aconselhamento pastoral

6.492 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.492
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4.720
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
203
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

aconselhamento pastoral

  1. 1. INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  2. 2. A disciplina “Capelania Pastoral” é uma disciplina que se coloca no eixo da Teologia Prática. É importante ressaltar que Teologia Prática, conforme Silva (2010), designaria a reflexão crítica sobre a ação eclesial. INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  3. 3. CAPELANIA CRISTÃ Nota-se uma demanda significativa para dois ministérios em especial da igreja hoje: aconselhamento e capelania cristã. INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  4. 4. Eles apontam para as necessidades individuais, grupais, comunitárias, familiares, conjugais, sociais dentre outras. Essas necessidades cobram respostas da igreja. Contudo, essas repostas precisam de fundamentação também Teológica, para que esses ministérios, ações e vocações da igreja estejam em consonância com a Palavra de Deus e, assim, sejam eficazes, do ponto de vista bíblico, teológico e prático. INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  5. 5. Compreende Gattinoni (apud CASTRO, 1973) que o ministério pastoral não pode deixar de evidenciar essa atitude serviçal. Tal atitude é imprescindível, conforme Mt. 20:25-28; 25:31-46; 10:24. Nesse perspectivo, tanto o aconselhamento quanto a capelania devem estar inseridos nessa visão bíblica: servir. INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  6. 6. ACONSELHAMENTO E CAPELANIA PASTORAL O aconselhamento e a capelania, é ação da Missão de anúncio da Boa Nova, do cuidado que Deus tem pelo ser humano e, por outro lado, evidencia também as potencialidades do ser humano, criadas pelo próprio Deus, as quais revelam as suas possibilidades para um desenvolvimento de forma integral em Cristo. INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  7. 7. Inicialmente, a palavra que melhor expressa bíblica e teologicamente tanto aconselhamento quanto capelania é o termo “cuidado”, ou o verbo “cuidar”. O aconselhamento e a capelania cristã também são experiências construídas e contextualizadas pela riqueza do serviço cristão que se explicita no ato de cuidar do ser humano numa perspectiva bíblica. INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  8. 8. E essa tradição bíblica tem como eixo fundante e articulador o Cristo da Fé e o Jesus Histórico. No primeiro, se evidencia a celebração da Vida e no segundo se ressalta as contradições existenciais da Vida. Nessa dinâmica é que se encontram relacionadas fundamentalmente o aconselhamento e a capelania cristã. INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  9. 9. No contexto religioso de corte cristã, são duas as práticas, em especial, o Aconselhamento e a Capelania, que são marcadas pelo termo “ajuda”. Ambas se encontram no campo da Teologia Prática, bem como a liturgia, a educação, a pastoral e o cuidado (diaconia). INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  10. 10. Conforme Gentil, Guia e Sanna (2011): Historicamente o termo “capelania” foi criado na França, em 1700 porque, em tempos de guerra, o rei costumava mandar para os acampamentos militares, uma relíquia dentro de um oratório, que recebia o nome de “Capela” [...]. INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  11. 11. [...] Essa capela ficava sob a responsabilidade do sacerdote, conselheiro dos militares. Em tempos de paz, a capela voltava para o reino, ainda sob a responsabilidade do sacerdote, que continuava como líder espiritual do rei, e assim ficou conhecido por capelão. Com o tempo, o serviço de capelania se estendeu aos parlamentos, colégios, cemitérios e prisões (p.1). INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  12. 12. Silva (2010), ao tratar sobre a conceituação de capelania, observa que o termo aponta para o cargo, a dignidade e o ofício de capelão. Tal atividade é exercida por um religioso, católico ou protestante, responsável em prestar assistência religiosa e/ou realizar culto ou missa nas instituições que serve. INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  13. 13. É comum ter um local denominado capela em repartições públicas ou privadas, escolas, hospitais, quartéis, presídios, universidades etc., onde o capelão atende às pessoas e essas podem também exercitar a sua fé. INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  14. 14. Observa ainda Silva (2010) que é comum haver instituições que só têm capelão católico ou protestante, mas há também instituições que comportam as duas ramificações do cristianismo, bem como fora do país há outras religiões que também têm exercido essa mesma função. INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  15. 15. Segundo Barros (2008), Capelania é uma atividade cuja missão é colaborar na formação integral do ser humano, oferecendo oportunidades de conhecimento, reflexão, desenvolvimento e aplicação dos valores e princípios ético- cristãos e da revelação de Deus para o exercício saudável da cidadania. INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  16. 16. Na atualidade há diversas modalidades de Capelania, contudo se destacam entre as mais conhecidas: • Educacional. • Carcerária. • Hospitalar. • Militar. • Empresarial. INTRODUÇÃO À CAPELANIA
  17. 17. O capelão, seja qual for o contexto em que os tiver inserido, tem a missão de ajudar a pessoa em seu crescimento utilizando os instrumentos próprios da ajuda cristã ou pastoral, os quais já foram citados acima a bíblia, a oração, a visitação, a meditação, a exortação, o perdão, a comunhão, dentre outros. CONCLUSÃO

×