PROJETO DE FORMAÇÃO CONTINUADA   DIRETRIZES CURRICULARES DA EDUCAÇÃO MUNICIPAL DE VITÓRIA1 - INTRODUÇÃOA Secretaria Munici...
Além destas mudanças na organização, destacamos ainda a vasta legislação produzida em nível nacional no período pertinente...
teóricos no campo da educação, do currículo e das áreas de conhecimento específicas,oriundos da vasta produção acadêmica n...
análise dos documentos existentes e o estabelecimento de conceitos e princípios comunsque deverão fundamentar as Diretrize...
Na segunda etapa, que ocorrerá a partir de agosto, pretende-se elaborar a parte dodocumento que trata das áreas específica...
pais e alunos a partir da definição de um calendário específico.3.3 - PÚBLICO ENVOLVIDO NA DISCUSSÃO DAS DIRETRIZES3.3.1 -...
Curricularesserão postadas na Plataforma VixEduca. Como já foi dito anteriormente, ascontribuições elaboradas pelas unidad...
MÊS         DIA                                ATIVIDADE                                  HORÁRIO             LOCAL       ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Projeto de formação das diretrizes curriculares

1.945 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.945
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto de formação das diretrizes curriculares

  1. 1. PROJETO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DIRETRIZES CURRICULARES DA EDUCAÇÃO MUNICIPAL DE VITÓRIA1 - INTRODUÇÃOA Secretaria Municipal de Educação de Vitória elaborou um Planejamento para o períodocompreendido entre o segundo semestre de 2010 até o final de 2012. Um de seus objetivosfoi avaliar as ações realizadas pela Secretaria Municipal de Educação – projetos, programase ações desenvolvidos pelas equipes e também estabeleceu metas de médio e longo prazo.Dentre as ações previstas neste Planejamento figura a proposta de reformulação doDocumento Educação Infantil: um outro olhar (2006) e das Diretrizes Curriculares doEnsino Fundamental (2004) e a formulação das Diretrizes Curriculares da Educação deJovens e Adultos.O Sistema Municipal de Educação conta com os documentos supracitados com orientaçõescurriculares para essas duas etapas da Educação Básica. Contudo, no período de 2004 a2010 ocorreram algumas mudanças na organização da Educação, entre as quais destacamosa institucionalização do Ensino Fundamental de nove anos pelo Governo Federal, por meioda Lei 11.274/2006, e da obrigatoriedade da Educação Básica de quatro a dezessete anos eda Emenda Constitucional 59/2009. E em nível municipal, a implantação da modalidade deEducação de Jovens e Adultos, a partir de 2007, o que torna necessário a elaboração dasdiretrizes para esta modalidade de ensino.Quanto à obrigatoriedade do Ensino Fundamental de nove anos, temos a considerar que, nomunicípio de Vitória, a maioria das crianças de seis anos já eram, em 2006, atendidas nosCentros de Educação Infantil, mas, o fato dessas crianças passarem a fazer parte do EnsinoFundamental, exige “tratamento político, administrativo e pedagógico, uma vez que oobjetivo é assegurar a todas as crianças um tempo de maior convívio escolar e maioresoportunidades de aprendizagem” (BRASIL, 2007, p.07). 1
  2. 2. Além destas mudanças na organização, destacamos ainda a vasta legislação produzida em nível nacional no período pertinente à organização curricular da escola, que dentre outras destacamos:Parecer CNE/CEP nº 03/2004 e Resolução CNE/CEP nº 01/2004 - Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educaçãodas Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana;Parecer CNE/CEB nº 02/2007 - Parecer quanto à abrangência das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das RelaçõesÉtnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana.Parecer CNE/CEB nº 04/2008 - Orientação sobre os três anos iniciais do Ensino Fundamental de nove anos;Lei11.769/2008 – alterou a Lei 9394/96 tornando a Música um conteúdo