Edição
Atualizada

Safemov Consulting

Içamento de Cargas
Classificação de Riscos e Criticidades

Metodologia RiskPoint

I...
Palavra do Consultor
Prezados profissionais,
Este material foi desenvolvido com o objetivo de orientar
os profissionais de...
RiskPoint - Apresentação
A metodologia RiskPoint é uma ferramenta simples de aplicar, baseada
nos parâmetros de classifica...
RiskPoint - Apresentação
Portanto, é fundamental que os profissionais de Segurança do Trabalho
realizem, em parceria com o...
Reflita e Responda
As operações de Içamento de Cargas
realizadas na sua empresa são,
comprovadamente,

seguras e confiávei...
Introdução ao Tema - 1
A falta de planejamento, as constantes improvisações e a prática
enraizada do imediatismo, colocam ...
Introdução ao Tema - 2
Pode parecer que há um certo exagero na composição desta linha
de raciocínio, porém, situações dest...
Introdução ao Tema - 3
Comprovadamente as operações de içamento de cargas, quando
realizadas de forma segura e confiável, ...
Reflexão
Então, o que, efetivamente, precisa ser feito ?
1) Observar e diagnosticar as situações operacionais fora
de conf...
Içamento de
Cargas
Metodologia
RiskPoint

RiskPoint
Classes
de Riscos.

Classificação de
Riscos e Criticidades

9
Classificação de Riscos - 1
Algumas técnicas de análise de riscos, como a TIC – Técnica de
Incidentes Críticos, APR – Anál...
Classificação de Riscos - 2
Em nossos estudos, vamos considerar, além das 4 categorias ou classes
citadas, uma quinta cate...
RiskPoint – Descrição das Classes

12
RiskPoint – Níveis de Avaliação

13
Considerações Complementares
Os parâmetros de avaliação expostos no quadro devem ser aplicados aos
riscos identificados po...
Situação Negativa Simulada
Situação de Risco Identificada na Auditoria
Ausência de plano de manutenção preventiva para os ...
Situação Positiva Simulada
Situação Recomendada
Existência de plano de manutenção preventiva e preditiva para os
cabos de ...
Considerações Complementares
É importante ressaltar que a situação operacional simulada, (cor
vermelha) na verdade é diagn...
Içamento de
Cargas
Metodologia
RiskPoint

RiskPoint
Critérios de
Criticidade.

Classificação de
Riscos e Criticidades

18
Introdução a Criticidade - 1
Definições sobre os Critérios de Criticidade
Os Critérios de Criticidade servem para nortear ...
Introdução a Criticidade - 2
Os Critérios de Criticidade Determinam...
1 – Quais as situações operacionais diagnosticadas ...
Descrição das Prioridades - 1
Definições dos Níveis de Prioridade

Prioridade 1

Potencialidade capaz de afetar a
Potencia...
Descrição das Prioridades - 2
Definições dos Níveis de Prioridade

Prioridade 3

Potencialidade capaz de impedir o
Potenci...
Palavra Final do Consultor
Prezado profissional ,
Acreditamos que após estudar este material, você esteja
capacitado a apl...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

RiskPoint - Versão Atualizada.

1.028 visualizações

Publicada em

Metodologia para classificação de riscos e suas prioridades e criticidades.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.028
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
354
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

RiskPoint - Versão Atualizada.

