Perspectivas do mercado de biocombustíveisErnst & Young – Centro Global de Cleantech
2   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisFatos básicos acerca dos Biocombustíveis►   Os biocombustíveis...
3      Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveis    Principais condicionantes                              ...
4    Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisCadeia de valor e classificações                             ...
5     Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisComparação de tecnologias/processos                         ...
6       Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisComparações dos custos de biocombustíveis     Média geral ...
7    Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisComparações dos custos de biocombustíveis    Projeções de cus...
8   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisBiocombustíveis avançados     ►   Tecnologias de biocombustíve...
9     Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisBiocombustíveis avançadosPrincipais questões de P&D dos bioc...
10   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisProjeção de produção de biocombustíveis avançados Capacidade ...
11   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisProjeção de produção de biocombustíveis avançados Estado da t...
12   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisO setor de aviação comercial: futuro condicionador da demanda...
13   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisO setor de aviação comercial: futuro condicionador da demanda...
Mercado de biocombustíveis evisão geral
15   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisO mercado global de biocombustíveis                          ...
16   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisO mercado global de biocombustíveis ►   A produção global de ...
17   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisBiocombustíveis:Projeções de oferta & demandaA produção de bi...
18   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisVisão geral dos principais mercados                          ...
19   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisVisão geral dos principais mercados                          ...
20   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisVisão geral do mercado ►    A produção de biocombustíveis dev...
21   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisDesafios do Setor     ►   Os preços dos insumos e a obtenção ...
Visão geral das políticas sobrebiocombustíveis
23   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisPanorama das exigências parabiocombustíveis Resumo das exigên...
24   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisPanorama das exigências parabiocombustíveis ►    As exigência...
25   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisVisão geral da política (1 de 4) EUA ►    A política de bioco...
26   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisVisão geral da política (2 de 4) Europa ►    A Comissão Europ...
27   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisVisão geral da política (3 de 4) Brasil ►    No Brasil, o Pro...
28   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisVisão geral da política (4 de 4) China ►    Na China, as polí...
29   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisDinâmica das relações comerciaisEUA-BrasilO equilíbrio das im...
30   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisParcerias/atividade empresarial (1 de 2)     ►   A Ceres Inc....
31   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisParcerias/atividade empresarial (2 de 2)     ►   A Coskata In...
Tendências de financiamentopara produção de biocombustíveis
33   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisInvestimento global em biocombustíveis - private equity e cap...
34    Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisDinâmica das relações comerciais EUA                        ...
35   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisDinâmica das relações comerciais EUA                         ...
36   Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisFinanciamento global de ativos em biocombustíveis (Milhões de...
37    Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisFusões e Aquisições no segmento de biocombustíveis      Recu...
Liderança do Ernst & Young Global Cleantech Center                                                                        ...
Perspectivas do mercado de biocombustíveis
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Perspectivas do mercado de biocombustíveis

2.315 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.315
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
23
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
128
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Perspectivas do mercado de biocombustíveis

  1. 1. Perspectivas do mercado de biocombustíveisErnst & Young – Centro Global de Cleantech
  2. 2. 2 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisFatos básicos acerca dos Biocombustíveis► Os biocombustíveis provêem de materiais da Participação dos biocombustíveis biomassa , sendo usados como combustível de transporte no mercado global seja misturado com gasolina ou diesel , seja sozinho. por insumo, 2010► As alternativas dos biocombustíveis com relação aos combustíveis fósseis para transporte são Outros principalmente: países misto; ► Etanol (substituindo a gasolina) 17.50% ► Biodiesel (substituindo o diesel) Argentina óleo de► Diversas outras formas de biocombustíveis, como biobutanol EUA soja; 2% e diesel renovável (HDRD), estão em Milho; fase de pesquisa ou produção. Sua contribuição para o 47% China mercado de biocombustíveis deve aumentar de acordo com o trigo ou crescimento da demanda. arroz; 5%► Os principais insumos para a produção de biocombustíveis Europa são a cana-de-açúcar, amido de milho e colza. colza; 9%► À medida que aumenta o debate sobre uso de alimentos como Brasil combustível e ocupação do solo, surgem novas tecnologias cana-de- para a produção de biocombustíveis a partir de fontes não açúcar; alimentares, como resíduos vegetais, organismos 23.8% geneticamente modificados e algas.
