Parcerias entre o segundo e       terceiro setor         Parcerias Estratégicas            entre Segundo e             Ter...
O que iremos ver – Nossa Agenda1.    Um pouco dos conceitos de Marketing, Estratégia e RSE;2.    Parcerias;3.    Parcerias...
Um pouco dos conceitos de                             Marketing, Estratégia e RSEn erica.bamberg@gmail.com
Conceito de Marketingn    Marketing       “Um processo pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e         des...
Valor no conceito do clienten    Valores buscados:       ¨  Imagem / Marca       ¨  Local / Elementos Tangíveis       ¨...
Tarefas da Gerência de Marketing                                                                Produto                   ...
Definição de EstratégiaÉ o conjunto de movimentos e ações da    empresa em direção ao futuro                              ...
Estratégia, para que serve?É o desenvolvimento de planos de       longo prazo  para a gestão eficaz de          oportunida...
RSE ou RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL2º SetorExpectativas mais altas dos consumidores e dos stakeholders emrelação as...
Metas do Milênio1_   Acabar com a fome e a miséria;2_   Educação básica de qualidade para todos;3_   Igualdade entre sexos...
Situação atual do terceiro setorn    Cresce o terceiro setorn    Novas ONG conquistam espaço e surge, até, a      concor...
Uma opção – Marketing SocialDefinição:  Marketing Social ou o Marketing para  Causas Sociais pode ser definido como  uma f...
Principais BENEFÍCIOS das Práticas Sociaisn    Maior atratividade para      investidores e analistas      financeirosn  ...
Mais BENEFÍCIOS das Práticas Sociais                              n    Fortalecimento da liderança                       ...
A base está:       n    Os programas de marketing de causas             sociais são baseados em parcerias,             ob...
Aproximação estratégica com o Terceiro Setor                                               n    CREDIBILIDADE            ...
Parcerias e VantagensPara as ONGs, as vantagens seriam:n    maiores doações,n    incremento da capacidade institucional,...
PARCERIASn erica.bamberg@gmail.com
Discussãon    O que é Parceria?            n erica.bamberg@gmail.com
Situação atual do segundo setor                             n    Novas ações de diferenciação                            ...
ONG e Empresas conversam                             n    Devido à rapidez demandada na                                  ...
A realidade é um pouco diferenten    Porém, tanto para empresas como para ONG, os      interesses, necessidades e visões ...
No lado das empresasn    Na prática, os empresários são freqüentemente      procurados por ONG apenas para viabilizar o a...
As quatro principais dimensões estratégicas de uma                      parceria  1.    A mentalidade da cooperação - pote...
Sucesso de uma parceria                             n    Optar pelo equilíbrio de forças entre                           ...
Vantagens da parceria para a empresan    Questão de sobrevivência;n    retorno publicitário pode ser medido por meio da ...
Vantagens da parceria para a ONGn    a concretização de projetos, com o apoio de recursos financeiros,      materiais e d...
Problemas na parceria                             n    Ações sociais promovidas pelas                                   e...
CONVERGÊNCIAS E DIVERGÊNCIASn erica.bamberg@gmail.com
O Trabalho desenvolvidoDivergências e convergências nas propostas de  parceria em projetos sociais entre os  representante...
OBJETIVOS E CENÁRIOS1. Razões de            2. Objetivosinvestimento                 em               3. Interesse        ...
BUSCA DE PARCERIA                                                18.         19. Retornos 16. Critérios              17. B...
NEGOCIAÇÃO DA PARCERIA                                                            23. Avaliação        24.21. Grau de     ...
OBJETIVOS E                               CENÁRIOSn erica.bamberg@gmail.com
OBJETIVOS E CENÁRIOS   Diverge                                  Segundo Setor                         Terceiro Setor      ...
OBJETIVOS E CENÁRIOS    Diverge                               Segundo Setor                           Terceiro Setor      ...
OBJETIVOS E CENÁRIOS    Diverge                                  Segundo Setor                           Terceiro Setor   ...
OBJETIVOS E CENÁRIOS    Diverge                                  Segundo Setor                        Terceiro Setor      ...
OBJETIVOS E CENÁRIOS    Diverge                                  Segundo Setor                           Terceiro Setor   ...
OBJETIVOS E CENÁRIOS    Diverge                                  Segundo Setor                       Terceiro Setor       ...
OBJETIVOS E CENÁRIOS  Diverge                             Segundo Setor                          Terceiro Setor           ...
OBJETIVOS E CENÁRIOS    Diverge                                 Segundo Setor                         Terceiro Setor      ...
OBJETIVOS E CENÁRIOS                               Segundo Setor                              Terceiro Setor9. Relacioname...
OBJETIVOS E CENÁRIOS Diverge                             Segundo Setor                          Terceiro Setor            ...
OBJETIVOS E CENÁRIOS                              Segundo Setor                        Terceiro Setor11. Formação de   med...
OBJETIVOS E CENÁRIOS   Diverge                              Segundo Setor                             Terceiro Setor      ...
OBJETIVOS E CENÁRIOS     Diverge                                Segundo Setor                           Terceiro Setor    ...
OBJETIVOS E CENÁRIOS    Diverge                                 Segundo Setor                            Terceiro Setor   ...
OBJETIVOS E CENÁRIOS                               Segundo Setor                       Terceiro Setor                     ...
