2                           Cledir Rocha PereiraAceitação e o emprego do computador portátil                              ...
1                                                              Cledir Rocha Pereira     Aceitação e o emprego do computado...
2Cledir Rocha Pereira       Graduado em Licenciatura Plena em Pedagogia, com Habilitação emSupervisão Escolar e Matérias P...
3Dedicatória       Dedico esta aprendizagem e estas reflexões a todos aqueles queparticiparam direta e indiretamente para ...
4Agradecimentos          Agradeço a cada professor que foi solidário a esta pesquisa e refletiu sobrea sua ação pedagógica...
5Resumo       O estudo envolveu uma reflexão sobre o Projeto Um Computador porAluno (PROUCA), sobre a integração do comput...
6SUMÁRIOINTRODUÇÃO...........................................................................................................
7INTRODUÇÃO    Esta pesquisa apresenta um conjunto de conhecimentos e reflexões doprocesso educacional, cujo estudo possib...
8·   Examinar a aceitação dos profissionais da educação no uso do laptop, no    processo de ensino e aprendizagem.·   Cont...
9Sabem que, se pararem para observar os sistemas educacionais (municipais,estaduais, federal e privado), com uma visão mai...
10on-line e também recursos multimídia: vídeos, músicas e outros. Todo esseconjunto oferecerá ao aluno um ambiente mais ag...
111 DESENVOLVIMENTO1.1A ESCOLA E O PROJETO UCA   Neste momento apresento uma breve caracterização da instituição de ensino...
12       Está sendo necessário também a adaptação da infraestrutura de toda a escolapara o recebimento e o uso dos laptops...
13   Quando se fala em tecnologia, quase sempre pensamos em programassofisticados e de difícil utilização, no entanto, ela...
14       Esta parceria teve como objetivo a validação de solução das OrganizaçõesOLPC. Em 2006 a FacTI chamou mais três in...
15                           Figura 3: Municípios do RS beneficiados pelo PROUCA3           Destaco nesse momento as escol...
16 COLEGIO DE APLICACAO       Porto Alegre       100               579 DA UFRGS    EEEF LUCIANA DE ABREU   Porto Alegre   ...
17·      Duas entradas USB.·      Tela de LCD 7’.·      Teclado á prova d’água e com teclas de atalho.·      Touch pad tra...
18   Em um país com imensas desigualdades e contradições, a educação seapresenta como um fator de esperança, visando à tra...
19   Tudo isso, visando fundamentar um processo consistente de busca de um novoparadigma educacional, o qual vem contrapor...
20diferenças entre a postura tradicional do professor e a aprendizagem colaborativa,estão apresentadas na tabela 2 (SANTOR...
21 Aluno               Apresentar parte do     Contribuir para a       Propor temas a serem                     projeto e ...
22                  Figura 4: diagrama da dimensão educacional na unidade escolar8        Desta maneira, o conhecimento pa...
23        ‘’Art67. Os sistemas de ensino promoverão a valorização dos profissionais da educação,        assegurando-lhes, ...
24do PROUCA, a metodologia por projetos de trabalho é um grande passo para osucesso da integração entre a tecnologia e a e...
252   A PESQUISA NA REALIDADE ESCOLAR    A temática que estou propondo no desenvolvimento dessa pesquisa foibaseada na ace...
26Educação, localizada na cidade de Canoas/RS, para a obtenção de informaçõesqualitativas sobre o uso dessa tecnologia nas...
272.6 RESULTADOS DA COLETA DE DADOS     Nesta sessão, apresento os resultados da coleta de dados que foi verificadoatravés...
28       ·       Atuação12:           5           4                                  3                                    ...
29·       A internet é fácil de usar.    5    4                                                                           ...
30   ·       Tu pensas que será interessante essa integração pedagógica e tecnológica           na escola? Explica.       ...
31exercendo seus objetivos e suas finalidades, promovendo uma ação capaz dealterar positivamente o processo educativo, a p...
32CONSIDERAÇÕES FINAIS       Historicamente, os responsáveis pela política educacional decidem pelaelaboração de propostas...
33proposta. Felizmente, todo o caminho visualizado e percorrido na Escola eralegítimo, ou seja, com sentido. No tocante a ...
34       Para finalizar, homenageio a Instituição que abriu suas portas para arealização e que construiu o sentido prático...
35REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASARROYO, M. (org.), 1986. Da escola carente à escola possível. São Paulo,Loyola, (Coleção Educa...
36<http://miguelgustavoescola.blogspot.com/2010/10/projeto-uca-parte-03.html>Acesso em: 06 out. 2010.FAGUNDES, Léa Da Cruz...
37MONTEIRO, Hugo; LOUREIRO, Maria João. 30 Práticas de utilização decomputadores portáteis em contexto educativo:: que imp...
38APÊNDICES(A) Instrumento utilizado para a coleta de dados:                  PONTIFÍCIO UNIVERSIDADE CATÓLICA - RIO      ...
392.     Foco da Pesquisa2.1.  O sistema do laptop é fácil de usar.( ) Discordo totalmente( ) Discordo em parte( ) Não con...
402.7.   Tens algum receio com a utilização do laptop na escola? Se a resposta forpositiva, quais seriam?_________________...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aceitação e o emprego do computador portátil na sala de aula

1.191 visualizações

Publicada em

Trabalho de conclusão de curso apresentado à Coordenação do Curso de Especialização Tecnologias em Educação como requisito parcial para obtenção de título de Especialista em Tecnologias em Educação.
O estudo envolveu uma reflexão sobre o Projeto Um Computador por Aluno (PROUCA), sobre a integração do computador portátil e a educação, tendo como pressuposto a aceitação e o emprego do laptop educacional com a prática em sala de aula. Como objetivos, o trabalho se propôs a oportunizar aos educadores pesquisados, momentos de reflexão sobre a tecnologia e o sistema educacional na qual estão participando ativamente. A metodologia proposta, de concepção qualitativa de caráter exploratório, foi desenvolvida por meio de instrumentos denominados questionários, abrangendo a população de dezessete sujeitos e a amostra de cinco participantes. Como resultados da investigação surgiram dados referentes a uma concepção “tradicional” da estrutura da escola. Conclui-se que a ruptura entre a postura tradicional e o novo perfil que deve ser exercido pelos membros da escola com a integração do PROUCA, só será superada por meio de reflexões atualizadas, que possam ser experimentadas em sua prática profissional. Acredito que muitas transformações já se verificam na prática profissional dos educadores e gestores, entretanto deve-se buscar, cada vez mais, uma ação conjunta com toda a comunidade escolar, por meio de uma prática reflexiva com um sentido de renovação de conceitos, objetivos, metodologias e técnicas de trabalho.

Palavras-chave: PROUCA, computador portátil, tecnologia, prática reflexiva.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.191
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aceitação e o emprego do computador portátil na sala de aula

  1. 1. 2 Cledir Rocha PereiraAceitação e o emprego do computador portátil na sala de aula Luiz Cláudio Peixoto de Azevedo Sapucaia do Sul Novembro de 2010
  2. 2. 1 Cledir Rocha Pereira Aceitação e o emprego do computador portátil na sala de aula Trabalho de conclusão de curso apresentado à Coordenação do Curso de Especialização Tecnologias em Educação como requisito parcial para obtenção de título de Especialista em Tecnologias em Educação Orientador Professor Luiz Cláudio Peixoto de Azevedo Coordenação Central de Educação a Distância Curso de Especialização Tecnologias em Educação Sapucaia do Sul Novembro de 2010Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do trabalho semautorização do autor, do orientador e da universidade.
  3. 3. 2Cledir Rocha Pereira Graduado em Licenciatura Plena em Pedagogia, com Habilitação emSupervisão Escolar e Matérias Pedagógicas do Ensino Médio em pela ULBRA(Universidade Luterana do Brasil) em 2002 e pós-graduando em Mídias naEducação pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul). Professordo ensino fundamental (1º ao 5º ano) da Rede Pública Municipal de Sapucaia doSul. Lecionou em classes dos anos iniciais na Escola Municipal Justino Camboim,entre 2004 e 2008. Coordena desde 2009, o Laboratório de InformáticaEducacional da escola já citada, no referido município. Atualmente é professor doLaboratório de Informática dos anos iniciais e das Etapas Iniciais da Educação deJovens e Adultos, bem como pelas manhãs, sou Supervisor Escolar na EscolaEstadual de Ensino Fundamental Miguel Gustavo, escola esta pertencente aoProjeto Um Computador por Aluno – PROUCA.
