2ª Aula De Fotografia

15.360 visualizações

Publicada em

Material preparado para a 2ª aula de introdução a fotografia digital no curso de capacitação dos professores da rede municipal de ensino. Professora Elizete Arantes

3 comentários
11 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.360
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
135
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
624
Comentários
3
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2ª Aula De Fotografia

  1. 1. SEGUNDA AULA DE FOTOGRAFIA Planos e composição Professora Ms Elizete Arantes
  2. 2. O que são planos e composição fotográfica? <ul><li>É forma de expressão elaborada, que pode ser ampla ou específica. O modo de expressar-se varia em função do que se quer mostrar, contar, exprimir, até mesmo impor. Apresenta-se um mundo organizado em narrativa, usando uma linguagem convencionada em ação, espaço e tempo. </li></ul>Fotografar não é mágica, muita criatividade e matemática.
  3. 3. Imagine-se com uma câmera fotográfica na mão <ul><li>Para utilizá-la deve-se dividir a fotografia em 9 quadros, traçando 2 linhas horizontais e duas verticais imaginárias, e posicionando nos pontos de cruzamento o assunto que se deseja destacar para se obter uma foto equilibrada. </li></ul><ul><li>O que fotografar? </li></ul><ul><li>Como enquadrar? </li></ul><ul><li>Como compor? </li></ul><ul><li>Regra dos Terços: É uma técnica utilizada na fotografia para se obter melhores resultados. </li></ul>
  4. 4. Exemplos de fotografias que utilizaram a regra dos terços <ul><li>O foco principal (lado direito) </li></ul><ul><li>O foco principal (lado esquerdo) </li></ul>
  5. 5. Fotografias regra dos terços <ul><li>Lado esquerdo </li></ul><ul><li>Lado direito </li></ul>
  6. 6. Como a regra dos terços funciona <ul><li>Muitos estudos fotográficos chegaram à conclusão que quem observa uma imagem olha mais depressa para um dos pontos de cruzamento do que para o centro da fotografia. </li></ul><ul><li>A aplicação da regra dos terços não é mais do que evitar simplesmente centrar o elemento a fotografar, e posicioná-lo 1/3 acima do fundo e 1/3 à esquerda ou então 1/3 abaixo do topo e 1/3 à direita e assim sucessivamente. </li></ul><ul><li>No caso de pessoas e objetos procure posicioná-los numa das quatro interseções do quadro; no caso de paisagens, posicione-as no topo ou no fundo do quadro. O resultado é uma imagem mais natural, contrabalançada e atrativa ao olhar. </li></ul>
  7. 7. Plano geral (PG): <ul><li>abrange e descreve o ambiente; </li></ul><ul><li>pode acontecer para situar o observador no contexto da ação; </li></ul><ul><li>recorre-se a ele para se ter uma visão mais ampla do cenário; </li></ul><ul><li>focaliza personagens em ação; identifica onde a ação transcorre; </li></ul><ul><li>localiza a ambiência. </li></ul><ul><li>O plano geral permite a utilização como elemento de contraste com planos médios e primeiros planos dos elementos nele incluídos; relaciona os personagens e quem os rodeia. </li></ul><ul><li>É um plano muito usado no cinema, documentários e o fotógrafo utiliza muito em grandes ambientes </li></ul>
  8. 8. Plano geral (PG):
  9. 9. Plano geral (PG):
  10. 10. Plano geral (PG):
  11. 11. Plano médio e plano americano: <ul><li>O plano médio (PM) </li></ul><ul><li>mostra a pessoa da cintura para cima; está entre o plano geral e o close; </li></ul><ul><li>É o plano de aproximação </li></ul><ul><li>O plano americano (PA) </li></ul><ul><li>É variante do plano médio; </li></ul><ul><li>Mostra a pessoa do joelho para cima. </li></ul><ul><li>OBS.: Ambos exercem função mais narrativa. </li></ul><ul><li>Privilegiam a ação. </li></ul><ul><li>Não se faz corte nas articulações. Não corta nos joelhos e não corta os pés. </li></ul>
  12. 12. Plano médio e plano americano:
  13. 13. Plano médio e plano americano:
  14. 14. Plano médio e plano americano:
  15. 15. Plano médio e plano americano:
  16. 16. Plano Médio ou Plano Americano
  17. 17. Primeiro plano ou close-up: <ul><li>enquadra o rosto; </li></ul><ul><li>essencial para se alcançar a máxima intensidade dramática; </li></ul><ul><li>apresenta nitidamente a expressão do rosto e projeta as características do personagem; </li></ul><ul><li>pode revelar pensamentos e o momento interior do personagem; </li></ul><ul><li>corresponde à invasão do campo da consciência; </li></ul><ul><li>desempenha função mais emocional. plano é cortado pouco abaixo das axilas. Permite por exemplo imagens de alguém a fumar,cortando totalmente o ambiente em redor. Este tipo de planos privilegia o que é transmitido pela expressão facial. </li></ul>
