Avaliação: o lugar de onde falo

249 visualizações

Publicada em

Mostra os meus referencias teóricos quando discorro sobre a reinvenção das minhas práticas de avaliação.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
249
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Avaliação: o lugar de onde falo

  1. 1. OL U G A R D E O N D E F A L O
  2. 2. Meus alunos não Como fazer meus alunos têm base... pensarem?Esquecem tudo!!! Só estudam para as provas!!!
  3. 3. Lógica fragmentária das práticas pedagógicas
  4. 4. Tripé de nossas escolhas CONCEPÇÃO DE CONHECIMENTOMETODOLOGIA PROCESSO DE ENSINO AVALIATIVO
  5. 5. Meus referenciaisAs Teorias Críticas da Educação e os conceitos decorrentes dessa opção  de homem, sociedade, ciência, educação, currículo, ensino, aprendizagem, avaliação...O Sociointeracionismo e o conceito de aprendizagem (significativa)  aprender é se apropriar do conhecimento mediante interação com outro(s) mais experiente(s)O foco no desenvolvimento das funções cognitivas superiores avançadas  Esquemas internos dos quais as competências e habilidades são expressões externasA Teoria da Atividade, de Alexei LeontievO trabalho como princípio educativo e pedagógicoO conceito ampliado de conteúdo - factuais, conceituais, procedimentais, atitudinais
  6. 6. Lógica unitária das práticas pedagógicas
  7. 7. Avaliação não é problema...“O problema com a avaliação não é da avaliação. A avaliação em si não égeradora de conflito, percebeu Ilma Machado (1996) ao investigar os fatoresdeterminantes dos conflitos nas vivências de avaliação da aprendizagem emum curso de Pedagogia. Os conflitos são uma conseqüência da forma e dafinalidade com que a avaliação é realizada, visto que ocorre na perspectivaautoritária e excludente, freqüentemente.” (BITTENCOURT, 2005)“A verdadeira fonte do problema pode estar em outra fase doprocesso: objetivos não explicitados, níveis confusos para oaluno, metodologia inadequada, dados que não correspondemaos objetivos etc.” (Morales, p. 36)
  8. 8. Obrigado!

×