  4. 4. 3Dedicatória Dedico esta aprendizagem e estas reflexões a todos aqueles queparticiparam direta e indiretamente para sua finalização, em especial, aostrabalhadores da educação da Escola Estadual de Ensino Fundamental MiguelGustavo, que abriu seu espaço para a realização da prática e da coleta de dadospara dar vida a este trabalho.
  5. 5. 4Agradecimentos Agradeço a cada professor que foi solidário a esta pesquisa e refletiu sobrea sua ação pedagógica e a tecnologia, ao responder o questionário utilizado nestetrabalho. Ao mediador Bernardo Nunes Pereira, que constantemente estava-meincentivando para cada vez mais aperfeiçoar minhas produções, pelos seuspertinentes comentários em cada trabalho apresentado, estando sempre muitopresente, mesmo que virtualmente, durante a realização de toda a grade curricular,motivando e sempre disposto a ajudar. Ao orientador Luiz Cláudio Peixoto de Azevedo que nos iluminou para aprogressão e o sucesso da escrita deste Trabalho. À minha família e amigos que me apoiaram durante todo o período desteestudo.
  6. 6. 5Resumo O estudo envolveu uma reflexão sobre o Projeto Um Computador porAluno (PROUCA), sobre a integração do computador portátil e a educação, tendocomo pressuposto a aceitação e o emprego do laptop educacional com a práticaem sala de aula. Como objetivos, o trabalho se propôs a oportunizar aoseducadores pesquisados, momentos de reflexão sobre a tecnologia e o sistemaeducacional na qual estão participando ativamente. A metodologia proposta, deconcepção qualitativa de caráter exploratório, foi desenvolvida por meio deinstrumentos denominados questionários, abrangendo a população de dezessetesujeitos e a amostra de cinco participantes. Como resultados da investigaçãosurgiram dados referentes a uma concepção “tradicional” da estrutura da escola.Conclui-se que a ruptura entre a postura tradicional e o novo perfil que deve serexercido pelos membros da escola com a integração do PROUCA, só serásuperada por meio de reflexões atualizadas, que possam ser experimentadas emsua prática profissional. Acredito que muitas transformações já se verificam naprática profissional dos educadores e gestores, entretanto deve-se buscar, cada vezmais, uma ação conjunta com toda a comunidade escolar, por meio de uma práticareflexiva com um sentido de renovação de conceitos, objetivos, metodologias etécnicas de trabalho. Palavras-chave: PROUCA, computador portátil, tecnologia, práticareflexiva.
  7. 7. 6SUMÁRIOINTRODUÇÃO.............................................................................................................. 071 DESENVOLVIMENTO.............................................................................................. 111.1 A ESCOLA E O PROJETO UCA.............................................................................111.2 REFLEXÃO INICIAL..............................................................................................121.3 UM BREVE HISTÓRICO....................................................................................... 131.4 O COMPUTADOR................................................................................................. 161.5 AS RELAÇÕES DO COMPUTADOR NO QUOTIDIANO ESCOLAR............... 181.6 A APRENDIZAGEM COLABORATIVA COM O USO DO COMPUTADOR... 191.7 REFLEXÕES SOBRE O CURRÍCULO: MUDANÇAS NECESSÁRIAS............ 212 A PESQUISA NA REALIDADE ESCOLAR............................................................ 252.1 METODOLOGIA.................................................................................................... 252.2 PROCEDIMENTOS................................................................................................ 262.3 POPULAÇÃO E AMOSTRA...................................................................................262.4 QUESTÃO DE PESQUISA......................................................................................262.5 INSTRUMENTOS DE PESQUISA......................................................................... 262.6 RESULTADOS DA COLETA DE DADOS........................................................... 272.6.1 Caracterização do Pesquisado................................................................................272.6.2 Foco da Pesquisa....................................................................................................282.7 ANÁLISE DOS RESULTADOS..............................................................................30CONSIDERAÇÕES FINAIS......................................................................................... 32REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS............................................................................35APÊNDICES.................................................................................................................. 38
  8. 8. 7INTRODUÇÃO Esta pesquisa apresenta um conjunto de conhecimentos e reflexões doprocesso educacional, cujo estudo possibilitará não apenas um aprendizado, massim, uma apreensão mais profunda dos fatos e das percepções que envolvem arealidade escolar vivenciada por educadores e educandos, bem como acomunidade onde ela está integrada. A escola está inserida em um contexto da sociedade brasileira marcada pelasdesigualdades fortalecidas pelo sistema. Compreender as relações entre estaescola e o contexto político, econômico e social é de fundamental importância. Oque se deseja buscar nesse espaço de pesquisa, são subsídios práticos einstrumentos de reflexão que contribuam para colocar a escola de frente para asociedade, no sentido de (re)conhecê-la em seus múltiplos aspectos. Acredito então, que esse momento, a partir das observações e de investigaçãono espaço pedagógico conquistado, auxiliar para uma compreensão desta escola edo próprio Sistema Educacional, desencadeando novas práticas educacionaisvinculadas ao uso da tecnologia, alternativa à vigente. Desta maneira, a escola, como instituição social, histórica e política, reflete asgrandes questões e problemas da sociedade e veicula as concepções da classe coma qual está comprometida. Assim, destaco o tema desta pesquisa, sendo o usopedagógico de mídias na escola: práticas educativas, salientando o objetivo geraldessa investigação, baseado em proporcionar aos educadores, um momento dereflexão e estudo sobre a validade da utilização de um computador por aluno, noprocesso de ensino e aprendizagem nas salas de aula, com vistas no aumento dainclusão digital. Também é importante descrever os objetivos específicos, quecompreendem:· Identificar quais as dimensões de aceitação do laptop educacional no ambiente escolar pelos professores.· Propor melhorias na implantação do Projeto Um Computador por Aluno, visando uma maior aceitação por todos os envolvidos direta e indiretamente.
  9. 9. 8· Examinar a aceitação dos profissionais da educação no uso do laptop, no processo de ensino e aprendizagem.· Contribuir com a instituição de ensino, através de uma reflexão/ação acerca das relações e sentimentos, em busca de uma releitura da prática educativa. Assim, percorremos com mais profundidade as constatações que seoriginaram da minha participação em uma das escolas que integram o Projeto UmComputador por Aluno (PROUCA) no Rio Grande do Sul. Percebi a necessidadede explorar mais o tema e as ações que o Projeto propõe, bem como o objetivodeste, onde se deseja “promover a inclusão digital nas escolas das redes públicasde ensino federal, estadual, distrital e municipal ou nas escolas sem fim lucrativosde atendimento a pessoas com deficiência” (Lei nº 12.249, que converteu em lei aMedida Provisória que criou o projeto PROUCA), tamanhas a força e a riqueza deabordagens. Através dessas observações emergiram possibilidades tais como:· A oportunidade de vivenciar uma retomada dos conhecimentos adquiridos ao longo do curso, como também o aprofundamento dos mesmos a partir da prática;· A focalização desse tema aguçou o olhar durante as observações, das relações entre a ação pedagógica com a tecnológica; e· O desafio a encontrar ações que contribuíssem para o aperfeiçoamento das ideias e sentimentos presentes no ambiente escolar. Para que os objetivos listados pudessem ser concretizados de maneira efetiva,adequei a pesquisa às situações encontradas na instituição de ensino, resultandoassim, numa abrangência bastante rica e diversificada. Nesta linha de pensamento,a aceitação do computador no sistema de ensino por parte dos usuários – nestecaso os professores – dentro de um processo de inovação, torna-se fundamental. Depois de conversações com os docentes da Escola Estadual de EnsinoFundamental Miguel Gustavo, localizada em Sapucaia do Sul/RS, percebi aimportância de realizar um trabalho de investigação para perceber e registrar essesmomentos de integração dos computadores à prática pedagógica. Percebe-se que amaioria dos professores está muito satisfeita em estar integrada ao PROUCA.