  1. 1. Edição Atualizada Safemov Consulting Içamento de Cargas Classificação de Riscos e Criticidades Metodologia RiskPoint Içamento Seguro para ser Confiável
  2. 2. Palavra do Consultor Prezados profissionais, Este material foi desenvolvido com o objetivo de orientar os profissionais de Segurança do Trabalho sobre a aplicação da metodologia RiskPoint de classificação de riscos e criticidade nas operações de Içamento de Cargas. Estas operações vem sendo realizadas na grande maioria das empresas sob condições desfavoráveis e inseguras, gerando riscos potencialmente graves para todos os envolvidos. Neste contexto, ´mediante a realização de um diagnóstico operacional, estas operações devem ser minuciosamente avaliadas e classificadas quanto ao nível dos riscos e suas criticidades . Eugenio Rocha – Consultor 1
  3. 3. RiskPoint - Apresentação A metodologia RiskPoint é uma ferramenta simples de aplicar, baseada nos parâmetros de classificação de riscos e de criticidades e prioridades adotados pelas principais técnicas de análise de riscos normalmente utilizadas. O que difere esta metodologia dos parâmetros já conhecidos é a sua adaptação para a adoção de uma quinta classificação e uma pontuação de 1 a 10 que destaca, de imediato, o nível de segurança de determinada operação de içamento de cargas. É importante destacar também que a metodologia RiskPoint deve ser utilizada como recurso complementar ao Diagnóstico Técnico Operacional - DTO, pois ela somente poderá ser aplicada desde que hajam riscos preliminarmente identificados e analisados. 2
  4. 4. RiskPoint - Apresentação Portanto, é fundamental que os profissionais de Segurança do Trabalho realizem, em parceria com os setores de Produção e Manutenção, um diagnóstico das reais condições operacionais de todos os equipamentos e acessórios destinados ao içamento de cargas, assim como a forma como eles estão sendo utilizados, e, posteriormente, apliquem a metodologia para o estabelecimento das prioridades. Após a realização do DTO, que na verdade trata-se de uma auditoria técnica, e da aplicação da metodologia, recomenda-se o estabelecimento de normas, regras e procedimentos operacionais padronizados a serem adotados por todos os operadores e auxiliares de amarração das cargas, criando-se, desta forma, um Plano ou Programa de Segurança no Içamento de Cargas - PSIC na empresa, medida que representa um passo importante para a melhoria dos níveis de segurança e confiabilidade das operações. 3
  5. 5. Reflita e Responda As operações de Içamento de Cargas realizadas na sua empresa são, comprovadamente, seguras e confiáveis ? Em caso negativo, o que tem sido feito para torná-las seguras e confiáveis ? 4
  6. 6. Introdução ao Tema - 1 A falta de planejamento, as constantes improvisações e a prática enraizada do imediatismo, colocam em risco de acidentes os próprios equipamentos de içamento, as cargas, as estruturas físicas dos galpões, que representam o patrimônio das empresas. Além destes fatores, destacamos a vida dos colaboradores que executam as operações expostos a estes mesmos riscos, quase sempre sem a devida qualificação e acesso às informações de segurança, questões que são da responsabilidade da empresa. Paralelamente a estas deficiências diagnosticadas nos campos material e humano, devemos ainda ressaltar os prejuízos e atrasos advindos das eventuais paralisações indesejadas do fluxo de materiais ao longo da cadeia produtiva, deixando a empresa de cumprir com os seus prazos e compromissos firmados com os seus clientes. 5
  7. 7. Introdução ao Tema - 2 Pode parecer que há um certo exagero na composição desta linha de raciocínio, porém, situações deste tipo podem ser facilmente diagnosticadas em nossas indústrias, ocasionadas pela postura de completo descaso, negligência e falta de comprometimento, tanto das empresas, como dos profissionais envolvidos nas operações, que, obviamente, acabam adotando um comportamento coerente com a cultura praticada nas empresas que trabalham. Boa parte dos riscos que estamos tratando está completamente visível para qualquer leigo identificar, por outro lado, inúmeros outros riscos estão totalmente encobertos e somente poderão ser localizados e identificados mediante a realização de um diagnóstico técnico realizado pela Manutenção Mecânica. 6