  3. 3. 3 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveis Principais condicionantes Suporte governamental ► Condiciona a incubação de negócios em biocombustíveis avançados ► Incentivos ou barreiras fiscais condicionam Uso e ocupação do soloSegurança energética a dinâmica das importações/exportaçõe importações/exportações ► Condiciona a contrapartida alimento x► Condiciona as disposições regulatórias combustível► Condiciona a preferência por insumos ► Uso fixo do solo condiciona a colheita locaisVolatilidade do preço do petróleo Produtividade agrícola ► A produtividade da safra é o fator mais► Condiciona o uso alternativo de biocombustíveis importante para a redução dos custos► A volatilidade pode levar os usuários a buscar ► As escolhas referentes a diversidade de biocombústiveis cujo fornecimento seja mais estável insumos afeta a volatilidade dos preços “Pegada” carbônicaInfraestrutura do combustível ► Condiciona as escolhas de tecnologias e► Proximidade da fazenda com relação aos portos insumos► Melhorias na moagem e refino e aprimoramento ► Condiciona normas e exigências sobre logístico são necessários Fatores macro comerciais combustíveis com baixa emissão de ► Volatilidade das taxas de câmbio carbono para transporte condiciona os fluxos comerciais ► A inflação condiciona a contrapartida preço relativo
  4. 4. 4 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisCadeia de valor e classificações Produção de Distribuição de Produção de Logística de biocombustíveis biocombustíveis Uso final dos insumos insumos BP, Abengoa, Bunge, Total SA, Royal biocombustíveis Dutch Shell, American Valero, Equipav SA Jiyane Greentech Biocombustíveis avançados • Biocombustíveis produzidos a partir de alimentos, como Primeira milho, cana-de-açúcar ou óleo de palma. Exemplo: etanol, Biocombustíveis de segunda, terceira e geração biodiesel quarta gerações são normalmente denominados biocombustíveis • Biocombustíveis produzidos a partir da madeira, resíduos avançados. Esses combustíveis, que Segunda vegetais ou plantações cultivadas em solo não adequado à geração produção de alimentos ainda estão na fase piloto ou de P&D , podem virar o jogo do setor. Atualmente, o custo das tecnologias de • Biocombustíveis produzidos a partir de organismos biocombustíveis avançados é proibitivo, Terceira geneticamente modificados e algas. geração mas deve cair com o aumento das pesquisas, desenvolvimento e • Biocombustíveis produzidos a partir culturas geneticamente modificadas utilizando tecnologias avançadas que permitem a implantação. O custo de capital é o fator Quarta produção de biocombustíveis juntamente com a captura de de custo mais significativo (35% A 50%) geração carbono para os biocombustíveis avançados em contraste com o custo dos insumos (45% A 70%) como no caso dos biocombustíveis convencionais.
  5. 5. 5 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisComparação de tecnologias/processos Gastos de Tecnologia Insumo Produtos Meios de melhorar as margens capital Alcoóis, hidrocarbonetos, Adaptar especialidades químicas de alto valor Açúcares, $40-$100m para Fermentação líquida ésteres. agregado, identificar produtos que prescindem de tanto C5 como C6 atualizações (retrofits) Altamente adaptáveis processamento posterior significativo Localizar fontes de açúcares de baixo custo ou Hidrólise enzimática Açúcares, Etanol $175-$300m tecnologias de pré-tratamento mais sólidas para e fermentação tanto C5 como C6 reduzir o custo líquido dos insumos $50-$100m para Syngas a partir de gaseificadores fixos, Fermentação de biomassa, carvão, Gama de hidrocarbonetos $400-$500m gases siderúrgicas para gaseificadores independentes Processos Melhor tecnologia de catalisadores, submetendo termoquímicos Biomassa Equivalente de petróleo bruto $75-$125m a tratamento com hidrogênio para remover o catalisados oxigênio Melhor tecnologia de catalisadores, submetendo Lascas e resíduos Combustíveis Pirólise $100-$200m a tratamento mais eficiente com hidrogênio para de madeira hidrocarbonetos remover o oxigênio Lipídios como insumo para Melhores cepas produtivas, tecnologia de Combustíveis CO2, luz solar combustíveis, produtos >$100m separação químicos e nutricionais Óleos naturais e Escalabilidade limitada devido ao acesso aos Transesterificação Biodiesel >$50m gordura animal insumos Gaseificação e Celulose, Syngas convertido em etanol, conversão hemicelulose, metanol ou, via Fischer >$150m termoquímica lignina Tropsch, em hidrocarbonetos Conversão catalítica Combustíveis Açúcares Melhor tecnologia de catalisadores em fase líquida hidrocarbonetos Economias de escala, economia no caso de Hidrólise ácida Biomassa Açúcares para fermentação $30-$50m retrofit nas fábricas de papel e celulose
  6. 6. 6 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisComparações dos custos de biocombustíveis Média geral dos preços dos combustíveis em bases energéticas equivalentes, EUA - Abril 2011 $5,00 $4,50 $4,00 $3,50 $3,00 $2,50 $2,00 $1,50 $1,00 $0,50 $0,00 Gasolina Etanol (E85) Diesel Biodiesel (B20) Biodiesel (B99 - B100) ► Hoje, os biocombustíveis não conseguem competir com os combustíveis a base de petróleo em termos de custo e, dessa forma, precisam contar com subsídios/incentivos. ► No futuro, porém, os biocombustíveis devem alcançar a paridade de preço com os combustíveis a base de petróleo à medida que os custos de produção dos biocombustíveis caem e os preços do petróleo sobem. ► Os preços do petróleo também têm impacto no custo da produção de biocombustíveis, particularmente biocombustíveis de primeira geração, em termos de produção e distribuição de insumos.
