Aula 08 renascimento

580 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
580
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
40
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 08 renascimento

  1. 1. Arte e EstéticaAula 8 –RenascimentoProf. Ms. Elizeu N. Silva
  2. 2. RenascimentoO que efetivamente marca o Renascimento não é propriamentea descoberta do homem e da natureza, mas a transformação daobra de arte em estudo da natureza.Aprofundando o naturalismo gótico, o Renascimento avançarápor um processo de “secularização” da arte, em que imagens eesculturas perdem o acentuado caráter simbólico e passam aser valorizadas pelo que são em si mesmas.
  3. 3. RenascimentoA ideia de ruptura comumente associada ao Renascimento foigestada historiadores de matriz liberalistas do século XIX, comoforma de oposição entre Idade Média e Idade Moderna.A Renascença de fato foi anticlerical, antiescolástica eantiascética. Resumindo, deixou de reconhecer a autoridadeabsoluta da igreja. No entanto, não era cética. As ideias sobreredenção, pecado original, transcendência continuam a tervalidade, embora em plano secundário, pois o interesse maiorvolta-se para o ser e a natureza.
  4. 4. RenascimentoA Renascença nem era tãohostil à autoridade da igrejaquanto afirmam iluministas eliberais. Embora muitas vezesdesprezasse a autoridade dosclérigos, poupava a igrejaenquanto instituição. Não setratava de ruptura com aautoridade, pois acabou porsubstituir a autoridade da igrejapela da Antiguidade clássica. Mona Lisa. Leonard Da Vinci, 1503
  5. 5. RenascimentoHomem Vitruviano. Leonard Da Vinci,1490
  6. 6. Renascimento >QuattrocentoAlessandro di MarianoFilipepi, mais conhecidocomo Sandro Botticelli.1445–1510O Nascimento de Vênus. Sandro Botticelli.,1483. Encomendadapor Lorenzo de Médici
  7. 7. Fases do Renascimento > TrecentoOcorre basicamente na Itália, em Florença, cidade que noséculo XIV se firma como importante pólo político, econômico ecultural da Europa. Caracteriza-se por uma burguesiacrescente composta por comerciantes e artesãos organizadosem guildas. Na cidade já existem importantes casas bancárias.Entre as famílias burguesas, destacam-se os Medici,constituída de médicos que se tornaram banqueiros e líderespolíticos que assumiram condição de nobreza. Emboraacusados de corruptos e autoritários, iniciaram o mecenatoprivado das artes.
  8. 8. Fases do Renascimento > QuattrocentoOcorre no século XV durante um frenesi de desenvolvimentistae de construções em Florença. O arquiteto Filippo Brunelleschiconstrói as igrejas de São Lourenço e do Santo Espírito.Basílica de SãoLourenço. Florença.1419-1460
  9. 9. Fases do Renascimento >QuattrocentoFlorença se mantém como importantecentro político e cultural da Itália e daEuropa, impulsionada por grandeprosperidade econômica. A arte e aarquitetura são uma forma da oligarquiaburguesa revelar poder e cultura elevada,tendo Lorenzo de Médici como principalmecenas.A morte de Lorenzo, em 1492, marca ofim do domínio de Florença sobre a arterenascentista.
  10. 10. Fases do Renascimento > Alta RenascençaPeríodo compreendido desde o fim do Quattrocento (por voltade 1480, até 1520) que antecede a maturidade do Cinquecento.Não apenas a arte se consolida como expressão autônoma,como tem reforçado o seu caráter humanista. Os artistasganham reconhecimento comparável ao dos eruditos ecientistas, abandonando a condição de artesãos como até entãoeram vistos. Aprofunda-se ainda mais a busca pela fidelidade ànatureza.
  11. 11. Fases do Renascimento > Alta RenascençaÉ considerado o apogeu daRenascença, no qual a artealcançou a perfeição e oequilíbrio há tanto tempobuscado. Emerge oclassicismo como idealestético, com oreconhecimento daAntiguidade Clássica, com asua pureza formal, equilíbrio erigor, como padrão deexcelência. Davi. Michelangelo. 1504
  12. 12. Fases do Renascimento > Alta RenascençaRafaello de Sanzio (1483–1520): é considerado, ao ladode Michelangelo e Da Vinci,um dos grandes mestres doRenascimento.Obteve amplo reconhecimentocomo pesquisador daantiguidade clássica.Pequena Madonna Cowper -1505. Raffaello
  13. 13. Fases do Renascimento > Alta RenascençaEscola de Atenas - 1509. Raffaello
  14. 14. Fases do Renascimento > CinquecentoNo século XVI o movimento renascentista italiano se espalhapor outras partes da Europa, despertando o interesse deartistas e mecenas de outras localidades.A transferência de Rafael e Michelangelo para Roma cria umaescola artística na cidade, que acaba por superar Florençacomo centro das artes. Em Roma, o papado é o principalfinanciador da produção artística e arquitetônica.O Cinquecento é a maturidade do Renascimento. Nesseperíodo (1506) é iniciada a construção da Basílica de SãoPedro, concluída em 1626.
