Workshop abm analisecae

596 visualizações

Publicada em

Apresentação realizada dia 5 de maio na sede São Paulo da MoldesABM, na busca de mostrar a importância do CAE para criar distinção do mercado internacional e produzir certo da primeira vez. Uma forma de desmistificar o CAE, mostrando seus pré-requisitos e como lidar com ele.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
596
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Workshop abm analisecae

  1. 1. Desmistificando o CAE
  2. 2. Agenda  O mercado hoje;  A evolução das ferramentas;  Estatísticas de aplicação país;  Erros mais comuns no uso do CAE;  Cases de desenvolvimento;  Algumas ferramentas CAE;  Transmita credibilidade
  3. 3. Qual nossa missão? O que estamos fazendo? Buscamos fornecer o melhor produto, ao menor preço?... ...ou só estamos tentando ganhar concorrências?
  4. 4. A concorrência bate à porta • Projetos inteiros estão sendo transferidos para a China e na Índia; • Ferramental & Moldes são produzidos lá e mais baratos que os nossos; • Isso e a chamada mão de obra barata e competição mundial permitem e incentivam;
  5. 5. Qual o problema com o CAE? Por que as empresas estão indo pra China e Índia, tão atrasadas? atrasadas...
  6. 6. Qual nossos diferenciais? • Falamos o idioma do nosso cliente; • Nosso prazo de entrega não inclui transporte marítimo; • Podemos acompanhar/deixar o cliente acompanhar o processo fabril; • Estamos no mesmo fuso horário;
  7. 7. Por que não se usa CAE no país? • É caro; • Não é preciso; • Os resultados são “exotéricos”;
  8. 8. A necessidade do toque • Crescimento da Prototipagem Rápida e convencional; • Práticas antiquadas ainda vigentes na indústria, do protótipo físico em escala real; • Simulação baseada na experiência e no feeling super valorizada;
  9. 9. O que dizem os fornecedores? “Muitas vezes um cálculo “de cabeça” já resolve”; “Ninguém mais solicita análise CAE”; “Com um bom 3D já basta para fazer o ferramental”
  10. 10. Feeling valorizado? Você confiaria em um médico que tenta te operar sem exame?
  11. 11. E com relação à mão de obra? • O Brasil possui o real ainda mais barato que o Dólar, Euro e Libra; • Nossa mão de obra é, teoricamente, mais qualificada para poder custar mais; • Mas ela é mesmo mais qualificada?
  12. 12. E com relação a mão de obra? Revista Plástico Moderno, Edição 409, Novembro de 2008
  13. 13. Vamos revisar... Está ficando O trabalho Projeto e caro produzir migra para a ferramental já no Brasil China... estão lá... Quanto tempo até tudo ser fabricado lá? Como reagir? Nossa mão de Mas requer mais E necessitamos obra ainda é mais qualificação de melhores barata que USA & para criar o softwares. Europa diferencial
  14. 14. As reclamações mais comuns... • Software CAE é caro; • Não é preciso; • Não lê meu formato de arquivo; • Posso fazer de cabeça os cálculos que ele faz, por tanto dinheiro;
  15. 15. Você sabe o que é CAE? • Engenharia Auxiliada por Computador; • Qualquer programa que auxilie a tomada de decisões; • Diferente do CAD, que é praticamente passivo, o CAE requer discernir sobre os resultados.
  16. 16. Como de dá o desenvolvimento? Dinheiro comprometido Risco da Performance do Produto Produção Curva de Pré-Produção conhecimento Ferramental Performance Conceito Projeto Inicial
  17. 17. Famílias de produtos CAD Middle High Low Range Range Range
  18. 18. O mercado do Brasil... ...ainda está se perguntando se deve migrar para o 3D!
  19. 19. O mercado do Brasil...
  20. 20. Desafios do CAE no Brasil...
  21. 21. Diversas formas de Análises...
  22. 22. Diversas formas de Análises...
  23. 23. Diversas formas de Análises...
  24. 24. Diversas formas de Análises...
  25. 25. Dúvidas? Emanuel Campos RS Engenharia 11 7731 0602 emanuel@rsgrupo.com.br
  26. 26. Obrigado!

×