A imersão nas cores

611 visualizações

Publicada em

O homem sempre desejou retratar a natureza em tudo o que faz. Neste material apresenta-se uma introdução sobre como as cores influenciam o ser humano tanto de maneira fisiológica, quanto psicológica.

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
611
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A imersão nas cores

  1. 1. PLANO DE COMUNICAÇÃO Produção Visual Gráfica Fases de um Projeto
  2. 2. FASES DE EXECUÇÃO DE UM PROJETO BRIEFING É um documento ou simplesmente uma folha com informações do conteúdo do projeto, normalmente fornecido pelo cliente. BRAINSTORMING Momento em que após se “discutir” e entender o briefing, começa-se a fazer a “criação” propriamente dita.
  3. 3. FASES DE EXECUÇÃO DE UM PROJETO RAFE Também faz parte da criação. Após se chegar a uma conclusão no brainstorming, inicia-se “rascunhos ou esboços”, ou tecnicamente falando, os rafes. TRAYSING Processo intermediário entre o rafe e o layout. Nesta fase executa-se o estudo de cores, procura-se definir formatos e tipologia para facilitar a execução do layout.
  4. 4. FASES DE EXECUÇÃO DE UM PROJETO LAYOUT É um trabalho mais detalhado e definido que o rafe e é enviado para o cliente para aprovação ou então eventuais modificações. ARTE FINAL Como o próprio nome diz, este é um produto final executado dentro do setor do PVG, que pode ser convencional ou eletrônico.
  5. 5. A NATUREZA, O HOMEM, A COR A imersão nas cores Cor - para expressar uma sensação visual que nos oferece a natureza através dos raios de luz irradiados em nosso planeta. A cor é uma onda luminosa, um raio de luz branca que atravessa nossos olhos. É ainda uma produção de nosso cérebro, uma sensação visual.
  6. 6. A NATUREZA, O HOMEM, A COR As cores influenciam o ser humano e seus efeitos, tanto de caráter fisiológico como psicológico, intervêm em nossa vida, criando alegria ou tristeza, exaltação ou depressão, atividade ou passividade, calor ou frio, equilíbrio ou desequilíbrio, ordem ou desordem, etc.
  7. 7. A NATUREZA, O HOMEM, A COR As cores podem produzir impressões, sensações e reflexos sensoriais de grande importância, porque cada uma delas tem uma vibração determinada em nossos sentidos e podem atuar como estimulante ou perturbador na emoção, na consciência e em nossos impulsos e desejos.
  8. 8. A NATUREZA, O HOMEM, A COR As cores, por meio dos nossos olhos e do cérebro, fazem penetrar no corpo físico uma variedade de ondas com diferentes potências que atuam sobre os centros nervosos e suas ramificações e que modificam, não somente o curso das funções orgânicas, mas também nossas atividades sensoriais, emocionais e afetivas.
  9. 9. A NATUREZA, O HOMEM, A COR O estudo das cores na comunicação e no marketing permite conhecer sua potência psíquica e aplicá-la como poderoso fator de atração e sedução para identificar as mensagens publicitárias sob todas as formas: apresentação de produtos, embalagens, logotipos, cartazes, comerciais, anúncios, etc.
  10. 10. A NATUREZA, O HOMEM, A COR A cor de uma apresentação (embalagem, rótulo, logotipo...) deve estar de acordo com o caráter e a qualidade do conteúdo/conceito e deve ser ajustado com os requerimentos psicológicos e culturais do público a que se destina.
  11. 11. A NATUREZA, O HOMEM, A COR Apesar de a maior parte das pessoas não terem consciência disso nem tampouco da carga simbólica da cor, todos nós, quando nos deparamos com cores “positivas” e bem combinadas, reagimos favoravelmente e nos deixamos levar pela atração que elas exercem sobre os nossos sentidos.