  10. 10. 9Sabem que, se pararem para observar os sistemas educacionais (municipais,estaduais, federal e privado), com uma visão mais ampla, irão dar conta que estãoem vantagem em relação a muitas escolas distribuídas nos mais longínquosrecantos do nosso país, ou por que não dizer, do nosso planeta. Muitas escolas do Primeiro Mundo também estão distantes daoportunidade que a Escola Miguel Gustavo tem de integrar-se e desenvolver umtrabalho pedagógico muito mais amplo do que folhas mimeografadas, fotocópias,muito além de livros didáticos lineares. A escola vive um momento único, apesarde algumas dificuldades para avançar. Dificuldades essas pelo pouco ou nenhumpreparo dos educadores, pelo não aperfeiçoamento, principalmente na temática daintegração do recurso tecnológico ao quotidiano da sala de aula e das suasmetodologias. Sabemos, nós que estamos inseridos dia após dia em escolas, que o laptop irábeneficiar a aprendizagem, dinamizando o processo de ensino e aprendizagem.Este recurso proporcionará importantes melhorias nos sistemas educacionaisbrasileiros. Essas máquinas possibilitarão alguns aspectos essenciais na relação doensinar e do aprender, como: · Aprender com por meio da tecnologia presente na escola, construindo sua própria aprendizagem. · Aprender a trabalhar com o não planejado, o que faz do computador um recurso rico em situações-problemas a serem descobertas e outras a terem tomadas de decisões pelos próprios alunos. · Aprendizagem com mais significado, pois educandos das mais diferentes idades estão motivados pela tecnologia presente. Assim gerará o envolvimento cognitivo e o afetivo, pontos essenciais para um aprendizado adequado. Assim, as salas de aulas sofrerão uma releitura, o layout da sala de aula sofrerámodificações. Não estou falando que deixaremos de produzir material manuscrito,mas teremos que integrar a metodologia com as tecnologias presentes, que serãoilimitadas. Os alunos utilizarão o laptop com a ajuda do professor como auxilio nodesenvolvimento da atividade, sempre interagindo técnica, conhecimento ehabilidades. O professor, mesmo não tendo uma formação técnica, apoiará no quefor necessário, já que tem o conhecimento pedagógico. Os recursos utilizados sãopesquisados tanto pelo professor, como pelos alunos, como softwares, atividades
  11. 11. 10on-line e também recursos multimídia: vídeos, músicas e outros. Todo esseconjunto oferecerá ao aluno um ambiente mais agradável e propício àaprendizagem, onde a descoberta se faz a cada momento. Sinto que não há, por parte do grupo, resistência para o uso dos laptopsintegrados nas ações pedagógicas, mas, por outro lado, necessitam de formaçãopara que consigam agregar a tecnologia com as suas ações. Desta maneira, já quea Escola está iniciando o desenvolvimento do PROUCA, levantarei asexpectativas, os anseios e o domínio do uso do computador na prática pedagógica.Devido às preocupações dos profissionais em educação, relacionadas às(atualmente) não tão novas tecnologias, terão a oportunidade de redescobrir omundo educacional (mundo este, vinculado sempre a informação e a ações detrabalho educacional com as máquinas), explorando-as de maneira adequada paraa construção de conhecimentos, ou a reformulação de conhecimentos jáadquiridos sobre informática e educação, levando em conta à diversidade deinteresses e as possibilidades de exploração do mundo interativo com pessoasdiferentes e motivos diferentes. Assim, como um dos propósitos são as trocas deexperiências adquiridas e reformuladas, adequando-as quando necessário for, aoseu contexto de atuação naquele momento e naquele espaço. Enfim, exploraremos com mais profundidade as constatações observadas evivenciadas na Escola Estadual de Ensino Fundamental Miguel Gustavo,localizada no município de Sapucaia do Sul/RS, envolvendo esse vínculo datecnologia e da sala de aula com, esse vínculo dos laptops educacionais comoferramentas de apoio pedagógico.
  12. 12. 111 DESENVOLVIMENTO1.1A ESCOLA E O PROJETO UCA Neste momento apresento uma breve caracterização da instituição de ensinoque é objeto de estudos do tema deste trabalho, bem como uma pequena descriçãodo processo de implantação do PROUCA, pois o objetivo principal é a reflexãosobre as alterações e a aceitação no quotidiano escolar, decorrente destaimplantação tecnológica dentro da escola. A Escola Estadual de Ensino Fundamental Miguel Gustavo é umas dasquatorze escolas das redes públicas do Rio Grande do Sul e a única unidade da 27ªCoordenação Regional de Educação do Estado a receber laptops educacionais, nocaso, o modelo Classmate da Intel. A escola caracteriza-se como urbana, deensino fundamental incompleto. Atende aproximadamente 280 alunos da pré-escola à 5ª série, sendo destes, 50 estudantes matriculados na pré-escolapertencentes a rede municipal, que não são contemplados com o PROUCA. Aescola está situada no Bairro Silva, uma comunidade de classe média, próxima aocentro da cidade. O corpo docente é formado por dezessete professores, umsecretário, uma merendeira, uma funcionária para serviços gerais, e uma equipediretiva composta por: diretora (manhã e tarde), vice-diretora, (tarde) e umsupervisor escolar (manhã) e uma supervisora escolar (tarde). O processo de implantação ocorre desde o primeiro semestre de 2010. ONúcleo de Tecnologia Educacional (NTE) da 27ª CRE é o responsável pelasatividades de implantação, promovendo a formação dos professores para o uso docomputador na sala de aula como recurso pedagógico. No primeiro momento, o principal foco dos encontros foi a familiarização dosprofessores com a tecnologia e o estudo de suas possibilidades pedagógicas. Odesenvolvimento desse processo de implantação não está contemplando somentequestões teóricas. Podemos constatar essa situação na fala da professoraparticipante do PROUCA, onde relata que “estamos em fase de descobertas,muitas curiosidades, procurando orientações para resolver os problemas”.(ROSANE, 2010).
  13. 13. 12 Está sendo necessário também a adaptação da infraestrutura de toda a escolapara o recebimento e o uso dos laptops. Pelo que se percebe, a escola apresentahoje algumas necessidades e deficiências: a instalação de um servidor, ainstalação da rede elétrica, o acesso á Internet por rede sem fio (wireless) e onúmero menor de laptops comparado ao número de alunos. Lentamente osproblemas estão sendo resolvidos. Figura 1: imagens das formações do PROUCA na escola1 Os laptops ainda não foram entregues aos educandos em virtude dosproblemas apresentados, mas no meu ponto de vista, poderiam ser entregues paraque ocorresse um processo de “saturação da tecnologia”, ou seja, desde a chegadados laptops na escola, os alunos deveriam estar explorando livremente, em todo operíodo letivo, todos os recursos do laptop. Assim ocorreria “...um contínuo usodos laptops pelas crianças com vistas à plena familiarização com o equipamento,(...) e ao descobrimento de possibilidades de utilização”. (CÂMARA DOSDEPUTADOS, 2008, p.134) Desta maneira, a escola poderia estar vivenciando o que se pode chamar deimersão mais feroz da tecnologia, com um uso praticamente quotidiano doslaptops educacionais na grande maioria das salas de aula da Escola MiguelGustavo. Sinto que assim o NTE Canoas está desempenhando um papelpreponderando no processo de implantação do laptop Classmate, pois atua paragarantir a visibilidade do projeto.1.2REFLEXÃO INICIAL1 Fotos tiradas em 27 ago. e 13 set. respectivamente, por Eliane Laux