  7. 7. 7 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisComparações dos custos de biocombustíveis Projeções de custo: cenário de baixo custo (A alta dos preços de petróleo tem impacto limitado no custo de produção de biocombustíveis) Projeções de custo: cenário de alto custo (A alta dos preços de petróleo em alta tem grande impacto no custo de produção de biocombustíveis)
  8. 8. 8 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisBiocombustíveis avançados ► Tecnologias de biocombustíveis avançados são biocombustíveis convencionais. tecnologias de conversão que ainda se encontram em fase de pesquisa e ► Há ainda experimentos em andamento para desenvolvimento (P&D), piloto ou demonstração. utilização de luz solar, CO2 e organismos como algas na produção de biocombustíveis. ► São normalmente denominados biocombustíveis Atualmente, os custos desse processos são de segunda, terceira ou quarta geração. proibitivos, mas eles têm potencial para mudar o cenário do mercado de biocombustíveis. ► Essa categoria inclui óleo vegetal hidrogenado (HVO), a base de gordura animal e óleo vegetal, ► A produção de co-produtos de alto valor agregado bem como biocombustiveis a base de biomassa juntamente com biocombustíveis avançados lignocelulósica, como etanol celulósico, aumentará a competitividade de custos. conversão de biomassa em combustíveis líquidos (BtL), diesel e gás bio-sintético (bio-SG). ► A escassez de água e a segurança dos alimentos apresentam riscos significativos para o setor de ► Produção de biocombustível a partir de insumos biocombustíveis. A produção de biocombustíveis lignocelulósicos envolve a conversão bioquímica a partir de culturas dedicadas à produção de em açúcares fermentáveis que são , então, energia e algas oferece uma solução para esses fermentados em biocombustível utilizando o problemas. processo convencional. ► Pike Research prevê que os insumos avançados ► Biocombustíveis celulósicos têm potencial para responderão por 18,3% da produção global de ter um melhor desempenho em termos de biocombustíveis em 2021, comparado com os balanço energético, emissões GEE e exigências 3,8% estimados para o mercado de referentes ao uso e ocupação do solo do que os bioocombustíveis em 2011.
  9. 9. 9 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisBiocombustíveis avançadosPrincipais questões de P&D dos biocombustíveis avançados Tecnologia Principais questões de P&D ► Melhoria de microorganismos e enzimas ► Uso de açúcares C5 , para fermentação ou melhoria dos co-produtos que Etanol celulósico agregam valor ► Uso da lignina como vetor energético ou insumo significativo Óleo vegetal hidrogenado ► Flexibilidade dos insumos (HVO) ► Uso de hidrogênio renovável para melhorar o balanço GEE ► Longevidade e solidez dos catalisadores BtL-diesel ► Reduções de custo para o processo de limpeza do gás sintético ((syngas) ► Uso eficiente do aquecimento a baixas temperaturas ► Cultivo, colheita e extração para produção de energia com boa relação custo-benefício Algas-biocombustíveis ► Reciclagem de água e nutrientes ► Fluxos de co-produtos que agregam valor produtos
  10. 10. 10 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisProjeção de produção de biocombustíveis avançados Capacidade de produção de biocombustíveis avançados
  11. 11. 11 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisProjeção de produção de biocombustíveis avançados Estado da tecnologia e ações necessárias: ► Etanol lignocelulósico e conversão de biomassa por processo Fischer Fischer-Tropsch a combustíveis líquidos estão na fase de demonstração, e dentro de uns 5 anos, estarão no processo de 5-6 implantação, embora ainda haja necessidade de P&D. ► Projetos demo lignocelulósicos de grande porte devem ocorrer no próximo ano, especialmente com o provável fim dos incentivos. Os futuros trabalhos podem girar em torno de dados sobre insumos e uso e ocupação do solo, e mais parcerias com outros biocombustíveis e com refinarias convencionais. ► Um projeto demo de conversão de biomassa em combustíveis líquidos (BtL) e outros são esperados nos próximos 3 anos. São necessários avanços de engenharia e no processo de gaseificação, bem como uma melhor avaliação da relação custo custo-benefício considerando o porte da fábrica e a proximidade em relação aos insumos também é necessária para reduzir os custos. ► Trabalhos internacionais coordenados de pesquisa sobre enzimas, logística de transportes e aumento da escala do processo/otimização da fábrica serão necessários. ► O Ministério da Energia dos EUA concedeu mais de US$1 bilhão e está implantando mais de 100 projetos sobre biocombustíveis avançados. Esses projetos devem gerar uma capacidade de 4 bgpy por volta de 2015. Fonte: Agência Internacional de Energia, Roadmap Background Information: Biofuels for Transport, 2010
  12. 12. 12 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisO setor de aviação comercial: futuro condicionador da demanda ►O setor de aviação comercial, diante dos desafios de manter sob controle as despesas com combustíveis em meio à volatilidade dos preços do petróleo e reduzir as emissões de carbono, vem considerando os biocombustíveis como uma opção, principalmente biocombustíveis “drop“drop-in”. ► A American Society for Testing and Materials (ASTM aprovou o Bio-SPK, combustível renovável ASTM) de jato, para uso comercial em 2011. ► A Lufthansa está testando vôos intercontinentais utilizando biocombustíveis. ► Empresas aéreas como Virgin Atlantic, Japan Airlines e Thomson Airways também têm experimentado com sucesso a operação de vôos utilizando misturas de biocombustíveis sustentáveis. ► Em junho de 2011, um grupo de 20 companhias aéreas, empresas de aviação comercial, universidades e produtores de biocombustível lançaram a Aviation Initiative for Renewable Energy (AIREG) na Alemanha, com o objetivo de coordenar atividades de pesquisa e comercialização de ) biocombustíveis para aviação comercial. ► A demanda crescente por viagens áreas, encabeçada pela região do Pacífico Asiático, aumenta ainda mais a pressão sobre as empresas aéreas para manter baixos custos com combustíveis. ► Segundo a Bloomberg New Energy Finance (BNEF BNEF), com relação a custos, certos biocombustíveis de fontes não alimentares poderiam competir com o combustível de jato convencional em 2018.
