Infset papel e celulose

1.074 visualizações

Publicada em

Infset papel e celulose

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.074
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Infset papel e celulose

  1. 1. AGOSTO DE 2015 PAPEL E CELULOSE DEPEC – Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos
  2. 2. PRODUTOS
  3. 3. FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO CELULOSE 85% Fibra Curta Eucalipto 60% exportação 40% mercado interno 100% mercado interno 12% Fibra Longa Pinus 25% importação 3% Pastas de Alto Rendimento 100% mercado interno15% Pinus 85% Eucalipto CELULOSE
  4. 4. O Brasil tem 6,9 milhões de hectares de florestas plantadas com pinus e eucalipto. Sendo 66% com eucalipto e 34% com pinus; A base do setor é de 2,2 milhões de hectares de reflorestamentos próprios; As indústrias do setor utilizam como matéria prima exclusivamente madeira extraída de florestas plantadas para fins industriais, preservando as nativas; As florestas são próprias , porém há uma pequena parcela de compra de madeira de pequenos produtores rurais; A produtividade do eucalipto é de 41 metros cúbicos com casca por hectare/ano; A produtividade do pinus é de 30 metros cúbicos com casca por hectare/ano.
  5. 5.  A fibra curta tem maior capacidade absorvente, destina-se à produtos menos rígidos como papel para impressão e para escrever, papéis tissue (higiênicos);  A fibra longa é mais resistente e utilizada na fabricação de embalagens;  As pastas de alto rendimento (PAR) são utilizadas na produção de papel jornal e podem ser misturadas com fibra longa ou curta para dar maior resistência;  Celulose solúvel – celulose que não tem as mesmas utilizações da celulose comum – fibras têxteis (viscose), celofane, filtros de cigarro e para salsicha.
  6. 6. O BRASIL É O MAIOR PRODUTOR MUNDIAL DE CELULOSE DE FIBRA CURTA, POIS O CLIMA BRASILEIRO FAVORECE O PLANTIO DE EUCALIPTO, AO PASSO QUE NOS DEMAIS PAÍSES PRODUTORES A PRODUÇÃO DE CELULOSE DE FIBRA LONGA É MAIOR, POIS O CLIMA FAVORECE MAIS AS FLORESTAS DE PINUS.
  7. 7. FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO PAPEL 1% Papel Imprensa 100% mercado interno 75% importação 7% Papel Cartão 70% mercado interno 30% exportação 8% importação 10% Sanitários (Tissue) 99% mercado interno 1% exportação 1% importação 64% mercado interno 26% Imprimir e Escrever 36% exportação 28% importação 50% Embalagens 10% exportação 90% mercado interno 4% importação PAPEL 5% Outros 65% mercado interno 35% exportação 35% importação
  8. 8. O Brasil é auto-suficiente na fabricação de papel, porém ainda é dependente da importação de papel imprensa. O Brasil importa 80% do que utiliza de papel imprensa; A única fábrica desse tipo de papel no Brasil é a Norske Skog Pisa, do grupo norueguês Norske, maior produtor mundial de papel imprensa; 80% das importações de papel imprensa são supridas pelo Canadá; O Brasil não tem escala de produção desse tipo de papel e não tem matéria prima suficiente (fibra longa); Ademais, o papel imprensa importado entra no País com isenção de imposto de importação.
  9. 9. CELULOSE Demanda Global; Voltado à exportação; Concentração em grandes empresas; elevada escala de produção – mínimo de 1 milhão de tonelada/ano; Ciclicidade de preços. PAPEL Demanda regional – maior na região sudeste do país; Fragmentação – há atuação de médias empresas; Preços são spread da celulose. CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DO SETOR
  10. 10. PROCESSO PRODUTIVO
  11. 11.  As pastas destinadas à fabricação de papel são resultantes do processamento industrial de fibras vegetais. No Brasil, cerca de 96% das fibras utilizadas são de origem arbórea, os 4% restantes são de bagaço de cana, sisal e bambu.  Existem 2 tipos de processos para industrialização das fibras:  Processo químico, que dá origem à celulose e representa cerca de 95% do total produzido no Brasil;  Processo mecânico, que resulta em pastas de alto rendimento (PAR), cuja produção chega a apenas 5% do total, em razão de ser intensivo em energia elétrica.  A celulose de fibra curta é originária do eucalipto (representa 85% da produção brasileira) e a de fibra longa é proveniente do pinus (responde por 15% da produção nacional);  No Brasil não é mais utilizada a moto-serra, hoje o processo de extração da madeira é totalmente mecanizado; o equipamento corta, descasca e empilha a madeira.  A cor original da celulose é marrom e para chegar à produção de papel para imprimir a celulose passa por um processo químico de branqueamento (celulose branqueada) que utilizada soda cáustica, cloro e enxofre;
  12. 12. IMPORTÂNCIA ECONÔMICA DO SETOR
  13. 13. Complexo Soja 14,0% Minérios Metalúrgicos 12,6% Petróleo e Derivados 11,2% Material de Transporte 9,1% Complexo Carnes 7,5% Produtos Químicos 6,7% Produtos Siderúrgicos e Metalúrgicos 6,4% Açúcar e Etanol 6,1% Máquinas e Instrumentos 3,9% Papel e Celulose 3,2% Café 2,9% Calçados e Couro 1,9% Materiais Elétricos e Eletrônicos 1,8% Fumo e Cigarros 1,1% Suco de Laranja 1,0% Madeira e Manufaturas 1,0% Outros 9,7% PAUTA DE EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS - 2014 FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO
  14. 14. SAZONALIDADE
  15. 15. São possíveis 3 cortes do eucalipto, um a cada 7 anos; As plantas industriais operam 24 horas por dia em 3 turnos; por isso, a sazonalidade é pouco definida; Anualmente existem paradas programadas para manutenção nas fábricas, variando de 5 a 10 dias.
