BACEN - A cadeia de valor como elemento de centralidade da gestão

707 visualizações

Publicada em

Fórum de Gestão Pública - Dia 1
Trilha: Estratégia - Tarde

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
707
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
65
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Esse slide fala do esforço para ATUALIZAÇÃO da cadeia de valor. Qual a metodologia utilizada para atualizar a cadeia? Foram aplicados formulários de pesquisa? Foram feitas entrevista? Quais os critérios utilizados para modificar a cadeia?

    Antes desse slide deveria ter outro pra abordar a metodologia de criação da cadeia de valor...o método construtivo.
  • BACEN - A cadeia de valor como elemento de centralidade da gestão

    1. 1. CADEIA DE VALOR COMO ELEMENTO DE CENTRALIDADE DA GESTÃO Outubro 2015
    2. 2. 1 543 6 Cadeia de Valor BCB & Equipe Metodologia A Cadeia de Valor Governança Centralidade da Gestão Próximos Passos Estrutura A experiência do BCB, métodos e técnicas Os processos Gestão da CV Utilização futura e desafios Utilização atual “elemento vivo” 2
    3. 3. 1 Banco Central do Brasil Estrutura
    4. 4. A Experiência com o processo de validação da Cadeia de Valor do BCB. A governança da Cadeia de Valor do BCB. Como transformar a Cadeia de Valor de apenas uma figura estática para um elemento “vivo” - usabilidade. Os desafios para transformar a cultura de uma gestão somente hierárquica para uma gestão também por processos. EXPERIÊNCIA 1 Banco Central do Brasil Estrutura
    5. 5. MISSÃO Assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda e um sistema financeiro sólido e eficiente. 1 Banco Central do Brasil Estrutura
    6. 6. O BCB TEM POR FINALIDADE:  A formulação, a execução, o acompanhamento e o controle das políticas monetária, cambial, de crédito e de relações financeiras com o exterior  A organização, disciplina e fiscalização do Sistema Financeiro Nacional (SFN) e do Sistema de Consórcio  A gestão do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) e dos serviços do meio circulante 1 Banco Central do Brasil Estrutura
    7. 7. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS 2010- 2015 1. Assegurar o cumprimento das metas de inflação estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional; 2. Assegurar a solidez e o regular funcionamento do Sistema Financeiro Nacional; 3. Promover a eficiência do Sistema Financeiro Nacional e a inclusão financeira da população; 4. Assegurar o suprimento de numerário adequado às necessidades da sociedade; 5. Aprimorar o marco regulatório para o cumprimento da missão institucional; 6. Promover melhorias na comunicação e no relacionamento com os públicos interno e externo; 7. Aprimorar a governança, a estrutura e a gestão da Instituição; 8. Fortalecer a inserção internacional da Instituição. 1 Banco Central do Brasil
    8. 8. BCB EM NÚMEROS 3469 611 182 QUADRO FUNCIONAL Analistas Técnicos Procuradores Presente em 10 Cidades: 1. Brasília 2. São Paulo 3. Rio de Janeiro 4. Belo Horizonte 5. Curitiba 6. Porto Alegre 7. Belém 8. Fortaleza 9. Salvador 10. Recife Total: 4262 1 Banco Central do Brasil Estrutura
    9. 9. Escritório de Soluções em Organização Administrativa e Processos de Trabalho – ESORG 6 servidores DEPOG DEPOG ESPRO ESPLA ESORG ESCOM GEPRO GESOR Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão - Depog 48 servidores 1 Banco Central do Brasil Estrutura
    10. 10. 2 Cadeia de Valor Processos
    11. 11. Cadeia de Valor em números 7 Processos de 1º nível 32 Processos de 2º nível 244 Processos de 3º nível 2 Cadeia de Valor Processos
    12. 12. 3 Metodologia A experiência do BCB, método e técnicas
    13. 13. 3 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas CADEIA DE VALOR A Cadeia de Valor é expressa na forma de um diagrama que contém a arquitetura de processos do BCB Explicita os valores entregues à sociedade, numa sequência lógica de agregação e de entrega de resultados, permitindo visualizar o cumprimento da missão institucional. A Cadeia de Valor do BCB é o conjunto de processos de trabalho, hierarquizados e logicamente relacionados, e de seus produtos, por meio dos quais a organização busca alcançar seus resultados e entregar valor para o cliente.
