Elaboração de objetivos

902 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
902
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Elaboração de objetivos

  1. 1. LAASER, W. (org) – Manual de Criação e Elaboração de Material Para Fundação a Distância. CEAD. Fdunb pg. 55 à 62. Elaboração de Objetivos Você poderá com esse texto:  Distinguir meta de objetivo;  Enumerar três razões para se especificar objetivos;  Diferenciar objetivos cognitivos, afetivos e psicomotores;  Determinar que palavras deverão ser usadas e quais deverão ser evitadas ao se elaborar objetivos instrucionais;  Elaborar objetivos instrucionais, definindo o desempenho exigido, os critérios pelos quais o domínio da matéria pelo aluno será observado e uma descrição dos padrões a serem alcançados;  Explicar por que alguns educadores fazem objeção à formulação de objetivos em termos mensuráveis. Elaboradores de materiais para a educação a distância frequentemente se confundem em relação às diferenças entre aspirações, metas e objetivos. No Quênia, falamos em aspirações da educação. São aspirações nacionais de caráter amplo, que incorporam perspectivas políticas, socioeconômicas e culturais de um certo país. Resta, então, aos educadores traduzir tais aspirações em programas educacionais. Um exemplo de aspiração nacional é: A educação no Quênia deve promover um sentimento de nacionalidade e de união nacional. Metas são, também, declarações gerais de intenção, mas são mais específicas do que aspirações. Pode haver metas específicas para um programas, curso, matéria ou lição. Por exemplo, aqui está uma das metas do programa de educação primária: A educação escolar primária deve levar à alfabetização, à aquisição de capacidade numérica e de habilidades manipulativas. Essa meta é uma declaração bastante geral de intenção. É preciso analisa-la muito profundamente antes de se conseguir traduzi-la em atividades educacionais. Ela está sujeita a diferentes interpretações, por diferentes, em termos de conteúdos, amplitude e profundidade. Eis um exemplo de uma meta para o curso primário de língua inglesa: Ao fim deste curso, deverão ter sido ensinadas à criança as habilidades de falar, ler e escrever o inglês corretamente. Aqui está um exemplo de uma meta de conteúdo para a disciplina Estudos de Composição 6.
  2. 2. Ensinar como redigir uma boa composição. Por fim, aqui está um exemplo de uma meta de lição para Estudos de Composição 6: Ensinar como escrever uma composição descritiva e bem estruturada. Todas as proposições acima, além serem por demais genéricas, são totalmente centradas no professor. Elas não são de grande ajuda para os alunos. Mesmo se esperando que a aprendizagem aconteça, como vamos avaliar todo o seu impacto? OBS: As metas devem expressar o tempo e a percentagem esperada (Souza, C.R.T.). O que você deve fazer então, para ser mais específico, de modo que as mudanças desejadas no comportamento dos alunos aconteçam? Objetivos de aprendizagem Embora haja um número de maneiras de se determinar objetivos de aprendizagem dentro dos propósitos deste manual, um objetivo de aprendizagem é algo muito mais preciso e específico. Ele propicia ao professor e ao aluno uma indicação clara e concreta sobre para onde eles estão indo. Um objetivo de aprendizagem claro direciona tanto os professores quanto os alunos no que se refere ao conteúdo da matéria e os processos mentais que se espera que o estudante desenvolva. Aqui estão alguns exemplo de objetivos de aprendizagem:  indicar as semelhanças e as diferenças entre educação formal e não-formal;  descrever, sem consulta ao texto, uma forma de educação tradicional do Quênia e sua relevância atual;  responder corretamente sete dentre dez questões sobre educação de adultos e desenvolvimento nacional. Razões para a especificação de objetivos Se os objetivos de aprendizagem são formulados em termos mensuráveis, a eficácia do ensino pode ser facilmente determinada pelo comportamento terminal dos alunos. Além disso, a aprendizagem é mais significativa e agradável quando você sabe o que está aprendendo. Eis algumas das razões pelas quais é preciso especificar objetivos:  se você souber o que está tentando alcançar, poderá avaliar melhor o seu progresso, e alcançará maior satisfação quando houver atingido os seus objetivos;  uma tarefa torna-se exeqüível, sendo removidas todas as ambigüidades e dificuldades de interpretação;  os objetivos fazem com que seja possível que, à medida que os estudantes aprendem, o desempenho seja monitorado e medido em intervalos apropriados;  uma declaração de objetivos informa-o do que você deve ser capaz de fazer ao completar uma tarefa de aprendizagem.