  16. 16. SAZONALIDADE DA PRODUÇÃO DE CELULOSE - 2000 – 2013 Fonte: BRACELPA Elaboração: BRADESCO 8,3% 7,8% 8,3% 8,0% 8,3% 8,2% 8,6% 8,4% 8,3% 8,6% 8,4% 8,8% 7,5% 7,7% 7,9% 8,1% 8,3% 8,5% 8,7% 8,9% jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Sazonalidade mensal de Produção de Celulose
  17. 17. SAZONALIDADE DAS EXPORTAÇÕES DE CELULOSE - 1999 – 2014 Fonte: SECEX Elaboração: BRADESCO 8,4% 7,7% 8,3% 7,8% 8,4% 7,7% 8,9% 8,6% 8,0% 8,9% 8,2% 9,0% 6,5% 7,0% 7,5% 8,0% 8,5% 9,0% 9,5% jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Sazonalidade mensal de Exportação de Celulose
  18. 18. SAZONALIDADE DA PRODUÇÃO DE PAPEL - 2000 - 2013 Fonte: BRACELPA Elaboração: BRADESCO 8,3% 7,8% 8,4% 8,2% 8,3% 8,1% 8,5% 8,5% 8,3% 8,6% 8,4% 8,5% 7,5% 7,7% 7,9% 8,1% 8,3% 8,5% 8,7% jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Sazonalidade mensal de Produção de Papel
  19. 19. SAZONALIDADE DAS EXPORTAÇÕES DE PAPEL - 1999 – 2014 Fonte: SECEX Elaboração: BRADESCO 8,3% 7,8% 9,1% 8,6% 9,1% 8,8% 8,2% 8,3% 7,9% 8,2% 7,6% 8,2% 6,5% 7,0% 7,5% 8,0% 8,5% 9,0% 9,5% jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Sazonalidade mensal de Exportação de Papel
  20. 20. CUSTOS DE PRODUÇÃO
  21. 21. MAIS DE 65% DE TODA A ENERGIA CONSUMIDA PELO SETOR É AUTO GERADA NO PROCESSO DE PRODUÇÃO DE CELULOSE, POR MEIO DA QUEIMA DO LICOR NEGRO, PRODUZINDO VAPOR.
  22. 22. CUSTOS DE PRODUÇÃO DE CELULOSE NO BRASIL FONTE: CORRETORA BRADESCO ELABORAÇÃO: BRADESCO Madeira 44.0% Produtos Químicos 23.0% Manutenção 9.0% Combustíveis 10.0% Pessoal 7.0% Outros 7.0%
  23. 23. CUSTOS DE PRODUÇÃO DE PAPEL NO BRASIL FONTE: CORRETORA BRADESCO ELABORAÇÃO: BRADESCO Pessoal 25.8% Madeira e fibras 13.8% Fretes 9.5% Energia Elétrica e óleo 11.2% Produtos Químicos 12.9% Outros e Manutenção 12.9% Depreciação 14.0%
  24. 24. O BRASIL RECICLA ANUALMENTE 3,9 MILHÕES DE TONELADAS DE PAPEL, O QUE REPRESENTA 46% DO CONSUMO APARENTE DE PAPEL
  25. 25. ÍNDICE DE RECICLAGEM – 2010* FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO 25.9% 36.4% 40.0% 45.8% 46.0% 48.8% 48.9% 53.4% 62.8% 63.6% 73.8% 78.7% 79.3% 84.8% 91.6% 0.00% 20.00% 40.00% 60.00% 80.00% 100.00% Índia Rússia China Argentina Brasil México Finlândia Indonésia Itália Estados Unidos Espanha Reino Unido Japão Alemanha Coreia do Sul * Último dado divulgado pela fonte
  26. 26.  Clima favorável;  Utilização de biotecnologia e de engenharia genética, que favorecem a produtividade brasileira – a produção de 1 milhão de tonelada de celulose no Brasil requer apenas 100 mil hectares de madeira, enquanto que na Escandinávia são necessários 720 mil hectares e na Península Ibérica 300 mil;  O eucalipto leva em média 7 anos para crescer, enquanto que o pinus leva em média 15 a 20 anos;  Produtividade no Brasil:  Eucalipto 44 m3/ha/ano;  Pinus 38 m3 /ha/ano; O SETOR DE PAPEL E CELULOSE É BASTANTE COMPETITIVO NO BRASIL, POR POSSUIR O MENOR CUSTO DE PRODUÇÃO DO MUNDO
  27. 27.  O custo da madeira (eucalipto) no Brasil gira em torno de US$ 235 por tonelada, enquanto que nos EUA chega a US$ 420 e US$ 498 na China;  A tecnologia de clonagem de mudas foi totalmente desenvolvida no Brasil por pesquisas realizadas entre as empresas, a Embrapa e universidades;  Excelente logística, com florestas próximas das fábricas, que também são próximas dos terminais privativos para exportação. O SETOR DE PAPEL E CELULOSE É BASTANTE COMPETITIVO NO BRASIL, POR POSSUIR O MENOR CUSTO DE PRODUÇÃO DO MUNDO
  28. 28. CUSTOS DE PRODUÇÃO DE CELULOSE NO BRASIL E NOS PRINCIPAIS PAÍSES PRODUTORES – 2014 FONTE: FIBRIA ELABORAÇÃO: BRADESCO EM US$ POR T 508 498 468 456 424 424 420 406 404 342 327 315 311 235 130 180 230 280 330 380 430 480 530 Japão China França/Bélgica OutrosÁsia Suécia Ibéria/Noruega EUA Finlândia Canadá Indonésia Chile/Uruguai África Rússia Brasil
  29. 29. FORNECEDORES
  30. 30. A maior parte da madeira comprada pela indústria é de produção própria, em torno de 90%; Importações de celulose representam 20% do consumo aparente nacional, concentradas em produtos de fibra longa; Importações de papel representam 11% do consumo aparente nacional, concentradas em papel imprensa. O Brasil importa 80% do consumo aparente de papel imprensa; Cerca de 70% das importações de papel imprensa são supridas pelos seguintes países: Canadá, França, Noruega, Holanda e Chile. O Brasil não tem escala de produção desse tipo de papel e não tem matéria-prima suficiente, que é a fibra longa e a PAR (pasta de alto rendimento). Além disso, o papel imprensa importado tem isenção de tarifa de importação;
  31. 31. Nos últimos anos vem crescendo a participação do fomento florestal, com estímulo à produção de madeira por pequenos e médios proprietários; A integração de pequenos produtores é uma tendência para a expansão da base florestal; As empresas fornecem aos produtores integrados toda assistência técnica ao plantio.