  14. 14. 13 Quando se fala em tecnologia, quase sempre pensamos em programassofisticados e de difícil utilização, no entanto, elaborar uma pesquisa sobre aintegração da tecnologia e sua aceitação no ambiente escolar é sempre um desafioque por sua natureza, proporciona momentos de debate e reflexão que envolvematitudes, crenças, experiências e posicionamentos no exercício de fazerpedagógico dos educadores. Desta maneira, “o laptop é uma poderosa ferramenta de aprendizagemconcebida e construída especialmente para crianças nos países emdesenvolvimento, que vivem em alguns dos ambientes mais remotos”. (ONELAPTOP PER CHILD). No entanto se faz necessário uma abordagem reflexiva que abra espaços aodiálogo e ao comprometimento da relação entre tecnologia e da educação que nãoextrapolem o limite de cada uma. Neste sentido, é fundamental o papel dosgestores escolares como dinamizadores do processo educativo através de ações edesafios, para assim romper com os paradigmas tradicionais da relação ensinoaprendizagem.1.3 UM BREVE HISTÓRICO DO PROUCA O Projeto One Laptop Per Child (OLPC) foi apresentado ao governobrasileiro no Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, em janeiro de 2005.Posteriormente, em junho daquele ano, Nicholas Negroponte, Seymour Papert eMary Lou Jepsen vieram ao Brasil especialmente para conversar com o presidenteLuiz Inácio Lula da Silva e expor a idéia com detalhes. O presidente não sóaceitou como instituiu um grupo interministerial para avaliá-la e apresentar umrelatório. Segundo a OLPC, “não é uma questão de recursos, mas de visão evontade política”. Após reuniões com especialistas brasileiros para debates sobre a utilizaçãopedagógica intensiva das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) nasescolas, foi formalizada uma parceria com: · Fundação de Apoio à Capacitação em Tecnologia da Informação (FacTI) · Funcionadora de Estudos e Projetos (FINEP)
  15. 15. 14 Esta parceria teve como objetivo a validação de solução das OrganizaçõesOLPC. Em 2006 a FacTI chamou mais três instituições para integrar o grupotécnico e fazer um estudo sobre a solução OLPC:· Centro de Pesquisa Renato Archer (CenPRA)· Fundação Centros de Referência em Tecnologia Inovadoras (CERTI)· Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI)Passado este momento de união de órgãos de estudos relevantes desse projeto, em2007 foram selecionadas cinco escolas, em cinco estados, como experiênciasiniciais, como visualizamos na Figura 2: Figura 2: Escolas e municípios do pré-piloto do Projeto UCA e laptop utilizado2 Hoje, no ano de 2010, o PROUCA já está em outra fase. Esta etapaabrangerá cerca de 300 escolas públicas, distribuídas em todas as unidades dafederação, sendo participantes no estado do Rio Grande do Sul as apresentadas naFigura 3.2 Disponúvel em <http://www.uca.gov.br/institucional/experimentosFase1.jsp>. Acesso em: 26 set.2010
  16. 16. 15 Figura 3: Municípios do RS beneficiados pelo PROUCA3 Destaco nesse momento as escolas, seus respectivos municípios, o númerode professores e estudantes envolvidos diretamente no PROUCA, apresentados natabela 1. Tabela 1: lista dos municípios e escolas participantes do PROUCA4 ESCOLA MUNICÍPIO PROFESSORES ALUNOS EEEF PROFESSOR DIETSHI Arroio do Sal 24 209 EMEF PROFESSORA RENY Bagé 23 401 ROSA COLLARES EMEF NELI BETEMPS Candiota 32 375 EMEF SANTA IZABEL Candiota 14 117 EMEF HEITOR SOARES Canguçu 20 345 RIBEIRO EEEF MANOEL ARRUDA Carazinho 28 435 CAMARA EMEF CALDAS JUNIOR Caxias do Sul 50 450 EEEF OSVLADO ARANHA Ijuí 35 300 EMEF PRESIDENTE COSTA Panambi 33 513 E SILVA EMEF VILA SAO JORGE Portão 28 3753 Disponível em <http://www.uca.gov.br/institucional/escolasBeneficiadas.jsp>. Acesso em: 26 set.20104 Disponível em <http://www.uca.gov.br/institucional/escolasBeneficiadas.jsp> Acessado em 26 aet.2010.
  17. 17. 16 COLEGIO DE APLICACAO Porto Alegre 100 579 DA UFRGS EEEF LUCIANA DE ABREU Porto Alegre 42 540 EEEF MADRE CATARINA Santo Ângelo 35 285 LEPORI EEEF MIGUEL GUSTAVO Sapucaia do Sul 12 210 14 escolas 12 municípios 476 professores 5134 alunos As definições das cerca de 300 escolas públicas que participam doPROUCA couberam às Secretarias de Educação Estadual ou Municipal dosEstados e à União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME).A One Laptop per Child relata que “em quase todos os lugares, aumentoudrasticamente a frequência escolar, pois as crianças começaram a abrir suasmentes e explorar seu próprio potencial”. Assim, cada escola recebe os laptops para os alunos e professores,infraestrutura para acesso à internet e “preparação da equipe de professores egestores para o uso pedagógico inovador das tecnologias digitais” (NTE Canoas,2010), com isso, cada vez mais ocorrerá o crescimento e a necessidade dadesejada integração da tecnologia na escola.1.4 O COMPUTADOR O computador, modelo Metasys Intel, veio com o objetivo de criaroportunidades educacionais para crianças mais pobres do mundo, proporcionandopara cada criança um laptop robusto, de baixo custo e pequeno consumo deenergia, com conteúdos e software desenhados para a colaboração, alegre compoderes de autoaprendizagem. Falando um pouco do que o computador contém, podemos listarresumidamente:· Processador: Intel Atom 1.6 GHZ· Memória RAM: 512 MB· Sistema Operacional: Linux Metasys· Rede sem fio.
  18. 18. 17· Duas entradas USB.· Tela de LCD 7’.· Teclado á prova d’água e com teclas de atalho.· Touch pad tradicional com 2 botões· Sistema Antifurto.· Sistema de monitoramento.· Capa para proteção.· Alça para transporte Figura 3: Modelo Metasys Intel, PROUCA, utilizado na EEEF Miguel Gustavo5 Comparando os computadores que temos em casa nos própriosLaboratórios de Informática ou ainda nas lan houses, verificamos que asconfigurações são mais inferiores, mas não menos especiais.Com isso, os envolvidos nesse projeto aprendem a compartilhar, a criar e acolaborar. “Eles ficam conectados um aos outros, ao mundo e para um futuromelhor”. (ONE LAPTOP PER CHILD)1.5 AS RELAÇÕES DO COMPUTADOR NO QUOTIDIANO ESCOLAR5 Disponível em <http://www.cceinfo.com.br/uca/> Acesso em: 26 set. 2010.
  19. 19. 18 Em um país com imensas desigualdades e contradições, a educação seapresenta como um fator de esperança, visando à transformação da sociedade econdições favoráveis para o desenvolvimento integral dos envolvidos. Nesse sentido, Perrenoud (2000) apresenta questões relevantes para aconstrução de um currículo que atenta às necessidades da nossa atualidade,insistindo em questões de competência, no desafio de educar para a cidadaniaorientar trabalho em equipe, organizar estratégias de aprendizagem, envolver-sena gestão da escola criar mecanismo para o desenvolvimento das famílias,estimular a formação continuada dos professores e desafiar o uso de novastecnologias. Tendo uma visão significativa do sistema educacional harmonicamente vamosintegrar o laptop no dia-a-dia da nossa prática docente. Dentro desse contexto, éimportante refletir sobre os valores que se quer resgatar, os que desejamincorporar e os que se desejam mudar para o bem comum da instituição de ensinoe da sociedade. Nessa visão, Gandin (1988, p. 82) afirma que ‘’a participação éConstrução em Conjunto’’. Assim, afirmamos, que com abertura dos portões escolares à tecnologia, aconstrução conjunta citada por Gandin se fará necessária, pois os educadores estãoreceosos com a utilização do computador portátil, pela destreza minimizada emcomparação aos alunos, nascidos e criados na era tecnológica. Desta maneira, asescolas integradas no PROUCA, farão a resignificação do processo ensino eaprendizagem. Para que se concretize na prática este processo de participação, essamodificação no layout do ensinar e aprender, é essencial partilharresponsabilidades de elaboração, execução e avaliação, com a presença ativa detodos na organização, definição dos objetivos e estratégias, bem como assumirconflitos e situações não previstas no planejamento. Planejar nessa dimensão,planejar integrando o computador portátil significa transformar, por isso, éfundamental que as relações interpessoais sejam horizontais para que, destaforma, contribuam no processo de intercâmbio de vivências, experiências einterações entre os sujeitos e, consequentemente, no desvelamento da luta entre asclasses que tão consistentemente vem envolvendo a escola, colocando-a sempre aserviço de uma dessas classes.
