“N Ã O P O D E H A V E R H O M E M N E M M U L H E R ”:     IDENTIDADE E GÊNERO DURANTE O         CRISTIANISMO PRIMITIVO  ...
R OTEIRO DA APRESENTAÇÃO(1)INTRODUÇÃO  — Paulo de Tarso e as mulheres  — Teologia feminista e história das mulheres(2)FONT...
1. I NTRODUÇÃO• Paulo “inimigo” das mulheres: —    Ordena o silêncio nas assembleias (ἐκκλησίαι) —    Sujeição total aos m...
1. I NTRODUÇÃO  Teologia feminista e história das mulheres• The Woman’s Bible, 1895, 1898.  — “The only difference between...
2. F ONTES , MÉTODOS , RESULTADOS• Texto grego adotado: The Greek New  Testament: SBL Edition — Publicado no segundo semes...
2. F ONTES , MÉTODOS , RESULTADOS Recorte textual e cronológico Epístola                Autoria          Local e data (sem...
2. F ONTES , MÉTODOS , RESULTADOS Recorte Geográfico      Império Romano, séc. II (detalhe). Em vermelho, possíveis locais...
3. DISCUSSÃO: TRÊS “TIPOS” DE MULHER“fêmea” em contraposição ao “macho”                       Gálatas 3:28, no texto grego...
3. D ISCUSSÃO : TRÊS “ TIPOS ” DE MULHER   “esposa” nas relações com maridos/homens • Verbo ὑποτάσσω, e substantivo cognat...
3. D ISCUSSÃO : TRÊS “ TIPOS ” DE MULHER   Missionária, Apóstola, Colaboradora • Um corpus documental formado por epístola...
3. D ISCUSSÃO : TRÊS “ TIPOS ” DE MULHER   Missionária, Apóstola, Colaboradora • Filipenses 4:2 – Evódia (Εὐοδίαν) e Sínti...
4. CONCLUSÕES E CONSIDERAÇÕES FINAIS• Paulo seria um autor contraditório ou incoerente? — Incoerência se procurarmos por u...
“Para além da minha pessoa, a valorização da mulher melhora nossa            sociedade e valoriza a nossa democracia.”D IL...
“N Ã O P O D E H A V E R H O M E M N E M M U L H E R ”:     IDENTIDADE E GÊNERO DURANTE O         CRISTIANISMO PRIMITIVO  ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação do 19º EVINCI | Identidade e gênero no Cristianismo primitivo

888 visualizações

Publicada em

Faça o download dos apontamentos desta apresentação em: <http: />
Projeto de Iniciação Científica executado por
Emerson R. A. Silva. Apresentado no 19º Evento de Iniciação Científica (EVINCI) da UFPR.
“Não pode haver homem nem mulher”: identidade e gênero durante o cristianismo primitivo
Resumo:
Paulo de Tarso é reiteradamente apontado como um dos responsáveis pela subordinação da mulher ao homem (tanto como “esposa” quanto “fêmea”), sua exclusão da liderança eclesiástica e consequente desvalorização na sociedade. A importância de seus escritos no cânon neotestamentário justifica a preocupação que suscitou junto aos movimentos sufragistas, feministas e, recentemente, nos estudos de gênero. O presente relatório contempla uma abordagem inicial aos escritos paulinos, sob o ponto de vista da disciplina histórica, levando em consideração as questões de gênero suscitadas pelos textos analisados. Partindo da bibliografia concernente ao tema, que pretende introduzir questões como a diversidade e pluralidade cultural na Antiguidade especificamente no cristianismo do primeiro século, serão analisados alguns excertos do Novo Testamento, tradicionalmente atribuídos a Paulo de Tarso. Recortando perícopes que dizem respeito às relações entre homem e mulher, será traçada certa tipologia das representações femininas e apresentado uma proposta de leitura.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
888
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação do 19º EVINCI | Identidade e gênero no Cristianismo primitivo

  1. 1. “N Ã O P O D E H A V E R H O M E M N E M M U L H E R ”: IDENTIDADE E GÊNERO DURANTE O CRISTIANISMO PRIMITIVO Projeto de Iniciação Científica executado por Emerson R. A. Silva (Bolsista UFPR/TN) Orientado pela Prof.ª Dr.ª Renata Senna Garraffoni (Departamento de História/UFPR) Curitiba, 06 de outubro de 2011.
