Aula 05 arte medieval

2.333 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.333
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
130
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 05 arte medieval

  1. 1. Arte e EstéticaAula 5 – Arte Medieval Prof. Ms. Elizeu N. Silva
  2. 2. Arte Medieval - influênciasA arte da primeira parte da Idade Média, séculos V ao XI, refleteainda a grande influência da cultura romana e do cristianismo.A Europa em formação busca uma expressão cultural e artísticapróprias, porém influenciada por quatro matrizes artísticas:a) Herança clássica grego-romana: soluções arquitetônicas, concepções de uso dos espaços, colunas, capitéis etc.b) Cristianismo: oferece temas religiosos como nova abordagem para a arte, que até então ocupava-se ora de temas seculares, ora pagãos. Pintura cristã em catacumba romana. Século III
  3. 3. Arte Medieval - influênciasc) Influência oriental: a partir de Bizâncio, que dominou boa parte das penínsulas itálica e ibérica, com suas cruzes gregas, cúpulas de templos e mosaicos dourados.d) Elementos decorativos dos povos bárbaros: joias, armas e outros objetos ricamente decorados. Difundem a arte em metais e as pedrarias. Fíbula Coroa votiva visigoda. Séc. VII
  4. 4. Arte Medieval – período carolíngioDomínio da península itálica e de quasetoda a Europa Ocidental e Central pelosfrancos, sob o comando de Carlos Magno.Promoveu oRenascimentoCarolíngio, entre osséculos VIII e fim doX.Desenvolvimento daarquitetura, dasabóbadas, dos arcos. Interior da Capela de Aix-la-Chapelle. Alemanha, séc. VIII
  5. 5. Arte Medieval – período carolíngio Interior da Capela de Aix-la-Chapelle. Alemanha, séc. VIII
  6. 6. Arte Medieval – período carolíngioCarlos Magno transforma suacorte num importante centro dearte e cultura. Tal projeto eraparte importante de um projetopolítico muito mais amplo eambicioso, de renovação doimpério romano. Imperador Carlos Magno. 742 a 814 d.C.
  7. 7. Arte Medieval – arte românicaApós a morte de Carlos Magno, a arte deixa de sermonopolizada pela corte e se difunde nos mosteiros.A produção intelectual mais importante ocorre nas bibliotecas dosmosteiros. O surgimento de novas ordens monásticas ajuda adistribuir a produção intelectual e artística por toda a Europa.A regra beneditina prescrevia ocupação intelectual e manual –com maior ênfase nas atividades manuais.O trabalho do campo estava destinado aos camponeses.Restava aos religiosos todo tipo de artesanato, artes einvenções.
  8. 8. Arte Medieval – arte românicaNo início da Idade Média, a maioria das famílias aristocratastinha algum membro residindo nos mosteiros, onde o trabalhocriativo ocorria sob rígida organização e com divisão de trabalho.Desta forma, pessoas privilegiadas e de alta formação intelectualparticiparam diretamente da produção arquitetônica, artística eliterária da época.Copiar e ilustrarmanuscritos eramimportantes atividadesmonásticas. Monges copistas
  9. 9. Arte Medieval – arte românicaArte românica: monástica e aristocrática. Constituídaprincipalmente de arquitetura e escultura.Igrejas: grandes dimensões e ricamente adornadas. Igreja de Póvoa, Portugal. Séc. XI e XII
  10. 10. Arte Medieval – arte românicaValores da religião cristã permeiam todos os aspectos da vida.Concepção teocêntrica: Deus como centro do universo e medidade tudo. Igrejas representam presença física de Deus na terra.Constituem-se no centro em torno do qual tudo devia gravitar. Catedral de Saint- Trophime, França. Séc.
  11. 11. Arte Medieval – arte românicaTímpano do portal da Catedral de Saint-Trophime, França. Séc. XII
  12. 12. Arte MedievalArte românica era monástica e aristocrática, o que demonstraaassociação entre o clero e a nobreza. Entre as duas classesprevalecia uma relação de lealdade e reciprocidade – emboraàs vezes velada.Os poderosos abades mantinham-se tão distantes do povocomo os senhores feudais. O poder é exercido por umasoberba nobreza hereditária. A arte concebida nos mosteirosé, portanto, aristocrática.
  13. 13. Arte MedievalArte canônica: a Idade Média desconhece a ideia deprogresso. Ao contrário, as aristocracias secular e clerical seesforçam por manter as tradições. A produção artística,portanto, é cercada de regras que deviam ser seguidasrigidamente.Toda a ciência e arte, todo pensamento, toda vontade tinhamrelação de dependência direta da suprema autoridade daigreja. Cultura autoritária e coerciva.
  14. 14. Arte MedievalA Reforma de Cluny: movimento moralizador atuante entre osséculos X e XII, liderado pela Ordem de Cluny, visandocombater a liberalidade de costumes na Igreja.É a partir do século X, portanto, que a Igreja consolida acultura medieval: o clero produz uma tendência apocalípticade escapismo do mundo e premente anseio de morte.Mantém o espírito dos homens em constante excitaçãoreligiosa, pregando sobre o fim do mundo e o Juízo Final.
  15. 15. Arte Medieval
  16. 16. Arte MedievalA Virgem e o Menino - Giotto
  17. 17. Arte MedievalArte românica se caracteriza por um abstracionismoestereotipado, de tendências emocionais e expressionistas.As personagens exibem poses quase de marionetes.Pietro Cavallini (1273–1308) > O Juízo Final
  18. 18. Arte MedievalFilippo Rusuti (séc. XIII–XIV) > História do Gênesis. Basílica São Francisco de Assis
  19. 19. Arte MedievalJacopo Torriti (séc. XIII > Mosaicos Coroação de Virgem. Igreja Santa Maria Maior,Roma. (1295)
  20. 20. Arte Medieval Herrad de Landsberg (1130–1195). Autorretrato - 1180
  21. 21. BibliografiaFERNÁNDEZ, A.; BARNECHEA, E.; HARO, J. Historia del arte.Barcelona, Ed. Vicens-Vives, 1998HAUSER, Arnold. História social da arte e da literatura. São Paulo,Martins Fontes, 2000VENTURI, Lionello. História da crítica de arte. Lisboa, Ed. 70, 2007

×