obrigatório do componente curricular Arte.Lei 10639/2003 e 11.645/2008 – altera a Lei 9394/96 incluindo o estudo da história da África e dos africanos, a luta dos negros edos povos indígenas no Brasil, a cultura negra e indígena brasileira e o negro e o índio na formação da sociedade nacional,resgatando as suas contribuições nas áreas social, econômica e política, pertinentes à história do Brasil como conteúdoprogramático da Educação Básica.Parecer CNE/CEB nº 20/2009 Revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil e Resolução CNE/CEB nº05/2009 - Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil;Parecer CNE/CEB nº 13/2009 e Resolução CNE/CEB nº 04/2009 - Institui Diretrizes Operacionais para o AtendimentoEducacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial.Parecer CNE/CEB nº 07/2010 e Resolução CNE/CEB nº 04/2010 - Define Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para aEducação Básica;Parecer CNE/CEB nº 11/2010 e Resolução CNE/CEB nº 07/2010 - Fixa Diretrizes Curriculares Nacionais para o EnsinoFundamental de 9 (nove) anos; Em nível municipal, destacamos: * Resolução 07/2008 do Conselho Municipal de Educação (COMEV) - assegura a oferta obrigatória da disciplina de Ensino Religioso, nas escolas municipais de Vitória. Além destas proposições no campo legal, também se faz necessário observar os avanços 2
  3. 3. teóricos no campo da educação, do currículo e das áreas de conhecimento específicas,oriundos da vasta produção acadêmica no referido período, e há que se ressaltar, inclusive,que parte desta produção teórica é fruto do trabalho dos profissionais da rede municipal quedesenvolveram pesquisas em nossas escolas nos campos anteriormente citados.Contudo, dentre todas as observações acima, há que se considerar as mudanças naconjuntura social, política, econômica e cultural, e, principalmente as transformações naprática educativa, no trabalho docente, ou seja, é de fundamental importância apropriar eincorporar os fazeres e saberes consolidados na escola, pois o documento das DiretrizesCurriculares deverão revelar e traduzir o seu cotidiano.Considerando todas essas questões é que decidiu-se pela proposta de uma formaçãocontinuada para o ano de 2011 com vistas à reelaboração das Diretrizes Curriculares daEducação Infantil e do Ensino Fundamental e de elaboração das Diretrizes da Educação deJovens e Adultos.2 – OBJETIVOS– Estabelecer princípios comuns para fundamentação da elaboração das DiretrizesCurriculares da Educação Básica, composta pela Educação Infantil, Ensino Fundamental epela modalidade de Educação de Jovens e Adultos;– Reelaborar as Diretrizes Curriculares da Educação Infantil e do EnsinoFundamental;– Elaborar as Diretrizes Curriculares da Educação de Jovens e Adultos.3 – METODOLOGIA3.1 – Organização dos encontros e fórunsConforme já assinalamos as questões mencionadas trouxeram novas exigências edemandas, principalmente no campo conceitual, tornando necessária uma reflexão coletivaenvolvendo toda a comunidade escolar que compõe o sistema municipal de Vitória, para a 3
  4. 4. análise dos documentos existentes e o estabelecimento de conceitos e princípios comunsque deverão fundamentar as Diretrizes Curriculares. Alguns destes princípios e conceitosaparecem na vasta produção que apresentamos e precisarão ser debatidos por toda acomunidade escolar. Dentre estes destacamos:– Educação Básica (articulação entre os diferentes etapas de ensino)– Educação integral– Gestão democrática– Concepção sócio-histórica (a partir da qual são definidos sujeitos, sociedade,trabalho, cultura, ensino, aprendizagem, currículo)– Categorias geracionais ( infância, juventude, adultez)– Política de inclusão (digital, étnico-racial, necessidades especiais...)