    14. 14. CADEIA DE VALOR É um meio de organizar as ações do BCB para prestar informações à sociedade, aos órgãos de controle e a outros públicos de interesse de forma Permite visualizar a contribuição de cada unidade para o cumprimento da missão institucional. Ao representar de forma concisa todos os esforços do BCB, o diagrama da Cadeia de Valor torna-se um valioso instrumento de comunicação interna e externa. Serve como elemento de centralidade da gestão do BCB, com linguagem única dos processos do Banco. (Gestão de riscos, estratégia, capacitação, etc...) 3 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas
    15. 15. • Identificação da Cadeia de Processos • Desenho do mapa de relacionamento • Identificação de produtos operacionais Versão inicial (consultoria) • Identificação dos Macroprocessos • Identificação dos Processos • Identificação de Subprocessos e atividades nos processos de modelagem Estudo da Missão do BCB, Base legal, Funções Versões posteriores Equipe BCB A G R E G A Ç Ã O • Identificação dos macroprodutos • Desdobramento em produtos entregáveis • Desdobramento em produtos operacionais 3 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas D E S D O B R A M E N T O
    16. 16. Banqueiro do Governo Monopólio da emissão de moeda Banco dos Bancos Executor da Política Cambial Executor da Política Monetária Regulador e supervisor do SF Funções Legais Macroprodutos Estabilidade do Poder de Compra da Moeda assegurada SFN sólido e eficiente assegurado Demandas do Governo e Sociedade atendidas Infraestrutura financeira provida IdentificaçãodosMacroprodutos 3 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas
    17. 17. Macroprodutos Estabilidade do Poder de Compra da Moeda assegurada SFN sólido e eficiente assegurado Demandas do Governo e Sociedade atendidas Infraestrutura financeira provida IdentificaçãodosClientes Estado/Governo Sociedade/Cidadão Entidades Supervisionadas do Sistema Financeiro 3 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas
    18. 18. Como foi construída a versão atual da Cadeia de Valor e quem participou? Cadeia de Valor atualizada 350 servidores (5 níveis hierárquicos + Diretoria Colegiada) + 130 reuniões Método Especialista da Unidade, Chefe de Subunidade, Chefe Adjunto, Chefe de Unidade, Chefe de Gabinete de Diretor, Diretoria Colegiada 3 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas
    19. 19. AÇÃO NOMENCLATURA RESULTADO NÍVEL DE GESTÃO Processo de 1º nível Macroprocesso Macroproduto Estratégico Processo de 2º nível Processo Produto Entregável Estratégico/ Tático Processo de 3º nível Subprocesso Produto Final Tático/ Operacional Processo de 4º nível Processo de 5º nível Atividade Tarefa Produto Intermediário Operacional Arquitetura da Cadeia de Valor 3 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas
    20. 20. 3 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas
    21. 21. 3 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas
    22. 22. CADEIA DE VALOR – MÉTODO DE AVALIAÇÃO E VALIDAÇÃO Validação pelo ESPECIALISTA Validado pelas SUBUNIDADES Validado pelo DEPARTAMENTO Validado pela DIRETORIA PUBLICADOVERSÃO ATUAL 3 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas
    23. 23. Experiência da Terceira Atualização da Cadeia de Valor 3 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas
    24. 24. 3 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas Aproximadamente 100 dias de trabalho...
    25. 25. Participação de 100% das Unidades do BCB (37) no processo de atualização 3 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas
    26. 26. Redução de processos de 3º nível 2 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas 274 244 -11%
    27. 27. 3 Metodologia A experiência do BCB, métodos e técnicas  Maior apropriação da Cadeia de Valor pelas Unidades e pelos processos de gestão do BCB.  Refinamento dos processos.
    28. 28. 4 Governança Gestão da C.V.
    29. 29. 1º nível - Diretoria Colegiada 2º nível - Dirad + Diretores envolvidos 3º nível - Chefes de Unidade envolvidos + Diretores Envolvidos + Dirad 4º nível - unidades BCB + Depog 5º nível - gestão atribuída às Unidades do BCB A Cadeia de Valor do BCB possui até 5 níveis de processos, mas é representada graficamente só até o terceiro nível 4 Governança Gestão da C.V.
