TECIDO CONJUNTIVO ÓSSEO
Organizado na forma de um sistema denominado esquelético, o tecido conjuntivo ósseo
forma os ossos...
Do periósteo e do endósteo partem os vasos sanguíneos que percorrem os canais dos
ossos – canais de Havers e canais de Vol...
Quando o osteoblasto é aprisionado pela matriz recém-sintetizada, ele passa a ser
chamado de Osteócito.
Osteócitos (do gre...
Osteoclasto (do grego klastos, quebrar, destruir) - células gigantes multinucleadas que destrói as
células lesadas/envelhe...
Dentro dos tecidos ósseos esponjosos, ocupando os espaços, há a presença da medula
óssea que, analisando sua função, é cla...
As células reticulares primitivas presentes são responsáveis pelo aparecimento
das diversas células livres precursoras das...
As fibras colágenas formam feixes dispostos irregularmente, há menor
quantidade de matéria inorgânica na sua matriz extrac...
Fraturas dos ossos e regeneração
Após a quebra de um osso, sempre ocorre hemorragia local devido à lesão dos vasos
sanguín...
2. Completa- o osso é quebrado em 2 cotos
3. Exposta- o osso rompe a pele e fica exposto
4. Cominutiva- fratura em que o o...
5. Fratura em galho-verde – fratura em que um lado do osso é quebrado e o outro se
dobra; ocorrendo só em crianças.
6. Imp...
8. Patológica- fratura causada pelo enfraquecimento do osso causado por neoplasias,
osteomielite, osteoporose ou estomalác...
estruturas vitais do organismo, apoio para os órgãos, base mecânica para os movimentos.
O esqueleto é dividido em 2 porçõe...
Ex: fêmur (na perna).
o Ossos curtos
Tem aparência semelhante à de um cubo, pois seu comprimento é praticamente igual à
la...
o Ossos alongados
São ossos longos, achatados e estreitos que não apresentam canal central.
Ex: costelas (no tronco).
o Os...
o Ossos sesamóides
São ossos que estão presentes no interior de alguns tendões onde há considerável
impacto mecânico, tens...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tecido conjuntivo ósseo humano

826 visualizações

Publicada em

Histologia básica, resumo do tecido conjuntivo ósseo humano

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
826
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tecido conjuntivo ósseo humano

  1. 1. TECIDO CONJUNTIVO ÓSSEO Organizado na forma de um sistema denominado esquelético, o tecido conjuntivo ósseo forma os ossos, que tem como funções básicas o suporte, a proteção, o movimento, a reserva de minerais e produção de células sanguíneas. O tecido ósseo é um tipo especial de tecido conjuntivo que, assim como os outros tecidos conjuntivos, apresenta grande quantidade de matriz extracelular onde suas células ficam imersas. Matriz A matriz dos tecidos ósseos é rica em fibras colágenas, glicoproteínas e minerais, sendo que estes representam aproximadamente 50% do peso da matriz. Os minerais presentes são, principalmente, os íons Fosfato (PO4) e o Cálcio (Ca3), mas também há a presença do o Magnésio (Mg +2 ), do Potássio (K + ), do Sódio (Na+ ) e do Bicarbonato; mas em pequenas quantidades. As fibras colágenas representam aproximadamente 95% do conteúdo da parte orgânica da matriz óssea e a substancia fundamental representa cerca de 5% e é amorfa, contendo mucopolissacarídeos ácidos e neutros associados às proteínas, as glicoproteínas. A rigidez característica da matriz se deve principalmente ao fosfato de cálcio e as fibras colágenas. A matriz ainda não calcificada recebe o nome de Osteóide ou pré-osso. Células Principalmente nos ossos longos encontramos, revestindo quase toda a sua superfície externa,exceto nas suas extremidades para evitar seu desgaste, pois nessas áreas há o constante atrito entre os ossos vizinhos, uma camada quase impermeabilizante denominada periósteo (peri= periferia, osteo= osso); que é formado por 2 camadas: a mais externa é composta por tecido conjuntivo denso com muitas fibras e a mais interna é composta por muitas células mesenquimatosas, que são células jovens que originam os osteoblastos. A menbrana conjuntiva que reveste a superfície interna dos ossos é denominada endósteo, que é semelhante ao periósteo, mas sendo muito mais fino.