  13. 13. 13 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisO setor de aviação comercial: futuro condicionador da demandaDemanda global de biocombustível para a aviação comercial 16000 14000 12000 (Trihões de BTU) OM/África Pac. Asiát. 10000 8000 Europae Am. Latina 6000 4000 Am. Norte 2000 0 2011 2016 2021 Fonte: Pike Research
  14. 14. Mercado de biocombustíveis evisão geral
  15. 15. 15 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisO mercado global de biocombustíveis 10 maiores produtores de biocombustíveis por país, 2010 Indonesia Thailand Ethanol Spain Biodiesel Canada Argentina China France Germany Brazil United States - 2 4 6 8 10 12 14 16 (Billion Gallons)
  16. 16. 16 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisO mercado global de biocombustíveis ► A produção global de biocombustíveis cresceu 6% em 2011, registrando uma alta sem precedentes de 29,4 bilhões de galões (708 milhões de barris de petróleo), em comparação com 27,7 bilhões de galões em 2010. Participação no mercado de ► EUA, Brasil e UE responderam por 80% da produção global de biocombustíveis por região, 2010 biocombustíveis em 2011. ► Os biocombustíveis responderam por 2,7% de todo o combustível global para transporte rodoviário—comparado com os 2% em 2009. A participação foi comparado bem maior em países como o Brasil. Pácifico Oriente ► O etanol é o biocombustível mais produzido. Em 2010, foram produzidos 22,6 Médio/ Ásiático; África; bilhões de etanol, o que representa 82% da produção global de 7% 1% biocombustíveis. aurope; ► EUA e Brasil são os maiores produtores de etanol, gerando 12,9 bilhões de América 17% galões ou 57% da produção global e 7,4 bilhões de galões ou 33% da do Norte; produção global, respectivamente. 46% América ► Devido à produção instável de etanol no Brasil em 2010, os EUA Latina; tornaram-se um exportador líquido do combustível pela primeira vez, se 29% exportando o recorde de 343 milhões de galões para o exterior, um aumento de 300% em comparação com 2009. ► A produção mundial de biodiesel cresceu para 5 bilhões de galões em 2010, um aumento de12% em comparação com 2009. ► Os EUA responderam por aproximadamente metade da produção mundial de biodiesel , liderada principalmente pela Alemanha e França. ► A China e a Argentina estão expandindo rapidamente a capacidade de produção tanto de etanol como de biodiesel. ► A alta crescente dos preços de petróleo aumentará ainda mais o interesse nos biocombustíveis e o foco das questões em torno da escassez de água água- energia e alimento mudará para a próxima geração de biocombustíveis.
  17. 17. 17 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisBiocombustíveis:Projeções de oferta & demandaA produção de biocombustíveis deve crescer dos atuais 29,4 bilhões de galões (2011) para aproximadamente66 bilhões de galões em 2021. A demanda por biocombustíveis deve alcançar 72 bilhões de galões por volta de2021, ultrapassando a oferta.Produção de biocombustíveis por região Demanda por região 80 80 70 70 60 60 50 OM/África 50 Pac. Asiático 40 40 Europa 30 Am. Latina 30 Am. Norte 20 20 10 10 0 0 2011 2016 2021 2011 2016 2021
  18. 18. 18 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisVisão geral dos principais mercados EUA Europa ► Subsídios governamentais são ► A Europa é líder mundial na produção de biodiesel; determinantes para a produção de etanol todavia, a participação no mercado global está e biodiesel. caindo e deve continuar a cair devido à produção ► A produção de biodiesel dobrou em 2011 crescente da Ásia e da América Latina. para 802 milhões de galões dos 315 ► A Alemanha e a França foram os maiores milhões de galões no ano anterior. produtores na União Europeia em 2010. ► Em 2010, o etanol a base de milho nos ► A Alemanha é ainda o maior produtor mundial de EUA ficou relativamente mais barato nos biodiesel, mas o consumo e a produção mercados internacionais, e mais de 90% apresentaram queda desde a extinção do crédito da gasolina dos EUA foi misturada com fiscal do biodiesel na Alemanha. etanol. ► O Reino Unido testemunhou o maior aumento na produção anual de biocombustíveis, que subiu 325% para 0,32 bilhões de litros em 2010. ► Outros produtores importantes incluem Polônia e Espanha.
  19. 19. 19 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisVisão geral dos principais mercados Brasil China ► Embora perdendo mercado para os EUA, ► A expansão da produção na Ásia deve ser liderada a produção de etanol no Brasil aumentou pela China. mais de 7% em 2010, para 28 bilhões de ► O sucesso da China na expansão de mercado litros, e o país respondeu por praticamente explica-se, em grande parte, pela comercialização 1/3 da produção total mundial. de tecnologias avançadas para conversão de ► O etanol é misturado em todos os veículos materiais celulósicos. Contudo, a descentralização leves no Brasil. em termos de infraestrutura e transporte de ► Empresas de biocombustíveis avançados combustíveis pode impedir o crescimento da estão entrando no mercado para firmar produção. parcerias e descobrir maneiras de reduzir ► A China é atualmente o maior produtor de etanol os custos nos insumos a base de da Ásia, produzindo 2 bilhões de litros de açúcares. biocombustíveis, seguido por Tailândia e Índia, ► O Brasil deve continuar a exercer o papel que mais do que dobraram a sua produção anula de um dos principais exportadores líquidos para 0,4 bilhões de litros. de etanol, e sua consolidação e parcerias devem resultar em maior produtividade e eficiências.
