<br />A VIDA COMO ELA É<br />Autor: Robson, meio poeta<br />Música : Lovingyou<br />               Kenny G<br />Imagem :...
Desde que nascemos somos induzidos a acreditarque a felicidade é algo conquistávelpor nossos pais, sem batalha  louvávelpe...
Colocamos em casa o mais belo paraquele que por paixão era só alegriae todo o tempo era dedicado ao amarhoje apenas pratos...
Daí surge no coração o buraco negro da esperançaqueremos voltar a nossa infânciano meio do caminho perdemos a féde idolatr...
Amor que dói é o que corróia felicidade é uma ambigüidadenem tem rimas com tanta imprecisãomas poetas tudo constroemacham ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A vida como ela é

230 visualizações

Publicada em

Poema do meio poeta

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
230
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
58
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A vida como ela é

  1. 1.   <br />A VIDA COMO ELA É<br />Autor: Robson, meio poeta<br />Música : Lovingyou<br /> Kenny G<br />Imagem : Internet<br />Formatação : AlmaDeBorboleta<br />Junho/2011<br />
  2. 2. Desde que nascemos somos induzidos a acreditarque a felicidade é algo conquistávelpor nossos pais, sem batalha louvávelpelos amigos, uma luta sem se premeditar<br />Escolhemos ou não nossos amoresdeixamos de lado todos que nos cercamconstruímos castelos mentaissomos os donos e nossos senhoresNossos passos obedecem aos desejose nem tão longe descobrimosque nosso alimento não são só beijosnos dizem que são nossos castigos<br />
  3. 3. Colocamos em casa o mais belo paraquele que por paixão era só alegriae todo o tempo era dedicado ao amarhoje apenas pratos sujos pela piaque desandar,que nostalgia,que sina de vida, que perigo !Se formos seguir maus exemplosde outros iguais a nós situadosnada faremos por algum tempocasados por fora, separados por dentroAté chegar o dia que discutiremos com a vidaonde espinhos surgem antes das floresonde tudo o que era poesiase transforma em lágrimas de dores<br />
  4. 4. Daí surge no coração o buraco negro da esperançaqueremos voltar a nossa infânciano meio do caminho perdemos a féde idolatras passamos a idiolatriadeixamos nossos deuses e adoramos nosso próprio péEssa é a vida, como ela é...E é isso que não queremos aceitaré essa nossa luta perduláriainsistimos que nos aceiteme quando não, depressão de noite e dia...Quem conosco convive aos quatro cantos sai difamandomeu par está em crisediz que me ama mas sempre sai amargurando<br />
  5. 5. Amor que dói é o que corróia felicidade é uma ambigüidadenem tem rimas com tanta imprecisãomas poetas tudo constroemacham eles que combinam com reciprocidadeSe dermos a alguém o que queremos receberé assim que a vida, como ela évai por igual nos devolvere de passo em passomudamos a canção de nossa existêncianão podemos brigar com a vida e seus compassosa vida é isso, como ela sempre o écom garra e prudênciamudamos os nossos descasosganhamos de novo a fé !“não espere pelo fato, seja o próprio ato” <br />Robson/Junho2011<br />

×