  2. 2. R OTEIRO DA APRESENTAÇÃO(1)INTRODUÇÃO — Paulo de Tarso e as mulheres — Teologia feminista e história das mulheres(2)FONTES, MÉTODOS E RESULTADOS — Texto grego adotado — Versões vernaculares e fichamento — Recortes textuais, cronológicos e geográficos(3)DISCUSSÃO: TRÊS TIPOS DE MULHER — “Fêmea” em contraposição ao “macho” — Esposa em relação ao marido — Irmãs, colaboradoras e até “apóstolas”(4)CONCLUSÕES E CONSIDERAÇÕES FINAIS — Um cristianismo plural, ou “cristianismos” Estátua de São Paulo, — Diversidade das representações femininas entrada da Basílica Papal de São Paulo Fora dos Muros. — Trabalhos futuros Reconstrução do séc. XVIII, Via Ostiense, Roma.
  3. 3. 1. I NTRODUÇÃO• Paulo “inimigo” das mulheres: — Ordena o silêncio nas assembleias (ἐκκλησίαι) — Sujeição total aos maridos — Não podem ensinar ou ter poder sobre os homens• Outros o “defendem”: — Não há diferenças entre homens e mulheres — Existe certa interdependência entre os sexos — Os maridos deveriam “amar as esposas”• Paulo seria contraditório ou incoerente? — Por que tamanhas divergências? — Quais identidades femininas podem ser aferidas a partir do corpus paulino? — A que mulheres Paulo se refere em seus textos? PAOLO ROMANO, San Paolo, 1460-64. Museu Vaticano, Roma “NÃO PODE HAVER HOMEM NEM MULHER”: IDENTIDADE E GÊNERO DURANTE O CRISTIANISMO PRIMITIVO #3 / 13
  4. 4. 1. I NTRODUÇÃO Teologia feminista e história das mulheres• The Woman’s Bible, 1895, 1898. — “The only difference between us is, we say that these degrading ideas of woman emanated from the brain of man, while the Church says that they came from God.” (STANTON, 1898).• Questionando uma visão androcêntrica da história — História das mulheres — Releitura de documentos importantes — Inclusão de novas fontes, escritas por ou sobre as mulheres• A mulher como “sujeito histórico” — Contraposição a modelos normativos, patriarcais e binários (ex.: “homem” x “mulher”) Elizabeth Cady Stanton (*1815 †1902) — Questionamento dos lugares da mulher na e sua filha Harriot. Fotografia da Biblioteca do sociedade. Congresso dos Estados Unidos. “NÃO PODE HAVER HOMEM NEM MULHER”: IDENTIDADE E GÊNERO DURANTE O CRISTIANISMO PRIMITIVO #4 / 13
  5. 5. 2. F ONTES , MÉTODOS , RESULTADOS• Texto grego adotado: The Greek New Testament: SBL Edition — Publicado no segundo semestre de 2010 pela Society of Biblical Literature — Comparado com edições consagradas do Novo Testamento Grego (NA27 e UBS4) — Distribuído gratuitamente na Internet• Versões vernaculares — Bíblia de Jerusalém – BJ (2002) — New Revised Standard Version – NRSV (1990)• Fichamento inicial do texto — Em todo o corpus paulino — Procurando por palavras relacionadas a mulher (p. ex.: “esposa”, “moça”, “menina”) — O fichamento gerou o recorte textual, geográfico e cronológico do corpus Catacumba de Praetextatus, afresco. Século IV, Roma. “NÃO PODE HAVER HOMEM NEM MULHER”: IDENTIDADE E GÊNERO DURANTE O CRISTIANISMO PRIMITIVO #5 / 13