  20. 20. 19 Tudo isso, visando fundamentar um processo consistente de busca de um novoparadigma educacional, o qual vem contrapor a escola que temos, uma escolalinear, onde o “professor é o detentor do conhecimento, escola esta marcada, pelofavorecimento claro e domínio exclusivo de uma determinada classe social”.(ARROYO, 1986) Certamente, nesse processo de integração da antiga escola com o computador,essa mutação do espaço escolar vai exigir que os educadores respeitem os saberesdo educando, onde as discussões envolvendo a familiaridade entre os saberescurriculares fundamentais e a experiência social de cada um dos aprendizesservirá e muito para o progresso do aprendizado, já que sabemos que a relação damáquina e educador é um tanto quanto distanciadas. “O educador deve ter emmente o fato de que é um ser inacabado, não obstante, esta consciênciaacompanha o ser humano por si só e o leva a um estado reflexivo”. (FREIRE,1996)1.6 A APRENDIZAGEM COLABORATIVA COM O USO DO COMPUTADOR “A aprendizagem colaborativa é um processo de construção de significados apartir de interações entre os participantes que podem ser mediadas por sistemascomputacionais.” (DILLENBOURG, 1996; STAHL et al, 2006) Com o uso do computador, o processo é centralizado nos alunos e favorece oestudo em grupo, com uma mediação pedagógica e inovadora do professor.Certamente, a aprendizagem tradicional deverá ser obrigatoriamente eliminada doambiente escolar, ou seja, nas escolas participantes do PROUCA. Os alunos, bemcomo os professores, construirão conhecimentos a partir das reflexões e dasdiscussões, o que desenvolverá o pensamento crítico dos envolvidos.A construção do conhecimento em grupo (entende-se grupo aqui, todos osenvolvidos no processo de ensino e aprendizagem, ou seja, alunos e professores),tem potencial para aumentar o engajamento nas atividades educacionais e alcançarmelhores resultados do que com a individualização dos estudos.Com o uso do computador portátil o professor deixa de ser a autoridade e setransforma em um orientador do grupo e coordenador do processo. As principais
  21. 21. 20diferenças entre a postura tradicional do professor e a aprendizagem colaborativa,estão apresentadas na tabela 2 (SANTORO e PIMENTEL, 2009). Tabela 2: ensino tradicional versus ensino com laptop integrado6 ENSINO TRADICIONAL ENSINO COM LAPTOP INTEGRADOEstudo isolado Estudo em grupoProfessor autoridade Professor coordenadorAluno: recipiente a ser preenchido com informações Aprendiz: transforma informações em conhecimentodo professor através da interação socialAprendizagem reativa e passiva Aprendizagem ativa e investigativaMemorização de informações Discussões e construção do conhecimentoSeriação no tempo Formação de grupo em função da competênciaÊnfase no produto Ênfase no processoAvaliação pontual, somativa e realizada pelo Avaliação continuada, formativa e realizadaprofessor colaborativamenteSala de aula Ambiente computacional de aprendizagem O uso do deste recurso tecnológico na escola terá a oportunidade darealização de atividades tanto com objetivos cognitivos como de interação social.“O professor atuará como um orientador, definindo e coordenando as etapas dosestudos, os alunos refletem, formulam questões e expressam dúvidas sobre osartefatos produzidos pelos colegas e pelo próprio grupo de trabalho.”(FAGUNDES, 1999) A aprendizagem integrada com o laptop educacional poderá serramificada, baseada em projetos, em problemas e em discussões. Destaco aqui aação do professor e do aluno no processo de ensino e aprendizagem com o uso datecnologia, como nos revela a tabela 3 (MARQUES et al, 2010). Tabela 3: ação do professor e aluno com o uso do laptop7. AÇÕES BASEADA EM BASEADA EM BASEADA EM ATORES PROJETO PROBLEMA DISCUSSÕES Professor Coordenar o Definir problemas ou Propor temas a serem desenvolvimento das exercícios a serem discutidos e coordenar etapas do projeto resolvidos pela turma e as discussões coordenar as respostas6 Adaptada de SANTORO, F. M. ; PIMENTEL, Mariano. . Tecnologias Computacionais para Educação.In: CHRONOS - UNIRIO, v. 1, p. 83-91, 2009.7 MARQUES, Aline de Miranda; PIMENTEL, Mariano; SIQUEIRA, Sean. Dinâmicas Educacionais com oUso de Blogs: Requisitos a partir de Experiências. Disponível em:<http://www.inf.pucminas.br/sbc2010/anais/pdf/wie/st04_01.pdf>. Acesso em: 15 set. 2010.
  22. 22. 21 Aluno Apresentar parte do Contribuir para a Propor temas a serem projeto e criticar os resolução do problema discutidos e discutir os projetos dos colegas ou do exercício temas propostos Com a apreciação da tabela 3, podemos perceber que a aprendizagem escolarintegrada com o uso do laptop, as posturas tanto do professor como o alunosofrem mudanças significativas e positivas para o progresso dos sistemaseducacionais que estão estanques, sem movimentos até hoje (na sua grandemaioria). Assim, as novas tecnologias – no caso aqui o computador portátil –criam chances de reformular as relações entre alunos e professores e de rever arelação da escola com o meio social, ao diversificar os espaços de construção doconhecimento, ao revolucionar processos e metodologias de aprendizagem,permitindo a escola a dialogicidade com os seus sujeitos e com o mundo. Ensinar com a Internet chega a resultados significativos quando está“integrada em um contexto estrutural de mudanças do ensino-aprendizagem, ondeprofessor e alunos vivenciam processos de comunicação abertos, de participaçãointerpessoal e grupal efetivos”. (MORAN, 1997). De outra forma, a Internet seráuma tecnologia a mais, que reforçará as formas tradicionais de ensino.1.7 REFLEXÕES SOBRE O CURRÍCULO: MUDANÇASNECESSÁRIAS Com a implantação do PROUCA ocorrerá mudanças no currículo. Essaintegração do computador impulsionará uma nova postura dos alunos e dosprofessores frente as competências e as habilidades a serem desenvolvidas em salade aula, em relação ao currículo escolar estabelecido. Este caminho para amudança de postura, tanto dos docentes como dos discentes, será devido aampliação do acesso a informações relativas às aulas ministras. Podemosvisualizar melhor no diagrama que representa a dimensão educacional que oPROUCA atingirá dentro da unidade escolar, como revelado na figura 4 abaixo:
  23. 23. 22 Figura 4: diagrama da dimensão educacional na unidade escolar8 Desta maneira, o conhecimento passará a não estar somente no livrodidático, no quadro-verde ou com o professor, nesta reorganização do ambienteescolar, cada aluno passará a ter acesso as informações diferenciadas. Estamodificação no padrão do processo de ensino e aprendizagem desencadearáobrigatoriamente a necessidade quase instantânea de reflexão sobre a metodologiados profissionais da educação.O processo de transgressão da estrutura escolar com a implantação da tecnologia,deverá ser marcada com: · Busca de atividades que promovem e emancipação dos alunos; · Busca de ações pedagógicas significativas pelos professores. Frente a essas modificações na postura do aluno, do professor e de todo oprocesso educacional, verificamos que a formação continuada deve ser integradaao calendário escolar, como elemento chave para o sucesso do projeto. Formaçãoessa, assegurada em lei, sendo:8 Adaptação do diagrama disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ea000135.pdf>. Acesso em: 24 set. 2010.
  24. 24. 23 ‘’Art67. Os sistemas de ensino promoverão a valorização dos profissionais da educação, assegurando-lhes, inclusive nos termos dos estatutos e dos planos de carreira do magistério público: II- (...) II- aperfeiçoamento profissional continuado, inclusive com licenciamento periódico remunerado para esse fim.’’ (LDBEN, 1996) Assim o docente que estiver inserido em uma escola participante epraticante do PROUCA, sofrerá algumas releituras nas suas competências. Terãoque ir em busca de muita qualificação para um fazer pedagógico honesto. Vejaalgumas possibilidades na figura 5: Figura 5: diagrama da dimensão educacional dos docentes9 Além dessas proposições, posso afirmar que a formação também ocorrerádurante o fazer pedagógico, através de trocas ou de sugestões realizadas pelogrupo de trabalho. Também para somar as dúvidas e lidar com as dificuldades doseducadores, que não tem sido a utilização da máquina, mas sim a nova formataçãode desenvolvimento da prática docente, através de projetos de aprendizagem e nãomais por aulas lineares. Com a vinda do laptop educacional a Escola Miguel Gustavo, os professoresterão que repensar sua ação pedagógica, apresentando alternativas mais adequadasa nova realidade escolar. Com contribuição a esta e as demais escolas integrantes9 Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ea000135.pdf>. Acesso em: 24 set.2010.
  25. 25. 24do PROUCA, a metodologia por projetos de trabalho é um grande passo para osucesso da integração entre a tecnologia e a escola. ‘’(...)um procedimento, que está em diálogo constante com o contexto, as circunstâncias e os indivíduos envolvidos no processo, admitindo-se, assim, que este tenha modificações em função das variáveis envolvidas.’’ (HERNANDES e VENTURA, 1998, p.61) Ao integrar o computador ao quotidiano, várias mudanças deverão ocorrer,em especial, no currículo, como: postura e práticas docentes; diferentesposicionamentos frente ao conhecimento; desenvolvimento de projetosinterdisciplinares; etc. Por fim, acredito que estas discussões sobre mudanças curriculares e aprodução de conhecimento buscarão “compreender como se processam as novasformas de aprender, pensar, ser, sentir e viver na sociedade contemporânea.”(SANTOS e BORGES, 2009) Sintetizando as principais ideias sobre a utilização dos laptops na educação,partindo das vantagens mais imediatas, finalizo com as implicações nametodologia do trabalho de professores e de alunos, como mostra a figura 6.(MONTEIRO e LOUREIRO, 2009) Figura 6: os laptops permitem1010 Disponível em: <http://eft.educom.pt/index.php/eft/article/viewFile/64/51>. Acesso em: 26 ago. 2010.