  32. 32. REGIONALIZAÇÃO
  33. 33. CELULOSE – NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS POR ESTADOS -2012 FONTE: RAIS ELABORAÇÃO: BRADESCO 1 1 1 1 1 1 2 2 2 3 3 4 6 13 19 27 0 5 10 15 20 25 30 Rondônia Paraíba Distrito Federal Pará Maranhão Espírito Santo Amazonas Mato Grosso do Sul Pernambuco Rio Grande do Sul Rio de Janeiro Bahia Minas Gerais Santa Catarina São Paulo Paraná Celulose
  34. 34. PAPEL – NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS POR ESTADOS - 2012 FONTE: RAIS ELABORAÇÃO: BRADESCO 1 1 1 2 2 2 3 3 4 4 4 5 6 14 15 15 19 38 39 47 76 85 249 0 50 100 150 200 250 Acre Tocantins Piauí Amazonas Maranhão Sergipe Amapá Paraíba Pará Rio Grande do… Mato Grosso Mato Grosso do Sul Espírito Santo Bahia Ceará Goiás Pernambuco Minas Gerais Rio de Janeiro Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina São Paulo Papel
  35. 35. EMBALAGENS E PRODUTOS DE PAPEL – NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS POR ESTADOS - 2012 FONTE: RAIS ELABORAÇÃO: BRADESCO 1 4 6 10 20 21 25 25 27 30 31 42 50 51 53 55 80 140 146 161 220 391 486 600 648 726 2301 0 500 1000 1500 2000 2500 Amapá Acre Roraima Tocantins Sergipe Alagoas Rondônia Distrito Federal Maranhão Pará Piauí Mato Grosso do Sul Mato Grosso Rio Grande do Norte Amazonas Paraíba Espírito Santo Goiás Pernambuco Ceará Bahia Rio de Janeiro Santa Catarina Minas Gerais Paraná Rio Grande do Sul São Paulo Embalagens e produtos de papel
  36. 36. REFLORESTAMENTO
  37. 37. ÁREA PLANTADA COM PINUS NO BRASIL POR UF – 2014 FONTE: IBÁ ELABORAÇÃO: BRADESCO PR 42,4% SC 34,1% RS 11,6% SP 7,8% MG 2,5% GO 0,6% BA 0,4% MS 0,4% ES 0,2% PINUS em hectares
  38. 38. MG 25,2% SP 17,6% MS 14,5% BA 11,3% RS 5,6% ES 4,1% PR 4,0% MA 3,8% MT 3,4% PA 2,3% GO 2,2% TO 2,1% SC 2,0% AP 1,1% PI 0,6% outros 0,3% EUCALIPTO em hectares ÁREA PLANTADA COM EUCALIPTO NO BRASIL POR UF – 2014 FONTE: IBÁ ELABORAÇÃO: BRADESCO
  39. 39. ÁREA PLANTADA COM PINUS E EUCALIPTO NO BRASIL POR TIPO DE PROPRIEDADE – 2012 Própria 69% Fomento 14% Arrendamento 17% 2011 FONTE: IBÁ ELABORAÇÃO: BRADESCO
  40. 40. ÁREA PLANTADA COM PINUS E EUCALIPTO NO BRASIL – 2000 - 2014 1.886 1.875 1.795 1.563 1.570 1.589 3.862 4.078 4.659 5.050 5.304 5.473 5.559 1.000 1.500 2.000 2.500 3.000 3.500 4.000 4.500 5.000 5.500 6.000 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Evolução do Plantio anual Pinus Eucalipto Mil hectares FONTE: IBÁ ELABORAÇÃO: BRADESCO
  41. 41.  As principais indústrias que utilizam a madeira são a indústria de papel e celulose, a siderurgia a carvão vegetal e a indústria de painéis de madeira;  A área plantada própria se refere a essas indústrias;  O fomento florestal é um sistema integrado de produção, por meio do qual, a indústria fornece para o produtor as mudas, insumos como fertilizantes, defensivos, orientação técnica e a garantia de compra;  No arrendamento, a indústria apenas aluga a terra do produtor, por um período mínimo de 7 anos.
  42. 42. CONSUMO DE MADEIRA EM TORA (PINUS) PARA USO INDUSTRIAL POR SEGMENTO 2012 FONTE: ABRAF ELABORAÇÃO: BRADESCO Serrados e compensados 58%Papel e Celulose 19% Painéis Reconstituídos 15% Lenha 8%
  43. 43. CONSUMO DE MADEIRA EM TORA (EUCALIPTO) PARA USO INDUSTRIAL POR SEGMENTO 2012 FONTE: ABRAF ELABORAÇÃO: BRADESCO Papel e Celulose 42.1% Lenha 28.4% Carvão Vegetal 17.7% Serrados e compensados 5.4% Painéis Reconstituídos 4.3% Outros 2.1% 2011
  44. 44. RANKING
  45. 45. PLAYERS MUNDIAIS
  46. 46. OFERTA EUA, China, Canadá e Brasil – 55% da produção global de celulose; EUA, China e Japão – 50% da produção global de papel; Os maiores exportadores de papel são: Canadá, Finlândia e Suécia; Na Finlândia as florestas cobrem 70% do território do país e o setor responde por 10% do PIB e 1/4 das exportações. O país abriga uma das maiores empresas do setor, a Stora Enzo. DEMANDA Os maiores consumidores mundiais de papel são EUA e China; Os maiores importadores de papel são EUA, China e Europa.
