Informática na Educação

748 visualizações

Publicada em

Informática na Educação

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
748
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Informática na Educação

  1. 1. Computador na Educação: Até que ponto as instituições de ensino estão preparadas para este desafio? Fhabiana Thieli dos Santos Machado¹, Érica Vieira Chagas¹, Luciéli Tolfo Beque Guerra¹ ¹Universidade Regional Integrada – Curso de Ciência da Computação – Campus Santiago – Av. Batista Sobrinho, s/n – CEP 97700-000 – Santiago – RS {thielisantos,ericavieira1}@hotmail.com, ltbeque@gmail.com Abstract. The computer in education is present since started in commercial use. It began in Brazil in some institutions of higher education and postgraduate courses (Valente, 2011). The present article aims to analyze the computers in education in region the municipality of Santiago/RS and Itacurubi/RS beyond of the selection of some state and municipal schools to answer one pilot questionnaire what prepared with questions about the of computer labs from this schools. Keywords: computer in education; learning; computer labs. Resumo. O computador na educação está presente desde que iniciou seu uso comercial. Começou no Brasil em algumas instituições de ensino superior e cursos de pós-graduação (Valente, 2011). O presente artigo tem por objetivo analisar a informática na educação na região dos municípios de Santiago/RS e Itacurubi/RS através da seleção de algumas escolas municipais e estaduais para responder um questionário-piloto elaborado com questões sobre as condições dos laboratórios de informática nestas escolas. Palavras-chaves: informática na educação; aprendizagem; laboratório de informática.1. IntroduçãoHá certa controvérsia quanto ao uso da informática na educação devido às diferentesopiniões relativas a esse assunto, mas o fato é que o mundo em que os alunos estãovivenciando tem a Informática como algo fundamental na sua existência. Há muitotempo o computador passou a ser um instrumento de auxílio na aprendizagem dealunos. Atualmente, praticamente todas as escolas municipais e estaduais de Santiago/RS e região possuem laboratório de informática em suas dependências. O presente
  2. 2. artigo tem por objetivo apresentar uma pequena pesquisa buscando retratar de formaobjetiva o modo de como está sendo tratada a questão do computador na educação emalgumas escolas selecionadas. Serão obtidos resultados através do levantamento dedados feito por observação de formulários e entrevista com professores responsáveispelas escolas e as Secretarias de Educação local.2. Forma esperada do uso do computador na educaçãoÉ evidente o fato de a tecnologia estar cada vez mais presente em nosso cotidiano, elaveio para ficar e se amplia exponencialmente a cada dia. Tal situação acarretou anecessidade de inclusão digital, onde muitos indivíduos de baixa renda não têm acesso àtecnologia, ficando assim afastados da sociedade em geral. Na cidade de Santiago/RS, praticamente todas as escolas municipais eestaduais provêem de laboratórios, que foram adquiridos a partir de doações, e/ouaquisições do governo. Estes computadores em sua maioria vieram com o sistemaLinux, alguns com a versão educacional do mesmo. Valente (2011), define a informática na educação como “inserção docomputador no processo de ensino-aprendizagem de conteúdos curriculares de todos osníveis e modalidades de Educação”. O intuito dessa concepção é o de que o computadorpossa auxiliar no processo aprendizagem do educando, junto às aulas de português,matemática, enfim, todas as disciplinas. Tem-se a visão de que o computador venha a ser mais uma ponte noestreitamento da relação teoria-prática, já que versatilidade na manipulação docomputador permite que o indivíduo possa vivenciar e realizar experimentos ouproduzir textos, ou realizar pesquisas sobre temas aos quais nunca poderia ter acessoatravés de meios reais (Teixeira, 2011). Articular-se ainda um processo ideal em que o computador não seria apenasusado como fonte de pesquisa de trabalhos ou aulas e horários vagos, mas sim, estarinserido no processo da educação, onde mudaria o método tradicional de ensino no qualo professor fala, aluno ouve, e gera a aprendizagem. O universo da tecnologia nosproporciona muito mais do que digitação de textos ou copiar e colar. Durante uma aulade história, por exemplo, o professor comentando sobre a ditadura, procura um vídeosobre a mesma e a expõe à classe. Ou ainda, imagens, reportagens, notícias sobre osconteúdos e outras indagações, tornando a aula interativa, onde a aprendizagem seriarecíproca, motivada pelo método tecnológico diferenciado da maneira contemporâneade aprendizagem. Constata-se ainda a necessidade de uma maior interação dos educandos com asferramentas oferecidas num laboratório de informática permitindo a aprendizagem e aconstrução, não como mera aquisição do conhecimento, mas como uma evolução paravôos mais altos (Vieira, 2011). Pode-se acrescentar que aplicando a disciplina de informática dentro da gradecurricular das escolas, assim como o espanhol ou o inglês, traria melhores proveitospara a formação do aluno em questão de preparo profissional para inserção do mesmona sociedade, diminuindo o analfabetismo computacional e qualificando a formação doindividuo para obter melhores alternativas no mercado de trabalho. Dentro desta