  2. 2. Do periósteo e do endósteo partem os vasos sanguíneos que percorrem os canais dos ossos – canais de Havers e canais de Volkman- e que nutrem todas as células ósseas. Osteoblasto (do grego osteon,=osso, e blastos= jovem) - célula jovem que sintetiza a parte orgânica (as fibras colágenas e as glicoproteínas) da matriz óssea. São células cúbicas e estão dispostas lado-a-lado, com arranjo semelhante ao do epitélio simples e possuem prolongamentos citoplasmáticos que se prendem aos prolongamentos dos osteoblastos vizinhos. Possuem retículo endoplasmático glanular e complexo de Golgi bem desenvolvidos e núcleo grande.
  3. 3. Quando o osteoblasto é aprisionado pela matriz recém-sintetizada, ele passa a ser chamado de Osteócito. Osteócitos (do grego osteon, osso, e kyton, célula) - situados em cavidades no interior dos ossos, o Osteócito é o nome dado ao Osteoblasto amadurecido, pronto, definitivo. São osteoblastos com forma achatada, semelhantes a uma amêndoa, pois retraem seus prolongamentos citoplasmáticos, e como a matriz óssea está rígida, formam finíssimos canais por onde passam gases e alimento para elas. No seu citoplasma, os Osteócitos armazenam o fosfato de Cálcio, servindo como reserva para o corpo.
  4. 4. Osteoclasto (do grego klastos, quebrar, destruir) - células gigantes multinucleadas que destrói as células lesadas/envelhecidas do tecido ósseo, abrindo espaço para a regeneração óssea. São células grandes, esféricas contendo, normalmente, de 6 a 50 núcleos. Seu citoplasma apresenta lisossomos bem desenvolvidos e em grande quantidade e são células móveis, mas que frequentemente se situam nas depressões da matriz óssea, as denominadas Lacunas de Howship. Obsevando um osso serrado longitudinalmente a olho nu, principalmente os ossos longos, percebemos que ele é formado por partes densas, sem cavidades visíveis, e por partes esponjosas que perecem diferentes, mas têm a mesma estrutura histológica básica.
  5. 5. Dentro dos tecidos ósseos esponjosos, ocupando os espaços, há a presença da medula óssea que, analisando sua função, é classificada em dois tipos: 1. Medula óssea vermelha, Medula óssea hematógena, tecido mieloide ou tecido hemocitopoiético. Constituída por células fixas – células macrofágicas e adiposas, que são células reticulares primitivas - e células livres – células sanguíneas (eritrócitos, granulócitos, monócitos e plaquetas, assim como seus precursores). Sua principal função é a produção de glóbulos sanguíneos, armazenamento de ferro e produção de células indiferenciadas que, levadas pelo sangue, vão se estabelecer nos órgãos linfoides e, através de mitoses sucessivas, vão originar os linfócitos do sangue e da linfa. Sua cor característica é devido à presença de ferro, que é armazenado na forma de ferritina e hemossiderina no citoplasma das células reticulares primitivas, das células de revestimento dos sisunóides e macrófagos da medula óssea. A ferritina é a união do ferro à uma proteína (apoferritina) e a hemossiderina, que contém maior teor de ferro que a ferritina, é um complexo heterogêneo contendo apoferritina e outras proteínas, glicídios, lipídios e outras moléculas. Quando as células sanguíneas atingem a maturação, as células sanguíneas formadas atravessam as paredes dos canais sinusóides, canais formados pelas fibras e células na medula, e caem no seu interior, sendo levadas pelo sangue ali circulante para todo o corpo. Está presente em grande quantidade nas crianças. 2. Medula óssea amarela Constituída por grande numero de células adiposas, alguns macrófagos e células reticulares primitivas.