  47. 47. CONSUMO PER CAPITA MUNDIAL DE PAPEL – 2010* FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO EM MIL TONELADAS 48.6 57 61.3 63.9 68.6 79.2 151.9 167.7 177.5 184.9 220.4 240.2 242.6 280.6 20.0 70.0 120.0 170.0 220.0 270.0 320.0 370.0 Brasil Média Mundial Argentina México China Chile França Reino Unido Itália Canadá Japão EUA Alemanha Finlândia *Último dado divulgado
  48. 48. RANKING MUNDIAL DE PRODUÇÃO DE CELULOSE – 2012 FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO 2,5% 3,1% 4,0% 4,5% 5,2% 6,1% 7,0% 8,4% 10,2% 10,9% 30,2% 0,0% 30,2% Índia Chile Indonésia Rússia Japão Finlândia Suécia Brasil Canadá China Estados Unidos Maiores Produtores de Celulose Fonte: Bracelpa
  49. 49. RANKING MUNDIAL DE PRODUÇÃO DE PAPEL – 2012 FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO 2.4% 2.4% 2.5% 2.5% 2.8% 2.9% 3.0% 3.3% 5.9% 7.0% 19.4% 23.7% 0.0% 5.0% 10.0% 15.0% 20.0% 25.0% Índia Itália Brasil Indonésia Coréia do Sul Suécia Finlândia Canadá Alemanha Japão Estados Unidos China Maiores Produtores de Papel Fonte: Bracelpa
  50. 50. COMPARAÇÃO INTERNACIONAL DE PRODUTIVIDADE POR TIPO DE FIBRA FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO Espécie Países Rotação em anos Rendimento m3 / ha / ano Eucalipto Brasil 7 39 Eucalipto África do Sul 8-10 22 Eucalipto Chile 10-12 20 Eucalipto Portugal 12-15 12 Eucalipto Espanha 12-15 10 Bétula Suécia 35-40 6 Bétula Finlândia 35-40 4 Pinus Brasil 15 31 Pinus Nova Zelândia 25 22 Pinus Chile 25 18 Pinus EUA 25 14 Pinus Canadá - costa 45 7 Picea Canadá - interior 55 3 Picea Canadá - leste 90 2 Picea Suécia 70-80 4 Picea Finlândia 70-80 4 FibraCurtaFibraLonga
  51. 51. PLAYERS NACIONAIS
  52. 52.  Integradas – produzem a celulose e o papel.  Produtoras apenas de celulose e destinam a maior parcela da produção para o mercado externo. Essas empresas vendem a celulose para as produtoras de papel, o que se denomina celulose de mercado.  Produtoras de papel. Esta categoria é a maior do segmento, constituindo-se de empresas que compram celulose de coligadas ou de terceiros, empresas que participam de grandes grupos econômicos e também as de menor porte. NO SETOR ATUAM 3 TIPOS DE EMPRESAS
  53. 53.  O segmento de celulose é bastante concentrado, pois a escala de produção é elevada, sendo intensiva em capital;  O segmento de papel é mais pulverizado, pois existem pequenos fabricantes de papel.
  54. 54. CONSUMIDORES
  55. 55. PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES NA PRODUÇÃO DE PAPEL E CELULOSE - 2012 PAPEL CELULOSE Mercado Interno 39% Exportações 61% Mercado Interno 81% Exportações 19% FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  56. 56. CELULOSE PAPEL PAÍSES DE DESTINO DAS EXPORTAÇÕES DE PAPEL E CELULOSE 2014 FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO China 26,1% Holanda 20,3% EUA 19,4% Itália 9,2% Bélgica 5,4% Franca 3,7% Coréia do Sul 2,5% Japão 2,8% Reino Unido 2,8% Outros 7,9% Argentina 19,2% EUA 9,7% Reino Unido 6,7% China 4,3% Chile 5,7%Espanha 3,1%Peru 3,9% Venezuela 4,8% Bélgica 3,3% Outros 39,4%
  57. 57. PARTICIPAÇÃO DA CHINA NAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CELULOSE 1996 – 2012 FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO 1.9% 3.4% 2.3% 4.2% 3.4% 10.2% 9.8% 15.5% 13.3% 16.8% 14.0% 17.6% 33.1% 23.7% 26.3% 01% 05% 09% 13% 17% 21% 25% 29% 33% 37% 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2012 em % Fonte: Secex Elaboração: Bradesco Participação da China nas exportações brasileiras em quantum de celulose
  58. 58. FATORES DE RISCO
  59. 59.  Setor cíclico em função do longo período de maturação dos investimentos realizados no setor. O crescimento da produção ocorre periodicamente e em grandes volumes, ao passo que a demanda não cresce na mesma proporção, levando o setor a desequilíbrios. Dessa forma, alterna-se períodos de preços elevados no mercado internacional e fases de margens comprimidas.  Intensivo em capital – o BNDES estima que a escala mínima viável de uma nova planta de celulose chegue a 1 milhão t/ano, quase 7% da capacidade produtiva do setor no Brasil, somando investimento de cerca de US$ 1 bilhão. Ou seja, os projetos greenfield exigem investimentos de US$ 1,2 bilhão. Cerca de US$ 450 milhões é o custo de uma máquina para fazer papel, com produção aproximada de 450 mil t/ano de papel;  Endividamento em moeda estrangeira das empresas do setor;  Crescimento da produção chinesa de papel, tomando mercado brasileiro na Ásia e Europa.
