Eliseu padilha Ministro Transportes Revista Guinnesss

162 visualizações

Publicada em

Em entrevista concedida à Revista Guinness, o Ministro Eliseu Padilha explicou que a matriz transporte é fundamental em qualquer parte do mundo, e que o Brasil, após o governo Fernando Henrique, vem se modernizando, principalmente nesta área, e que para fechar sua gestão, com chave de ouro, só falta avançar um pouco mais no transporte hidroviário.

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
162
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Eliseu padilha Ministro Transportes Revista Guinnesss

  1. 1. o UEstamos o ""11I Cl "5 > caminhando no rumo certo. O mundo está 'ti o Õ 11.. caminhando de forma globalizada? a matriz transporte é fundamental em qualquer parte do mundo. A compettlividade é assegurada quando se tem uma matriz transporte eticterrre, e é nesse sentido que estamos caminhando. Não há possibilidade de çtooa/iracao, não há possibilidade de aplicação de uma logística Eliseu Padilha il competitiva se nós não tivermos a matriz transportes perfeitamente cornoera/vo" Este é o pensamento do ministro Eliseu Poa//no. que sob sua gestão está colocando o transporte nacional em nível de primeiro mundo. 11 GUINNESS~ _
  2. 2. ~ "Hidtovi« é agrande esperança" Em entrevista concedida à Revista Guinness) o Ministro Eliseu Padilha explicou que a matriz transporte é fundamental em qualquer parte do mundo) e queoBrasi~ após ogoverno Pernando Fienrique, vem se modernizando) principalmente nesta área) e que para fichar sua gestão) com chave de ouro) sófalta avançar um pouco mais no transporte hidroviário. o ministro GUINNESS- Que análise o sr faz dos 14 projetos, dentro do Brasil em Ação, a cargo do Ministério dos Transportes? Padilha com os superintendentes rodovias, o preço do frete da soja que vai para a Europa pela hidrovia do Rio Madeira caiu 35%, e da que é exportada pela hidrovia Tietê-Paraná caiu 50%. Temos visão clara: para nos inserirmos competitivamente, na economia globalizada precisamos reduzir o "Custo Brasil". Para produzirmos de Hidrovias nacionais GUINNESS - Quais os projetos que já foram concluídos? Ministro - Estamos concluindo as obras da BR-1 ligando Manaus 74, Ministro - Do início do Govera Venezuela, dos Portos de Sanno FHC para cá muita coisa tos e Sepetiba,ambos já sendo levados para o setor privado. Deveaconteceu. O Brasil modernimos concluir também, no ano zou-se muito e estamos camique vem, os Portos de Suape e nhando para a plena comPecém.Estamoscom o procespetitividade. Nossos portos so em conclusão da hidrovia estão competitivos, embora "O Brasil modernizou-se muito e estamos caminhando para a Tietê-Paraná,em sua primeira restem alguns nós a serem plena competitividade, fase,e agora vamos para a sedesatados, somos competitiembora restem alguns nós a vos, ainda. Operamos congunda, que é a transposição da serem desatados" barragem de Itaipu. Estamos teineres no Porto do Rio de Janeiro ao mesmo preço com um processo em fase de competitivamente, temos que conclusão na hidrovia do rio Maque se opera em qualquer partransportar também competitivadeira. Enfim, estamos com vários te do mundo. Reduzimos o cusmente. Vale dizer,temos que proprojetos do "Brasil em Ação" em to da infra-estrutura portuária piciar uma logística competitiva, conclusão. A rodovia do Mercosul em 80%. Somos competitivos intermodal, para fazer com que só ficará concluída em 1999. Gosporque estamos voltando a utio produto brasileiro chegue em taria de ressoltarque, a Eclusado lizar as hidrovias. Comparado qualquer parte do país ou do Jupiá e a ponte Rodoferroviária já com os preços, que eram mundo a preços mais baixos. foram concluídas. pagos para escoar a safra por G.UINNESS 11
  3. 3. GUINNESS podendo - o sentir usuário tância econômica já está algumas dessa obra? Paraná, no rio Paroná, e em cima, temos a ferrovia e a rodovia. Com meMinistro - A ponte Rodoferroviária Ministro - Já. Quem BRs do país deve ter demonstrado tisfação sas, estamos executando fortes. Promovemos grama maior sa- . Por que? Porque no ano tapamos nas rodovias no propicia ferroviária a integração do país. Ela da malha mais importante, passa- Quem dos 51 a já nota muito grande. a ponte meiro momento, vai atravessar o chegar segura- O dólares mais ba- ratos aqui no Su. o Sul, na meci no Centro- a e pela via ferroviária e se opte ou De a via fazer a partir desta in e dade e da integracão essa obra. GUINNESS - E o sr Rodofer- Ministros - estado do Mato Grosso do Sul, de- Rodofe pois o Mato Grosso, e, lá adiante ção de indo para Porto Velho, em Rondônia e Santarém, no Pará. Essa ponte roviária, na divisa de Mato Gros- viabiliza a intermodalidade so com São Paulo. Qual a impor- em baixo, temos a hidrovia Tietê- 11 GUINNESS~ podem mente 30 ou do Brasil, a Ferro-norte, que, no pri- Cuiabá, faz uma derivação GUINNESS - Recentemente tro-oeste social? anda que foram conce- Via Dutra ou Freeway, inaugurou a da "A operação Tapa-Buracos que fizemos no ano passado, tapamos buracos em 28 mil lcrn dos 51 mil da malha" com didas ao setor privado, como uma diferença inauguradas setor de transportes da ." ermo-dalidade, hid roviá ria, o que nós poceroos buracos em 28 mil quilômetros mil da malha. mais Fepasa, que é a maior esperança obras Tapa-Buracos que fizemos do, onde nes- das obras um pro- de conservação a operação os produ os que vierem do Cen- uma importantes, tem trafega- do nas 60 principais esta opção é talvez, Ihorias nas rodovias? porque, Há u o a vigias a e glavom os da obro, oje, temos consrrução avança da Ferronoc !::_~,:-~..J ue um quilômetro _