  20. 20. 20 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisVisão geral do mercado ► A produção de biocombustíveis deve ► A implantação de exigências de crescer dos atuais 29,4 bilhões de galões combustíveis renováveis em países ao (2011) para aproximadamente 66 bilhões de redor do mundo será um fator determinante galões em 2021. A demanda por para a demanda e o investimento no setor. biocombustíveis deve chegar a 72 bilhões ► Nos EUA, para atender as exigências de de galões em 2021, ultrapassando a oferta. combustíveis renováveis de integrar 36 ► A alta crescente dos preços do petróleo bilhões de galões de biocombustível até gerará maior interesse nos biocombustíveis 2022, seria necessário um investimento e foco do debate sobre uso e ocupação do estimado da ordem de US$168 bilhões. solo para produção de alimento ou ► Com o rápido crescimento do setor de combustível mudará para a próxima transportes no mundo todo, a duplicação da geração de biocombustíveis. produção atual de biocombustíveis ► Biocombustíveis avançados como etanol atenderia apenas 7% do mercado global de celulósico poderiam aumentar a combustíveis para transporte em 2021. produtividade por acre para mais de 1.000 ► O uso e a aplicação de biocombustíveis galões dos atuais 100-600 galões, ultrapassará as fronteiras do transporte reduzindo sobremaneira a necessidade de rodoviário e ainda atenderá a demanda dos terras. mercados de combustíveis para aviação e transporte marítimo.
  21. 21. 21 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisDesafios do Setor ► Os preços dos insumos e a obtenção de financiamento representam desafios para o setor. ► Os governos poderiam deixar de fornecer incentivos financeiros. O crescimento do setor dependerá da formação de capital por meio de investimentos privados. ► O desenvolvimento e a implantação em larga escala das tecnologias de biocombustíveis avançados dependerá das melhorias tecnológicas e da redução dos custos. ► Embora o uso e a ocupação do solo continuem sendo uma questão importante, o uso intensivo da água no processo de produção dos biocombustíveis de primeira geração está se tornando um tema de debate. ► A relação entre energia, água e alimentos será sentida de forma cada vez mais forte. ► O setor de energia responde por 20% do consumo de água para outros fins que não agricultura—o maior consumidor industrial. o ► Biocombustíveis de primeira geração a base de culturas de alimentos usam grande extensões de terra, consomem grande volume de água para irrigação. ► O consumo de água para a produção de biocombustíveis é 1.000 a 3.000 X maior do que do petróleo. ► Seriam necessários mais 180 km3 de água para irrigação para atender todas as metas nacionais para biocombustíveis.
  22. 22. Visão geral das políticas sobrebiocombustíveis
  23. 23. 23 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisPanorama das exigências parabiocombustíveis Resumo das exigências nos principais mercados País Exigência/meta anterior/atual Exigência/meta futura Argentina Etanol 5%, Biodiesel 7% Intenção futura de 10% biodiesel Brasil Etanol 18-20%, Biodiesel 5% Etanol 25% Etanol 5% (até 8,5% em 4 províncias), Biodiesel 2 2-3% Canadá Biodiesel 2% em todo país até 2012 em 3 províncias Biocombustíveis10% até 2020 – alta dependência de etanol celulósico China Etanol 10% em 5 províncias Metas de volume: Etanol, 10 milhões de toneladas; Biodiesel, 2 milhões de toneladas UE Biocombustíveis 5,75% até 2010, não exigível por lei 10% energia renovável em transporte até 2020 IÍdia Etanol 5% Biodiesel 20% até 2017 Indonésia Etanol 3%, Biodiesel 2.5% Etanol 15%, Biodiesel 20% até 2025 Japão 500 milhões de litros ao ano 800 milhões de litros ao ano até 2018 Coréia Biodiesel 2,5% até 2011 Biodiesel 3% até 2012 México Etanol 2% em Guadalajara Etanol 2% em Monterrey e cidade do México até 2012 África do Sul NA Biodiesel 2% até 2013 Meta de volume: 12,7 bilhões de galões, dos quais 3,5 36 bilhões de galões, dos quais 15 bilhões de galões EUA milhões de galões de etanol celulósico de etanol celulósico (2022)
  24. 24. 24 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisPanorama das exigências parabiocombustíveis ► As exigências para combustíveis ► A Diretriz de Energia Renovável (RED) da renováveis e misturas são o fator mais UE tem uma meta de 10% para energia importante para a demanda global. renovável para transporte, da qual os ► Essas determinações existem em 31 biocombustíveis devem responder por 7%. países e em 29 estados/províncias. Por exigência legal, os países também são ► Nos EUA, as Normas para Combustíveis obrigados a lançar planos. Renováveis Revisadas (RFS2) têm sido ► A despeito da RED, houve desaceleração demasiadamente restritas e sem a no consumo de biocombustíveis na UE comercialização de combustível celulósico, nos últimos anos. os volumes desse combustível chegaram ► O 12o Plano Quinquenal da China apenas a 1,6% da meta em 2010. apresenta metas volumétricas de longo ► No Brasil, desde a primeira determinação prazo ambiciosas bem como uma meta de de meta sobre etanol em 1977, o etanol mistura de 10%, com expectativas de que subiu até 25%. As exigências mudam os insumos celulósicos contribuam para dependendo das condições do mercado. que essas metas sejam alcançadas.