  60. 60. CENÁRIO ATUAL E TENDÊNCIAS
  61. 61. PRODUÇÃO NACIONAL DE PAPEL E CELULOSE FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO EM MIL TONELADAS 5.829 5.936 6.201 6.687 7.209 7.463 8.021 9.069 9.620 10.352 11.180 11.998 12.697 13.315 14.09813.983 13.997 14.995 5.654 5.798 6.518 6.589 6.944 7.417 7.663 7.912 8.339 8.597 8.733 8.979 9.409 9.348 9.806 9.935 10.26010.428 4.000 6.000 8.000 10.000 12.000 14.000 16.000 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 em mil toneladas Celulose Papel Celulose Papel
  62. 62. 62 VARIAÇÃO DA PRODUÇÃO DE CELULOSE – 2000 – 2014 FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO 2,9% -0,3% 8,4% 14,4% 5,7% 8,2% 8,1% 10,3% 8,0% 6,0% 4,7% -0,8% -0,1% 6,7% 6,6% 5,6% -2,0% 0,0% 2,0% 4,0% 6,0% 8,0% 10,0% 12,0% 14,0% 16,0% 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 BRACELPA Celulose
  63. 63. EXPORTAÇÕES DE PAPEL E CELULOSE EM MIL TONELADAS 2.655 3.045 3.197 4.570 5.441 6.161 7.040 8.229 8.375 8.478 8.513 9.429 1.148 1.260 1.368 1.778 2.039 1.982 2.074 1.875 1.866 800 1.800 2.800 3.800 4.800 5.800 6.800 7.800 8.800 9.800 10.800 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 em mil toneladas Fonte: BracelpaElaboração: Bradesco Exportações Brasileiras de Papel e Celulose em volume 1998 - 2013 Celulose Papel FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  64. 64. BALANÇA COMERCIAL DO SETOR PAPEL E CELULOSE EM US$ MILHÕES 1.794 2.705 1.934 1.990 1.979 2.145 2.543 2.008 2.055 2.831 2.909 3.405 4.005 4.726 5.837 4.474 6.770 7.190 6.657 11.295 456 1.096 1.007 1.062 1.059 829 969 772 594 561 758 864 1.125 1.318 1.711 1.223 1.900 2.128 1.945 521 1.338 1.609 927 928 920 1.316 1.574 1.236 1.461 2.270 2.151 2.541 2.880 3.408 4.126 3.251 4.870 5.062 4.712 10.774 300 2.300 4.300 6.300 8.300 10.300 12.300 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Exportações Saldo Importações FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  65. 65. CELULOSE
  66. 66. PRODUÇÃO NACIONAL DE CELULOSE – ACUMULADO DE 12 MESES 2008 - 2015 EM MIL TONELADAS 12.686 13.361 14.101 13.980 14.244 13.950 14.048 14.207 14.992 15.813 16.832 11.000 12.000 13.000 14.000 15.000 16.000 17.000 18.000 jun/09 ago/09 out/09 dez/09 fev/10 abr/10 jun/10 ago/10 out/10 dez/10 fev/11 abr/11 jun/11 ago/11 out/11 dez/11 fev/12 abr/12 jun/12 ago/12 out/12 dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13 dez/13 fev/14 abr/14 jun/14 ago/14 out/14 dez/14 fev/15 abr/15 jun/15 Produção Nacional de Celulose produção Fonte: Bracelpa FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  67. 67. PRODUÇÃO NACIONAL DE CELULOSE – VAR. % ACUMULADA EM 12 MESES 2008- 2015 6,0% 10,2% 5,5% 1,3% 1,7% -2,9% 0,8% 3,4% 4,6% 6,8% 8,7% 10,2% 8,8% -5,0% -2,0% 1,0% 4,0% 7,0% 10,0% 13,0% 16,0% jun/09 ago/09 out/09 dez/09 fev/10 abr/10 jun/10 ago/10 out/10 dez/10 fev/11 abr/11 jun/11 ago/11 out/11 dez/11 fev/12 abr/12 jun/12 ago/12 out/12 dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13 dez/13 fev/14 abr/14 jun/14 ago/14 out/14 dez/14 fev/15 abr/15 jun/15 Produção de Celulose - Var. % 12 MM produção Fonte: Bracelpa FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  68. 68. VENDAS INTERNAS DE CELULOSE – ACUMULADO DE 12 MESES 2008 - 2015 FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO EM MIL TONELADAS 1.211 1.252 1.452 1.585 1.551 1.591 1.657 1.638 1.641 1.731 1.844 1.050 1.150 1.250 1.350 1.450 1.550 1.650 1.750 1.850 1.950 set/08 nov/08 jan/09 mar/09 mai/09 jul/09 set/09 nov/09 jan/10 mar/10 mai/10 jul/10 set/10 nov/10 jan/11 mar/11 mai/11 jul/11 set/11 nov/11 jan/12 mar/12 mai/12 jul/12 set/12 nov/12 jan/13 mar/13 mai/13 jul/13 set/13 nov/13 jan/14 mar/14 mai/14 jul/14 set/14 nov/14 jan/15 mar/15 Vendas Domésticas de Celulose vendas dom ésticas Fonte: Bracelpa
  69. 69. VENDAS INTERNAS DE CELULOSE – VAR. % ACUMULADA EM 12 MESES 2008 - 2015 22,9% 3,9% 26,5% 13,8% -2,8% 6,5% 0,0% 10,5% 11,3% -5,0% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0% set/08 nov/08 jan/09 mar/09 mai/09 jul/09 set/09 nov/09 jan/10 mar/10 mai/10 jul/10 set/10 nov/10 jan/11 mar/11 mai/11 jul/11 set/11 nov/11 jan/12 mar/12 mai/12 jul/12 set/12 nov/12 jan/13 mar/13 mai/13 jul/13 set/13 nov/13 jan/14 mar/14 mai/14 jul/14 set/14 nov/14 jan/15 mar/15 Vendas Domésticas de Celulose - Var. % 12 MM vendas dom ésticas Fonte: Bracelpa FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  70. 