Dossiê Trânsito 2012 Cálculo do Índice de Severidade dosAcidentes de Trânsito no Rio de Janeiro
Objetivos• O objetivo dessa análise é identificar, dentre as 136  circunscrições de delegacias do estado, as áreas mais  c...
Metodologia• Para obter o grau de severidade dos acidentes foi utilizado  o cálculo da UPS (Unidade Padrão de Severidade),...
Metodologia• Fórmula da UPS modificada: UPSm = (n° de acidentes  com feridos*5) + (n° de acidentes com mortes*13).• Adotou...
Metodologia• Ao invés do total de vítimas, foi utilizado no cálculo o total  de acidentes. Se num mesmo evento houver víti...
Metodologia• Para o estudo de caso, utilizou-se o estimador de Kernel  na produção de mapas termais para melhor identifica...
Distribuição da UPSm  por DP do Estado
Distribuição Espacial de Unidade Padrão de Severidade por Circunscrição de DP do Estado do Rio de Janeiro (2011)
Resultados• Das doze áreas com maiores valores de UPSm, sete  encontram-se no município do Rio de Janeiro;• Dessas sete ár...
Resultados• Vinte circunscrições obtiveram valores de UPSm muito  críticos (> média de UPSm + 1 desvio padrão) e quarenta ...
Distribuição Espacial de Ocorrências de Homicídio Culposo de Trânsito e Lesão Culposa de Trânsito na Circunscrição da 35ª ...
Representação Termal das Ocorrências de Lesão Culposa de Trânsito na Circunscrição da 35ª DP (2011)
Representação Termal das Ocorrências de Lesão Culposa de Trânsito na Circunscrição da 35ª DP (2011)
Resultados• Observa-se maior concentração de ocorrências nos  trechos de convergência na Rua Campo Grande, entre a  Estrad...
Resultados• A análise dos acidentes de trânsito pelo método de cálculo  da Unidade Padrão de Severidade, assim, lança dest...
Instituto de Segurança PúblicaAv. Presidente Vargas, 817, 16º andar, Centro    CEP: 20.071-004 - Rio de Janeiro – RJ      ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

4 dossiê trânsito 2012 - cálculo do índice de severidade dos acidentes de trânsito no rio de janeiro

2.002 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.002
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
911
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

4 dossiê trânsito 2012 - cálculo do índice de severidade dos acidentes de trânsito no rio de janeiro

  1. 1. Dossiê Trânsito 2012 Cálculo do Índice de Severidade dosAcidentes de Trânsito no Rio de Janeiro
  2. 2. Objetivos• O objetivo dessa análise é identificar, dentre as 136 circunscrições de delegacias do estado, as áreas mais críticas de acordo com o grau de severidade de acidentes de trânsito.• Produzir estudo de caso utilizando a circunscrição de DP com maior índice de severidade.
  3. 3. Metodologia• Para obter o grau de severidade dos acidentes foi utilizado o cálculo da UPS (Unidade Padrão de Severidade), método numérico do DENATRAN que atribui peso aos tipos de acidentes de acordo com a gravidade dos danos causados à pessoa.
  4. 4. Metodologia• Fórmula da UPS modificada: UPSm = (n° de acidentes com feridos*5) + (n° de acidentes com mortes*13).• Adotou-se como parâmetro analítico descritivo a comparação entre o grau de severidade de cada área e a média das 136 circunscrições de DP, cujo valor obtido da média foi de 1.388 UPSm.
  5. 5. Metodologia• Ao invés do total de vítimas, foi utilizado no cálculo o total de acidentes. Se num mesmo evento houver vítima fatal e vítima não fatal, este é considerado um caso de acidente com morte devido ao grau de severidade agregado a esse tipo de evento.• Além da distribuição espacial das CISP pelo estado, procurou-se também destacar as principais vias (rodovias, vias expressas, logradouros) que cortam essas áreas na construção do mapa temático.
  6. 6. Metodologia• Para o estudo de caso, utilizou-se o estimador de Kernel na produção de mapas termais para melhor identificação dos locais críticos dos acidentes de trânsito através de gradativos de cor. Nesse caso, trabalhou-se com células espaciais de 500m para determinar a concentração de ocorrências.
  7. 7. Distribuição da UPSm por DP do Estado
  8. 8. Distribuição Espacial de Unidade Padrão de Severidade por Circunscrição de DP do Estado do Rio de Janeiro (2011)
  9. 9. Resultados• Das doze áreas com maiores valores de UPSm, sete encontram-se no município do Rio de Janeiro;• Dessas sete áreas, cinco contêm trechos da Avenida Brasil, uma das vias de maior extensão do município e componente da BR-101;• Fora da capital destacam-se as circunscrições das 54ª DP (Belford Roxo), 59ª DP (Centro de Duque de Caxias), 64ª DP (São João de Meriti), 71ª DP (Itaboraí) e 134ª DP (Campos dos Goytacazes).
  10. 10. Resultados• Vinte circunscrições obtiveram valores de UPSm muito críticos (> média de UPSm + 1 desvio padrão) e quarenta apresentaram valores críticos (> média de UPSm até média de UPSm + 1 desvio padrão). Ou seja, mais de 40% das circunscrições de DP (44,1%) apresentaram UPSm acima da média;• A área da 35ª DP foi a que obteve o maior índice de severidade (7.605 UPSm). Cabe destacar que este índice foi quase duas vezes maior que o índice observado na segunda área mais crítica, a da 59ª DP (4.281 UPSm).
  11. 11. Distribuição Espacial de Ocorrências de Homicídio Culposo de Trânsito e Lesão Culposa de Trânsito na Circunscrição da 35ª DP (2011)
  12. 12. Representação Termal das Ocorrências de Lesão Culposa de Trânsito na Circunscrição da 35ª DP (2011)
  13. 13. Representação Termal das Ocorrências de Lesão Culposa de Trânsito na Circunscrição da 35ª DP (2011)
  14. 14. Resultados• Observa-se maior concentração de ocorrências nos trechos de convergência na Rua Campo Grande, entre a Estrada do Campinho e a Avenida Cesário de Melo, no centro do bairro de Campo Grande, proximidades da estação de trem de Campo Grande.• Esses resultados mostram que apesar da extensão territorial da circunscrição da 35ª DP e das vias de grande movimento localizadas na área, é possível distinguir alguns pontos mais críticos dos acidentes de trânsito na região, destacando, assim, localizações onde ações e planejamentos podem ser priorizados.
  15. 15. Resultados• A análise dos acidentes de trânsito pelo método de cálculo da Unidade Padrão de Severidade, assim, lança destaque em outras áreas críticas e ajuda na observação de centros nevrálgicos desses locais em relação aos acidentes de trânsito e à gravidade do resultado dessas ocorrências.
  16. 16. Instituto de Segurança PúblicaAv. Presidente Vargas, 817, 16º andar, Centro CEP: 20.071-004 - Rio de Janeiro – RJ isp@isp.rj.gov.br www.isp.rj.gov.br Andréia Soares andreiasp@isp.rj.gov.br

×