BUSCA DE PARCERIASn erica.bamberg@gmail.com
BUSCA PARA PARCERIAS                                  Segundo Setor                      Terceiro Setor16. Critérios para ...
BUSCA PARA PARCERIAS  Diverge                               Segundo Setor                                Terceiro Setor   ...
BUSCA PARA PARCERIAS    Diverge                                 Segundo Setor                        Terceiro Setor18. Ide...
BUSCA PARA PARCERIAS    Diverge                                Segundo Setor                          Terceiro Setor      ...
NEGOCIAÇÃO DA PARCERIAn erica.bamberg@gmail.com
NEGOCIAÇÃO DA PARCERIA Diverge                              Segundo Setor                         Terceiro Setor          ...
NEGOCIAÇÃO DA PARCERIA     Diverge                                  Segundo Setor                         Terceiro Setor  ...
NEGOCIAÇÃO DA PARCERIA     Diverge                                  Segundo Setor                              Terceiro Se...
NEGOCIAÇÃO DA PARCERIA23. Avaliação do                  Segundo Setor            Terceiro Setor     Esforço               ...
NEGOCIAÇÃO DA PARCERIA    Diverge                                 Segundo Setor                           Terceiro Setor  ...
Como trabalhar melhor as                             parcerias entre os setores.n erica.bamberg@gmail.com
Considerações Finais 1/2n    Como minimizar as divergências?       ¡    Identificação da maneira de trabalho que cada   ...
Considerações Finais 2/2n    Como minimizar as divergências?       ¡    Complexidade dos negócios e a forma de atuação; ...
Processos de uma parceria                       1.    Planejamento e preparação                       2.    Negociação e P...
Processos de uma parceria1.    Planejamento e preparação      ¨    Investir tempo e esforço no início é crítico      ¨  ...
Processos de uma parceria2.    Negociar a parceria      ¨  quando identificado o parceiro, o próximo passo é negociar e  ...
Processos de uma parceria3.    O acordo formal      ¨  Antes de rascunhar qualquer documento formal é importante         ...
Processos de uma parceria4.    Gerenciar o programa      ¨  É importante esclarecer os papéis e responsabilidades de toda...
Processos de uma parceria5.    Comunicar o programa      ¨  Uma das etapas mais críticas é a comunicação do programa     ...
Processos de uma parceria                             6.     Monitorar, medir e avaliar o programa                        ...
Como DIVULGAR as parcerias entre os Setores?
Formas de divulgação – Balanço SocialU    m demonstrativo      publicado anualmente pelaempresa reunindo um conjunto de in...
Formas de divulgaçãon    O Mix promocional:      ¨    Propaganda      ¨    Relações públicas      ¨    Patrocínio     ...
Propagandan    Inclui uma variedade de mídias                                                                Anúncios imp...
Relações Públicasn    Representam a principal disciplina de marketing na      definição, criação e implementação de um pr...
Patrocínion    Foco primário de uma      parceria de marketing de      causas sociais;n    Se relaciona por um      even...
Licenciamenton    A corporação paga licença de usar o logotipo ou a identidade da      instituição de caridade em seus pr...
Marketing Direton    Canal direto para mensagens de marketing de causas sociais;n    Muitas instituições sem fins lucrat...
Marketing Direton    Cartões de afinidade são as práticas mais representativas      ¨    Quando alguém solicita o cartão...
Promoção de Vendasn    Tem prazo estipulado e pode ser feito de diversas maneiras:       ¨    Doações acionadas por comp...
Promoção de Vendas¨    Doações acionadas por experimentação – Inscrição ou assinatura de um      produto (AMEX – Restaura...
CoBrandingn    Cobranding - Ações coletivas para o incremento do valor das marcas cuja      associação de marcas desenvol...
Elaboração de Projeton    Escolha do Parceiron    Buscar informações sobre a organização pretendida – DNA empresarialn ...
OBRIGADA!Erica Bambergerica.bamberg@gmail.com
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Parcerias entre o segundo e terceiro setor (erica bamberg)

2.743 visualizações

Publicada em

Um pouco dos conceitos de Marketing, Estratégia e Responsabilidade Social;
Gestão de Parcerias; Analise de Parcerias – Convergências e Divergências;
Como trabalhar melhor as parcerias entre os setores.