70. EXPORTAÇÕES DE CELULOSE ACUMULADO DE 12 MESES 2008-2015 EM TONELADA 8.616 8.281 8.518 8.434 9.336 10.061 11.078 10.974 5.800 6.600 7.400 8.200 9.000 9.800 10.600 11.400 jun/09 ago/09 out/09 dez/09 fev/10 abr/10 jun/10 ago/10 out/10 dez/10 fev/11 abr/11 jun/11 ago/11 out/11 dez/11 fev/12 abr/12 jun/12 ago/12 out/12 dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13 dez/13 fev/14 abr/14 jun/14 ago/14 out/14 dez/14 fev/15 abr/15 jun/15 Exportações de Celulose vendas externas Fonte: Bracelpa FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  71. 71. EXPORTAÇÕES DE CELULOSE – VAR. % ACUMULADA EM 12 MESES 2008 - 2015 18,2% 27,7% 22,4% 18,5% 8,5% -3,4% 2,7% 2,3% -1,5% -0,2% 5,3% 8,3% 11,8% 9,7% 14,5% 10,1% 13,2% 14,6% 10,8% -5,0% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0% jun/09 ago/09 out/09 dez/09 fev/10 abr/10 jun/10 ago/10 out/10 dez/10 fev/11 abr/11 jun/11 ago/11 out/11 dez/11 fev/12 abr/12 jun/12 ago/12 out/12 dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13 dez/13 fev/14 abr/14 jun/14 ago/14 out/14 dez/14 fev/15 abr/15 jun/15 Exportação de Celulose - Var. % 12 MMvendas externas Fonte: Bracelpa FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  72. 72. BALANÇA COMERCIAL DE CELULOSE EM US$ MILHÕES 851 1.475 999 1.024 1.049 1.244 1.602 1.065 1.161 1.744 1.722 2.034 2.484 3.024 3.917 2.961 4.762 5.002 4.706 9.429 75 174 145 159 176 188 237 183 172 158 195 210 213 232 274 225 360 374 339 430 776 1.301 854 865 873 1.056 1.365 882 989 1.586 1.527 1.824 2.271 2.792 3.643 2.736 4.402 4.628 4.367 8.999 0 1.000 2.000 3.000 4.000 5.000 6.000 7.000 8.000 9.000 10.000 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Exportações Saldo Importações FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  73. 73. EXPORTAÇÕES DE CELULOSE EM MIL TONELADAS 4.570 4.889 5.441 6.161 6.484 7.040 8.229 8.375 8.478 8.513 9.429 2.000 3.000 4.000 5.000 6.000 7.000 8.000 9.000 10.000 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  74. 74. COEFICIENTE DE EXPORTAÇÃO DE CELULOSE 50,4% 50,8% 52,6% 55,1% 54,0% 55,4% 61,8% 59,4% 60,6% 60,8% 62,9% 27,0% 32,0% 37,0% 42,0% 47,0% 52,0% 57,0% 62,0% 67,0% 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  75. 75. PREÇOS DA CELULOSE FIBRA CURTA BHKP - EUROPA - 2004 – 2015 FONTE: FOEX ELABORAÇÃO: BRADESCO EM US$ POR TONELADA BHKP – Bleached Hardwood Kraft Pulp (Celulose Branqueada de Fibra Curta) 556,6 502,7483,9 596,0 658,2 743,4 840,0 492,5 505,7 693,1 920,0 848,6 876,6 669,8 751,5 819,4 728,6 797,1 400 500 600 700 800 900 1.000 abr/04 jul/04 out/04 jan/05 abr/05 jul/05 out/05 jan/06 abr/06 jul/06 out/06 jan/07 abr/07 jul/07 out/07 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09 abr/09 jul/09 out/09 jan/10 abr/10 jul/10 out/10 jan/11 abr/11 jul/11 out/11 jan/12 abr/12 jul/12 out/12 jan/13 abr/13 jul/13 out/13 jan/14 abr/14 jul/14 out/14 jan/15 abr/15 jul/15 US$ por tonelada Fonte: FOEX Elaboração: BradescoPreços de Celulose Fibra Curta BHKP - Europa 2003 - 2010
  76. 76. 621,2 680,0 622,6 790,0 904,4 676,1 491,2 793,7 691,1 1.019,6 855,7 762,2 860,6 930,4 850,9 400 500 600 700 800 900 1.000 1.100 abr/04 jul/04 out/04 jan/05 abr/05 jul/05 out/05 jan/06 abr/06 jul/06 out/06 jan/07 abr/07 jul/07 out/07 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09 abr/09 jul/09 out/09 jan/10 abr/10 jul/10 out/10 jan/11 abr/11 jul/11 out/11 jan/12 abr/12 jul/12 out/12 jan/13 abr/13 jul/13 out/13 jan/14 abr/14 jul/14 out/14 jan/15 abr/15 jul/15 US$ por tonelada Fonte: FOEXPreços de Celulose Fibra Longa NBSK - Europa PREÇOS DA CELULOSE FIBRA LONGA NBSK - EUROPA - 2004 – 2015 FONTE: FOEX ELABORAÇÃO: BRADESCO EM US$ POR TONELADA NBSK – Northem Bleached Softwood Kraft (Celulose Branqueada de Fibra Longa do Norte)
  77. 77. 656,5 587,7 646,4 583,5 600,7 707,9 799,3 880,0 892,3 793,6 650,4 824,9 975,8 961,7 1.009,9 870,00 880,00 894,44 948,04 979,61 400 500 600 700 800 900 1.000 1.100 abr/04 jul/04 out/04 jan/05 abr/05 jul/05 out/05 jan/06 abr/06 jul/06 out/06 jan/07 abr/07 jul/07 out/07 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09 abr/09 jul/09 out/09 jan/10 abr/10 jul/10 out/10 jan/11 abr/11 jul/11 out/11 jan/12 abr/12 jul/12 out/12 jan/13 abr/13 jul/13 out/13 jan/14 abr/14 jul/14 out/14 jan/15 abr/15 jul/15 US$ por tonelada Fonte: FOEXPreços de Celulose Fibra Longa NBSK - EUA PREÇOS DA CELULOSE FIBRA LONGA NBSK - EUA - 2004 - 2015 FONTE: FOEX ELABORAÇÃO: BRADESCO EM US$ POR TONELADA NBSK – Northem Bleached Softwood Kraft (Celulose Branqueada de Fibra Longa do Norte)
  78. 78. PAPEL