  8. 8. Introdução ao Tema - 3 Comprovadamente as operações de içamento de cargas, quando realizadas de forma segura e confiável, proporcionam uma série de vantagens para as empresas sob o ponto de vista da elevação dos níveis de eficiência, produtividade, lucratividade e, por consequência, da competitividade das empresas em seus mercados de atuação, ressaltando ainda a motivação e o comprometimento elevados dos colaboradores. Diante do quadro exposto, é fundamental que os profissionais envolvidos adotem novos conceitos e ações de gestão em relação a estas operações, que, se implementados de maneira efetiva e consciente, certamente elevarão os níveis de segurança e confiabilidade das operações. 7
  9. 9. Reflexão Então, o que, efetivamente, precisa ser feito ? 1) Observar e diagnosticar as situações operacionais fora de conformidade com a legislação vigente aplicável ao assunto. Realizar um DTO. 2) Planejar e promover, de forma fundamentada e integrada, as mudanças que necessitam ser efetivadas no sistema de içamento de cargas da empresa. Utilize a ferramenta 5W 2H. 3) Manter mecanismo de aferição permanente dos resultados obtidos com as mudanças implantadas, divulgando-os de forma sistemática como fator de credibilidade para a continuidade do processo. 8
  10. 10. Içamento de Cargas Metodologia RiskPoint RiskPoint Classes de Riscos. Classificação de Riscos e Criticidades 9
  11. 11. Classificação de Riscos - 1 Algumas técnicas de análise de riscos, como a TIC – Técnica de Incidentes Críticos, APR – Análise Preliminar de Riscos, e AMFE – Análise de Modos, Falhas e Efeitos, adotam como fatores medidores das condições dos riscos operacionais, 4 categorias, ou classes de riscos, conforme segue: DESPREZÍVEL MARGINAL OU LIMÍTROFE CRÍTICA CATASTRÓFICA Estas categorias estabelecem, quando aplicadas com competência, os parâmetros que são utilizados para a definição de prioridades de esforços e alocação de recursos para as ações preventivas. 10
  12. 12. Classificação de Riscos - 2 Em nossos estudos, vamos considerar, além das 4 categorias ou classes citadas, uma quinta categoria, ou seja: NÃO DESPREZÍVEL Portanto, analisando o quadro a seguir, temos 5 categorias de riscos, com seus respectivos níveis de avaliação e pontuação. Após um diagnóstico nas condições operacionais, todos os riscos identificados devem ser analisados sob o ponto de vista do seu nível de gravidade e devidamente nomeado conforme as 5 categorias de riscos, devendo, em seguida, cada um dos riscos receber o seu critério de criticidade conforme descrito a seguir. 11
  13. 13. RiskPoint – Descrição das Classes 12
  14. 14. RiskPoint – Níveis de Avaliação 13
  15. 15. Considerações Complementares Os parâmetros de avaliação expostos no quadro devem ser aplicados aos riscos identificados por ocasião do diagnóstico, estabelecendo a pontuação para cada risco conforme a sua potencialidade, ou capacidade de implicação negativa nas operações de içamento de cargas na empresa, baseando-se nos níveis de degradação apresentados no quadro a seguir. A pontuação (de 1 à 10), assim como os níveis de degradação (de nenhuma à severa extensão) devem ser utilizados também para a escolha dos Níveis de Prioridade ( de 1 à 4), levando-se em consideração as definições dos Critérios de Criticidade. Como exemplo, para ilustrar de forma mais didática e consistente a aplicação destes quadros, analise, nos quadros a seguir, duas condições operacionais simuladas, nas quais os Parâmetros de Avaliação dos Níveis de Segurança - PANS, foram aplicados. 14
  16. 16. Situação Negativa Simulada Situação de Risco Identificada na Auditoria Ausência de plano de manutenção preventiva para os cabos de aço das Pontes Rolantes da empresa. Classe de Risco Nível de Avaliação Pontuação CRÍTICO REGULAR 3 Descrição da Classe de Risco Nível de Degradação PODE RESULTAR EM DANOS E LESÕES SUBSTANCIAIS. GRANDE EXTENSÃO 15
  17. 17. Situação Positiva Simulada Situação Recomendada Existência de plano de manutenção preventiva e preditiva para os cabos de aço das Pontes Rolantes da empresa. Classe de Risco DESPREZÍVEL Nível de Avaliação EXCELENTE Pontuação 9 Descrição da Classe de Risco Nível de Degradação NÃO RESULTA EM DANOS FUNCIONAIS OU LESÕES . NENHUMA EXTENSÃO 16