Comunicação

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.743
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
61
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Parcerias entre o segundo e terceiro setor (erica bamberg)

  1. 1. Parcerias entre o segundo e terceiro setor Parcerias Estratégicas entre Segundo e Terceiro Setor Erica Bamberg erica.bamberg@gmail.com
  2. 2. O que iremos ver – Nossa Agenda1.  Um pouco dos conceitos de Marketing, Estratégia e RSE;2.  Parcerias;3.  Parcerias – Convergências e Divergências;4.  Como trabalhar melhor as parcerias entre os setores. 1.  Gerenciamento de Parcerias 2.  Comunicação n erica.bamberg@gmail.com
  3. 3. Um pouco dos conceitos de Marketing, Estratégia e RSEn erica.bamberg@gmail.com
  4. 4. Conceito de Marketingn  Marketing “Um processo pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam, por meio da criação, oferta e troca de produtos e valor com os outros” Definição simples: Marketing é a entrega de satisfação para o cliente em forma de benefício. n erica.bamberg@gmail.com
  5. 5. Valor no conceito do clienten  Valores buscados: ¨  Imagem / Marca ¨  Local / Elementos Tangíveis ¨  Serviço / Produto / Pessoas ¨  Status ¨  Segurança / Credibilidade ¨  Conforto / Processo n erica.bamberg@gmail.com
  6. 6. Tarefas da Gerência de Marketing Produto Ofertas da Empresa AmbienteOportunidades Ameaças Preço Implementação e Controle do Segmentação Posicionamento Programa de Marketing Empresa Distribuição Recursos Forças Ofertas Fraquezas Concorrentes Comunicação n erica.bamberg@gmail.com
  7. 7. Definição de EstratégiaÉ o conjunto de movimentos e ações da empresa em direção ao futuro - Formulação - Implementação n erica.bamberg@gmail.com
  8. 8. Estratégia, para que serve?É o desenvolvimento de planos de longo prazo para a gestão eficaz de oportunidades e ameaças ambientais, levando em consideração as forças e fraquezas da corporação. Inclui definir a missão corporativa, especificar os objetivos atingíveis, desenvolver estratégias e estabelecer as linhas mestras das políticas. n erica.bamberg@gmail.com
  9. 9. RSE ou RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL2º SetorExpectativas mais altas dos consumidores e dos stakeholders emrelação as empresas; n  Fornecimento de produtos e serviços n  Qualidade; n  Preço oferecido; n  Valores e agregar valor a estes Valores; n  Passa a ser critério de decisão de compra dos clientes; n  Consumidores passam a exigir que as empresas sejam socialmente corretas
  10. 10. Metas do Milênio1_ Acabar com a fome e a miséria;2_ Educação básica de qualidade para todos;3_ Igualdade entre sexos e valorização da mulher;4_ Reduzir a mortalidade infantil;5_ Melhorar a saúde das gestantes;6_ Combater a Aids, a malária e outras doenças;7_ Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente;8_ Todo mundo trabalhando pelo desenvolvimento. n erica.bamberg@gmail.com
  11. 11. Situação atual do terceiro setorn  Cresce o terceiro setorn  Novas ONG conquistam espaço e surge, até, a concorrência específica entre elasn  Falta de recursos para viabilizar a sustentabilidaden  Busca o Segundo Setor para propor parcerias e, assim, viabilizar os projetos sociais. n erica.bamberg@gmail.com
  12. 12. Uma opção – Marketing SocialDefinição: Marketing Social ou o Marketing para Causas Sociais pode ser definido como uma ferramenta estratégica de marketing e de posicionamento que associa uma empresa ou marca a uma questão ou causa social relevante. n erica.bamberg@gmail.com
  13. 13. Principais BENEFÍCIOS das Práticas Sociaisn  Maior atratividade para investidores e analistas financeirosn  Aprimoramento da gestão de riscos da empresan  Redução de custos operacionais e perdas evitáveisn  Melhoria da capacidade para atrair, motivar e reter talentos.n  Desenvolvimento de novas ferramentas competitivas n erica.bamberg@gmail.com
  14. 14. Mais BENEFÍCIOS das Práticas Sociais n  Fortalecimento da liderança n  Desenvolvimento de parcerias- chave n  Melhoria dos índices de sustentabilidade do negócio n  Criação de “goodwill” na comunidade n  Oportunidades de empreendimentos em conjunto e isenção fiscal n erica.bamberg@gmail.com
  15. 15. A base está: n  Os programas de marketing de causas sociais são baseados em parcerias, objetivos acordados mutuamente e benefício mútuo.n erica.bamberg@gmail.com
  16. 16. Aproximação estratégica com o Terceiro Setor n  CREDIBILIDADE n  RESPEITO n  AUTORIDADEn  Quase o dobro das pessoas acredita que as ONGs são mais confiáveis do que governos, veículos de comunicação e empresas.n  Cerca de dois terços dos entrevistados disseram que as empresas só se importam com o lucro.n  Mais que a metade afirmou que as ONGs "representam princípios em que eu acredito". n erica.bamberg@gmail.com
  17. 17. Parcerias e VantagensPara as ONGs, as vantagens seriam:n  maiores doações,n  incremento da capacidade institucional,n  maior visibilidade e credibilidade,n  ampliação dos canais de distribuição,n  aquisição de vantagens competitivas em relação a outras ONGs. n erica.bamberg@gmail.com
  18. 18. PARCERIASn erica.bamberg@gmail.com
  19. 19. Discussãon  O que é Parceria? n erica.bamberg@gmail.com