  26. 26. 252 A PESQUISA NA REALIDADE ESCOLAR A temática que estou propondo no desenvolvimento dessa pesquisa foibaseada na aceitação e a utilização do computador portátil na sala de aula, atravésde uma abordagem que foi realizada para aferir aspectos qualitativos ligados asações, sentimentos, relações e reflexões.2.1 METODOLOGIA Para a realização deste estudo será traçado um caminho, visando promoveruma sequência lógica que ligasse os dados empíricos à questão inicial e àsanálises finais. Desta maneira, pretendo realizar um relato de experiênciaexploratório do tema em questão, descrevendo as dúvidas, incertezas e a aceitaçãodos docentes participantes voluntários e que lecionam na Escola Estadual deEnsino Fundamental Miguel Gustavo, localizada na zona urbana do município deSapucaia do Sul/RS. Vejo que, para uma produção mais válida envolvendo autilização e a aceitação da tecnologia vinculada a educação, no caso aqui dolaptop, relatar experiências pedagógicas, é o que penso ser mais adequado, atépela minha participação direta no dia-a-dia desta instituição de ensino. As informações serão adquiridas através do universo da escola já citada. Osdados serão coletados através de um questionário construído com itens abertos eitens fechados, que deverão ser entregues pessoalmente, aos respectivosvoluntários envolvidos nessa pesquisa. O estímulo junto aos professores para suaparticipação nos estudos torna-se desta maneira mais fácil e rápida, utilizando asestratégias anteriormente descritas. Após, em posse desses dados, os mesmo serão analisadas e incluídas dentro deum contexto. Devo lembrar que a aplicação do questionário remete à análiseconsiderando alguns vieses, tais como a diferença de percepção de cada um dosprofessores devido às diversas de idades; o grau de intimidade com a tecnologia; ograu de visão pedagógica com a integração do laptop a prática docente, etc. Também serão utilizadas entrevistas com a Multiplicadora do Curso daFormação Continuada de Professores UCA RS, da 27ª Coordenadoria Regional de
  27. 27. 26Educação, localizada na cidade de Canoas/RS, para a obtenção de informaçõesqualitativas sobre o uso dessa tecnologia nas escolas participantes do PROUCA,com possibilidades flexíveis de introduzir variações que se fizerem necessáriasdurante a aplicação. Outro procedimento conveniente e indispensável na pesquisada temática é a observação direta dos atores (professores), para a obtenção dedeterminados tipos de informações, julgando-as sem interferências e comfidelidade registrando-as, que não aparecerão durante a aplicação do questionárioe da entrevista.2.2 PROCEDIMENTOS · Análise a documentação da escola; · Observações diretas; · Uso de questionário com os professores.2.3 POPULAÇÃO E AMOSTRA · População: 17 sujeitos, participantes do dia-a-dia da escola. · Amostra: 5 sujeitos que entregaram o questionário.2.4 QUESTÃO DE PESQUISA Refletindo sobre a aceitação e a utilização do computador portátilintegrado com a prática em sala de aula.2.5 INSTRUMENTOS DE PESQUISA Foram utilizados para a coleta de dados deste trabalho, questionários eobservações diretas, conforme recomendações da “investigação qualitativa”.(TRIVINOS, 2001)· Tens expectativas com o uso do laptop na sala de aula? Quais?· Tens algum receio com a utilização do laptop na escola? Se a resposta for positiva, quais seriam?· Quais as adaptações no teu planejamento que farás com a integração do laptop na sala de aula?· Tu pensas que será interessante essa integração pedagógica e tecnológica na escola? Explique· Como o laptop, melhorará as atividades em sala de aula?
  28. 28. 272.6 RESULTADOS DA COLETA DE DADOS Nesta sessão, apresento os resultados da coleta de dados que foi verificadoatravés dos questionários devolvidos pelo grupo de professores e gestores daescola. Assim, resultou nos seguintes resultados quantitativos. A primeira etapa do questionário foi uma caracterização do pesquisado,envolvendo sua historicidade profissional. Desta maneira resultou nos gráficosabaixo:2.6.1 Caracterização do Pesquisado · Sexo: 5 5 4 3 2 1 0 0 M asculino Fem inino · Idade: 5 4 4 3 2 1 1 0 0 0 1 8 a 2 5 2 6 a 3 5 3 6 a 4 5 m a is d e 4 6 a n o s · Formação11: 5 4 3 3 2 2 1 0 0 0 E n s in o E n s in o E n s in o P ó s - M é d io - S u p e r io r - S u p e r i o r - g r a d u a ç ã o N o r m a l In c o m p le to C o m p le r o11 Graduação: Pedagogia 1; Administração 1. Pós-graduação: Tecnologia da Informação e da Comunicaçãona Produção de Aprendizagem 1; Informática na Educação 1; Psicopedagogia 1; História do Rio Grande doSul 1.
  29. 29. 28 · Atuação12: 5 4 3 3 3 2 1 1 0 0 Anos?Séries Iniciais Séries Finais Ensino M édio Setor · Tempo de Atuação: 5 4 4 3 2 1 1 1 0 0 0 0a5 6 a 10 11 a 20 21 a 30 mais de 31 anos2.6.2 Foco da Pesquisa · O sistema do laptop é fácil de usar. 5 4 4 3 2 1 1 0 0 0 0 D is c o rd o to ta lm en te D is c o rd o e m p a rte N ã o c o n c o rd o , n e m C o n c o rd o e m p a rte C o n c o rd o to ta lm e n te d is c o rd o · Eu entendo bem como mexer no laptop. 5 4 4 3 2 1 1 0 0 0 0 D is c o r d o t o t a lm e n te D is c o r d o e m p a r t e N ã o c o n c o rd o , n e m C o n c o rd o e m p a rte C o n c o r d o t o t a lm e n te d is c o r d o · Com o laptop, eu posso fazer mais tarefas. 5 4 3 3 2 2 1 0 0 0 0 Discordo totalmente Discordo em parte Não concordo, nem Concordo em parte Concordo totalmente discordo12 Setores: Direção 1; Vice-direção 1; Multiplicadora do NTE 1.