  18. 18. Primeiro plano ou close-up:
  19. 19. Primeiro plano ou close-up:
  20. 20. Vários Primeiro plano ou close-up:
  21. 21. Plano de detalhe (PD): <ul><li>imagem de impacto visual e emocional; </li></ul><ul><li>tempo de leitura curto; </li></ul><ul><li>isola pormenores; </li></ul><ul><li>mostra uma parte essencial do assunto. </li></ul><ul><li>é um plano de grande impacto pela ampliação que dá a um pormenor que, geralmente, não percebemos com minúcia. </li></ul><ul><li>Pode chegar a criar formas quase abstratas. </li></ul><ul><li>OBS.: Se usado em excesso, perde o impacto e cansa . </li></ul>
  22. 22. Plano de detalhe (PD):
  23. 23. Plano de detalhe (PD):
  24. 24. Plano detalhe
  25. 25. Angulação <ul><li>Posições ou ângulos da câmera quanto a um objeto ou personagem. Mais alta, mais baixa ou à altura deles, para produzir efeitos expressivos determinados. </li></ul><ul><li>Define-se ângulo de visão como elemento de expressão do conteúdo do quadro; produz efeitos expressivos, não mecânicos, determinados e é ponto de partida para observar o personagem. </li></ul>
  26. 26. Câmera alta (visão superior): <ul><li>Também chamada de plongé enfoca a ação de cima para baixo, o que minimiza o personagem, diminui sua força ou importância; demonstra o predomínio da ação sobre personagens e coisas. </li></ul><ul><li>A expressão é de inferioridade </li></ul>
  27. 27. Câmera alta (visão superior):
  28. 28. Câmera alta (visão superior):
  29. 29. Câmera baixa (visão inferior): <ul><li>É também chamada de contraplongé a ação enfocada de baixo para cima aumenta a estatura e a importância do personagem, coloca-o em posição dominante. </li></ul><ul><li>A expressão é de superioridade. </li></ul>
  30. 30. Câmera baixa (visão inferior):
  31. 31. Câmera baixa (visão inferior):
  32. 32. Câmera normal (visão média): <ul><li>A ação observada à altura dos olhos, sem significação especial relativamente ao personagem; é a imagem mais comum e natural. Perspectiva normal. </li></ul>
  33. 33. Câmera normal (visão média):
  34. 34. Zoom: <ul><li>Aproximação até cl ose. Não é movimento físico, é ótico. A aproximação ou o afastamento se dá pela utilização da lente zoom. </li></ul><ul><li>Zoom in (aproximação): traz a imagem distante para bem perto; favorece a concentração da atenção. </li></ul><ul><li>Zoom out (afastamento): leva a imagem próxima para longe; retrocede revelando o cenário do primeiro plano de partida; favorece a revelação. </li></ul>
  35. 35. Fotografando o pôr-do-sol <ul><li>Fotografar pôr-do-sol entre céu e terra é comum todo mundo faz, portanto se você quiser que sua fotografia seja admirada, inove. </li></ul><ul><li>1º passo: observar outros elementos que poderão fazer parte da composição. </li></ul><ul><li>2º observar a regra dos terços onde os elementos devem ficar alinhados e divididos ao mesmo tempo, sendo que cada quadro deverá direcionar o olhar para o elemento principal. </li></ul>
  36. 36. Dicas básicas para fotografar monumentos históricos <ul><li>1º passo: enquadrar o monumento e ou </li></ul><ul><li>a arquitetura dentro do visor para que nada fique de fora. ( se possível se abaixe o quanto for possível). </li></ul><ul><li>4º passo: observe a incidência de luz ( excesso de luz “estoura” a imagem ). </li></ul><ul><li>5º passo: aproveite sempre a luz natural ( cuidado para não ficar de frente para a luz). </li></ul><ul><li>6º lembre-se que a sombra e os reflexos também fazem parte da composição. </li></ul>
  37. 37. Atividade prática <ul><li>Cada um pegue sua câmera e vamos treinar estes planos no pátio do CEMURE </li></ul><ul><li>Após esse treino iremos socializar as imagens entre o grupo (envie as fotografias por email para: [email_address] ) </li></ul><ul><li>As fotografias serão publicadas no blog da professora Elizete Arantes em: </li></ul><ul><li>http://www.elizetearantes.blogspot.com/ </li></ul>
  38. 38. Referências <ul><li>www.zonamix.com.br/nacamera/?cat=4 </li></ul><ul><li>http://www.flickr.com/photos/arantes/2064244724/ </li></ul>http://www.elizetearantes.blogspot.com/

×