  20. 20. Situação atual do segundo setor n  Novas ações de diferenciação no mercado n  Necessidade de mudanças n  Estar mais próximas da sociedade n  Entender mais os problemas sociais n  Atuação estratégica n  Engajadas no Socialn erica.bamberg@gmail.com
  21. 21. ONG e Empresas conversam n  Devido à rapidez demandada na implantação dessas ações sociais, empresas e ONG estabelecem diálogos e discutem interesses. n  Ambas percebem que a formação de parcerias é um processo adequado entre elas, visto que a velocidade das respostas pode vir em menor tempo e a eficácia do trabalho proposto alcançar maior visibilidade.n erica.bamberg@gmail.com
  22. 22. A realidade é um pouco diferenten  Porém, tanto para empresas como para ONG, os interesses, necessidades e visões são distintas.n  Isso torna as negociações mais difíceis entre as partes.n  A implantação de processos e os aspectos mercadológicos trabalham com tempos diferentes, assim como as etapas de planejamento, atividades operacionais e as questões orçamentárias. n erica.bamberg@gmail.com
  23. 23. No lado das empresasn  Na prática, os empresários são freqüentemente procurados por ONG apenas para viabilizar o acesso aos recursos financeiros destinados às ações de responsabilidade social. n erica.bamberg@gmail.com
  24. 24. As quatro principais dimensões estratégicas de uma parceria 1.  A mentalidade da cooperação - potencialidade contida na postura e atitude dos atores do processo no que tange aos relacionamentos interpessoais 2.  O alinhamento estratégico - princípios norteadores, diretrizes gerais e outros elementos que comunicam o perfil de atuação do parceiro no ambiente 3.  Valor da cooperação - como podem ser avaliados os esforços de cada parceiro 4.  Administração do relacionamento - acompanhamento da comunicação, desempenho, motivação n erica.bamberg@gmail.com
  25. 25. Sucesso de uma parceria n  Optar pelo equilíbrio de forças entre os parceiros; n  Concentrar-se no valor somatório das forças, não apenas de cada parceiro unilateralmente; n  Construir relacionamentos gradualmente, por meio de aproximações sucessivas; n  Ser adaptável estruturalmente, ou seja, é preciso ceder para construir parcerias.n erica.bamberg@gmail.com
  26. 26. Vantagens da parceria para a empresan  Questão de sobrevivência;n  retorno publicitário pode ser medido por meio da divulgação do veículo que apresenta a empresa-cidadã voltada para a solução dos problemas sociais;n  retorno tributário advém das deduções fiscais previstas em leis que garantem também maior lucratividade e que geram retorno para os acionistas;n  retorno de produtividade é conquistado por intermédio de funcionários e parceiros que trabalham mais motivados que produzem mais e melhor;n  retorno social que provém dos benefícios sociais gerados pela ação social e empresarial. n erica.bamberg@gmail.com
  27. 27. Vantagens da parceria para a ONGn  a concretização de projetos, com o apoio de recursos financeiros, materiais e de ações voluntárias, proporcionadas pela empresa patrocinadora.n  Sem esses apoios os projetos passam por dificuldades e muitas vezes nem atingem seus objetivos.n  A ampliação de capilaridade, ou seja, de espaço geográfico, é outra vantagem, proporcionando maior atendimento e beneficio para um maior numero de comunidades n erica.bamberg@gmail.com
  28. 28. Problemas na parceria n  Ações sociais promovidas pelas empresas,na maioria das vezes não se utilizam estratégias de marketing social, mas, sim, apenas de promoção social, utilizando-se de marketing comercial. n  O produto, a marca e a imagem, sobrepõem-se a real questão social abordada. n  A divulgação da marca, produto e imagem da empresa deve ser conseqüência do marketing social, não o fator de evidência. n  marketing comercial - que é oportunista, difamador e de curta visãon erica.bamberg@gmail.com
  29. 29. CONVERGÊNCIAS E DIVERGÊNCIASn erica.bamberg@gmail.com
  30. 30. O Trabalho desenvolvidoDivergências e convergências nas propostas de parceria em projetos sociais entre os representantes do segundo e do terceiro setores.OBJETIVOS E CENÁRIOS BUSCA DE PARCERIAS NEGOCIAÇÃO DA PARCERIA n erica.bamberg@gmail.com
  31. 31. OBJETIVOS E CENÁRIOS1. Razões de 2. Objetivosinvestimento em 3. Interesse investimento nas ações 4. Foco nas 5. Destinação em ações sociais ações sociais de Recursos sociais nas ações sociais 7. Retorno da 8. 9.6. Benefícios Melhoria da Relacionamento Relacionamentocom a Ação imagem / com os órgãos com os 10. Etapas reputação governamentais investidores11. Formação 13. 14. 15.de medição de 12. Problemas Inconsistências Necessidades e dificuldades que prejudicam Oportunidades resultados ou facilidades identificadas ou dificultam n erica.bamberg@gmail.com
  32. 32. BUSCA DE PARCERIA 18. 19. Retornos 16. Critérios 17. Busca de Identificação esperados com para escolha parceiros do melhor a formação dede um parceiro parceiro parcerias n erica.bamberg@gmail.com
  33. 33. NEGOCIAÇÃO DA PARCERIA 23. Avaliação 24.21. Grau de 21. Estratégias 22. Critérios Administração relação da de avanço da do Esforço da parceria parceria parceria para avaliação n erica.bamberg@gmail.com
