Psicanalise

10.591 visualizações

Publicada em

4 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.591
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
32
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
347
Comentários
4
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicanalise

  1. 1. “ Se fosse preciso concentrar numa palavra a descoberta freudiana, essa palavra seria incontestavelmente inconsciente. “ Psicanálise
  2. 2. Psicanálise é um método desenvolvido pelo médico neurologista alemão Sigmund Freud, para tratar de distúrbios psíquicos a partir da investigação do inconsciente. Psicanálise
  3. 3. · INCONSCIENTE = Exprime o conjunto dos conteúdos não presentes no campo atual da consciência. · PRÉ-CONSCIENTE = Refere-se ao sistema onde permanecem aqueles conteúdos acessíveis à consciência. É aquilo que não está na consciência, neste momento, e no momento seguinte pode estar. · CONSCIENTE = É o sistema do aparelho psíquico que recebe ao mesmo tempo as informações do mundo exterior e as do mundo interior. Teoria estrutural da mente
  4. 4. A DESCOBERTA DA SEXUALIDADE INFANTIL Os principais aspectos destas descobertas são: 1 . A função sexual existe desde o princípio de vida, logo após o nascimento e não só a partir da puberdade como afirmavam as idéias dominantes. 2 . O período da sexualidade é longo e complexo até chegar a sexualidade adulta, onde as funções de reprodução e de obtenção de prazer podem estar associadas, tanto no homem como na mulher. 3 . A libido , nas palavras de Freud, é a "energia dos instintos sexuais e só deles"
  5. 5. Fases do desenvolvimento sexual: <ul><li>Fase oral (0 a 2 anos) - a zona de erotização é a boca e o prazer ainda está ligado à ingestão de alimentos e à excitação da mucosa dos lábios e da cavidade bucal. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Fase anal (entre 2 a 4 anos aproximadamente) - a zona de erotização é o ânus e o modo de relação do objeto é de &quot;ativo&quot; e &quot;passivo&quot;, intimamente ligado ao controle dos esfíncteres (anal e uretral). Este controle é uma nova fonte de prazer. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Fase fálica - a zona de erotização é o órgão sexual. </li></ul><ul><li>Em seguida vem um período de latência (diminuição das atividades sexuais), é como um intervalo que se prolonga até a puberdade. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Fase Genital - E, finalmente, na adolescência é atingida a última fase quando o objeto de erotização ou de desejo não está mais no próprio corpo, mas em um objeto externo ao indivíduo - o outro . Neste momento meninos e meninas estão conscientes de suas identidades sexuais distintas e começam a buscar formas de satisfazer suas necessidades eróticas e interpessoais. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>No decorrer dessas fases , vários processos e ocorrências sucedem-se. Desses eventos destaca-se o Complexo de Édipo , acontece entre 2 e 5 anos, e é em torno dele que ocorre a estruturação da personalidade do indivíduo. </li></ul><ul><li>No complexo de Édipo, a mãe é o objeto de desejo do menino e o pai é o rival que impede seu acesso ao objeto desejado. </li></ul>
  10. 10. COMPLEXO DE ÉDIPO COMPLEXO DE ELECTRA
  11. 11. SEGUNDA TEORIA DO APARELHO PSÍQUICO <ul><li>ID - É concebido como um conjunto de conteúdos de natureza pulsional e de ordem inconsciente. Os seus conteúdos, expressão psíquica das pulsões, são inconscientes, por um lado hereditários e inatos e, por outro, recalcados e adquiridos. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Ego - O ego está numa relação de dependência tanto para com as reivindicações do id, como para com os imperativos do superego e exigências da realidade. </li></ul><ul><li>Superego - O conteúdo do superego refere-se as exigências sociais e culturais. </li></ul>
  13. 13. Mecanismos de Defesa <ul><li>estratégias inconscientes que a pessoa usa para reduzir a tensão e a ansiedade, fruto dos conflitos entre o id, o ego e o superego. </li></ul><ul><li>São mecanismos que visam evitar a angústia resultante dos conflitos intrapsíquicos. </li></ul>
  14. 14. RACIONALIZAÇÃO substituição do verdadeiro, porém assustador, motivo do comportamento por uma explicação razoável e segura.
  15. 15. FORMAÇÕES REATIVAS fixação de uma idéia, afeto ou desejo na consciência , opostos ao impulso inconsciente temido.
  16. 16. ISOLAMENTO consiste em isolar um comportamento ou um pensamento
  17. 17. REGRESSÃO retorno a formas de gratificação de fases anteriores, devido aos conflitos que surgem em estágios posteriores do desenvolvimento.
  18. 18. PROJEÇÃO sentimentos próprios indesejáveis são atribuídos a outras pessoas.

×