  6. 6. As células reticulares primitivas presentes são responsáveis pelo aparecimento das diversas células livres precursoras das células sanguíneas, que quando estão “ativas”, esse tecido se torna a medula óssea vermelha; assim logo concluímos que a medula óssea amarela é a medula óssea vermelha inativa, o que justifica o fato de que as crianças (que seus tecidos estão em constante mitose e em formação) possuem mais medula vermelha do que óssea se comparadas aos adultos. São responsáveis pela reserva de nutrientes (devido à riqueza de células adiposas) e reserva de tecido hemocitopoiético (medula óssea vermelha). Muitas vezes os limites entre as medulas amarelam e vermelha não são nítidos. Os tecidos ósseos ainda podem ser classificados em 2 tipos: o imaturo e o maduro; que possuem as mesmas células, os mesmos componentes da matriz extracelular mas se diferem na disposição da fibra colágena I. Tecido ósseo imaturo ou primário
  7. 7. As fibras colágenas formam feixes dispostos irregularmente, há menor quantidade de matéria inorgânica na sua matriz extracelular, e maior quantidade de osteócitos se comparado ao tecido ósseo compacto. Cada osso, ao ser formado, possui esse tipo de tecido, por isso é muito frequente nas crianças. II. Tecido ósseo maduro, secundário ou lamelar As fibras colágenas formam feixes organizados em lamelas de 3 a 7 µm de espessura que se organizam de duas formas: i. Paralelas umas às outras ii. Dispostas em camadas concêntricas em torno de canais com vasos, formando os denominados Sistemas de Havers Com o passar do tempo, o tecido ósseo primário é substituído gradativamente pelo tecido ósseo secundário, por isso é muito mais frequente nos adultos.
  8. 8. Fraturas dos ossos e regeneração Após a quebra de um osso, sempre ocorre hemorragia local devido à lesão dos vasos sanguíneos ali presentes, há a quebra da matriz extracelular e morte das células ósseas do local fraturado. Logo após isso, o periósteo e o endósteo próximos à fratura proliferam intensamente seus fibroblastos e formam um tecido que penetra entre as extremidades do osso fraturado, envolvendo os pedaços quebrados e formando uma espécie de calo, denominada de calo ósseo. Simultaneamente, os osteoclastos iniciam a remoção das células ósseas mortas e do coágulo formado e o periósteo fornece novos osteoblastos que unem os pedaços quebrados e, aos poucos, a estrutura óssea é refeita e o calo ósseo é pouco remodelado, tanto que mesmo quando a fratura é consolidada, o calo permanece. Alguns tipos de fraturas 1. Parcial- a fratura no osso é incompleta
  9. 9. 2. Completa- o osso é quebrado em 2 cotos 3. Exposta- o osso rompe a pele e fica exposto 4. Cominutiva- fratura em que o osso é quebrado em vários pedaços menores no local do impacto entre 2 fragmentos maiores.
  10. 10. 5. Fratura em galho-verde – fratura em que um lado do osso é quebrado e o outro se dobra; ocorrendo só em crianças. 6. Impactada- fratura em que um fragmento está firmemente preso “dentro” do outro. 7. Fratura por estresse- fratura parcial, resultante da incapacidade de suportar repetidos esforços (conhecida como LER- lesão por esforço repetitivo).
