Urinálise: EAS

2.183 visualizações

Publicada em

EAS: Elementos Anormais e Sedimentoscopia.

Publicada em: Ciências
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.183
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
107
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Urinálise: EAS

  1. 1. Sinônimos: EAS, Elementos Anormais e Sedimentoscopia Esther Iolanda Silva Frois URINÁLISE: URINA ROTINA
  2. 2. ETAPA PRÉ-ANALÍTICA Tipos de amostra: 1°jato e/ou 2°jato: paciente em jejum e pós-prandial. da primeira urina da manhã. * após 4 horas de retenção. Com período determinado pelo médico. Coleta da amostra: Deve ser feita a higiene íntima, colhendo o jato médio Colher um volume mínimo de 20 mL Colher em fraco adequado. Conservação da amostra: Levar ao laboratório o mais rápido possível.
  3. 3. ETAPA ANALÍTICA I.Determinações físicas II.Análise química III.Microscopia
  4. 4. I. Análise física Cor: Aspecto: Límpido, Lig. Turvo e Turvo. Volume: mínimo 10 mL* Espuma: branca abundante: indica proteínúria Amarela abundante: bilirrubinúria
  5. 5. II. Análise química pH Glicose Corposcetônicos(acetona, ácidoacetoacéticoe ácidobeta- hidroxibutírico) Bilirrubina Urobilinogênio Proteína(Albumina) Nitrito Sangue/hemoglobina Densidade Leucócitoesterase
  6. 6. pH: detecta de 6,0 a 9,0. (VR: 5,5 e 7,0) Acidose. Ex: dieta proteica, acidose metabólica, tuberculose renal. Alcalose Ex: dieta vegetariana, alcalose metabólica, deficiência de potássio. Densidade: detecta de1,000 a 1,030 (VR: 1,005 a 1.025 g/mL) Varia conforme a condição de concentração e diluição renal. Aumentada Ex: Diabete mellitus, Síndrome hepatorrenal. Diminuída Ex: Tuberculose Renal, Anemia Falciforme, Insuficiência Renal Crônica.
  7. 7. Glicose: detecta 50 a 100 mg/dL Toda a glicose filtrada no glomérulo é reabsorvida. Glicosúriapode ou não estar acompanhada com hiperglicemia. Ex: Diabetes Mellituse Deficiência Enzimática Tubular. Corpos cetônicos: detecta acima de 0,5 mg/dL São produtos da conversão dos ácidos graxos em corpos cetônicosno fígado, e são usados como fonte de energia no coração, cérebro e tecidos músculares. Normalmente não devem ser detectados na urina. Cetonúriaindica desequilíbrio no metabolismo geral e não apenas a função renal. Ex: Diabetes Mellitus, jejum prolongado e dietas rigososas.
  8. 8. Bilirrubina conjugada: mínimo de 0,5 mg/Dl. Produto intermediário da degradação da hemoglobina, excretada na Bile. Consegue atravessar a membrana glomerular, mas é reabsorvida. Normalmente não deve estar presente na urina. Ex: icterícia, eritroblastosefetal, hepatite virótica, cirrose, tumores hepáticos, Síndrome de Gilbert. Urobilinogênio: detecta mínimo de 0,1mg/dL. Formado pela redução da bilirrubina conjugada. Pode estar presente, em baixas quantidades, sem relevância clínica. Pode ser um indicador sensível das disfunções hepatocelulares, podendo mostrar alterações numa fase em que os testes bioquímicos estejam normais. Ex: Cirrose hepática, icterícia do recém-nascido, hepatites agudas.
  9. 9. Proteína (albumina):detecta mínimo de 30 mg/dL. Normalmente não são filtradas pelo rim. Albuminúria: •Causa pré-renal. Ex: Hipertensãoarterial, febre •Causaglomerular. Ex: Glomerulonefrites •Causatubular. Ex: PielonefritecrônicaNitrito: detecta mínimo de 0,05 mg/dL . Formado a partir da redução do nitrato pela enzima nitrato redutasepresente em bactérias Gramnegativas. Normalmente não deve ser encontrada na urina. Ex: infecções bactérias no trato urinário
  10. 10. Hemoglobina/eritrócito intacto: detecta mínimo de 0,03 mg/dL e mais de 2 hms/campo. Normalmente não deve ser detectada na urina. Hematúria: sangramento renal ou pós-renal* Hemoglobinúria: anemias hemolíticas, grandes queimaduras. Leucócito esterase: detecta de 20 a 25 leucócitos /uL. Presente nos glanulosazurófilosdos leucócitos Normalmente não deve ser encontrada na urina. Detecta leucócitos íntegros e lisados. Piúria: possível infecção no trato urinário.
  11. 11. Interferentes Falso -resultado Ácido ascórbico (vitamina C) Glicose,Bilirrubina, Hemoglobina, Nitrito, Corpos cetônicos Levedopa(Doença de Parkinson) Glicose,Corpos cetônicos Glutationa(antioxidante) Glicose Dipirona(antitérmico e analgésico) Glicose Níveis elevados de corpos cetônicos Glicose Formalina(antimicrobianoendodôntico) Urobilinogênio Coloraçãoda urina Todos os testes da tira Anticoncepcionais Glicose Exposição à luz Bilirrubina
  12. 12. III. Análise microscópica Hemácias Piócitos Células epiteliais Cilindros Cristais Muco Flora bacteriana Contaminantes ou artefatos Ex: espermatozóides, Trichomonas, leveduras.
  13. 13. ETAPA PÓS-ANALÍTICA I.Aprovação e liberação do resultado II.Emissão do laudo
  14. 14. Referencias bibliográficas MEDEIROS, Amaury de Siqueira. Semiologia Urológica. Medsi. 1993 Pg73-93. Disciplina de Urinálise do Curso Técnico de Análises Clínicas do Colégio Técnico da UFMG. Apostila de Urinálise, 2014. Hepcentro: Hepatologia médica. Bilirrubina e Hiperbilirrubinemia. Disponível em: http://www.hepcentro.com.br/gilbert.htm. Acesso em 20 Set. 2014.

×