Relevo brasileiro

18.494 visualizações

Publicada em

Como compõe o relevo brasileiro

Publicada em: Arte e fotografia
1 comentário
12 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.494
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.356
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.108
Comentários
1
Gostaram
12
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relevo brasileiro

  1. 1. Relevo Brasileiro GEOGRAFIA Profª Euna
  2. 2. Relevo  Trata-se do conjunto das formas da crosta terrestre, manifestando-se desde o fundo dos oceanos até as terras emersas. Encontramos formas diversas de relevo: montanhas, planaltos, planícies, depressões, cordilheiras, morros, serras, inselbergs, vulcões, vales, escarpas, abismos, Cuestas, etc.  O relevo é o resultante da ação de dois agentes:os internos e externos.
  3. 3. Como se forma o relevo?  O relevo se origina e se transforma sob a interferência de dois tipos de agentes: os agentes internos (formadores) os agentes externos (transformadores)
  4. 4. Formas de relevo PRINCIPAIS ESTRUTURAS DE RELEVO:  PLANALTO  PLANÍCIE  DEPRESSÃO  MONTANHAS
  5. 5. Formas de relevo continentais Montanhas: formadas pela ação de forças tectônicas Jovens: formadas em épocas geológicas recentes. Apresentam maiores altitudes. Montanhas jovens no Parque Nacional Los Glaciares, na região patagônica (Argentina, 2000) Velhas: formadas em eras mais remotas. Tendo sido afetadas pela erosão, apresentam altitudes mais moderadas.
  6. 6. Formas de relevo continentais Planalto: superfícies onde predomina intenso processo de erosão. Situam-se entre 200 metros e 2 mil metros de altitude. Apresentam forma aplainada ou morros, serras ou elevações íngremes de topo plano (chapadas). Morro do Pai Inácio, na Chapada Diamantina (Bahia, 2008)
  7. 7. Formas de relevo continentais Planícies: poucas irregularidades e forma quase plana Baixas altitudes (até 100 metros) Planícies litorâneas Sedimentação constante devido aos movimentos das águas do mar, de rios, de lagos etc. Planícies fluviais Planícies lacustres
  8. 8. Depressões Partes mais baixas em relação às formas de relevo que as circundam. • Apresentam uma leve inclinação e são também caracterizadas por um processo de erosão, que é um aspecto determinante na sua formação. • Quando as depressões se encontram abaixo do nível do mar, recebem o nome de depressões absolutas. O mar Morto, na Ásia, é um exemplo de depressão absoluta. Ele está metros abaixo do nível do mar. Depressão Sertaneja /São Francisco
  9. 9. As diferentes classificações do relevo brasileiro Professor Aziz Ab’Saber / anos 60 Professor Aroldo de Azevedo Anos 40/50 Professor Jurandyr Ross Anos 90
  10. 10.  Classificação feita por Aroldo de Azevedo: elaborada na déc. De 40, levou em consideração as cotas atimétricas (altitude) do relevo. Planalto: superfície levemente ondulada com mais de 200 m de altitude. Planície: superfície aplainada com menos de 200 m de altitude.
  11. 11.  Classificação feita por Aziz AB Sáber: Classificação publicada em 1958, onde se definia: Planalto : superfície suavemente ondulada, onde se verifica o domínio do processo erosivo(desgaste). Planície: superfície onde o processo de sedimentação é mais atuante e independe do nível altimétrico.
  12. 12. Classificação de Ross     A mais recente classificação do relevo brasileiro é a proposta pelo professor Jurandyr Ross, divulgada em 1989. Jurandyr Ross, a exemplo de Ab'Saber, também utiliza os processos geomorfológicos para elaborar a sua classificação, porem diferente das classificações anteriores, Ross, usa recursos mais modernos como a aerofotogrametria , (fotos aéreas, projeto Radam Brasil) e reformulou a classificação do relevo brasileiro, elevando para 28 o número de grandes unidades de relevo. Além disso, ao invés de se prender às divisões anteriores entre planaltos e planícies, introduziu um novo conceito, o de depressão. Destaca três formas principais de relevo: planaltos, planícies e depressões. Define cada macro-unidade da seguinte forma:    PLANALTO como sendo uma superfície irregular, com altitude acima de 300 metros e produto de erosão; PLANÍCIE, como uma área plana, formada pelo acúmulo recente de sedimentos; DEPRESSÃO, como superfície entre 100 e 500 metros de altitude, com inclinação suave, mais plana que o planalto e formada por processo de erosão.
  13. 13. O relevo brasileiro Características Mapa Relevo brasileiro Predominam os planaltos de baixa altitude ( até 1200m ) e as depressões. O relevo brasileiro não possui grandes altitudes . Este fato pode ser explicado pela antiguidade de seus terrenos (em geral, précambrianos ) que vem sofrendo o ataque dos agentes de erosão há milhões de anos. Planalto, Planícies e Depressões são as principais formas de relevo . O Brasil não apresenta cadeias de montanhas ou dobramentos modernos . As Cores variam de acordo com níveis de altitude indo dos mais baixos ( verde) aos mais elevados ( marrom)
  14. 14. Relevo Brasileiro  64% de rochas sedimentares (podem apresentar ocorrência de combustíveis fósseis);  36% de escudos cristalinos (rochas metamórficas e magmáticas), onde encontramos jazidas de minérios;
  15. 15. Escudos Cristalinos   Nos escudos cristalinos encontramos reservas minerais metálicas e não metálicas. Dois escudos principais: Guianas e Brasileiro.
  16. 16. Bacias Sedimentares     Importantes reservas de hidrocarbonetos (petróleo, gás natural e carvão mineral). Dois grandes grupos: Bacias de Grande Extensão: Amazônica, do Meio Norte, do Paraná, Sanfranciscana ou do São Francisco e a do Pantanal Matogrossense. Bacia de Pequena Extensão: do RecôncavoTucano, as costeiras e as de compartimento de planalto (Bacia Sedimentar de Curitiba).
  17. 17. Classificação de Aroldo de Azevedo      Primeira classificação. Recursos limitados. 4 grandes planícies. 2 grandes planaltos. Subdivide o planalto brasileiro em 3 subunidades.
  18. 18. Classificação de Aziz Ab’Saber     Discípulo de Aroldo de Azevedo. Número de planícies permanece a mesma. 2 grandes planaltos. Subdivide o planalto brasileiro em 6 subunidades.
  19. 19. Classificação de Jurandyr Ross      Realizada na déc. 80. Resultado do Projeto RADAM-Brasil. Divide o país em 28 unidades de relevo. Predomina planaltos baixos e depressões. Planícies com áreas pequenas e limitadas.
  20. 20. X SAIR SAIR

×