  30. 30. 29· A internet é fácil de usar. 5 4 3 3 2 2 1 0 0 0 0 Discordo totalm en te Discordo em parte Não concord o, nem Concordo em parte Concordo totalm ente discord o· Com o laptop, eu tenho mais acesso às informações que preciso para meu planejamento. 5 5 4 3 2 1 0 0 0 0 0 Discordo totalmente Discordo em parte Não concordo, nem Concordo em parte Concordo totalmente discordo· Tens expectativas com o uso do laptop na sala de aula? Quais? 5 4 4 4 3 2 2 1 0 Em riq uecim en to das aulas P reparação à cidadania Alunos co m acesso à pesquisa· Tens algum receio com a utilização do laptop na escola? Se a resposta for positiva, quais seriam? 5 4 4 3 3 2 2 1 1 0 Não domínio da máquina Alunos usarem apenas Problemas técnicos Indisciplina MSN, Orkut, etc· Quais as adaptações no teu planejamento que farás com a integração do laptop na sala de aula? 5 4 4 3 3 2 2 1 1 0 I n te r e s s e d o s a l u n o s A u la s c r ia tiv a s R e c u r s o s d o la p to p D is p o s i ç ã o d a s c la s s e s
  31. 31. 30 · Tu pensas que será interessante essa integração pedagógica e tecnológica na escola? Explica. 5 4 4 4 3 2 1 0 Pela renovação da educação Aluno agente no processo · Como o laptop, melhorará as atividades na sala de aula? 8 8 7 6 5 4 3 2 2 2 1 1 0 Aulas mais atraentes Maior concentração Aulas dinâmicas Ampliação do Conhecimento2.7 ANÁLISE DOS RESULTADOS A instituição escolar, no decorrer dos tempos, vem desempenhando suascompetências carregadas ainda com um caráter tradicional, com normas e regrasque regulam seu espaço na comunidade escolar. A escola, porém, não deve desempenhar papel intocável, para assegurar ocumprimento de suas atribuições sócio-educativas, objetivando assim manter“harmonia” entre o institucional e a comunidade educacional. Nesse sentido, a escola deve perceber que seu papel, “seu real objetivo detrabalho tem que ser a relação entre o que o professor ensina e o que o alunoaprende” (Medina, 2002), sentindo assim, a necessidade da mudança em torno dadinâmica pedagógica, modificando o aspecto tradicional de seus objetivos e suasmetas para uma ação baseada na reflexão, onde o processo reflexivo iráreestruturar e impulsionar novas ações tornando assim, o computador, como parteintegrante do processo vivenciado pelo coletivo da escola, legitimando suasatribuições. Essa nova escola deverá assumir postura comprometida com a união datecnologia com a educação, posicionando-se com um aliado dos docentes, tendoclaro suas reais atribuições devendo saber a favor de quem ou contra quem está
  32. 32. 31exercendo seus objetivos e suas finalidades, promovendo uma ação capaz dealterar positivamente o processo educativo, a partir da reflexão constante sobre oquotidiano educacional baseado num referencial teórico que contraponha oconceito conservador das suas competências já cristalizadas pelo senso comum. A partir de estudo teórico voltado para uma ação que atue na perspectivade democratização do trabalho, ou seja, aquela cuja ação caracteriza-se pelaatitude reflexiva, pela ênfase no pedagógico, pela dialogicidade e pelo trabalhocoletivo, pontuando uma influência positiva da ligação do tecnológico e doeducativo, visto que a verdadeira relação educativa não se faz sem um vínculo demútua confiança: o professor confiando nas potencialidades do computador e ocomputador proporcionando ferramentas para o trabalho do professor, construindoassim, um ambiente escolar, onde se dá espaço para a melhoria do fazerpedagógico do professor, onde a busca de ideias inovadoras para resolução deproblemas se faz constante, criando-se a disposição para a colaboração, virando-seo bem comum e a melhoria da qualidade nas relações educativas. Esta posturacontrapõe-se à concepção da educação controladora, técnica que permeia sua açãona reprodução de falas e de didáticos. A escola desejável e necessária é, nesta perspectiva, aquela que temclareza de suas atribuições socioeducativas, atuando a partir de uma atitudereflexiva, desafiando seus atores continuamente e problematizando as crençasnorteadoras da prática. Mobilizar a reflexão do professor sobre sua própria práticae uma tarefa das mais difíceis, principalmente atingir aquela parcela deprofissionais resistentes às mudanças que os novos tempos exigem e que a EscolaMiguel Gustavo está passando, porém, a escola estará constantemente tentando,oportunizando com formações e estudos, para que realmente ocorra essaintegração pedagógica do computador com o dia-a-dia da escola.
  33. 33. 32CONSIDERAÇÕES FINAIS Historicamente, os responsáveis pela política educacional decidem pelaelaboração de propostas educacionais e são surpreendidos pela grande distânciaexistente entre as proposições de gabinete e sua implementação à nível de unidadeescolar. Este se dá em um contexto influenciado por uma série de fatores nemsempre previstos, o que determina, muitas vezes, a necessidade de adaptações,seja pelas próprias escolas, seja pelos órgãos administrativos. Com isso, entendo que as relações para a funcionalidade adequada doslaptops educacionais dentro da escola envolvem uma cadeia de fatores internos eexternos á mesma. Por estas situações estou inclinado a acreditar que aquelesgrandes projetos de gabinetes deveriam ser substituídos por ações menosambiciosas, ações distanciadas da linha de poder vertical á linha maisdemocrática, dialógica e participativa, mais concreta, voltada para dentro daescola e para além dela. O tempo que passei desenvolvendo esta pesquisa, observei que a estruturado poder do Governo é claramente definida: os coordenadores/dirigentes detêmtodas as informações provenientes dos órgãos centrais e as repassam aos outrosatores, no caso aqui, a Escola, na medida da necessidade. Dito isso, afirmo que uma postura importante é estar sempre “desarmado”ao tomar conhecimento de situações-problemas. Analisar sempre com muitocuidado os fatos, com maior neutralidade possível, sem tirar pensamentosprecipitados é um dos caminhos. É necessário escutar e a partir daí encontrarcaminhos através da dialogicidade. Com as escutas que realizei quase todosafirmam que o Governo tem o maior poder para resolvê-la os problemasapresentados no PROUCA. As dificuldades enfrentadas para o início efetivo dotrabalho com o grupo de educadores e educandos então demorados, são passoslentos para que se consiga visualizar toda a estrutura técnica e pedagógica emcondições significativas de uso. Toda a pesquisa realizada, foi através de muita consciência e avaliação.Respeito, confiança, honestidade e franqueza eram a base do meu relacionamento.Com esta linha de trabalho traçado, a escola demonstrou reciprocidade para a
  34. 34. 33proposta. Felizmente, todo o caminho visualizado e percorrido na Escola eralegítimo, ou seja, com sentido. No tocante a questão da legitimidade, Weber,acentuada por Bourdieu (apud CASTRO, 1994) expressava que “deve incorporaras aspirações e interesses dos atores envolvidos no processo, não sendo utilizadopelos seus detentores, para visualização de projetos próprios e atendimento aospróprios interesses, em nome da coletividade”. Desta forma, os detentores do projeto podem perder seus trunfos peloabuso e pela cegueira que os levam a subestimar a capacidade das pessoas queestão sob sua coordenação ou influência. Todavia, estas intra e interrelação noquotidiano educacional que vivenciamos, desperta uma outra atitude que colaboramuito no decorrer da implantação do PROUCA. É a vontade de saber cada vezmais, de aprender, de estar em comunhão com a prática docente e a tecnologia jápresente no espaço escolar. Toda vez que encontrava a equipe diretiva,educadores, funcionários e demais atores da escola, sentia a obrigação de levaralguma coisa nova e interessante para eles. Perfeccionismo? Defeito? Orgulhoprofissional? Talvez! Mas o importante é que todos se beneficiaram com isto,inclusive eu. Aspirei, com esta oportunidade, construir e utilizar o espaço pedagógico,como um ligar de pesquisa interacionista. Mas para chegar a esta dinâmica, parauma pesquisa coletiva, se fez necessário reformular o pensamento dos atores daescola, rever sua estrutura e suas finalidades. Desta maneira, acredito que, deveriame aproximar mais do trabalho do educador, sendo realizado em que eu, comomais novo integrante da escola, me descobrisse como participante ativo, bemcomo o grupo de educadores com quem trabalhei. Enfim, após estudo teórico prático, posso dizer que faz necessário areflexão permanente da escola sobre sua prática a fim de resignifica-la, tomandocomo objeto de trabalho a dinâmica escolar, afastando-se assim, a linearidade e ahierarquização que vem sendo questionada em todas as esferas do ensino,passando a escola a contribuir para o desenvolvimento da postura reflexiva, aoassumir-se como sujeito do processo, saindo da postura de quem tem açõespreviamente estabelecidas e colocando-se como parceira na construção dealternativas, trabalhando e desenvolvendo com toda a comunidade escolar a suapráxis diária visando um desempenho mais qualificado.
  35. 35. 34 Para finalizar, homenageio a Instituição que abriu suas portas para arealização e que construiu o sentido prático a esta investigação, instituição estaque tenho o privilégio de conviver, e com quem muito aprendi, apesar de algunssobressaltos, muito ricos, diga-se de passagem, a minha aprendizagem. Mesmoquando discordava de algumas ideias, tentava visualizar para eles a necessidadede buscar soluções juntos, buscar uma solução para a discordância brotada, poisafinal, estava no direito de construir novas perspectivas vinculadas a integraçãotecnológica à escola. Devo aos profissionais com quem trabalhei a oportunidadede vivenciar estas experiências em um grupo participante do Projeto UCA. Nossasações foram sempre complementares e se complementaram com a diversidade depensamentos, isto é, este trabalho só foi possível por que teve a colaboração, acooperação efetiva de todos da comunidade escolar, pois todos têm um saber a serconsiderado e muitas vezes a ser ainda descoberto.