  34. 34. OBJETIVOS E CENÁRIOSn erica.bamberg@gmail.com
  35. 35. OBJETIVOS E CENÁRIOS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q  A concorrência investe q  Praticar assistência à q  Minimizar os prejuízos sociedade provocados ao meio ambiente q  Enfrentar a miséria q  Buscar certificações q  Transformar e capacitar a q  Reduzir os custos população atendida 1. Razões de q  Conquistar boa imagem com q  Exigir do Governo a atuaçãoinvestimento em a comunidade dele nas responsabilidades ações sociais q  Diminuir a pressão da constitucionais. comunidade ou dos funcionários q  Diminuir vulnerabilidades diante de relações trabalhistas q  Fazer filantropia q  Buscar retorno da imagem q  Melhorar os índices financeiros n erica.bamberg@gmail.com
  36. 36. OBJETIVOS E CENÁRIOS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q  Fortalecer a competição q  Promover ações efetivas de q  Gerar negócios ajuda q  Atuar no marketing social e q  Construir um mundo melhor nas ações promocionais q  Ajudar a comunidade2. Objetivos em q  Obter confiança que sinalize q  Obter melhor imageminvestimento nas ações afirmativas no presente e q  Angariar resultados ações sociais no futuro expressivos no segmento do q  Alcançar bom relacionamento marketing com o cliente q  Fortalecer a luta política q  Gerar novos negócios q  Oferecer a visibilidade q  Conquistar grandes mercados q  Movimentar alguma ação q  Diminuir a desigualdade social posterior Converge q  Retorno de imagem ou fazer imagem de marketing n erica.bamberg@gmail.com
  37. 37. OBJETIVOS E CENÁRIOS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q  Aproveitamento todos os q  Buscar funcionar a espaços de mídia espontânea democracia q  Buscar certificação q  Sustentar o processo q  Melhorar a negociação com as democrático partes interessadas q  Atuar na formação do cidadão q  Ter como ferramenta de q  Implantar políticas públicas marketing q  Levar informação à população q  Melhorar a compra de produtos q  Lutar para que o dinheiro seja q  Estabelecer bons bem aplicado e monitorado na3. Interesse nas relacionamentos Câmara dos Vereadores ações sociais q  Cultivar o DNA da empresa q  Formar e fortalecer a q  Buscar novos mercados cidadania potenciais q  Assegurar e buscar que o q  Conquistar volume expressivo Estado resguarde e garanta o de vendas respeito aos direitos humanos q  Valorizar a marca q  Penetrar em mercados inexplorados ou ainda mal- explorados q  Atrair e reter talentos jovens na empresa n erica.bamberg@gmail.com
  38. 38. OBJETIVOS E CENÁRIOS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q  Consolidar as idéias dos q  Atuar em causas ou em algum representantes dos movimento que não tenha sido financiadores ou funcionários contemplado pelo Estado q  Ter como aspecto emotivo q  Focar de forma temática4. Foco nas ações q  Atuar onde a empresa produza sociais resultados lesivos q  Executar em locais próximos as comunidades de baixa renda q  Focar em ações que tenham grande visibilidade q  Agir onde se possam medir os resultados q  Estabelecer parcerias consistentes n erica.bamberg@gmail.com
  39. 39. OBJETIVOS E CENÁRIOS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q  Acomodação de verbas de q  Financiamento externo - setores –Comunicação, que são os fundos de Marketing ou de RH cooperação internacional q  Ordem expressa da q  Convênios com as5. Destinação de presidência prefeituras Recursos q  Acumulação de tarefas, q  Ajuda do setor empresarial originadas por ajustes no q  Organizações das próprias quadro de funcionários corporações q  Comercialização de produtos vendidos pelo projeto social da empresa n erica.bamberg@gmail.com
  40. 40. OBJETIVOS E CENÁRIOS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q  repercussão positiva q  transformação da agenda q  fortalecimento da marca pública, q  redução nos custos q  êxito na ação proposta, q  melhor relacionamento com a q  efetiva formação política comunidade para a cidadania, q  clima geral positivo q  conscientização da q  condições propícias para o população, trabalho q  o acesso a mais q  fortalecimento de parcerias financiamentos para a6. Benefícios com empresarias na formação de continuidade e a a Ação clusters sustentabilidade ao projeto q  compra de produtos q  critério de desempate entre empresas q  obter mais propriedade em longo prazo q  valorar a empresa q  reter clientes q  diminuir o turn over q  elevar a satisfação dos funcionários da empresa n erica.bamberg@gmail.com
  41. 41. OBJETIVOS E CENÁRIOS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q fornecedores tornam-se q reconhecimento do trabalho receptivos às negociações q  seriedade da proposta7. Retorno da q  funcionários mais motivados q  objetivo preconizado. Melhoria da q  estabelecidas parcerias com imagem / maior facilidade reputação q  vendas expressivas dos produtos n erica.bamberg@gmail.com
  42. 42. OBJETIVOS E CENÁRIOS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q diminuiçãodos custos onde q boaimagem da empresa por8. Relacionamento existe o controle do governo parte do público externo. com os órgãos governamentais q diálogos e tramites mais produtivo q  maior poder de influência Converge n erica.bamberg@gmail.com