– Diversidade cultural e educação interculturalAliado a estes princípios deverão ainda ser debatidas as seguintes questões: ciclo,alimentação escolar, educação socioambiental, diferentes linguagens (educação bilíngüe,alfabetizações, comunicação alternativa), gênero e de diversidade sexual e usos dos espaçoseducativos (laboratórios, salas de recursos multifuncionais, bibliotecas escolares) por seconstituírem em temáticas presentes na escola hoje.3.2 – Etapas do processo de FormaçãoNa primeira etapa do processo – que se efetivará no primeiro semestre deste ano – seráfeito um estudo pelos profissionais das unidades de ensino, de um texto referência que trazuma análise comparativa dos documentos existentes para identificar o que deve sermantido, o que deve ser aprimorado, o que deve ser excluído e o que deve ser incluído.Posterior a esta análise, serão estabelecidos os princípios comuns que deverão fundamentaro Documento final das Diretrizes Curriculares da Educação Infantil, Ensino Fundamental eEducação de Jovens e Adultos. 4
  5. 5. Na segunda etapa, que ocorrerá a partir de agosto, pretende-se elaborar a parte dodocumento que trata das áreas específicas de conhecimento que perpassam as etapas e asmodalidades de ensino.O processo de formação continuada terá início em fevereiro com a apresentação daproposta para todos os profissionais da rede municipal de educação. A partir de março serãorealizados, com representantes das Unidades de Ensino, encontros mensais para debate esocialização das discussões ocorridas nas escolas e apresentação da temática seguinte e defóruns a cada dois meses para aprovação do texto elaborado pela equipe sistematizadora, apartir das contribuições oriundas das escolas e dos encontros mensais.Todas as Unidades de Ensino deverão eleger dentre os profissionais da educação, umrepresentante por turno (matutino, vespertino e noturno – quando houver), que seconstituirá no elo entre as Unidades e a equipe sistematizadora. A escolha de umrepresentante por turno é para garantir a representação dos três turnos nos encontros efóruns que ocorrerão pela manhã, tarde e noite. Este representante terá a responsabilidadede elaborar a síntese das discussões ocorridas nos turnos de funcionamento da instituição,encaminhando-a para a equipe sistematizadora, fazer a socialização nos encontrospresenciais e participar dos fóruns. No primeiro encontro presencial será escolhido o nomedos profissionais que irão representar a Educação Infantil, Ensino Fundamental e Educaçãode Jovens e Adultos na equipe sistematizadora.Os encontros presenciais terão dois objetivos: 1) apresentar a síntese das discussõesenviadas pelas unidades de ensino, discutir e chegar a um consenso sobre pontos, nos quaishaja divergências. 2) apresentar a próxima temática para discussão.A partir do texto e das questões, para serem discutidas no coletivo da escola deverá serelaborada uma síntese, a ser postada na plataforma Vixeduca, enviada por meio de correioeletrônico, por fax, ou entregue impresso na GFDE.Além dos encontros com representantes das UEs, serão realizados também encontros com 5
  6. 6. pais e alunos a partir da definição de um calendário específico.3.3 - PÚBLICO ENVOLVIDO NA DISCUSSÃO DAS DIRETRIZES3.3.1 - Nas unidades de ensino: a comunidade escolar (pais, alunos, profissionais daeducação)Cada unidade de ensino deverá organizar tempos/espaços de formação para discussão dasdiretrizes curriculares com os profissionais que nela atuam. Esta proposta de formaçãodeverá ser enviada a Gerência de Ensino Fundamental, no caso das EMEFs e para Gerênciade Educação Infantil, no caso dos CMEIs.As Diretrizes Curriculares deverão ser incluídas na proposta curricular, como uma temáticaa ser desenvolvida com os alunos, nas diversas áreas do conhecimento. A discussão destatemática com os alunos tem por objetivos: a) contribuir para o entendimento do que é umaDiretriz Curricular, Currículo e as variações deste (currículo oficial, praticado, oculto, etc) eda importância destes para a sistematização dos processos de