ciclos de vida - exercicios

9.180 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.180
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
297
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ciclos de vida - exercicios

  1. 1. BIOLOGIA E GEOLOGIA – 11.º ANO PROVA DE AVALIAÇÃO Novembro 2012 GRUPO IA meiose e a fecundação são dois processos complementares na reprodução sexuada.Os diagramas l e II da Figura 1 representam os ciclos de vida de duas espécies diferentes. Figura 11.1. Selecione a alternativa que preenche os espaços na frase seguinte, de modo a obter uma afirmação correta. (9 pontos) O _____ representa o ciclo de vida da gaivota, no qual a entidade adulta forma, por meiose, células representadas por _____. (A) diagrama I (...) T (B) diagrama I (...) R (C) diagrama II (…) T (D) diagrama II (...) R1.2. As afirmações seguintes dizem respeito a características comuns aos ciclos de vida representados na Figura 1. Selecione a alternativa que as avalia corretamente. (9 pontos)1. As entidades P pertencem à fase haploide.2. Os gâmetas estão representados pelas entidades T.3. Na formação das entidades R, ocorre a segregação dos cromossomas homólogos. (A) 1 e 3 são verdadeiras; 2 é falsa. (B) 3 é verdadeira; 1 e 2 são falsas. (C) 1 e 2 são verdadeiras; 3 é falsa. (D) 2 é verdadeira; 1 e 3 são falsas.1.3. Classifique como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das afirmações seguintes, relativas aos fenómenos presentes nos ciclos de vida representados na Figura 1. (15 pontos) (A) Na entidade Q do ciclo l, estão presentes cromossomas homólogos. (B) No ciclo l, de Q para S, ocorre redução do número de cromossomas. (C) Em ambos os ciclos, a entidade P forma-se por mitose de células diploides. (D) No ciclo l, de S para T, ocorre divisão do centrómero e disjunção dos cromatídios. (E) No ciclo I, imediatamente antes da formação de T, ocorre redução cromática. (F) No ciclo II, a entidade S é consequência de uma divisão equacional. (G) No ciclo II, as células T são geneticamente idênticas às células da entidade adulta. (H) No ciclo II, de T para R, ocorre duplicação do número de cromossomas.
  2. 2. GRUPO IIO diagrama da Figura 2 representa, de forma esquemática, estruturas e processos que caracterizam diferentestipos de ciclos de vida. Figura 21. Selecione a alternativa que completa a frase seguinte, de modo a obter uma afirmação correta. (18 pontos)1.1. No ciclo de vida B, a entidade multicelular adulta desenvolve-se a partir de… (A) … uma célula haploide. (B) … uma célula diploide. (C) … um zigoto. (D) … um gâmeta.1.2. A _______ contribui também para a variabilidade genética dos indivíduos pois a união ao acaso de dois gâmetas com diferentes combinações de genes permite a formação de _______ com diversas associações de genes. (A) fecundação … gâmetas (B) fecundação … ovos (C) meiose … gâmetas (D) meiose … ovos1.3. A reprodução sexuada caracteriza-se pela ocorrência de fecundação e meiose. Relacione a ocorrência desses dois processos no ciclo reprodutivo de qualquer espécie com a manutenção do número de cromossomas que caracteriza essa espécie. (13 pontos) GRUPO III As Feófitas são algas castanhas macroscópicas, que apresentam dimensões muito variadas, podendoatingir cerca de cem metros de comprimento. Sendo um grupo maioritariamente marinho, com cerca de 1500espécies, encontra-se geralmente próximo da superfície do mar. O talo das Feófitas diferencia-se em trêspartes: o disco de fixação, que lhes permite fixarem-se a um substrato, o estipe, cilíndrico e alongado, e alâmina, que encima o estipe. Possuem como pigmentos fotossintéticos as clorofilas a e c, associadas acarotenoides, que lhes conferem a cor castanha. A parede celular contém fundamentalmente celulose,apresentando outras substâncias como a algina, utilizada no fabrico de doces, gelados e na indústriafarmacêutica, tendo a laminarina como substância de reserva. A maior das algas castanhas, Macrocystis, também denominada «sequoia dos mares», pode ultrapassarcem metros de comprimento. O crescimento de Macrocystis é assegurado pela atividade de uma regiãomeristemática, localizada na junção do estipe com a lâmina. Esta alga não necessita de um mecanismo para otransporte interno de água. Contudo, precisa de conduzir glícidos das zonas superiores do talo, mais bemiluminadas, para as zonas mais profundas. O estipe possui cordões de células alongadas, que se assemelhamao floema, por apresentarem placas crivosas.Biologia e Geologia – 11.º Ano; Escola Secundária D. Maria II - Braga 2/5