  43. 43. OBJETIVOS E CENÁRIOS Segundo Setor Terceiro Setor9. Relacionamento q  maior acesso aos bens de capitais aos empréstimos com os ou investimentos investidores q  relação mais segura q  utilização dos recursos de forma mais equilibrada Converge n erica.bamberg@gmail.com
  44. 44. OBJETIVOS E CENÁRIOS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q necessidades do negócio q definição do campo de atuação q posicionamento da empresa10. Etapas q causas e os respectivos problemas que precisam ser resolvidos q  definição dos parceiros q  alinhar a missão q  definir os objetivos, indicadores e metas q  formas de gerência q  apoio e os recursos financeiros e pessoaisConverge n erica.bamberg@gmail.com
  45. 45. OBJETIVOS E CENÁRIOS Segundo Setor Terceiro Setor11. Formação de medição de resultados q  Estabelecimento de indicadores Converge n erica.bamberg@gmail.com
  46. 46. OBJETIVOS E CENÁRIOS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q tempo e resultados do projeto q recursos q  falta de experiência q  imagem da ONG. q  não é seu core business q  preconceitos do mercado, q  relacionamento q  disputas políticas,12. Problemas e q  associações de moradores, dificuldades q  cultura q  busca de resultados q  a concepção de como deverá q  leitura correta sobre os ser, de fato, a ação social, indicadores de sucesso q  campo de atuação q  expectativas que são diferentes q  disputas de caráter material e q  forma de atuação profissional de simbólico cada um n erica.bamberg@gmail.com
  47. 47. OBJETIVOS E CENÁRIOS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q  respostas à profissionalização q desconhecimento. q  falsa expectativa quantoao das ações,13. Inconsistências q  prestação de contas,que prejudicam ou tempo de retorno do investimento q  tamanho da ONG. dificultam q  interlocutores da empresa n erica.bamberg@gmail.com
  48. 48. OBJETIVOS E CENÁRIOS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q superação do desconhecimento q não precisar reinventar a q  benchmarking dinâmica da atuação social q  realização de workshops para divulgação dos trabalhos.14. Oportunidades ou facilidades q estabelecer e desenvolver parcerias Converge n erica.bamberg@gmail.com
  49. 49. OBJETIVOS E CENÁRIOS Segundo Setor Terceiro Setor q  interesses comuns q  clareza dos objetivos15. Necessidades identificadas q  complementaridade das missões q  indicadores em comum q  definição e a clareza das regras q  forma que será operacionalizada q  alianças em longo prazo Converge n erica.bamberg@gmail.com
  50. 50. BUSCA DE PARCERIASn erica.bamberg@gmail.com
  51. 51. BUSCA PARA PARCERIAS Segundo Setor Terceiro Setor16. Critérios para q  pensar próximo escolha de um q  maior comprometimento com o projeto parceiro q  apresentar resultados q  sejam idôneos q  estejam alinhadas Converge n erica.bamberg@gmail.com
  52. 52. BUSCA PARA PARCERIAS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q maior abrangência q abertura de projetos de q  empatia entre os participantes financiamento, q  experiência anterior q  seleção pública17. Busca de q  sejam sustentáveis q  convênios com a prefeitura parceiros q  através de indicações q  visibilidade na mídia q editaisConverge n erica.bamberg@gmail.com
  53. 53. BUSCA PARA PARCERIAS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor18. Identificação q existência de gestão q ética da empresa do melhor q  coerência com o propósito da q  procedimento da comunicação parceiro ação ou do projeto entre os parceiros q  missões estão convergidas com os objetivos q  Instituição é sustentável n erica.bamberg@gmail.com
  54. 54. BUSCA PARA PARCERIAS Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q retorno no resultado sobre a q recursos suficientes meta estabelecida q  facilidade no diálogo 19. Retornos q  futuros negócios que possam ser q  conquista de novos horizontesesperados com a gerados formação de parcerias q comunicação q  sucesso Converge n erica.bamberg@gmail.com
  55. 55. NEGOCIAÇÃO DA PARCERIAn erica.bamberg@gmail.com
  56. 56. NEGOCIAÇÃO DA PARCERIA Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q ONGfazer parte dos processos q sintonia da empresa q tempo de relacionamento q índices que apontem para o20. Grau de relação da acerto dessa união parceria q interesse na união no longo prazoConverge n erica.bamberg@gmail.com
  57. 57. NEGOCIAÇÃO DA PARCERIA Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q entender o ganho que se pretende q como objetivam a mobilização com a realização delas de recursos21. Estratégias de q beneficio dividido q definição do projeto avanço da q o que se deve pedir parceria q quais os beneficiados q o que deverá ser pedido e a quem será pedido q Melhor comunicação entre as partes q Papéis bem definidos Converge n erica.bamberg@gmail.com