  12. 12. A NATUREZA, O HOMEM, A COR A linguagem da cor é um meio atrativo que atua sobre o subconsciente dos consumidores, permitindo sua utilização alinhada com os objetivos estratégicos dos produtos e das empresas. O azul do céu, o verde das folhas, o colorido deslumbrante das flores, os diversos tons das águas do mar e a natureza toda impõem suavemente o mundo da cor.
  13. 13. A NATUREZA, O HOMEM, A COR É uma preocupação antiga do homem desejar sempre reproduzir o colorido da natureza em tudo que o rodeia. Isso compreende um profundo sentido psicológico e também cultural. É justamente nesse sentido que os criadores da propaganda comercial sentiram a cor como atração psicológica do homem, algo que faz parte da sua vida.
  14. 14. A NATUREZA, O HOMEM, A COR O homem mergulhou nas cores desde o começo de sua História, lembraremos aqui apenas as civilizações mais antigas, como China, Índia, Egito e outras, que sentiam na cor um profundo sentido psicológico e sóciocultural. Cada cor era um símbolo carregado de sentido.
  15. 15. A NATUREZA, O HOMEM, A COR Possuído pela ideia do misterioso, dentro de um sentido cósmico, em busca de algo além de suas fronteiras cognitivas, o homem procurou, dentro de suas manifestações deslumbrantes de luz e de força da natureza, um deus ou deuses. A estes, o homem ligava a ideia da luz solar, o azul-esverdeado dos mares, o azul-esbranquiçado das nuvens na imensidão do céus, as cores do arco-íris, que de vez em quando se apresentava como emanação divina num céu turbulento.
  16. 16. A NATUREZA, O HOMEM, A COR As cores faziam parte, assim, mais das necessidades psicológicas e culturais do que as estéticas, e as que mais surpreendiam aos olhos humanos seriam para enriquecer a presença de príncipes e reis, sacerdotes e imperadores, por meio dos deslumbrantes vestuários e ornamentos que lhes eram atribuídos.
  17. 17. A NATUREZA, O HOMEM, A COR O amarelo, o branco, o vermelho e o azul parecem ter sido as cores preferenciais na Antiguidade. Só mais tarde, os gregos acrescentaram o preto, especialmente utilizado na Arquitetura da época. A Roma Imperial utilizava a cor branca num sentido nefasto. Mais tarde, o romano começou a utilizar cores mais vivas predominando o laranja, a púrpura, o azul e o amarelo. O dourado era utilizado como elemento emocional.
  18. 18. A NATUREZA, O HOMEM, A COR A própria arte bizantina, essencialmente religiosoa, procurou o refinamento das cores, empregando cores vivas em todas as suas manifestações artísticas. Como exemplos maravilhosos do uso da cor, são dignos de nota os inúmeros mosaicos da Igreja de Cora, os tecidos coloridos do século XI ao XIV, executados de maneira sóbria e íntima, as encadernações estupendamente coloridas, mescladas com pedras preciosas (topázios, rubis, etc.), ícones e miniaturas em que predominam as cores púrpura, laranja, verde e azul.
  19. 19. Igreja de Cora em Constantinopla
  20. 20. MOSAICO BIZATINO O dourado utilizado como elemento emocional.
  21. 21. A NATUREZA, O HOMEM, A COR Nas artes visuais, a cor não é apenas um elemento decorativo ou estético. É o fundamento da expressão do significado. Está ligado à expressão de valores sensuais, culturais e espirituais.
  22. 22. Ressurreição de Lázaro, Giotto di Boncrone.
  23. 23. O casamento, Paolo Veronese.
  24. 24. Referências Psicodinâmica das Cores em Comunicação Modesto Farina, Clotilde Perez, Dorinho Bastos. 5ª ed. rev. amp. São Paulo: Editora Blucher, 2006. Design e comunicação visual: contribuição para uma metodologia didática. Bruno Munari. São Paulo: Martins Fontes, 1997. Escola SENAI “Theobaldo De Nigris”. Pré-Impressão – TGA – Tecnologia Gráfica. 3ª ed. rev., São Paulo: SENAI, 2003.

×