Cálculo da capacidade de carga de fundações em estacas pelo SPT

50.962 visualizações

Publicada em

Resumo dos métodos mais utilizados no dimensionamento de fundações com estacas: Aoki-Velloso e Décourt-Quaresma e cálculo de um exemplo (Estudo de Caso).

Publicada em: Engenharia
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
50.962
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
41.764
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
497
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cálculo da capacidade de carga de fundações em estacas pelo SPT

  1. 1. EngenheiroNoCanteiro.com.br Cálculo da Capacidade de Carga de Fundações em Estacas pelo SPT Leia o artigo completo em: http://engenheironocanteiro.com.br/calculo-da-capacidade-de-carga-de-fundacoes-em-estacas-pelo-spt/ Utilizando os métodos teóricos de Aoki-Velloso e Décourt-Quaresma
  2. 2. EngenheiroNoCanteiro.com.br Agenda Introdução #1 Passo Bônus Método de Décourt-Quaresma #2 Método de Aoki-Velloso #3 Exemplo Prático #4
  3. 3. EngenheiroNoCanteiro.com.br
  4. 4. EngenheiroNoCanteiro.com.br Pra quem é este material ? • Engenheiro civil que precisa de uma revisão no assunto “Cálculo de Fundação em Estacas”; • Estudante de engenharia que precisa fazer um trabalho na faculdade sobre o tema; • Consultor geotécnico que quer comparar seus métodos de cálculo com outras fontes
  5. 5. EngenheiroNoCanteiro.com.br No que ele pode ajudar ? • Estimativa da capacidade de carga de estacas utilizando o SPT; • Comprimento das estacas para fins de orçamento dos custos de fundações profundas; • Quantidade preliminar de estacas por bloco de fundação. Nota: este artigo e o material disponível para download auxilia no pré-dimensionamento. Para grandes obras e casos mais críticos (solos moles, barrancos, solos expansivos) não dispensa a experiência de um consultor geotécnico e os cálculos mais precisos de um engenheiro de fundações.
  6. 6. EngenheiroNoCanteiro.com.br Método de Décourt-Quaresma
  7. 7. EngenheiroNoCanteiro.com.br Método de Décourt-Quaresma • A capacidade de carga de uma estaca (Carga de Ruptura – chamaremos de “Qu”) será obtida pela fórmula abaixo: Onde: • qp é a tensão de ruptura de ponta; • Ap é a área da ponta da estaca; • qs é o valor do atrito lateral unitário; • As é a área lateral da estaca. 𝑄 𝑢 = α. 𝑞 𝑝. 𝐴 𝑝 + β. 𝑞 𝑠. 𝐴 𝑠 • 𝜶 𝒆 𝜷 são parâmetros de ajuste para estacas não cravadas
  8. 8. EngenheiroNoCanteiro.com.br Método de Décourt-Quaresma • A tensão de ruptura de ponta possui a seguinte equação: Onde: • K é um coeficiente tabelado em função do tipo de solo • N é o Nstp, número STP ou ainda, o número de golpes necessários para equipamento da sondagem penetrar 30 cm no solo. Esse número você obtém no resultado da sondagem à percussão executada no terreno 𝑞 𝑝 = 𝐾. 𝑁 Tipo de solo K (KN/m2) Argila 120 Silte argiloso 200 Silte arenoso 250 Areia 400 • O atrito lateral unitário é calculado pela fórmula: 𝑞 𝑠 = 10. 𝑁 3 + 1 kN/𝑚2
  9. 9. EngenheiroNoCanteiro.com.br Método de Décourt-Quaresma Parâmetro "α" (Décourt, 1996) Argilas Solos intermediários Areias Cravada 1,00 1,00 1,00 Escavada em geral 0,85 0,60 0,50 Escavada com lama bentonítica 0,85 0,60 0,50 Hélice contínua 0,30 0,30 0,30 Raiz 0,85 0,60 0,50 Injetadas (alta pressão) 1,00 1,00 1,00 Parâmetro "β" (Décourt, 1996) Argilas Solos intermediários Areias Cravada 1,00 1,00 1,00 Escavada em geral 0,80 0,65 0,50 Escavada com lama bentonítica 0,90 0,75 0,60 Hélice contínua 1,00 1,00 1,00 Raiz 1,50 1,50 1,50 Injetadas (alta pressão) 3,00 3,00 3,00