  3. 3. disciplina seriam ministrados conteúdos desde a informática básica, como saber usar ainterface do Windows e do Linux, como usar um editor de texto, tabela, apresentação,utilização de jogos educacionais até aulas de lógica. Utopia ou não, a grande questão é, até que ponto realmente as instituições deensino estão preparadas para este desafio? Para que se pudesse ter uma noção da resposta desta questão, foi realizada umapesquisa nos laboratórios de informática de algumas escolas do município deSantiago/RS e de Itacurubi/RS no primeiro semestre de 2011.3. MetodologiaPartindo-se da necessidade de resposta sobre como está a educação aliada aocomputador em nossa região, foi decidido fazer um levantamento sobre as condições euso dos laboratórios de informática que estão presentes na maioria das escolas urbanas erurais. Para tal foi elaborado um questionário-piloto para ser aplicado à pessoaresponsável pelo mesmo. Com o intuito de se obter uma experiência inicial para posterior projeto depesquisa, e possivelmente projeto de extensão, o presente trabalho limitou-se a doismunicípios da região sendo: Santiago/RS localizado na área urbana e Itacurubi/RSsituado na área rural. Inicialmente foram selecionadas quatro escolas de forma aleatória pelo seguintecritério: foi escolhida uma escola municipal e outra estadual de cada município para seter um pequeno retrato não somente das escolas municipais, mas também das escolasestaduais. Em Santiago, foram escolhidas as escolas: Escola Estadual de EducaçãoBásica Monsenhor Assis e Escola Municipal de 1º Grau Heron Jornada Ribeiro. DoItacurubi: Escola Estadual de Ensino Médio Vicente Goulart e Escola Municipal deEnsino Fundamental Mariúza Silva da Silva.3.1 Quanto ao questionário O questionário-piloto possui 10 (dez) questões sendo 7 (sete) de múltipla-escolha e 3 (três) descritivas. As questões foram elaboradas de forma lógica com ointuito de obter resposta para os principais itens relacionados a informática na educação. Seu cabeçalho é composto pelo nome da escola e pelo nome do professor que opreencheu. Dentre às perguntas de multipla-escolha estão: Existe laboratório de informática? Quantos computadores têm? Eles estão em boas condições? Existe o acompanhamento de algum profissional técnico de informática no laboratório? O seu uso se limita a pesquisas e horários vagos?
  4. 4. Existe alguma disciplina específica para seu uso? O sistema possui algum software educacional? Dentre as desritivas: Para quais disciplinas é usado o laboratório? Quais as séries que o freqüentam? Quantas vezes por semana?3.2 Quanto ao levantamento de dados O levantamento de dados foi realizado no primeiro semestre de 2011, através de visitasàs escolas com um questionário presencial ao professor, ou pessoa responsável peloagendamento e cuidado com o laboratório de informática. No segundo momento, após a conclusão do levantamento e obtidos os dados dapesquisa, foi elaborada uma análise por observação dos formulários.4. Análise dos resultadosCom base nas respostas dos questionários, observa-se que todas as escolas pesquisadaspossuem um único laboratório de informática. De acordo com a dimensão da escola é otamanho do laboratório, porém temos uma média de 16 computadores por escola,supondo-se que uma turma tenha em torno de 25 alunos, não há uma máquina por aluno.4.1. Condições dos ComputadoresNo geral (em três escolas pesquisadas), os micros estão em boas condições de uso, e deacordo com observação pessoal, elas possuem assistência técnica caso algum possuadefeito, porém não há um acompanhamento de algum técnico ou monitor durante o dia-a-dia escolar, em alguns casos, como por exemplo, o da escola Monsenhor Assis, há umprofessor que fica de responsável por marcar os horários das turmas e cuidar dolaboratório4.2. Quanto à finalidade e uso dos laboratóriosAbstraindo-se as condições dos micros, temos a finalidade e o uso dos laboratórios nasescolas. De acordo com as respostas, todas as turmas, desde o currículo por atividadesaté o ensino fundamental e médio o utilizam, porém não existe um horário fixo paracada turma, nem um dia específico. Em todas as escolas pesquisadas, o laboratório deinformática só é utilizado quando solicitado pelo professor. Quando questionados, se ele era utilizado apenas para pesquisas e em aulasvagas, a resposta foi sim, em todos, ou seja, subentende-se que os laboratórios sãousados somente para pesquisas, digitação, jogos educacionais ou em períodos vagos, oque denota quão longe está dos objetivos esperados citados na seção 2, já que demonstra