ensino e aprendizagem; b)fornecer subsídios aos alunos para que a participação nos fóruns deste segmento ocorra deforma mais qualificada; c) fazer com que os alunos e profissionais da educação produzamtrabalhos acerca da temática “As contribuições do currículo para a construção da escolaque queremos”. Estes trabalhos serão apresentados durante os encontros de formaçãocontinuada e na Mostra Científica e Cultural das Escolas Municipais de Vitória, a serrealizada em novembro de 2011.3.3.2 - Encontros de pais e funcionários e do Conselho de Escola representantes daComunidade onde a escola está inserida: as temáticas das diretrizes curriculares serãodiscutidas com estes sujeitos nas formações de conselheiros e no Congresso de Famílias.3.3.3 - Encontros de alunos: os alunos da Educação Infantil, do Ensino Fundamental e daEducação de Jovens e Adultos participarão da reelaboração das Diretrizes Curriculares.Para isto será articulado um trabalho com a equipe da Mobilização Estudantil.Os textos e materiais indicados para subsidiar a discussão e aprofundamento das Diretrizes 6
  7. 7. Curricularesserão postadas na Plataforma VixEduca. Como já foi dito anteriormente, ascontribuições elaboradas pelas unidades de ensino poderão ser enviadas à SEME viaPlataforma.4- COMPOSIÇÃO DA EQUIPE DE TRABALHO  Consultor geral  Equipe Sistematizadora: SEME e representantes das Unidades de Ensino (EI, EF, EJA)  Representantes das Unidades de Ensino  Profissionais das unidades de ensino  Pais e alunos  Representantes da Comunidade  Representantes do Conselho Municipal de Educação de Vitória (COMEV)5- CERTIFICAÇÃO DA FORMAÇÃO CONTINUADATodos os profissionais da educação participantes do processo de formação continuadaserão certificados de acordo com sua participação e carga horária:a) participação nos grupos de estudo nas Unidades de Ensino;b) representantes das Unidades de Ensino com participação nos encontros mensais e fórunse responsáveis pela elaboração da síntese das discussões ocorridas no seu espaço detrabalho;c) participação na equipe sistematizadora.6 - CALENDÁRIO DE FORMAÇÕESO calendário referente ao segundo semestre será elaborado posteriormente com a discussãosobre as Diretrizes Curriculares de cada área específica do conhecimento, perpassadas pelosprincípios abordados. 7
  8. 8. MÊS DIA ATIVIDADE HORÁRIO LOCAL 03 7:30 às 17:00 Alice Palace Hotel 7:30 às 17:00 Apresentação da proposta de formação continuada com a 04 temática “Diretrizes Curriculares”. 18:00 às 22:00 Auditório PMV Área Social ClubeFEVEREIRO 07 7:30 às 17:00 Álvares Cabral Plataforma 21 Envio do texto referência às Unidades de Ensino *-* VixEduca Recebimento da proposta de formação das Unidades de Ensino e os 28 *-* GFDE nomes de seus respectivos representantes (por turno) Devolutiva por escrito das discussões realizadas nas Unidades de Plataforma Até 18 *-* VixEduca Ensino, por meio da representação. MARÇO Encontro Mensal com os representantes das Ues e 25 (Sex) 7:00 às 12:00 SEME apresentação da temática a ser desenvolvida no mês de abril. Devolutiva por escrito das discussões realizadas nas Unidades de Plataforma Até 15 *-* VixEduca Ensino, por meio da representação. ABRIL Encontro Mensal com os representantes das Ues e 27 (Qua) 13:00 às 18:00 SEME apresentação da temática a ser desenvolvida no mês de maio. 12 (Qui) 1 º Fórum 18:00 às 22:00 SEME Devolutiva por escrito das discussões realizadas nas Unidades de Plataforma MAIO Até 12 *-* VixEduca Ensino, por meio da representação. Encontro Mensal com os representantes das Ues e 30 (Seg) 7:00 às 12:00 SEME apresentação da temática a ser desenvolvida no mês de junho. Devolutiva por escrito das discussões realizadas nas Unidades de Plataforma Até 15 *-* VixEduca Ensino, por meio da representação. JUNHO 22 (Qua) Encontro Mensal com os representantes das Ues. 13:00 às 18:00 SEME JULHO 25 (Seg) 2 º Fórum 7:00 às 12:00 SEME 8

×