  25. 25. 25 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisVisão geral da política (1 de 4) EUA ► A política de biocombustíveis nos EUA estabeleceu metas e expectativas elevadas para a contribuição do etanol celulósico as quais não se realizaram. ► A meta celulósica foi estabelecida em 250 milhões de galões para 2011 e 500 milhões de galões para 2012. Contudo, sem a comercialização generalizada de etanol celulósico, as companhias de petróleo terão de desembolsar aproximadamente $6,8 milhões em multas em 2011. ► Mais de 21 incentivos, programas de crédito ou subsídios existiam nos Estados Unidos, sendo que 6 incentivos significativos foram extintos em 2011 e outros 7 deverão ser extintos em 2012. ► Todos os programas, mesmo incentivos preferenciais para biocombustíveis avançados, estarão sofrendo pressões cada vez maiores. E o mais importante, a tarifa de 45 centavos sobre o etanol brasileiro deve acabar. ► O estado da Califórnia liderou uma norma para combustíveis com baixa emissão de CO2, o que abriu o debate sobre quais serão os insumos e as tecnologias mais favorecidos. No momento, a política favorece o etanol local ou o açúcar brasileiro. ► A Comissão Energética do Estado da Califórnia abriu um processo de solicitação de propostas (RFP) no valor de $37 milhões, na busca por novas tecnologias para produção de biocombustíveis com melhor desempenho em termos ambientais.
  26. 26. 26 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisVisão geral da política (2 de 4) Europa ► A Comissão Europeia lançou um Roteiro da Energia Renovável ( (Renewable Energy Roadmap) em 2007, com a meta de alcançar uma participação de 10% dos biocombustíveis ) no consumo europeu em 2020. ► Na Alemanha, debates sobre alimentos x combustíveis dominam a discussão política. Assessores do governo têm desencorajado todo e qualquer aumento nas importações de produtos alimentares para produção de biocombustíveis. ► O Conselho de Ministros da UE aprovou a ampliação do direito antidumping de $566,4 por tonelada métrica para as exportações de biocombustíveis canadenses canadenses–além daqueles já aumentados sobre as importações dos EUA de misturas de biocombustíveis acima de 20%. ► A Itália poderia deixar de alcançar as metas de mistura de 2012 devido ao descompasso com a Diretriz de Energia Renovável (RED) da UE. Como resultado, as companhias de petróleo estão se recusando a firmar contratos com as empresas de biocombustíveis para adquirir o combustível necessário para fazer a mistura, até que uma política uniforme seja adotada.
  27. 27. 27 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisVisão geral da política (3 de 4) Brasil ► No Brasil, o Programa Nacional do Álcool, ou ProÁlcool, foi criado com o objetivo de garantir a independência energética do país, oferecer subsídios ou isenções fiscais para o setor de biocombustíveis. ► O governo brasileiro financiou uma rede de distribuição para levar os biocombustíveis até as usinas de gás. ► Com os elevados impostos sobre a importação de veículos, o setor automotivo brasileiro desenvolveu veículos flexíveis que podem rodar com 20 20-25% de mistura de etanol até 100% de etanol. A Petrobras espera que os veículos flexíveis representem 70% do mercado automotivo até 2020. ► Uma grande inovação para o etanol a base de açúcar ocorreu em 2010, quando a Agência de Proteção Ambiental (EPA) dos EUA designou o etanol desenvolvido no Brasil a partir da cana-de-açúcar como o biocombustível avançado graças à redução de 61% do total de açúcar emissões de gases com efeito estufa produzidos ao longo do ciclo de vida do combustível, inclusive de emissões diretas e indiretas associadas à mudança no uso do solo.
  28. 28. 28 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisVisão geral da política (4 de 4) China ► Na China, as políticas para biocombustíveis são dominadas por questões sobre segurança dos alimentos. O governo limitou o uso de grãos como insumo para a produção de combustíveis. A oferta de biocombustíveis é controlada por três das maiores companhias estatais chinesas: Sinopec, CNPC e o Grupo Cofco. , ► Existe apoio do governo para novos projetos para produção de biodiesel e etanol, utilizando outros insumos que não grãos. ► O governo chinês suspendeu a cobrança de imposto sobre consumo para a gasolina com etanol. ► A China tem como meta aumentar o uso de etanol para 218 mil barris por dia ( (mb/d) e de biodiesel para 40 mb/d, até 2020. ► Na China há vários projetos em construção para produção de etanol, com uma capacidade combinada de 9,2 mb/d. Projetos com capacidade total superior a 111 mb/d estão planejados. ► Com relação ao biodiesel, há perspectiva de capacidade adicional de cerca de 130 mb/d, com projetos já em construção ou planejados.