    30. 30. 5 Centralidade da Gestão Utilização atual “elemento vivo”
    31. 31. CADEIA DE VALOR Gestão da Informação Estratégia Classificação de documentos Desempenho Competências Normativos e Manuais Conhecimento organizacional Auditoria Comunicação Custos e FTE Treinamento e desenvolvimento Projetos Riscos Estrutura Organizacio nal 5 Centralidade da Gestão Utilização atual “elemento vivo”
    32. 32. LEVANTAMENTO DAS CAPACIDADES ORGANIZACIONAIS A Cadeia de Valor do Banco Central do Brasil é uma hierarquia estruturada dos processos organizados para entregar resultados. Neste sentido, o levantamento e o entendimento do desempenho desses processos (em 1º e 2º níveis) constituem importante fonte de informação para a formulação estratégica e o seu desdobramento no âmbito das diversas áreas e unidades. Com base na Cadeia de Valor, cada unidade do BC avalia as capacidades organizacionais para realização dos seus processos, com a posterior validação pelo respectivo Diretor, Secretário- Executivo ou Procurador-Geral. Neste diagnóstico também são identificados os principais stakeholders externos, por macroproduto. O diagnóstico de levantamento das capacidades organizacionais é realizado para os processos de 2º nível da cadeia de valor identificando: • Pontos fortes: O que fazemos bem e somos reconhecidos por isso? • Pontos de melhoria: O que a organização não faz bem hoje, mas precisa fazer? Para cada ponto forte e de melhoria são identificadas também evidências que esclarecem o diagnóstico realizado. Este documento tem como objetivo descrever o método para realizar o levantamento das capacidades organizacionais Processos de 2º Nível Capacidades Organizacionais Stakeholders PONTOS FORTES O que fazemos bem e somos reconhecidos por isso? PONTOS DE MELHORIA O que a organização não faz bem hoje, mas precisa fazer? Evidências Evidências  Quais são as expectativas dos stakeholders em relação ao BCB?  Qual o valor que deveria ser entregue para cada grupo de stakeholders  Qual o valor entregue para cada grupo de stakeholders? Modelo Conceitual Macroprodutos
    33. 33. PROJETO BC 2020 – CAPACIDADES ORGANIZACIONAIS “Nós temos a capacidade de...” QUANTIDADE DE PONTOS FORTES: O que fazemos bem e somos reconhecidos por isso? “Nós precisamos melhorar a capacidade de...” QUANTIDADE DE PONTOS DE MELHORIA: O que a organização não faz bem hoje, mas precisa fazer? 19 7 9 8 14’ 3 8 2 3 3 3 2 21 4 1 16 16 4 11 4 4 3 3 1 5 4 4 2 14 5 1 10 7 6 7 6 3 3 7 4 16 8 2 10 6 3 8 3 6 77 6 17 19 2 1 2 3 1 1
    34. 34. Gestão de Riscos 5 Centralidade da Gestão Utilização atual “elemento vivo”
    35. 35. 5 Centralidade da Gestão Utilização atual “elemento vivo”
    36. 36. Organização das competências dos componentes das unidades BCB Organização da estrutura das unidades Outros Exemplos de Utilização da Cadeia de Valor Plano Anual de Capacitação Gestão da Informação do BCB Comunicação Interna e externa 5 Centralidade da Gestão Utilização Atual “elemento vivo”
    37. 37. 6 Próximos passos Utilização futura, desafios e dicas
    38. 38. Transformar a cultura de uma gestão somente hierárquica para uma gestão também por processos Manter a Cadeia de Valor sempre atualizada e ao mesmo tempo estável em algum nível 6 Próximos passos Utilização futura, desafios
    39. 39. Exemplos:  Discutir pontos fortes e pontos de melhorias,  PAC – Plano Anual de Capcitação,  PDTI – Plano Diretor de TI,  Analisar prioridades e indicadores,  Envolver outras unidades no desenho ou redesenho de processos,  Criar atividades de integração entre unidades, etc... 6 Próximos passos Utilização futura, desafios e dicas
    40. 40. Garantir a confiabilidade das informações constantes na Cadeia de Valor Informar constantemente as alterações para os parceiros que utilizam internamente Manter a lógica de agregação de valor e a proporcionalidade dos níveis 6 Próximos passos Utilização futura, desafios
    41. 41. CADEIA DE VALOR Gestão da Informação Estratégia Classificação de documentos Desempenho Competências Normativos e Manuais Conhecimento organizacional Auditoria Comunicação Custos e FTE Treinamento e desenvolvimento Projetos Riscos Estrutura Organizacional 6 Próximos passos Utilização futura, desafios
    42. 42. Obrigada!!! Ana Virginia ana.virginia@bcb.gov.br (61) 3414-2295

    ×