  11. 11. 8. Patológica- fratura causada pelo enfraquecimento do osso causado por neoplasias, osteomielite, osteoporose ou estomalácia. Armazenamento de cálcio O tecido ósseo é o maior reservatório de cálcio e fosfato do corpo humano, pois cerca de 99% desses elementos se encontram no esqueleto, na matriz extracelular. Nos casos de necessidade de cálcio para o organismo, há a sua transferência para o sangue que o leva para o local necessitado. A transferência do cálcio pode estar envolvida em 2 mecanismos: 1) Remoção simples de íons cálcio para a corrente sanguínea 2) Ação do paratormônio, hormônio produzido pelas glândulas paratireoides (localizada na região dorsal da tireoide) que conduz a um aumento do numero de osteoclastos, com consequente reabsorção óssea e elevação do teor de cálcio no sangue. Uma dieta pobre em proteínas gera deficiência de síntese da matriz óssea orgânica e a deficiência de vitamina D leva a uma deposição insuficiente de cálcio no osso, já que essa vitamina favorece a absorção de cálcio no intestino delgado. Sua ausência conduz ao raquitismo e, consequentemente, a defeitos na confecção de matriz óssea. Sistema esquelético O sistema ósseo está diretamente relacionado ao sistema muscular, pois ambas são responsáveis pelo movimento do corpo e é composto pelos ossos (formado pelo tecido conjuntivo ósseo) e pelas cartilagens (formada pelo tecido conjuntivo cartilaginoso). Os ossos do sistema esquelético se organizam formando o esqueleto; que é composto por aproximadamente 206 ossos, num adulto. Suas principais funções são de proteção das
  12. 12. estruturas vitais do organismo, apoio para os órgãos, base mecânica para os movimentos. O esqueleto é dividido em 2 porções: o esqueleto axial (composto pelos ossos da cabeça, pescoço e do tronco) e pelo esqueleto apendicular (composto pelos membros superiores e inferiores) unidos por meio das cintura escapular e pélvica Tipos de ossos: o Ossos longos Visualmente percebemos que possuem o comprimento maior que a largura, são constituída por um corpo e duas extremidades e são um pouco curvados, garantindo maior resistência à impactos. Nos ossos longos, suas extremidades são denominadas epífises e são esponjosas, com muitas fendas, e revestido com uma fina camada compacta. A parte cilíndrica do osso, denominada diáfise, vista a olho nu é compacta, mas apresenta algumas microscópicas fendas e, mais internamente, é esponjosa delimitando o canal medular, por onde a medula óssea percorre. A leve curvatura característica dos ossos longos permite ao osso absorver o impacto do peso do corpo em vários pontos, o que possibilita a melhor distribuição do peso corpóreo. Os ossos longos têm suas diáfises (parte central) formadas por tecido ósseo compacto e apresentam grande quantidade de tecido ósseo esponjoso em suas epífises (extremidades).
  13. 13. Ex: fêmur (na perna). o Ossos curtos Tem aparência semelhante à de um cubo, pois seu comprimento é praticamente igual à largura. São esponjosos em seu interior e revestidos por uma camada de tecido ósseo compacta em toda sua periferia. Ex: ossos do carpo (na mão). o Ossos chatos São ossos planos e finos, característica que os dá a capacidade de proteção dos e grande espaço para os órgãos que ele reveste. São ossos finos compostos por 2 camadas de tecido ósseo compacto separados por uma camada de tecido ósseo esponjoso; essas camadas são denominadas, na ordem de dentro para fora, de tábua interna (tecido ósseo compacto), díploe(tecido ósseo esponjoso), tábua externa (tecido ósseo compacto). Ex: ossos frontal e parietal (na cabeça)
  14. 14. o Ossos alongados São ossos longos, achatados e estreitos que não apresentam canal central. Ex: costelas (no tronco). o Ossos pneumáticos São ossos com formato não geométrico com muitas cavidades internas, onde, por exemplo, nos ossos da face, se localizam os seios nasais. São ossos que apresentam pouco peso em relação ao seu volume. Ex: esfeníode (na bacia). o Ossos irregulares São osso que apresentam formas complexas e sem nenhuma equivalência em suas medidas. Ex: vértebras (na coluna vertebral).
  15. 15. o Ossos sesamóides São ossos que estão presentes no interior de alguns tendões onde há considerável impacto mecânico, tensão e fricção, como na planta dos pés e nas palmas das mãos. Ex: ossos encontrados na planta dos pés. o Ossos suturais São ossos pequenos encontrados dentro das articulações e entre alguns ossos do crânio.

×