  29. 29. 29 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisDinâmica das relações comerciaisEUA-BrasilO equilíbrio das importações-exportações entre EUA e Brasil depende de uma série de fatores exportaçõescondicionantes dinâmicos. O fim da tarifa de importação de U$0,45 não inundou o mercado A demanda brasileira por biocombustíveis ultrapassa a oferta em cerca de 25 por americano com o etanol a base de açúcar conforme esperado. cento. Atualmente, o Brasil importa etanol de milho dos EUA. O Estado da Califórnia provavelmente será o maior importador do etanol a base de açúcar, mas tentará diversificar usando A escassez de etanol no Brasil ocorre devido aos seguintes fatores: biocombustíveis avançados. ► Preços mais elevados para o açúcar ► Falta de expansão de capital das usinas mantidas na retaguarda usinas, ► Sucesso e crescimento da frota de veículos flexíveis do Brasil ► Weather and low investment in crop replanting No entanto, a dinâmica do lado da oferta por parte do Brasil pode ser temporária e o desequilíbrio deve normalizar, levando a importações a longo prazo para os EUA. As normas ambientais dos EUA designam o Os preços de gasolina no Brasil são A infraestrutura de transportes do Brasil etanol a base de açúcar como um biocombustível controlados pelo governo , o que impede que a enfrenta diversas limitações. avançado devido à redução das emissões de CO2. Petrobras repasse aumentos recentes dos preços do petróleo para as distribuidoras Os distribuidoras. A situação precária das estradas impõe custos O Brasil está importando biocombustível a base controles dos preços têm dificultado a mais elevados. de milho dos EUA, o que não atende as novas competição do etanol com a gasolina gasolina. normas da Agência de Proteção Ambiental (EPA) No Brasil, um alcoolduto com mais de 1,3 mil dos EUA, ao mesmo tempo em que exporta seu As taxas de câmbio do Brasil têm efeitos km de extensão é esperado para 2020, o qual próprio etanol a base de cana-de-açúcar, que é fundamentais na competitividade global, deverá transportar 22 bilhões de litros por ano, mais eficiente. exportações, rendimento agrícola e margens de volume equivalente a toda a produção atual, por processamento para destilarias e usinas. A praticamente 1/3 do custo de transportar etanol Em 2011, as exportações brasileiras subiram para valorização contínua do Real tornaria as em caminhões. 1,64 bilhões de litros (433 milhões de galões). As exportações de etanol do Brasil relativamente importações permaneceram praticamente mais caras. O Governo também alocou $4,6 bilhões para inalteradas, em 1,66 bilhões de litros, quase que melhorias em infraestrutura portuária até 2016. 100% dos Estados Unidos.
  30. 30. 30 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisParcerias/atividade empresarial (1 de 2) ► A Ceres Inc., companhia de biotecnologia capacidade anual de 5 milhões de litros agrícola que desenvolve culturas energéticas utilizando palha de milho e trigo. para aumentar a produtividade da biomassa, iniciou IPO no valor de US$100 milhões em ► A Abengoa, juntamente com o Ministério de maio de 2011. Energia dos EUA, está construindo uma fábrica para produção de etanol celulósico ► A SG Biofuels Inc., companhia especializada com capacidade anual de 25 milhões de no desenvolvimento e produção de sementes galões – a maior fábrica de etanol celulósico do pinhão manso, formou uma joint venture até a data. com a indiana Bharat Petroleum para a produção de biodiesel na Índia. ► A Cosan, quinta maior produtora de etanol do mundo, formou uma joint venture com a Shell, ► A SG Biofuels também fez uma parceria com o que representa um importante passo para a a JETBIO para desenvolver biocombustível consolidação do setor de etanol do Brasil. A para jato utilizando pinhão manso, no Brasil. JV, Raizen, pretende investir até US$7 bilhões para expandir a capacidade de ► A Abengoa Bioenergia SA, unidade de moagem de cana-de-açúcar para 100 milhões biocombustíveis da espanhola Abengoa SA, de toneladas métricas por ano. inaugurou uma fábrica de etanol lignocelulósico em 2009 em base experimental, com financiamento da Comissão Europeia. A fábrica atualmente tem
  31. 31. 31 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisParcerias/atividade empresarial (2 de 2) ► A Coskata Inc. está construindo instalações e produtos químicos a partir de resíduos. fabris para produção comercial de etanol celulósico nos EUA, utilizando biomassa de ► A BP anunciou investimentos de mais de madeira como insumo. A fábrica deverá ter US$2 bilhões, desde 2006, em pesquisa e capacidade de 55 milhões de galões por ano. desenvolvimento de biocombustíveis. Em 2011, ela adquiriu a produtora de etanol ► A fábrica de biocombustíveis da Enerkem brasileira CNAA para operar suas duas será a primeira fábrica de etanol a utilizar refinarias de etanol. insumos de custo negativo – madeira tratada de postes elétricos usados. ► A Amyris Inc. formou uma joint venture com a Total SA para expansão das atividades de ► A Enerkem também inaugurou a Divisão de P&D e comercialização de diesel renovável. Pesquisa Energética Avançada em junho de 2011, juntamente com o governo de Alberta, para promover a pesquisa e o desenvolvimento de combustíveis renováveis
  32. 32. Tendências de financiamentopara produção de biocombustíveis