  6. 6. 2. F ONTES , MÉTODOS , RESULTADOS Recorte textual e cronológico Epístola Autoria Local e data (sempre “Depois de Cristo”) Gálatas Paulina Local incerto, entre 49-57 (?).1ª Coríntios Paulina Éfeso, Ásia Menor (atual Turquia), entre 52-55. Romanos Paulina Provavelmente Corinto, na Grécia. Entre 55-57 ou 51-52. Filipenses Paulina Entre Roma, 60-63; Éfeso 54-57; Corinto, 50 ou Cesaréia, na Judéia (atual Palestina), 58-60.Colossenses Paulina, contestada. Roma, 60-61 ou Éfeso, 52-57. Efésios Paulo ou um discípulo Roma, entre 60-62; ou Ásia Menor 90? no início do século II (pseudoepígrafe) 1ª Timóteo Largamente Pseudoepígrafe de meados do século II; para contestada. autoria paulina, na região do Mar Egeu Pseudoepígrafe do (Grécia), em 65. século II, ou paulina 2ª Timóteo idem Pseudoepígrafe de meados do século II; para autoria paulina, Roma, verão ou outono de 67. “NÃO PODE HAVER HOMEM NEM MULHER”: IDENTIDADE E GÊNERO DURANTE O CRISTIANISMO PRIMITIVO #6 / 13
  7. 7. 2. F ONTES , MÉTODOS , RESULTADOS Recorte Geográfico Império Romano, séc. II (detalhe). Em vermelho, possíveis locais de autoria e endereçamento das epístolas. “NÃO PODE HAVER HOMEM NEM MULHER”: IDENTIDADE E GÊNERO DURANTE O CRISTIANISMO PRIMITIVO #7 / 13
  8. 8. 3. DISCUSSÃO: TRÊS “TIPOS” DE MULHER“fêmea” em contraposição ao “macho” Gálatas 3:28, no texto grego e duas versões Texto Grego Bíblia de Jerusalém New Rev. Stand. Version οὐκ ἔνι Ἰουδαῖος οὐδὲ Não há judeu nem There is no longer Jew grego, nem escra- or Greek, there is no Ἕλλην, οὐκ ἔνι δοῦλος οὐδὲ vo nem livre, não longer slave or free, ἐλεύθερος, οὐκ ἔνι ἄρσεν há homem nem there is no longer καὶ θῆλυ· πάντες γὰρ ὑμεῖς mulher; pois todos male and female; for all vós sois um só em of you are one in Christ εἷς ἐστε ἐν Χριστῷ Ἰησοῦ. Cristo Jesus. Jesus.• Dois pares de dupla negação: — “οὐκ ἔνι Ἰουδαῖος οὐδὲ Ἕλλην”: não há judeu nem grego — “οὐκ ἔνι δοῦλος οὐδὲ ἐλεύθερος”: não há escravo/ “servo” nem livre/ “liberto”• Contra uma negação simples: — “οὐκ ἔνι ἄρσεν καὶ θῆλυ”: não há homem/ “macho” e mulher/ “fêmea” “NÃO PODE HAVER HOMEM NEM MULHER”: IDENTIDADE E GÊNERO DURANTE O CRISTIANISMO PRIMITIVO #8 / 13
  9. 9. 3. D ISCUSSÃO : TRÊS “ TIPOS ” DE MULHER “esposa” nas relações com maridos/homens • Verbo ὑποτάσσω, e substantivo cognato ὑποταγή — Recorrentes em passagens do Corpus Paulino (22/42 ocorrências no N.T.) — 6 ocorrências relacionadas ao comportamento das mulheres • Significa, basicamente, “sujeição/submissão” — BAUER’S; DANKER: “Submissão envolvendo reconhecimento de uma estrutura ordenada”. — Raiz de origem militar: τάσσω “ordenar”, “estabelecer uma ordem” — No cristianismo subsequente indica: obediência a autoridades eclesiásticas. • 1ª Coríntios 14:33b-36: — Como em todas as Assembleias (ἐκκλησίαι, “congregações” ou “igrejas”) dos santos, as mulheres calem-se nas Assembleias! (αἱ γυναῖκες ἐν ταῖς ἐκκλησίαις σιγάτωσαν) — Não permito que falem: mas submetam-se! (οὐ γὰρ ἐπιτρέπεται αὐταῖς λαλεῖν· ἀλλὰ ὑποτασσέσθωσαν) — “Porque é vergonhoso (“abusivo”/ “infame”) à mulher falar na Assembleia” “NÃO PODE HAVER HOMEM NEM MULHER”: IDENTIDADE E GÊNERO DURANTE O CRISTIANISMO PRIMITIVO #9 / 13