  5. 5. que o seu uso apenas para auxiliar os alunos em trabalhos, e não inserido dentro doprocesso aprendizagem da disciplina.5. Analise críticaA utilização das novas tecnologias de informação e comunicação está trazendo novastécnicas e metodologias de ensino. O papel do professor está mudando, ele passa de umsimples ser que forma, para um que estará continuamente modificando e construindoseu processo de formação. O professor além de conhecer o conteúdo que seráministrado, também deve ter conhecimento da tecnologia utilizada, e ainda os meios deinteração disponíveis por ela.5.1. O que esta sendo realizado na Secretaria de Educação nesse sentido?Atualmente são disponibilizados cursos pelo Núcleo de Tecnologia Educacional – NTE.O NTE consiste em um ambiente computacional com uma equipe interdisciplinar,juntamente com técnicos em informática qualificados, com o objetivo de dar formaçãocontinuada aos professores, e ainda assessorar escolas de rede publica, no usopedagógico e técnico dos laboratórios de informática. Além disso, este Núcleo temcomo função sensibilizar e motivar as escolas para a incorporação da tecnologia deinformação no seu projeto político pedagógico. O recurso financeiro para os Núcleos de Tecnologia Educacional édisponibilizado pelo Ministério de Educação e Cultura (MEC), o qual passa para aSecretaria de Educação do Estado (SEC), e após, é feita uma regionalização para atendera demanda nos municípios. Nesta cidade são oferecidos cursos de formação continuada para professores,tanto municipais, como estaduais. De acordo com a Secretaria de Educação e de Culturade Itacurubi/RS apesar do NTE oferecer essa capacitação, poucos professoresdemonstram interesse pela formação, o que justifica a precariedade no uso doslaboratórios inseridos nas Instituições pesquisadas. Eles acreditam que deva serimplantada uma nova disciplina ao currículo, na forma de uma ferramentamultidisciplinar para designar-se ao estudo de informática. Ainda, os professores maisantigos não se adaptam, ou não querem aprender uma nova tecnologia, pois alegam quemudará sua maneira de ensinar. Para que esta situação seja contornada é preciso motivar os professores para ouso da tecnologia, pois o computador sendo bem utilizado se torna um poderoso meiode aprendizagem.6. Considerações FinaisO uso dos computadores nas salas de aula ou em laboratório específico é uma forma deassociar a tecnologia à educação buscando obter resultados suficientemente bons naconquista de aprendizado do aluno. Através do resultado da pesquisa, constatou-se uma necessidade urgente deformação do educando quanto ao uso das novas tecnologias, do uso da máquina em si e
  6. 6. de seus sistemas operacionais, ainda se possível dentro de sua área de atuação.Pois aprópria realidade de mercado exige uma melhora da qualidade de ensino fundamental emédio, ou seja, nesse momento a formação do professor da educação e as suas lógicaspedagógicas não podem ser algo separado deste processo. Assim, quando se fala emreflexões da informática na educação está se falando dos tempos de hoje e de suasnecessidades. Este artigo apresentou uma pesquisa que analisou a informática na educação dealgumas escolas municipais e estaduais selecionadas no município de Santiago/RS eItacurubi/RS. Em resumo, todas as escolas analisadas possuem um laboratório deinformática, em geral os micros estão em boas condições, porém não atingem o objetivode inserir a tecnologia no processo ensino-aprendizagem. A realidade é que oscomputadores ficam abandonados na sala até que os professores agendem um horário.Na verdade não adianta possuir um laboratório, se o uso da informática não for agregadaa educação de forma que seja articulada como uma proposta pedagógica apoiada pelocoletivo escolar.ReferênciasTEIXEIRA, Núbia Polaine Cardoso; ARAUJO, Alberto E.P; "Informática e Educação: uma reflexãosobre novas metodologias." (2011). http://www.hipertextus.net/volume1/artigo13-nubia-alberto.pdf.Julho.VALENTE, José A.; "Informática na educação: criando oportunidades para a aprendizagem aolongo da vida." (2011). http://mecsrv70.mec.gov.br/pontodeencontro/proinfo-forta-shortvalente.pdf .Julho.VALENTE, José A; et al.; "O computador na sociedade do conhecimento." (2011).http://escola2000.net/futura/textos-proinfo/livro02-Jose%20Valente%20et%20alii.pdf. Julho.VIEIRA, Débora Bitello; NUNES, Denise Regina; "Informática na Educação: o passado e as novastecnologias." (2011).http://debvieira.wikispaces.com/file/view/Aritgo+Inform%C3%A1tica+na+Educa%C3%A7%C3%A3o.pdf. Julho.

×