  3. 3. Como estabelecer objetivos de aprendizagem bem definidos Para que os objetivos de aprendizagem sejam significativos tantos para o elaborados quanto para o estudante, em primeiro lugar você deve refletir sobre o que eles tencionem medir. Na verdade, eles devem medir todos os seguintes:  Conceitos a serem aprendidos;  Habilidades a serem dominadas;  Hábitos a serem adquiridos;  Técnicas a serem aprendidas;  Atitudes a serem desenvolvidas. Ao se preparar para elaborar os seus objetivos, faça a si mesmo essas três perguntas:  O que os alunos deverão saber para se trabalhar os conteúdos conceituais?  O que os alunos deverão estar aptos a fazer para se trabalhar os conteúdos procedimentais?  Em que aspectos os alunos deverão comportar-se de maneira diferente após estudar a unidade para se trabalhar os conteúdos atitudinais? Será preciso pensar não apenas em que resultados deverão ser medidos, mas também em como expressar os objetivos em termos mensuráveis. Há uma infinidade de verbos e de palavras de ação que poderão ajuda-lo a expressar tais objetivos. Eles foram adaptados de um manual escrito por Clayton L. Wright, coordenador de desenvolvimento instrucional da Faculdade da Comunidade MacEwan, em Edmonton, Alberta, Canadá, intitulado Manual do elaborador. Tabela de palavras de ação C O G N I T I V O Conhecimento/ Compreensão Aplicação Solução de problemas Arranjar Citar Classificar Combinar Converter Copiar Dar exemplo Definir Descrever Discutir Distinguir Explicar Expressar Identificar Indicar Listar Localizar Nomear Rotular Contar Esboçar Especificar Ordenar Reafirmar Recitar Registrar Relacionar Relatar Relembrar Repetir Reproduzir Reescrever Resumir Revisar Sublinhar Traduzir Aplicar Calcular Computar Defender Demonstrar Descobrir Desenhar Dramatizar Empregar Escolher Estimar Explicar Montar Mudar Rascunhar Delinear Esquematizar Ilustrar Inferir Interpretar Modificar Mostrar Operar Praticar Predizer Preparar Produzir Relacionar Selecionar Usar Analisar Argumentar Arranjar Avaliar Classificar Combinar Comparar Compor Concluir Construir Contrastar Converter Criar Critica Debater Defender Diferenciar Discriminar Distinguir Escolher Estimar Examinar Experimentar Explicar Apoiar Conseguir Escrever Estimar Ilustrar Inferir Inspecionar Interpretar Julga Justificar Modificar Organizar Planejar Pontuar Predizer Preparar Propor Questionar Reconhecer Relacionar Selecionar Solucionar Testar Valorizar
  4. 4. Formular Julgar Montar Planejar A F E T I V O Aceitar Acumular Dar Descrever Identificar Perguntar Seguir Apontar Localizar Nomear Responder Selecionar Sensibilizar Usar Afirmar Aprovar Assistir Completar Conformar Convidar Descrever Discutir Escolher Iniciar Juntar-se a Justificar Seguir Desempenhar Estudar Partilhar Praticar Propor Selecionar Subscrever Trabalhar Adaptar Agir Defender Dispor Influenciar Mudar Integrar Mediar Organizar Revisar Solucionar Verificar P S I C O Apontar Completar Demonstrar Distinguir Identificar Localizar Manipular Mover Ouvir Armar Empurrar Especificar Mostrar Pressionar Puxar Selecionar Separar Tocar Transportar Ajustar Ativar Carregar Construir Copiar Demonstrar Desconectar Desenhar Desmontar Duplicar Abrir Afrouxar Desempenhar Deslizar Estabelecer Girar Manipular Medir Operar Remover Adaptar Combinar Compor Construir Converter Criar Planejar Projetar Consertar Gerar