  10. 10. EngenheiroNoCanteiro.com.br Método de Aoki-Velloso
  11. 11. EngenheiroNoCanteiro.com.br Método de Aoki-Velloso • A capacidade de carga de uma estaca (Carga de Ruptura – “Qu”) será obtida pela soma da Carga de Ponta (“Qp”) com a Carga do Atrito Lateral (“Qa”), assim como na equação abaixo: 𝑸 𝒖 = 𝑸 𝒑 + 𝑸 𝒂
  12. 12. EngenheiroNoCanteiro.com.br Método de Aoki-Velloso • A carga resistida pela ponta (Qp) segue a equação abaixo: Onde: • K é um coeficiente tabelado em função do tipo de solo, mas possui valores diferentes do Método de Décourt-Quaresma - cuidado; • N é o Nstp da sondagem; • F1 é um parâmetro tabelado em função do tipo de estaca. Foi calculado pelos engenheiros pesquisadores do método através de inúmeras correlações e testes de carga durante as pesquisas realizadas; • Ap é a área da ponta da estaca. Se for uma estaca cilíndrica maciça, por exemplo, é a velha fórmula “pi vezes o raio ao quadrado”. 𝑄 𝑝 = 𝐾. 𝑁 𝐹1 . 𝐴 𝑝 Tipo de solo K av (KN/m2) α (%) Areia 1.000 1,4% Areia siltosa 800 2,0% Areia silto-argilosa 700 2,4% Areia argilosa 600 3,0% Areia argilo-siltosa 500 2,8% Silte 400 3,0% Silte arenoso 550 2,2% Silte areno-argiloso 450 2,8% Silte argiloso 230 3,4% Silte argilo-arenoso 250 3,0% Argila 200 6,0% Argila arenosa 350 2,4% Argila areno-siltosa 300 2,8% Argila siltosa 220 4,0% Argila silto-arenosa 330 3,0%
  13. 13. EngenheiroNoCanteiro.com.br Método de Aoki-Velloso • A carga máxima suportada pelo atrito lateral é calculada pela fórmula a seguir: Onde: • Qa é o valor da carga do atrito lateral; • ɑ também é um coeficiente que varia em função do tipo de solo; • K e N são os mesmos da fórmula do Qp; • F2 também é um parâmetro tabelado em função do tipo de estaca. 𝑄 𝑎 = 𝛼. 𝐾. 𝑁 𝐹2 . 𝐴𝑙 Tipo de Estaca F1 F2 Franki - fuste apiloado 2,3 3,0 Franki - fuste vibrado 2,3 3,2 Metálica 1,8 3,5 Pré-moldada cravada 2,5 3,5 Pré-moldada prensada 1,2 2,3 Escavada pequeno diâmetro 3,0 6,0 Escavada grande diâmetro 3,5 7,0 Escavada com lama bentonítica 3,5 4,5 Raiz 2,2 2,4 Strauss 4,2 3,9 Hélice contínua 3,0 3,8
  14. 14. EngenheiroNoCanteiro.com.br Exemplo Prático
  15. 15. EngenheiroNoCanteiro.com.br Exemplo Prático • Avaliar a capacidade de carga e a quantidade de estacas escavadas de 25 cm de diâmetro necessárias para suportar um pilar com 900kN • Faça o download da planilha no botão abaixo para acompanhar a solução deste exercício. Ela foi desenvolvida para MS Excel 2010, é totalmente aberta, editável, não possui senha nem macros Baixar Planilha
  16. 16. EngenheiroNoCanteiro.com.br Exemplo Prático Considerar o seguinte perfil do solo e resultado da sondagem à percussão:
  17. 17. EngenheiroNoCanteiro.com.br Exemplo Prático Passo #1) Preencher a planilha com os dados iniciais: • Tipo de estaca: Escavada pequeno diâmetro • Diâmetro: 25 cm • Fck do concreto: adotarei 15 Mpa • Coeficiente de Segurança (CS): 2,0
  18. 18. EngenheiroNoCanteiro.com.br Exemplo Prático Passo #2) Preenchendo o perfil do solo: • Coluna “Cota”: indicar a primeira cota considerada na sondagem, “559” no exemplo; • Coluna “SPT”: indicar os resultados do SPT de metro em metro • Repare que como no último resultado do SPT tivemos 32 golpes para 15cm, utilizei um SPT fictício de 64, como medida aproximada do resultado para 30cm. • Coluna “Solo”: indicar o tipo de solo mais próximo com a descrição da sondagem.