  58. 58. NEGOCIAÇÃO DA PARCERIA Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q crescimento dos resultados q não houve violação dos anuais princípios q novas oportunidades a serem q se houve custo alto para o desenvolvidas apoiador q houve foco de atuação no projeto q vale investir na parceria. social q atendimento ao público-alvo q recursos foram investidos22. Critérios para q resultados planejados avaliação alcançados q respeito ao cronograma diante dos resultados investidos q prioridades respeitadas q indicadores estabelecidos Converge n erica.bamberg@gmail.com
  59. 59. NEGOCIAÇÃO DA PARCERIA23. Avaliação do Segundo Setor Terceiro Setor Esforço q preocupação com ambos os esforços q monitoramento do trabalho Converge n erica.bamberg@gmail.com
  60. 60. NEGOCIAÇÃO DA PARCERIA Diverge Segundo Setor Terceiro Setor q gerenciamento no processo da q respeito à autonomia da parceria entidade24. Administração da parceria q monitoramento q processos q prestação de contas q indicadores q expectativas q comunicação Converge n erica.bamberg@gmail.com
  61. 61. Como trabalhar melhor as parcerias entre os setores.n erica.bamberg@gmail.com
  62. 62. Considerações Finais 1/2n  Como minimizar as divergências? ¡  Identificação da maneira de trabalho que cada uma atua; ¡  Definição do melhor tempo para cada uma, subjetividade, o que é efetivo, controles, a prática escolhida, os melhores resultados, a maneira de Transparência prestar contas, como expor o projeto e as negociações do dia-a-dia; Comunicação ¡  Discussão no patamar estratégico, as formas de pensar, os benefícios, as filosofias de cada Negociação organização, valores, visões e missões e atendimento convergem-se entre os setores; Legal n erica.bamberg@gmail.com
  63. 63. Considerações Finais 2/2n  Como minimizar as divergências? ¡  Complexidade dos negócios e a forma de atuação; ¡  Processos táticos de planejamento de parcerias alinhados às idéias estratégicas previstas inicialmente; ¡  Conhecimento e entendimento em profundidade dos interesses das organizações; ¡  Entendimento do discurso e a forma contratual, a opção por atuarem de forma ética e a crença no respeito mútuo. n erica.bamberg@gmail.com
  64. 64. Processos de uma parceria 1.  Planejamento e preparação 2.  Negociação e Parceria 3.  O Acordo Formal 4.  Gerenciamento do Programa 5.  Comunicação do Programa 6.  Monitoração, medição e avaliação do programan erica.bamberg@gmail.com
  65. 65. Processos de uma parceria1.  Planejamento e preparação ¨  Investir tempo e esforço no início é crítico ¨  Entender o que a organização quer atingir e os motivos que legitimem essas premissas. ¨  Um resumo claro sobre as importantes informações constitui-se de: l  histórico e a natureza da organização; l  a visão, os valores e os objetivos da organização; l  os objetivos específicos relativos ao resumo, incluídos os detalhes do mercado-alvo e quaisquer outras restrições conhecidas; l  orçamento, o cronograma e o critério de seleção; l  o que se espera como resposta e quando, por exemplo, uma apresentação ou relatório etc; o nome de contato para informações que se impuserem como fundamentais. n erica.bamberg@gmail.com
  66. 66. Processos de uma parceria2.  Negociar a parceria ¨  quando identificado o parceiro, o próximo passo é negociar e aprovar os detalhes da parceria e do programa ¨  Devem ser conduzidos dentro do espírito dos princípios fundamentais ¨  Todas as partes devem trabalhar com princípio ético e demonstrar satisfação com os benefícios que serão proporcionados e, além disso, não deve existir nenhum sentimento de exploração ¨  Os objetivos SMART são recomendados, isto é, devem ser Simples, Mensuráveis, Atingíveis, Realistas e ter uma limitação de Tempo. n erica.bamberg@gmail.com
  67. 67. Processos de uma parceria3.  O acordo formal ¨  Antes de rascunhar qualquer documento formal é importante procurar consultoria jurídica qualificada ¨  Vários documentos básicos e alguns instrumentos legais precisam ser consultados. n erica.bamberg@gmail.com
  68. 68. Processos de uma parceria4.  Gerenciar o programa ¨  É importante esclarecer os papéis e responsabilidades de todas as partes ¨  Definir um plano de trabalho e comunicar-se regulamente durante todo o processo ajudará a assegurar que o processo funcione com eficiência ¨  Basicamente, é necessário que se saiba quem serão os responsáveis pelas atividades. n erica.bamberg@gmail.com
  69. 69. Processos de uma parceria5.  Comunicar o programa ¨  Uma das etapas mais críticas é a comunicação do programa ¨  O imperativo é que seja atraente, eficiente, baseada nos princípios fundamentais e que esteja em todas as etapas do processo ¨  As fases do processo de comunicação que devem ser consideradas são: preparar o terreno; publicidade de pré-lançamento; lançamento; compromisso contínuo e pós-programa n erica.bamberg@gmail.com
  70. 70. Processos de uma parceria 6.  Monitorar, medir e avaliar o programa ¨  Ajuda a identificar os indicadores de desempenho ¨  refinar os detalhes da parceria e saber se deve ou não investir mais no programa ¨  indicadores de desempenho: Fundos arrecadados; vendas e tráfegos de consumidores; cobertura de mídia; efeitos sobre reputação; imagem ou conscientização; efeitos sobre utilização e/ou atitude; satisfação do cliente, empregado ou demais interessados e impactos sobre a sociedade.n erica.bamberg@gmail.com
  71. 71. Como DIVULGAR as parcerias entre os Setores?