  10. 10. 3. D ISCUSSÃO : TRÊS “ TIPOS ” DE MULHER Missionária, Apóstola, Colaboradora • Um corpus documental formado por epístolas — Cartas respondendo a questões práticas das comunidades — Concluídas com saudações a pessoas íntimas/importantes (exceto Gálatas, 1ª Tessa- lonicenses e 1ª Timóteo) — Indicativos da função efetiva de algumas mulheres próximas a Paulo • Romanos 16:1-24 – Febe (Φοίβην) — Provável portadora da epístola aos Romanos (16:1) — Recomendada como irmã (ἀδελφὴν) — Diaconisa da igreja em Cencréia (διάκονον τῆς ἐκκλησίας τῆς ἐν Κεγχρεαῖς) — Cristãos de Roma deveriam ajudá-la “em todas as necessidades” • Andrônico e Júnias (“Júlia” ou “Júnia”) (Ἀνδρόνικον καὶ Ἰουνίαν) — Chamados de “apóstolos” (no plural); termo polêmico se relacionado a uma mulher — O nome de Júnias (feminino) foi traduzido por nomes masculinos em várias versões do Novo Testamento “NÃO PODE HAVER HOMEM NEM MULHER”: IDENTIDADE E GÊNERO DURANTE O CRISTIANISMO PRIMITIVO #10 / 13
  11. 11. 3. D ISCUSSÃO : TRÊS “ TIPOS ” DE MULHER Missionária, Apóstola, Colaboradora • Filipenses 4:2 – Evódia (Εὐοδίαν) e Síntique (Συντύχην) — Abrem as saudações finais da epístola — Exortadas a unidade do pensamento • Colossenses 4:15 – Ninfa (Νύμφαν) — Abriga uma Congrega- ção (ou “Igreja”) em sua casa, em Laodiceia — A epístola também deveria ser lida nas reuniões “Gruta de São Paulo”, Éfeso, Turquia. em sua casa Sítio arqueológico, início do século IV. “NÃO PODE HAVER HOMEM NEM MULHER”: IDENTIDADE E GÊNERO DURANTE O CRISTIANISMO PRIMITIVO #11 / 13
  12. 12. 4. CONCLUSÕES E CONSIDERAÇÕES FINAIS• Paulo seria um autor contraditório ou incoerente? — Incoerência se procurarmos por um modelo normativo do comportamento feminino — Contradição se procurarmos regras definitivas sobre a participação da mulher• Religião nascente e plural, numa região culturalmente efervescente — Cristianismos, distribuídos em uma vasta extensão territorial e cultural• Representações femininas plurais — Evidenciam a diversidade — Importância das mulheres a ponto de suscitar várias Ícones de São Paulo e Tecla, adorando (detalhe). respostas nas epístolas “NÃO PODE HAVER HOMEM NEM MULHER”: IDENTIDADE E GÊNERO DURANTE O CRISTIANISMO PRIMITIVO #12 / 13
  13. 13. “Para além da minha pessoa, a valorização da mulher melhora nossa sociedade e valoriza a nossa democracia.”D ILMA R OUSSEFF, em seu primeiro pronunciamento à nação como Presidenta da República. Parlatório do Palácio do Planalto – Brasília/DF, 01º de janeiro de 2011.
  14. 14. “N Ã O P O D E H A V E R H O M E M N E M M U L H E R ”: IDENTIDADE E GÊNERO DURANTE O CRISTIANISMO PRIMITIVO Projeto de Iniciação Científica executado por Emerson R. A. Silva (Bolsista UFPR/TN) Orientado pela Prof.ª Dr.ª Renata Senna Garraffoni (Departamento de História/UFPR)

×