  36. 36. 35REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASARROYO, M. (org.), 1986. Da escola carente à escola possível. São Paulo,Loyola, (Coleção Educação Popular; 8), 183 p.BRASIL. Ministério da Educação. Grupo de Trabalho. Diagrama do ProjetoUCA: um computador por aluno. Disponível em:<http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ea000135.pdf>. Acesso em:24 set. 2010.BRASIL. Ministério da Educação. Pré-piloto. Disponível em:<http://www.uca.gov.br/institucional/experimentosFase1.jsp>. Acesso em: 26 set.2010.BRASIL. Ministério da Educação. Escolas Beneficiadas: distribuição. Disponívelem: <http://www.uca.gov.br/institucional/escolasBeneficiadas.jsp>. Acesso em:26 set. 2010.BRASIL. Ministério da Educação. Convertida em lei a Medida Provisória quecria o projeto PROUCA: Lei nº 12.249, de 10 de junho de 2010, trata, entreoutros assuntos, da criação do Programa Um Computador por Aluno - PROUCA einstitui o Regime Especial de Aquisição de Computadores para Uso Educacional -RECOMPE . Disponível em:<http://www.uca.gov.br/institucional/noticiasLei12249.jsp>. Acesso em: 20 set.2010.BRASIL. Presidência da República. Casa Civil: subchefia para assuntos jurídicos.Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996: Estabelece as diretrizes e bases daeducação nacional. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>. Acesso em: 20 set.2010.CÂMARA DOS DEPUTADOS. Um computador por aluno: a experiênciabrasileira. Brasília: Câmara Dos Deputados, 2008. (Coordenação de Publicações).CASTRO, Magali de. Relações de Poder na Escola Pública de EnsinoFundamental: uma radiografia de webwe e Bourdideu. São Paulo: USP, 1994.Tese (Doutorado em Educação), Faculdade de Educação, Universidade de SãoPaulo, 1994. 3v.ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL MIGUEL GUSTAVO.Projeto UCA: parte 02. Disponível em: <http://miguelgustavoescola.blogspot.com/2010/09/projeto-uca-parte-02.html>.Acesso em: 29 set. 2010.ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL MIGUEL GUSTAVO.Projeto UCA: parte 03. Disponível em:
  37. 37. 36<http://miguelgustavoescola.blogspot.com/2010/10/projeto-uca-parte-03.html>Acesso em: 06 out. 2010.FAGUNDES, Léa Da Cruz; SATO, Luciane Sayuri; MAÇADA, Débora Laurino.Aprendizes do futuro: as inovações começaram. Brasilia: Proinfo/Seed/Mec,1999. 95 p. (Coleção Informática para a Mudança na Educação).FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à práticaeducativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. 165 p.GANDIN, Danilo. Escola e transformação social. Rio de Janeiro: Vozes, 2002.180 p.GRUPO CCE (Brasil). Conecte-se com Projeto UCA. Disponível em:<http://www.cceinfo.com.br/uca/>. Acesso em: 26 set. 2010.GRUPO CCE (Brasil). Conecte-se com Projeto UCA: Classmate –especificações. Disponível em: <http://www.cceinfo.com.br/uca/>. Acesso em: 19set. 2010.HERNÁNDEZ, Fernando; VENTURA, Montserrat. A Organização doCurrículo por Projetos de Trabalho: o conhecimento é um caleidoscópio. 5. ed.Porto Alegre: Artmed, 1998.MARQUES, Aline de Miranda; PIMENTEL, Mariano; SIQUEIRA, Sean.Dinâmicas Educacionais com o Uso de Blogs: Requisitos a partir deExperiências. Disponível em:<http://www.inf.pucminas.br/sbc2010/anais/pdf/wie/st04_01.pdf>. Acesso em: 15set. 2010.NTE CANOAS. Mais formação UCA: Miguel Gustavo. Disponível em: <http://ntecanoas.blogspot.com/2010/09/mais-formacao-uca-miguel-gustavo.html>.Acesso em: 21 set. 2010.ONE LAPTOP PER CHILD (Cambridge, Masssachusetts, EUA). ChildrenCountries. Disponível em: <http://laptop.org/en/children/index.shtml>. Acessoem: 19 set. 2010.ONE LAPTOP PER CHILD (Cambridge, Masssachusetts, EUA). Laptop,Hardware e Software. Disponível em: <http://laptop.org/en/laptop/index.shtml>.Acesso em: 19 set. 2010.ONE LAPTOP PER CHILD (Cambridge, Masssachusetts, EUA). MissionEducation Project. Disponível em: <http://laptop.org/en/vision/index.shtml>.Acesso em: 19 set. 2010.MEDINA, Antonia da Silva. Supervisão Escolar: da ação exercida à açãorepensada. 2. ed. Porto Alegre: Age, 2002. 167 p.
  38. 38. 37MONTEIRO, Hugo; LOUREIRO, Maria João. 30 Práticas de utilização decomputadores portáteis em contexto educativo:: que impactos?. Disponívelem: <http://eft.educom.pt/index.php/eft/article/viewFile/64/51>. Acesso em: 26ago. 2010.PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre:Artmed, 2000. 192 p.STAHL, Gerry; KOSCHMANN, Timothy; SUTHERS, Dan. Aprendizagemcolaborativa com suporte computacional: Uma perspectiva histórica. Traduzidopor: Hugo Fuks, Tatiana Escovedo. Disponível em:<http://gerrystahl.net/cscl/CSCL_Portuguese.pdf>. Acesso em: 18 set. 2010.SANTORO, F. M. ; PIMENTEL, Mariano. . Tecnologias Computacionais paraEducação. In: CHRONOS - UNIRIO, v. 1, p. 83-91, 2009.SANTOS, Maximiliana B. F. Dos; BORGES, Martha Kaschny. ALTERAÇÕESNO COTIDIANO ESCOLAR DECORRENTES DA IMPLANTAÇÃO DELAPTOPS EDUCACIONAIS. Disponível em:<http://www4.pucsp.br/ecurriculum/artigos_v_4_n_2_jun_2009/art10.pdf>.Acesso em: 26 ago. 2010.TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Teórico-metodológico da PesquisaQualitativa em Ciências Sócias: idéias gerais para a elaboração de um projeto depesquisa. Porto Alegre: Ritter dos Reis, 2001. (Cadernos de Pesquisa Ritter dosReis).MORÁN, José Manuel. Como Utilizar a Internet na Educação. Revista Ciênciada Informação, Vol. 26, nº 2,: 146-153. Maio/ago. 1997.
  39. 39. 38APÊNDICES(A) Instrumento utilizado para a coleta de dados: PONTIFÍCIO UNIVERSIDADE CATÓLICA - RIO Coordenação Central de Educação a Distância Curso de Especialização - Tecnologias em Educação PESQUISA: A aceitação e a emprego do computador portátil na sala de aula.1. Caracterização do Pesquisado1.1. Sexo: Masculin Feminino ( ) ( )1.2. Idade: 18 a 25 26 a 35 36 a 45 mais de 45 anos ( ) ( ) ( ) ( )1.3. Formação: Ensino Médio Ensino Superior Pós-graduação Curso Normal Incompleto. Completo. Qual? Qual? ( )1.4. Atuação: Educação infantil Ensino Fundamental Setor. Séries Iniciais Séries Finais Qual? ( ) ( ) ( )1.5. Tempo de Atuação: 0a5 6 a 10 11 a 20 21 a 30 mais de 30 ( ) ( ) ( ) ( ) ( )
  40. 40. 392. Foco da Pesquisa2.1. O sistema do laptop é fácil de usar.( ) Discordo totalmente( ) Discordo em parte( ) Não concordo, nem discordo( ) Concordo em parte( ) Concordo totalmente2.2. Eu entendo bem como mexer no laptop.( ) Discordo totalmente( ) Discordo em parte( ) Não concordo, nem discordo( ) Concordo em parte( ) Concordo totalmente2.3. Com o laptop, eu posso fazer mais tarefas.( ) Discordo totalmente( ) Discordo em parte( ) Não concordo, nem discordo( ) Concordo em parte( ) Concordo totalmente2.4. A internet é fácil de usar.( ) Discordo totalmente( ) Discordo em parte( ) Não concordo, nem discordo( ) Concordo em parte( ) Concordo totalmente2.5. Com o laptop, eu tenho mais acesso às informações que preciso para meuplanejamento.( ) Discordo totalmente( ) Discordo em parte( ) Não concordo, nem discordo( ) Concordo em parte( ) Concordo totalmente2.6. Tens expectativas com o uso do laptop na sala de aula? Quais?__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
  41. 41. 402.7. Tens algum receio com a utilização do laptop na escola? Se a resposta forpositiva, quais seriam?__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________2.8. Quais as adaptações no teu planejamento que farás com a integração dolaptop na sala de aula?__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________2.9. Tu pensas que será interessante essa integração pedagógica e tecnológicana escola? Explica.__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________2.10. Como o laptop, melhorará as atividades na sala de aula?__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

×