  33. 33. 33 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisInvestimento global em biocombustíveis - private equity e capital de risco(Milhões de US$) $2.227 $1.933 $1.618 $1.105 $776 $736 $491 $336 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Fonte: Bloomberg New Energy Finance Obs.: Inclui estimativas para transações não divulgadas Fonte: IEA Technology Roadmap: Biofuels for transport, 2010
  34. 34. 34 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisDinâmica das relações comerciais EUA EUA-Brasil Total de recursos captados via IPO Número de Processos de IPO (Milhões de US$) $3.103 17 $924 6 6 5 $487 $540 2 2 $176 $72 1 $22 0 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Fonte: Bloomberg New Energy Finance
  35. 35. 35 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisDinâmica das relações comerciais EUA EUA-Brasil Valor Nome da companhia País captado Data Bolsa (US$M) China Agri-Industries Holdings Ltd Hong Kong 459,8 21/03/2007 Hong Kong (HKEX) Solazyme Inc EUA 227,2 26/05/2011 Nasdaq Global Select Market Sao Martinho SA Brasil 200,9 12/02/2007 São Paulo (BOVESPA) Gushan Environmental Energy Ltd China 184,6 18/12/2007 Nova York (NYSE) KiOR Inc EUA 162 23/06/2011 Nasdaq Global Select Market Gevo Inc EUA 123,3 08/02/2011 NASDAQ Global Select Market (GS) Amyris Inc EUA 97,5 28/09/2010 NASDAQ Global Select Market (GS) Codexis Inc EUA 78 21/04/2010 NASDAQ Global Select Market (GS) Renewable Energy Group Inc EUA 72 18/01/2012 NASDAQ Global Select Market (GS) BioFuel Energy Corp EUA 63,4 13/06/2007 NASDAQ Global Select Market (GS) Nandan Cleantec PLC Reino Unido 25,9 09/11/2011 AIM (Londres) Sable Mining Africa Ltd Reino Unido 15,7 01/09/2008 AIM (Londres) Deutsche Börse – Mercado Oficial BKN biostrom AG Alemanha 8,4 06/02/2007 (antiga Bolsa de Frankfurt ) Gem BioFuels PLC Ilha de Man 7,2 19/10/2007 AIM (Londres) Jatenergy Ltd Austrália 6,2 30/01/2008 Austrália (ASX) China New Energy Ltd China 1,1 23/05/2011 AIM (Londres)Fonte: IEA Technology Roadmap: Biofuels for transport, 2010
  36. 36. 36 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisFinanciamento global de ativos em biocombustíveis (Milhões de US$) $24.793 $22.761 $17.849 $11.018 $8.191 $6.655 $5.059 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012Fonte: Bloomberg New Energy FinanceObs.: Inclui estimativas para transações não divulgadas
  37. 37. 37 Ernst & Young Terco | Perspectivas sobre biocombustíveisFusões e Aquisições no segmento de biocombustíveis Recursos captados via Fusões e Aquisições Número de Fusões e Aquisições (US$ milhões) $3.416 45 $2.704 36 $2.236 31 29 $1.979 $1.799 $1.804 22 20 12 $712 1 $19 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Fonte: Bloomberg New Energy Finance Obs.: Inclui estimativas para transações não divulgadas
  38. 38. Liderança do Ernst & Young Global Cleantech Center Ernst & Young Auditoria | Impostos | Transações | Consultoria Gil Forer Jay Spencer Ben Warren Global Leader Americas Leader Energy & Environmental Sobre a Ernst & Young Nova York Boston Finance Group Leader Ernst & Young é líder global em serviços de auditoria, +1 212 773 0335 +1 617 585 1882 Londres impostos, transações e consultoria. Constituímos uma gil.forer@ey.com jay.spencer@ey.com +44 20 7951 6024 rede global de 141 mil colaboradores unidos por bwarren@uk.ey.com valores pautados pela ética e pelo compromisso constante com a qualidade. Nosso diferencial consiste Scott Sarazen Paul Go Paul Naumoff em ajudar nossos colaboradores, clientes e as Global Markets Greater China Global Cleantech and comunidades com as quais interagimos a atingir todo o Leader Boston Leader CCaSS seu potencial. +1 617 585 3524 Beijing Tax Leader O termo Ernst & Young se refere à organização global scott.sarazen@ey.c +86 10 58153688 Columbus de firmas membro da Ernst & Young Global Limited, om paul.go@cn.ey.com +1 614 232 7142 sendo que cada uma dessas firmas constitui uma paul.naumoff@ey.com pessoa jurídica separada. A Ernst & Young Global Limited, sociedade de responsabilidade limitada por John de Yonge Robert Seiter Heather Sibley garantia do Reino Unido, não presta serviços a clientes. Dir., Account EMEIA Leader Global Cleantech Para mais informações sobre a nossa organização, Enablement Berlim Assurance Leader visite www.ey.com Nova York +49 30 25471 21415 San Francisco +1 201 872 1632 robert.seiter@de.ey.com +1 415 894 8032 john.de_yonge@ey.com heather.sibley@ey.com Como o Ernst & Young Global Cleantech Center pode ajudar a sua empresa De entidades no início de suas operações a organizações de grande porte e governos nacionais, as organizações do mundo todo buscam a tecnologia limpa como meio de crescimento, eficiência, sustentabilidade e vantagem competitiva. A tecnologia limpa permite que uma infinidade de setores, novos e tradicionais, possa se transformar e participar de uma economia com maior eficiência em termos de recursos e baixa emissões de carbono – vemos inovação na tecnologia, nos modelos de negócio, nos mecanismos de financiamento, nas parcerias entre os setores e na adoção de práticas corporativas. O Ernst & Young Global Cleantech Center põe à sua disposição uma equipe global de profissionais de auditoria, impostos, transações e consultoria, que compreendem a dinâmica do negócio da tecnologia limpa. Temos a experiência necessária para ajudá-lo a aproveitar ao máximo as oportunidades existentes nesse mercado e a enfrentar quaisquer desafios. Qualquer que seja o setor ou o mercado em que você atua, podemos oferecer as percepções que você precisa para obter os benefícios da tecnologia limpa.

×