos;6) flexao de joelhos.
  25. 25. Protocolo treino: No protocolo 1 (P1) os exercíciosforam organizados na seguinte ordem: 1) leg press90o;90 2) extensão de joelho; 3) flexão d j lh 4) t ã d j lh fl ã de joelho;supino sentado na maquina; 5) puxada alta anterior;e 6) remada alta.No protocolo 2 (P2) a situação foi inversa, executandoprimeiros os três exercícios para membros superiores,seguidos dos três exercícios para membros inferiores inferiores.Protocolo 3 (P3) foi organizado de maneira aintercalar um exercício para MS com um para MI.Todos os exercícios foram realizados em um método detrês series de 12 RM, com um intervalo de dois a trêsminutos entre cada serie e exercício.
  26. 26. Conclusão :1) Exercícios resistidos proporcionam HPE em idosos com pressão arterial bem controlada;2) A ordem de execução de exercícios resistidos influencia na duração da HPE (melhor intercalar um exercício para MS com um para MI), mas não na magnitude dessa resposta.
  27. 27. Teste de 5 repetições máximas (5-RM) nos seguintes exercícios:supino horizontal, l press 45 remada baixa, mesa flexora, i h i t l leg 45o, d b i fldesenvolvimento com halteres e flexão plantar.1o dia - execução dos exercícios do protocolo com 3 séries de 10repetições com 70% de 5RM com 1 minuto de intervalo intervalo.2º dia - o mesmo procedimento do 1o dia, porém utilizando 2 minutosde intervalo entre as séries.Resultado sem diferença entre os intervalos intervalos.
  28. 28. Revisão: 6 a 26 semanas de treinamento.Frequência de treino de 2 a 3 vezes semana.Intensidade de 30% a 90% (mediana de 70%) de1RM
  29. 29. CUIDADOS PARA A PRÁTICA DOTREINAMENTO RESISTIDO Evitar a manobra de valsava.Pessoas hipertensas treinando com pesos devem evitar essas situações porque a elevação aguda e intensa da pressão arterial sistólica pode levar à acidentes hemorrágicos pela ruptura da parede de artérias enfraquecidas pela deposição de ateromas (SANTARÉM, 2000). Durante a atividade PAS>260 mmHg ou PAD D t ti id d Hg >115mmHg.Wiecek et al.4 observaram que a medida auscultatória indireta subestima os valores reais em 15% durante a realização do exercício e em mais de 30%, se for realizada i di t li d imediatamente após a fi li ã deste. t ó finalização d t
  30. 30. CUIDADOS PARA A PRÁTICA DOTREINAMENTO RESISTIDO Elevações pequenas na PA têm sido reportadas durante o treinamento de força em circuito (8 a 16 repetições com 30% a 60 % de 1RM) 1RM). HARRIS & HOLLY observaram adaptações ao treinamento de força em circuito em hipertensos e encontraram que as pressões sistólicas e diastólicas durante o exercício não excederam 190 e 106 mmHg respectivamente.
  31. 31. CUIDADOS PARA A PRÁTICA DOTREINAMENTO RESISTIDO Não se exercitar com a PAS >200 mm Hg ou PAD >115mmHg. Os B bl O B-bloqueadores, bl d bloqueadores d canal d d do l de cálcio e os vasodilatadores podem causar hipotensão pós-esforço pós esforço. Os diuréticos podem causar uma redução em K, resultado em arritmia cardíaca. Cuidado com a desidratação. ACSM, 2007

×