  79. 79. PRODUÇÃO NACIONAL DE PAPEL – ACUMULADO DE 12 MESES - 2007 – 2015 EM MIL TONELADAS FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO 9.248 9.348 9.747 9.919 10.135 10.253 10.476 10.395 8.500 9.000 9.500 10.000 10.500 11.000 jun/09 ago/09 out/09 dez/09 fev/10 abr/10 jun/10 ago/10 out/10 dez/10 fev/11 abr/11 jun/11 ago/11 out/11 dez/11 fev/12 abr/12 jun/12 ago/12 out/12 dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13 dez/13 fev/14 abr/14 jun/14 ago/14 out/14 dez/14 fev/15 abr/15 jun/15 Produção Nacional de Papel produção Fonte: Bracelpa
  80. 80. PRODUÇÃO NACIONAL DE PAPEL – VAR. % ACUMULADA EM 12 MESES 2007 - 2015 0,1% -1,0% 1,7% 5,1% 3,7% 0,8% 1,1% 1,7% 2,6% 2,0% 2,9% 0,9% -0,4% -1,2% -0,2% 0,8% 1,8% 2,8% 3,8% 4,8% 5,8% 6,8% jun/09 ago/09 out/09 dez/09 fev/10 abr/10 jun/10 ago/10 out/10 dez/10 fev/11 abr/11 jun/11 ago/11 out/11 dez/11 fev/12 abr/12 jun/12 ago/12 out/12 dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13 dez/13 fev/14 abr/14 jun/14 ago/14 out/14 dez/14 fev/15 abr/15 jun/15 Produção de Papel - Var. % 12 MM produção Fonte: Bracelpa FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  81. 81. VENDAS INTERNAS DE PAPEL – ACUMULADO DE 12 MESES – 2001 – 2015 EM MIL TONELADAS FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO 7.440 9.044 10.383 12.653 14.101 13.826 16.832 6.004 8.004 10.004 12.004 14.004 16.004 jun/01 out/01 fev/02 jun/02 out/02 fev/03 jun/03 out/03 fev/04 jun/04 out/04 fev/05 jun/05 out/05 fev/06 jun/06 out/06 fev/07 jun/07 out/07 fev/08 jun/08 out/08 fev/09 jun/09 out/09 fev/10 jun/10 out/10 fev/11 jun/11 out/11 fev/12 jun/12 out/12 fev/13 jun/13 out/13 fev/14 jun/14 out/14 fev/15 jun/15 Vendas Internas de Papel produção Fonte: Bracelpa
  82. 82. VARIAÇÃO DAS VENDAS INTERNAS DE PAPEL – VAR. % ACUMULADA EM 12 MESES 2006 - 2015 FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO 3,7% 3,8% -0,2% -3,7% 2,6% 7,1% -0,6% -0,4% 0,7% 3,5% 5,0% 3,0% 2,0% -1,6% -6,0% -4,0% -2,0% 0,0% 2,0% 4,0% 6,0% 8,0% 10,0% dez/06 fev/07 abr/07 jun/07 ago/07 out/07 dez/07 fev/08 abr/08 jun/08 ago/08 out/08 dez/08 fev/09 abr/09 jun/09 ago/09 out/09 dez/09 fev/10 abr/10 jun/10 ago/10 out/10 dez/10 fev/11 abr/11 jun/11 ago/11 out/11 dez/11 fev/12 abr/12 jun/12 ago/12 out/12 dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13 dez/13 fev/14 abr/14 jun/14 ago/14 out/14 dez/14 fev/15 abr/15 jun/15 Vendas de Papel - Var. % 12 MM vendas dom ésticas Fonte: Bracelpa
  83. 83. EXPORTAÇÕES DE PAPEL – ACUMULADO DE 12 MESES 2008 - 2015 EM MIL TONELADAS 1.787 1.956 2.140 2.075 2.074 1.941 1.877 1.778 1.887 1.883 1.500 1.700 1.900 2.100 jun/09 ago/09 out/09 dez/09 fev/10 abr/10 jun/10 ago/10 out/10 dez/10 fev/11 abr/11 jun/11 ago/11 out/11 dez/11 fev/12 abr/12 jun/12 ago/12 out/12 dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13 dez/13 fev/14 abr/14 jun/14 ago/14 out/14 dez/14 fev/15 abr/15 jun/15 Exportações de Papel vendas externas Fonte: Bracelpa FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  84. 84. EXPORTAÇÕES DE PAPEL – VAR. % ACUMULADA EM 12 MESES 2008 – 2015 -1,8% 7,8% 26,9% 13,7% 3,6% -3,9% -0,7% -8,1% -11,0% -4,5% 6,8% 0,1% -20,0% -14,0% -8,0% -2,0% 4,0% 10,0% 16,0% 22,0% 28,0% jun/09 ago/09 out/09 dez/09 fev/10 abr/10 jun/10 ago/10 out/10 dez/10 fev/11 abr/11 jun/11 ago/11 out/11 dez/11 fev/12 abr/12 jun/12 ago/12 out/12 dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13 dez/13 fev/14 abr/14 jun/14 ago/14 out/14 dez/14 fev/15 abr/15 jun/15 Exportações de Papel - Var. % 12 MM vendas externas Fonte: Bracelpa FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  85. 85. EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DE PAPEL EM MIL TONELADAS FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO 839 632 560 578 734 770 967 1.126 1.328 1.085 1.502 1.455 1.396 1.274 1.225 1.368 1.455 1.778 1.853 2.039 1.990 2.006 1.982 2.008 2.074 2.052 1.875 1.866 300 500 700 900 1.100 1.300 1.500 1.700 1.900 2.100 2.300 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 em mil toneladas Fonte: Bracelpa Elaboração: Bradesco Exportações e Importações Brasileiras de Papel em volume 2000 - 2011 Importação Exportação