Ilustrar Modificar Organizar Planejar Reparar Servir Como foram classificadas essas palavras? Foram classificadas por domínios e níveis de aprendizagem. O domínio mais comumente avaliado em educação é o domínio cognitivo, que contém seis níveis. São eles:  O conhecimento: a capacidade de recordar a matéria previamente aprendida;  A compreensão: apreender o sentido da matéria ou reconstituir a matéria previamente aprendida com suas próprias palavras;  Aplicação: usar o conhecimento em situações concretas;  Análise: decompor o material em suas partes integrantes, de modo que a relação existente entre essas partes possa ser determinada;  Síntese: combinação das partes para formar um novo todo;  Avaliação: julgar o valor do material. Em muitos casos, é mais fácil pensar nesses níveis como três amplas categorias cognitivas: conhecimento e compreensão; aplicação; e solução dos problemas, incluindo análise, síntese e avaliação. O domínio afetivo é o menos avaliado e, ainda assim, provavelmente, o mais importante aspecto da educação. Esse domínio inclui os seguintes níveis:  observação de um fenômeno ou estímulo específico;
  5. 5.  resposta ao fenômeno;  Avaliação do fenômeno ou indicação do seu valor;  Organização dos valores uns em relação aos outros;  Generalização ou integração dos valores de acordo com o sistema de valores próprios, de modo que eles possam guiar a sua vida. O domínio psicomotor lida com a aprendizagem das habilidades físicas, e é normalmente associado ao treinamento vocacional. Entretanto, muitas habilidades afetivas e cognitivas têm componentes psicomotores. O domínio psicomotor é dividido nas seguintes fases:  Aquisição de conhecimento sobre o que deve ser feito;  Desempenho das respostas passo a passo;  Transferências do controle dos olhos para outros sentidos;  Automatização da habilidade;  Generalização da habilidade em direção a um alcance continuamente mais amplo de situações de aplicação. Existem algumas palavras de ação que você não deve usar, a menos que você diga como pretende que os alunos demonstrem o que aprenderam. Tais palavras são: Saber Apreciar Entender Ensinar Aprender Tornar-se ciente Perceber Compreender Onde conseguir idéias para a formulação de objetivos de aprendizagem? A essa altura, você já deve ter percebido que objetivos de aprendizagem bem definidos não “acontecem” simplesmente. Eles exigem um sério esforço de concentração. Há um grande número de fontes que você pode usar para ajuda-lo a formular objetivos para a sua unidade. Entre essas fontes estão:  Conteúdos programáticos para o programa e o curso ou Proposta Curricular;  Conteúdo da matéria, componente curricular;  Informações sobre os seus alunos;  Objetivos já existentes. Que outras fontes você é capaz de identificar? Pense! Lembre-se:
  6. 6. Depois de terminar o trabalho de elaboração da unidade, você precisa voltar e certificar- se de que cobriu todos os objetivos. Pode ser que você precise revisar alguns e omitir outros. Agora você chegou ao fim desta unidade. Faça o teste de auto-avaliação. Teste de auto-avaliação 7 A) Assinale todas as afirmativas que sejam objetivos de aprendizagem bem definidos. 1. Ensinar a história do Quênia. 2. Ao fim da unidade você deverá saber o que é educação a distância. 3. Você deverá ser capaz de listar as qualidades de um objetivo de aprendizagem bem definido.

×