  72. 72. Formas de divulgação – Balanço SocialU m demonstrativo publicado anualmente pelaempresa reunindo um conjunto de informações sobre osprojetos, benefícios e ações sociais dirigidas aosempregados, investidores, analistas demercado, acionistas e à comunidade.É também um instrumento estratégico para avaliar e multiplicaro exercício da responsabilidade social corporativa. n erica.bamberg@gmail.com
  73. 73. Formas de divulgaçãon  O Mix promocional: ¨  Propaganda ¨  Relações públicas ¨  Patrocínio ¨  Licenciamento ¨  Marketing direto – Marketing direto e relacionamento ¨  Promoção de vendas ¨  Projetos n erica.bamberg@gmail.com
  74. 74. Propagandan  Inclui uma variedade de mídias Anúncios impressos e eletrônicos ¨  Pode focalizar a comunicação de uma determinada promoção de vendas Embalagens externas ¨  Atinge a um número maior de Filmes, manuais, brochuras, pessoas beneficiadas e não cartazes e folhetos beneficiadas Outdoor, painéis, display em ponto de vendas Símbolos e logotipos, material áudio visual ¨ Ohemonúcleo de Sorocaba está com o estoque de banco de sangue baixíssimo. O número de doações caiu muito (50%) desde Novembro do ano passado, se prolongou nas férias e deve ir até o carnaval. E é justamente nessa época em que os hospitais precisam de doadores, já que o número de acidentes nas estradas aumenta. n erica.bamberg@gmail.com
  75. 75. Relações Públicasn  Representam a principal disciplina de marketing na definição, criação e implementação de um programan  Capacidade de ser notícia, a inovação, a extinção que causa e uma mensagem atraente são cruciais;n  Sobre a parceria, precisa passar ao público ¨  Sinceridade ¨  Aberta ¨  Transparente ¨  Honesta ¨  Respeito mútuo n erica.bamberg@gmail.com
  76. 76. Patrocínion  Foco primário de uma parceria de marketing de causas sociais;n  Se relaciona por um evento ou atividade particular;n  Em alguns casos o patrocínio pode ser um relacionamento comercial direto entrelaçado aos elos de uma causa n erica.bamberg@gmail.com
  77. 77. Licenciamenton  A corporação paga licença de usar o logotipo ou a identidade da instituição de caridade em seus produtos e serviços;n  Utiliza a logotipo de uma instituição de caridade ¨  Vender mais produtos e serviços ¨  Endossa a marca ¨  Efeito positivon  Contrato de licenciamento ¨  Regulamentações importantes de impostos n erica.bamberg@gmail.com
  78. 78. Marketing Direton  Canal direto para mensagens de marketing de causas sociais;n  Muitas instituições sem fins lucrativos são especializadas e gerenciam bancos de dados de milhões de registros, que é considerado um grande diferencial para as empresas; ¨  Caso haja o interesse, é necessário entender em que circunstâncias será utilizado n erica.bamberg@gmail.com
  79. 79. Marketing Direton  Cartões de afinidade são as práticas mais representativas ¨  Quando alguém solicita o cartão é feita uma doação à instituição de caridade ou causa em questão ¨  Mecanismo básico: n  Quando alguém solicita um cartão é feita uma doação a instituição de caridade ou a causa em questão – AMEX 1983; n  Quando o cartão é utilizado, a cada X valor, é feita uma doação. n  Novo acesso de novos usuários de cartões pelas operadoras n  Existem cartões que escolhem diversas causas outros uma causa em particular n erica.bamberg@gmail.com
  80. 80. Promoção de Vendasn  Tem prazo estipulado e pode ser feito de diversas maneiras: ¨  Doações acionadas por compras – um percentual da compra é convertido para uma ação social. n  Um dos mecanismos mais familiares do mercado; n  Abrangem quaisquer tipos de produtos/serviços n  Para promover o Agile, a campanha permite, através do site www.agilizeai.com.br, a escolha de uma instituição (como creches, escolas e bibliotecas espalhadas pelo país) para ser beneficiada. Ao término da votação online, serão selecionadas 45 instituições, uma em cada cidade, para serem “agilizadas”. A segunda fase da campanha convida as pessoas a doarem roupas, livros, material de construção, brinquedos ou alimentos às n erica.bamberg@gmail.com instituições participantes.
  81. 81. Promoção de Vendas¨  Doações acionadas por experimentação – Inscrição ou assinatura de um produto (AMEX – Restauração da Estátua da Liberdade) e mediante a utilização¨  Coleta de comprovantes – Desenvolvem marca, fidelidade de clientes e vendas¨  Competições, jogos e loterias – O participante não somente ganha somente o prêmio mas doa parte para uma causa escolhida¨  Doação facilitada – Proporciona um veículo para a doação de clientes a instituições de caridade. n  Vídeos, envelopes, anuncios ou revistas de bordo são disponibilizadas para os passageiros do avião pedindo doações. n erica.bamberg@gmail.com
  82. 82. CoBrandingn  Cobranding - Ações coletivas para o incremento do valor das marcas cuja associação de marcas desenvolvem conceitos conjuntos, agregando projeção aos parceiros e à marca final do conjunto.n  Gera retorno financeiro e de imagem para ambas as marcas. n  O alvo de tiro do câncer, por exemplo, tem sido objeto de produto lançado pela Hering, Jandaia, Track & Field, Unibanco e América Online, além da Rede Globo, que incluiu a marca na novela Mulheres Apaixonadas. n erica.bamberg@gmail.com
  83. 83. Elaboração de Projeton  Escolha do Parceiron  Buscar informações sobre a organização pretendida – DNA empresarialn  Buscar informações sobre as comunidades locaisn  Elaboração de uma apresentação ¨  Informações sobre a sua organização n  Missão, objetivos, Interesses ¨  Proposta de parceria n  Oportunidades identificadas n  O que seria n  Como seria – A mecânica n  Peças de criação n  Custos envolvidos ou investimentos pretendidos n  Resultados esperados n  Formas de medir - indicadores n erica.bamberg@gmail.com
  84. 84. OBRIGADA!Erica Bambergerica.bamberg@gmail.com

×