  19. 19. EngenheiroNoCanteiro.com.br Exemplo Prático Passo #3) Avaliar os resultados A planilha calcula automaticamente a capacidade do solo para a estaca escolhida pelos dois métodos apresentados e escolhe o mais consevador (menor resistência) na última coluna. Na profundidade de 8m a estaca teria 274 kN de capacidade, o que permitiria utilizar 4 estacas para suportar o pilar com 900kN.
  20. 20. EngenheiroNoCanteiro.com.br Bibliografia consultada • Fundações - Teoria e Prática – ABMS/ABEF
  21. 21. EngenheiroNoCanteiro.com.br AVISO LEGAL • As informações contidas no site EngenheiroNoCanteiro e nos materiais distribuídos gratuitamente ou comercializados (sites, vídeos, palestras, apresentações, áudios, planilhas, programas ou outros conteúdos) têm objetivo exclusivamente informativo e não devem ser levadas em consideração como aconselhamento técnico, científico, financeiro, imobiliário, jurídico, contábil, tributário. • As informações obtidas ao usar este material não são completas e não cobrem todas as questões, tópicos ou fatos que possam ser relevantes para seus objetivos. O uso deste material é de sua total responsabilidade. O conteúdo é oferecido como está e sem garantias de qualquer tipo, expressas ou implícitas. O conteúdo deste material não é palavra final sobre qualquer assunto, e podemos fazer melhorias a qualquer momento. • Os leitores e usuários do site EngenheironoCanteiro são encorajados sempre a entrar em contato com os Autores a fim de discutir os procedimentos e metodologias, incluindo as premissas, utilizadas para calcular e divulgar as informações de caráter técnico de engenharia, bem como qualquer outro aspecto do potencial de desempenho apresentado. • Embora os Autores de EngenheiroNoCanteiro tenham tomado todas as precauções para assegurar que as informações aqui contidas não sejam falsas ou enganosas, os mesmos não se responsabilizam pela exatidão, veracidade ou abrangência de tais informações. • Você assume o custo de qualquer serviço, reparo ou correção necessários no caso de qualquer perda ou dano consequente do uso deste site ou seu conteúdo. • O conteúdo do site ou dos materiais distribuídos não pode ser copiado, distribuído, publicado, carregado, postado ou transmitido por qualquer outro meio sem o consentimento prévio e por escrito dos Autores. A citação e referência ao conteúdo deste site com a finalidade exclusiva de divulgação é autorizada contanto que a fonte seja claramente citada no artigo ou no local onde a citação foi publicada. • Este material pode conter links para outros websites que não são mantidos ou relacionados por EngenheiroNoCanteiro e seus Autores não tem nenhuma responsabilidade por estes conteúdos. O usuário assume completamente o risco ao acessar estes hyperlinks. • Você entende que o site não pode garantir que arquivos disponíveis para download da Internet estejam livres de vírus, worms, cavalos de Tróia ou outro código que possa manifestar propriedades contaminadoras ou destrutivas ao seu aparelho eletrônico (computados, tablet, celular e afins).
  22. 22. EngenheiroNoCanteiro.com.br Visite-nos: www.engenheironocanteiro.com.br

×