  15. 15. Fases do Renascimento > CinquecentoFora da Itália, a arte renascentista é recebida com entusiasmona Espanha, na França e na Alemanha, além de outrasregiões.A Reforma Protestante iniciada por Lutero em 1517 naAlemanha condena fortemente o uso de imagens sagradas nasigrejas, atacando um importante tema da pintura renascentista.Muitas obras de arte foram destruídas pela fúria iconoclastaprotestante. Em resposta, os artistas adotaram personagensprofanos e cenas da natureza como temas das pinturas.
  16. 16. Fases do Renascimento > CinquecentoA resposta da igreja se dá por meio de encomendas cada vezmaiores e mais frequentes de arte sacra, e determinandodetalhadamente como as imagens deveriam ser pintadas –afetando seriamente a autonomia do artista. É o começo do fimdo Renascimento. Seguiu-se ainda um período de Maneirismoantes que uma nova arte (Barroco) fosse alçada à condição deprincipal expressão artística do período.
  17. 17. Renascimento• O forte crescimento da burguesia mercantil e industrial daEuropa a partir do século XIII permite-lhe assumir asdecisões sobre os novos interesses da sociedade.• Os novos dirigentes da sociedade tinham interesse apenasmediano nas questões religiosas. Já não tinha interesse, porexemplo, em consumir recursos financiando a construção degrandes catedrais.
  18. 18. Renascimento• Na Itália, por razões diversas, a economia havia seorganizado mais rapidamente que no restante da Europa. Osistema bancário organizado e a mediação das relaçõesentre a Europa e o Oriente permitem-lhe alcançar umamodernidade econômica até então desconhecida.• Nas artes, as condições para oRenascimento estavam sendogestadas desde o século XIIcom Giotto de Bondone, entreoutros.
  19. 19. Renascimento• O humanismo emotivo do século XIII é substituído pelohumanismo racional no século XV.• Nas universidades, leem-se clássicos gregos e latinos,discutem-se postulados teológicos, duvidam-se dos dogmas.A imprensa (1445) permite a divulgação da cultura escrita e abússola permite ampliar os horizontes conhecidos econquistar terras longínquas.• Pela primeira vez o homem se sente como centro douniverso.• No gótico, a arquitetura possui o homem. No Renascimento,será o homem que dominará o edifício, criado por artistas deinspiração humanista.
  20. 20. RenascimentoBasílica de São Pedro, construída entre 1506 e 1626
  21. 21. Renascimento• O humanismo é a palavra-chave para compreender oRenascimento. É uma arte do e para o homem ocidentalculto, que lê em latim e grego, capaz de discutir sobre Platãoe Aristóteles, conhecedor da Geografia e da Cosmologia,poeta e amante das artes.• Nas endinheiradas cortes renascentistas, o artistas sãorecebidos com veneração. As produções artísticas, fosse deum palácio, de uma escultura, ou de uma pintura, eramprecedidas de discussões filosóficas sobre o conceito debeleza. Só então passava-se à discussão sobre a beleza dosobjetos específicos.
  22. 22. Renascimento• A filosofia torna-se amiga da arte. Muitas vezes, os própriosartistas são filósofos. De qualquer forma, a influênciarecíproca entre conhecimento e arte é benéfica para ambasas áreas. Trata-se de um dos aspectos que maiscaracterizam o Renascimento.• O artista consulta o humanista sobre mitos antigos, ou sobreo ideário clássico; o humanista tem a oportunidade,finalmente, de ver com os próprios olhos as obras artísticasque validam suas teses.
  23. 23. RenascimentoDavi, de Donatello. 1430. Museu Nacional doBargello, FlorençaDavi, de Michelangelo. 1504. Academia deBelas Artes de Florença
  24. 24. Renascimento• Donato di Niccoló di Betto Bardi, conhecido como Donatello(1386–1466) é o maior escultor italiano do século XV.Coerente com o ideário do homem como razão de ser douniverso, dirige suas pesquisas estéticas para arepresentação do homem cheio de vida. Faz parte dochamado «Quattrocento».Condottiero Gattamelata,de Donatello. 1453. Pádua
  25. 25. BibliografiaFERNÁNDEZ, A.; BARNECHEA, E.; HARO, J. Historia del arte.Barcelona, Ed. Vicens-Vives, 1998GOMBRICH, E H. A história da arte. 16. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999HAUSER, Arnold. História social da arte e da literatura. São Paulo,Martins Fontes, 2000VENTURI, Lionello. História da crítica de arte. Lisboa, Ed. 70, 2007

×