  18. 18. Considerações Complementares É importante ressaltar que a situação operacional simulada, (cor vermelha) na verdade é diagnosticada facilmente na grande maioria das empresas que utilizam das operações de içamento de cargas em seus processos produtivos. Operações de içamento de cargas classificadas como críticas, com um nível de avaliação regular, e a pontuação 3, numa escala de 1 à 10, evidenciando a possibilidade de resultar em danos e lesões substanciais de grande extensão, não podem, de forma alguma, serem ignoradas pelas empresas, e pelos profissionais envolvidos diretamente com as mesmas. Os Técnicos e Engenheiros em Segurança do Trabalho devem estar devidamente preparados para desempenharem um papel de extrema relevância neste cenário, alertando e assessorando as suas empresas quanto as medidas preventivas e corretivas a serem adotadas, evitando a omissão e negligência habituais. 17
  19. 19. Içamento de Cargas Metodologia RiskPoint RiskPoint Critérios de Criticidade. Classificação de Riscos e Criticidades 18
  20. 20. Introdução a Criticidade - 1 Definições sobre os Critérios de Criticidade Os Critérios de Criticidade servem para nortear a priorização das ações e dos investimentos em esforços e no âmbito financeiro, que necessitem ser implementados no sentido de eliminar totalmente, ou minimizar, os riscos identificados no processo de diagnóstico operacional e posteriormente analisados e classificados quanto a categoria dos riscos. A partir dos 4 níveis de prioridades, os Critérios de Criticidade tem como objetivo auxiliar o profissional na definição da ordem que as ações deverão ser implementadas, levando-se em consideração a potencialidade dos riscos, ou a sua capacidade de gerar implicações que possam comprometer, tanto a integridade física dos colaboradores envolvidos, como o funcionamento regular dos processos produtivos da empresa. 19
  21. 21. Introdução a Criticidade - 2 Os Critérios de Criticidade Determinam... 1 – Quais as situações operacionais diagnosticadas e analisadas que devem ser estudadas com maior intensidade visando a eliminação dos riscos. 2 – Quais as operações e processos que requerem atenção especial, exigem rigoroso controle e demandam cuidados constantes de proteção. 3 – As normas de aceitação a serem estabelecidas pela empresa quanto a produtos e serviços recebidos de fornecedores. 4 – Mudanças de métodos e procedimentos, capacitação, adoção de proteções, dispositivos sensores, ou sistemas de advertência, dentre outros. 5 – Esforços e investimentos financeiros na prevenção de acidentes.; 20
  22. 22. Descrição das Prioridades - 1 Definições dos Níveis de Prioridade Prioridade 1 Potencialidade capaz de afetar a Potencialidade capaz de afetar a integridade física dos recursos integridade física dos recursos humanos bem como aaregularidade dos humanos, bem como regularidade do processos produtivos sistema produtivo. Prioridade 2 Potencialidade capaz de ocasionar o fracasso da missão da empresa, traduzindo em uma paralisação total da sua capacidade produtiva. 21
  23. 23. Descrição das Prioridades - 2 Definições dos Níveis de Prioridade Prioridade 3 Potencialidade capaz de impedir o Potencialidadeda capaz de afetar a cumprimento missão da empresa integridade entrega de produtos e dos recursos quanto a física humanos bem como a regularidade dos serviços em condições de preço, processos produtivos qualidade e prazos, conforme expectativa do mercado. Prioridade 4 Potencialidade capaz de alterar a programação de recursos e esforços no processo produtivo, traduzindo em maior custo econômico e social. 22
  24. 24. Palavra Final do Consultor Prezado profissional , Acreditamos que após estudar este material, você esteja capacitado a aplicar a metodologia RiskPoint nas operações de Içamento de Cargas realizadas na sua empresa Após a aplicação da metodologia, algumas ações devem ser implementadas de forma que possibilitem a obtenção de melhores índices de segurança e confiabilidade destas importantes e estratégicas operações. Estamos à disposição visando contribuir para que o seu planejamento e as suas ações obtenham o êxito necessário e esperado. Consulte-nos. Eugenio Rocha - safemov@gmail.com 23

×