  4. 4. li I em direção de Itaquari, na divisa de Mato Grosso do Sul com o Mato Grosso, onde deveremos ter o primeiro trecho consumado, já com cerca de 400 quilômetros. Daí nos dirigimos rumo a Cuiabá, onde deveremos chegar lá antes do ano 2005. GUINNESS- Já foi concluída toda a operação "Tapa-Buracos"? Ministro- A operação tapa-buracos fez uma recomposição da malha asfáltico. Resta apenas a finalização da pintura para mostrar que a rodovia é nova, e a reinstalação das placas de sinalização.Issoestá sendo feito progressivamentee nós queremos fazer com que issoseja concluído logo. GUINNESS- Que análise o sr faz das "Concessões e Privatizações", na área de transportes? Ministro - Nós tivemos avanços consideráveis em todos os aspectos. Começa no setor portuário. Os portos nacionais hoje são competitivos, estamos operando um conteiner a U$125 dólares no Rio de Janeiro, baixamos o custo da infra-estrutura portuária em 80%. Nós também privatizamos todo sistema da Rede Ferroviária Federal. Todas as malhas estão privatizadas, o frete já está mais barato, o número de acidentes foi reduzido e já se projeta o crescimento na matriz transportes modal ferroviário em 40% nos próximos cinco anos. Isso é ganho para a sociedade brasileira. Nas rodovias, estamos avançando. E eu já referi aqui também às nossas hidrovias. Na medida em que estamos navegando por elas já estamos obtendo ganhos, tanto lá na hldrovia do rio Madeira, 35 dólares a menos por tonelada, quanto na hidrovia Tletê-Pcraná, 62 dólares a menos por tonelada, entre São Paulo e Buenos Aires. GUINNESS - Faltam menos de seis meses para o término de sua gestão, frente ao Ministério dos Transportes. Como o sr encontrou esta pasta e como o sr vai entregá-Ia? Construção de 2 viadutos sobre a Rodovia Presidente Castelo Branco trecho e ramal de acesso a Sorocaba-ltu/273,OOm Construção Prédio Sede Social Alvorada Clube Tatuí/SP H- Avenda Nisshinbo do Brasil n' 2.631 - Bairro Chapadinha Caixa Postal 431 Fone: PABX (015) 272-4330 - CEP 18.200 ITAPETININGA - Estado de São Paulo GUINNESS 11
  5. 5. "Nós temos muito a avançar; principalmente no que diz respeito ao transporte hidro viário n temos muito a avancar, principalmente no que diz respeito ao transporte ferroviário, hidroviário e na construção e pavimentação das rodovias que abriram novas e grandes fronteiras agrícolas no Brasil. GUINNESS - O sr deixou de fazer alguma coisa que gostaria de ter feito? Ministro - A gente sempre deixa. Nenhum administrador público consegue fazer tudo que gostacampo das privatizaçõescomo no ria.Não vou aqui especificar, mas Ministro - É muito difícil a gente campo das obras de restauração há setores que eu gostaria de ter fazer análise do seu próprio trae de conservação. Eu,ao final do balho, mas recebi do presidente avançado muito mais, e se eu governo Fernando Henrique, saio pudesse eleger eu elegeria o seFernando Henrique a missão de com o dever cumprido ou pelo tor hidroviário. Nós tínhamos que resolver a questão portuária e ela está quase concluída. O prefazer algo, para que nossos rios fossem melhor aproveitasidente pediu que fizéssemos "Saio com o dever dos. Os 42 mil quilõmetros de ressurgir o transporte hidrovicumprido ou pelo menos rios não podem permanecer ário e há grande esperança. como estão, com pouca utiliEstamos construindo dezefaço análise do dever zação. Mas ficou o sinal, na nas de empurradores, vamos cumprido na medida em começar a transposição da que posso permanecer no medida em que a gente possa continuar à frente do Mibarragem de Itaipú e de Ministério" Tucuruí. Isso prova que o sisnistério. Depois, sei que a filotema hidroviário nacional sofia do presidente é nesse menos faço análise do dever senNdo e eu, conNnuando ou tem grandes investimentos. A cumprido, na medida em que não, o presidente Fernando hidrovia do rio São Francisco posso permanecer no Ministério. Henrique vai fazer com que o sisestá sendo restabelecida, assim Mas nós temos muito o que fazer, como a hidrovia Araguaiatema hidroviário brasileiro seja não está tudo resolvido não, nós melhor utilizado. Tocantins. Nós estamos estudando as demais hidrovias para fazer grandes investimentos também, sem descuidar da questão ambiental. Avançamos nos por"Os 42 mil tos, nas rodovias, nas hidrovias, quilômetros de rios não podem e estamos avançando nos trens permanecer como de passageiros. Estamos descenestão, com pouca tralizando os sistemas da CBTU utilização" e o sistema TRENSURB, o Rio n Grande do Sul. Resta o sistema Rio Madeira rodoviário onde nós também estamos avançando, tanto no DO GUINNESS, _
  6. 6. li ~ .ras: Um país em obras ((O Brasil de hoje é assim: rodovias, ferrovias, bidrotias, portos, dutos e aeroportos) que cada vez mais integrados, físico e operaaonalmente em um ou mais sistemas de transportes", gaba-se o Ministro dos Transportes Eliseu Padilha. ___________________ ------'GUINNESS

×