  86. 86. EXPORTAÇÕES DE PAPEL EM MIL TONELADAS 1.778 1.853 2.039 1.990 2.006 1.982 2.008 2.074 2.052 1.875 1.866 1.000 1.200 1.400 1.600 1.800 2.000 2.200 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Exportações Brasileiras de Papel em mil toneladas- 1999 - 2010 fonte: Bracelpa Elaboração: Bradesco FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  87. 87. BALANÇA COMERCIAL DE PAPEL EM US$ MILHÕES 943 1.230 935 966 930 901 941 943 894 1.087 1.187 1.371 1.521 1.702 1.920 1.513 2.008 2.188 1.951 1.866 381 922 862 903 883 641 732 589 422 403 563 654 912 1.086 1.437 998 1.540 1.754 1.606 91 562 308 73 63 47 260 209 354 472 684 624 717 609 616 483 515 468 434 345 1.775 0 500 1.000 1.500 2.000 2.500 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Exportações Saldo Importações FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  88. 88. COEFICIENTE DE EXPORTAÇÃO DE PAPEL 22,5% 22,2% 23,7% 22,8% 22,3% 21,1% 21,5% 21,2% 20,7% 18,3% 17,9% 13,0% 15,0% 17,0% 19,0% 21,0% 23,0% 25,0% 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO: BRADESCO
  89. 89. VARIAÇÃO DA PRODUÇÃO DE PAPEL – 2000 – 2015 FONTE: BRACELPA ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO 3,5% 3,2% 3,3% 3,3% 5,4% 3,1% 1,6% 2,8% 4,8% -0,7% 4,9% 1,3% 2,1% 2,8% -0,1% -0,5% -1,0% 0,0% 1,0% 2,0% 3,0% 4,0% 5,0% 6,0% 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 BRACELPA Papel
  90. 90. PREÇOS DE PAPEL JORNAL NOS EUA - 2004 - 2015 FONTE: FOEX ELABORAÇÃO: BRADESCO EM US$ POR TONELADA 533,0 553,3 591,6 621,4 643,0 616,3 554,9 660,6 751,3 614,7 532,3 453,2 533,6 619,8 625,49 615,75 588,86 528,58 410 460 510 560 610 660 710 760 jul/04 nov/04 mar/05 jul/05 nov/05 mar/06 jul/06 nov/06 mar/07 jul/07 nov/07 mar/08 jul/08 nov/08 mar/09 jul/09 nov/09 mar/10 jul/10 nov/10 mar/11 jul/11 nov/11 mar/12 jul/12 nov/12 mar/13 jul/13 nov/13 mar/14 jul/14 nov/14 mar/15 jul/15 US$ por tonelada Fonte: FOEXPreços de Papel Jornal- EUA
  91. 91. PREÇOS DE PAPEL JORNAL NA EUROPA - 2004 - 2015 EM US$ POR TONELADA 466,3 490,5 490,2 519,8 538,8 524,0 494,7 518,7 443,9 409,3 421,8 498,2 514,2 504,23 465,81 483,65 471,72 445,60 390 440 490 540 jul/04 nov/04 mar/05 jul/05 nov/05 mar/06 jul/06 nov/06 mar/07 jul/07 nov/07 mar/08 jul/08 nov/08 mar/09 jul/09 nov/09 mar/10 jul/10 nov/10 mar/11 jul/11 nov/11 mar/12 jul/12 nov/12 mar/13 jul/13 nov/13 mar/14 jul/14 nov/14 mar/15 jul/15 US$ por tonelada Fonte: FOEX Preços de Papel Jornal - Europa FONTE: FOEX ELABORAÇÃO: BRADESCO
  92. 92. 819,6 822,6 801,5 780,8 796,7 815,6 858,7 851,1 853,2 829,2 804,9 767,3 786,2 864,2 856,4 877,64 862,97 865,91 854,21 849,95 840,97 824,95 809,41 826,48 755 805 855 abr/04 jul/04 out/04 jan/05 abr/05 jul/05 out/05 jan/06 abr/06 jul/06 out/06 jan/07 abr/07 jul/07 out/07 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09 abr/09 jul/09 out/09 jan/10 abr/10 jul/10 out/10 jan/11 abr/11 jul/11 out/11 jan/12 abr/12 jul/12 out/12 jan/13 abr/13 jul/13 out/13 jan/14 abr/14 jul/14 out/14 jan/15 abr/15 jul/15 US$ por tonelada Fonte: FOEX Papel não-revestido para escrever e imprimir na Europa PREÇOS DE PAPEL NÃO-REVESTIDO PARA ESCREVER E IMPRIMIR NA EUROPA - 2004 - 2015 EM US$ POR TONELADA FONTE: FOEX ELABORAÇÃO: BRADESCO
  93. 93. PREÇOS DE PAPEL REVESTIDO PARA REVISTA E IMPRESSÃO NA EUROPA - 2004 - 2015 EM US$ POR TONELADA 726,9 708,6 727,6 715,4 725,3 715,9 699,4 675,4 695,1 684,5 696,6 644,7 691,8 712,4 719,2 715,95 710,9 697,84 676,29 681,63 666,95 657,52 651,41 640 650 660 670 680 690 700 710 720 730 740 abr/04 jul/04 out/04 jan/05 abr/05 jul/05 out/05 jan/06 abr/06 jul/06 out/06 jan/07 abr/07 jul/07 out/07 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09 abr/09 jul/09 out/09 jan/10 abr/10 jul/10 out/10 jan/11 abr/11 jul/11 out/11 jan/12 abr/12 jul/12 out/12 jan/13 abr/13 jul/13 out/13 jan/14 abr/14 jul/14 out/14 jan/15 abr/15 jul/15 US$ por tonelada Fonte: FOE Papel revestido para revista e impressão na Europa FONTE: FOEX ELABORAÇÃO: BRADESCO
  94. 94. Depec-Bradesco www.economiaemdia.com.br O DEPEC – BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações e projeções. Todos os dados ou opiniões dos informativos aqui presentes são rigorosamente apurados e elaborados por profissionais plenamente qualificados, mas não devem ser tomados, em nenhuma hipótese, como base, balizamento, guia ou norma para qualquer documento, avaliações, julgamentos ou tomadas de decisões, sejam de natureza formal ou informal. Desse modo, ressaltamos que todas as consequências ou responsabilidades pelo uso de quaisquer dados ou análises desta publicação são assumidas exclusivamente pelo usuário, eximindo o BRADESCO de todas as ações decorrentes do uso deste material. Lembramos ainda que o acesso a essas informações implica a total aceitação deste termo de responsabilidade e uso.

×