  3. 3. No ciclo de vida de outra Feófita, a Laminaria, as fases haploide e diploide são perfeitamente distintas.A alga é o esporófito e, na sua superfície, desenvolvem-se esporângios, produtores de esporos. Estesoriginam gametófitos filamentosos e microscópicos, que produzem gâmetas, oosferas e anterozoides. Após asua união, os zigotos desenvolvem-se em novas algas de Laminaria. Figura 31. Relacione a existência de algas castanhas de grandes dimensões, como Macrocystis, com a presença de um estipe com células semelhantes às de um tecido de transporte presente nas plantas. (15 pontos)2. Selecione a única opção que permite obter uma afirmação correta. (45 pontos) 2.1.Na região meristemática do estipe de Macrocystis, encontra-se um grande número de células em Divisão... (A) meiótica, responsável pela sobrevivência em condições desfavoráveis. (B) meiótica, responsável pelo crescimento e pela renovação celular. (C) mitótica, responsável pelo crescimento e pela renovação celular. (D) mitótica, responsável pela sobrevivência em condições desfavoráveis. 2.2. No ciclo de vida de Laminaria, o processo que origina a variabilidade genética da descendência, através do crossing-over, ocorre na formação de _______, originando estes entidades _______ e pluricelulares. (A) gâmetas … diplóides (B) esporos … haploides (C) esporos … diplóides (D) gâmetas … haploides 2.3. As células do esporófito, no ciclo de vida de Laminaria, são geneticamente idênticas ao _______ e as células dos gametófitos _______ pares de cromossomas homólogos. (A) esporo … apresentam (B) zigoto … apresentam (C) esporo … não apresentam (D) zigoto … não apresentam 2.4. Na fase haploide do ciclo de vida de Laminaria,... (A) os gametófitos resultam da germinação de esporos diferentes. (B) os gametófitos são entidades unicelulares que participam na fecundação.Biologia e Geologia – 11.º Ano; Escola Secundária D. Maria II - Braga 3/5
  4. 4. (C) o esporófito é uma entidade pluricelular que forma esporângios. (D) o esporófito origina esporos morfologicamente diferentes. 2.5. Quando, durante um período de tempo, uma alga liberta para o meio maior quantidade de átomos de carbono do que a quantidade que fixa através da fotossíntese, a alga recorre à _______ de glícidos de reserva, _______ ATP neste processo. (A) hidrólise … consumindo (B) síntese … produzindo (C) hidrólise … produzindo (D) síntese … consumindo GRUPO IV A meiose é um processo de divisão celular, a partir do qual uma célula diploide (2n) origina quatrocélulas haploides (n), isto é, as células-filhas apresentam metade do número de cromossomas da célula mãe(um só cromossoma de cada par de homólogos). A Figura 4 representa esse processo. Figura 41. Faz corresponder a cada uma das letras das afirmações de A a E da coluna I, um número da coluna II. (13 pontos) COLUNA I COLUNA II (a) Célula com dois cromossomas. 1. Célula 1 (b) Célula haploide. 2. Célula 2 (c) Célula diploide. 3. Células 3 (d) Célula cujos cromossomas possuem um 4. Células 4 cromatídeo. 5. Células 1 e 2 (e) Célula cujos cromossomas possuem dois 6. Células 2 e 3 cromatídeos. 7. Células 3 e 4 8. Células 1 e 42. Ordene as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência cronológica dos acontecimentos que ocorrem durante o processo que conduz à produção de células sexuais. (13 pontos) Escreva, na folha de respostas, apenas a sequência de letras. A. Ocorrência de crossing-over. B. Formação de uma tétrada celular. C. Separação dos cromossomas homólogos. D. Replicação semiconservativa do DNA. E. Ascensão polar dos cromatídeos irmãos.Biologia e Geologia – 11.º Ano; Escola Secundária D. Maria II - Braga 4/5
  5. 5. GRUPO V Na Figura 5 está representada uma experiência que geralmente é relacionada com a teoria do fluxo demassa. No início da experiência, foi colocada água no balão 1 e uma solução concentrada de sacarose nobalão 2, contendo a tina de vidro de água destilada. Algumas das setas numeradas indicam o sentido domovimento da água e/ou do soluto. Figura 51. Faça corresponder a cada uma das letras das expressões abaixo indicadas, relativas à teoria do fluxo de massa, um dos números da figura 7. (13 pontos) A- No floema da folha é elevada a pressão osmótica. B- No floema da raiz a pressão osmótica é menor do que no floema da folha. C- A água entra no floema da raiz. D- A água sai do floema da raiz. E- Nos vasos crivosos a seiva desloca-se do local de maior pressão de turgescência para o local de menor pressão de turgescência.2. De acordo com o modelo de fluxo de massa do transporte floémico, pode afirmar-se que: (9 pontos) (A) a seiva floémica flui sempre da raiz para as folhas. (B) a seiva floémica flui sempre das folhas para a raiz. (C) a água com açúcar pode fluir das zonas de reserva para as zonas de consumo. (D) a água flui apenas da raiz para as folhas e o açúcar das folhas para a raiz. (Transcreva a letra da opção correta)3. Ordene as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência cronológica dos acontecimentos que podem determinar o fecho dos estomas, segundo uma relação de causa-efeito. (13 pontos) A – Saída de água das células-guarda. B – Aumento da pressão osmótica no meio extracelular. C – Plasmólise das células-guarda. D – A pressão de turgescência no interior das células-guarda atinge um valor mínimo. E – Substituição do meio de montagem de um fragmento de epiderme por uma solução hipertónica.4. Numa situação experimental, verificou-se, numa árvore, a translocação da seiva xilémica das raízes para as folhas e da seiva floémica em sentido contrário. Uma secção do tronco desta árvore foi aquecida a 100 ºC, tendo-se constatado que a translocação da seiva floémica foi interrompida, enquanto a translocação da seiva xilémica não foi afetada. Explique por que razão o aquecimento da secção mencionada interferiu na translocação da seiva floémica, não interferindo, no entanto, na translocação da seiva xilémica. (15 pontos) FIM DA PROVABiologia e Geologia – 11.º Ano; Escola Secundária D. Maria II - Braga 5/5

×