Corpo mente2

387 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
387
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Corpo mente2

  1. 1. Corpo e mente Um dos problemas filosóficos que maisinteressa à psicologia é possivelmente o chamado problema mente-corpo.
  2. 2. Encontramos, historicamente, dois modos “clássicos” de tratar esse problema na filosofia. > O primeiro > A segunda tentativa filosófica de solução dodeles, o problema mente-corpo échamado o chamado fisicalismodualismo, (muitas vezes também chamado deconsiste na materialismo), materialismo cujadefesa de que proposta baseia-se namente e corpo crença de que tudo é de natureza física e,são “coisas” portanto, a mente pode, eirreconciliáveis e deve, ser descrita emirredutíveis. termos físicos (ou seja, em termos de processos cerebrais).
  3. 3. DualismoPodemos destacar, pelo menos, dois “tipos” de dualismo no contexto do problema mente-corpo.
  4. 4. O primeiro delesé o dualismointeracionista, O problema colocadoque como o por essa vertente énome já diz, explicar como se dáadmite que essa interação entre aembora mente e “coisa” mental e ocorpo sejam corpo, ou mais precisamente qual acoisas distintas, natureza dessahá uma interação interação.entre eles.
  5. 5. O segundo dualismo é o paralelismo, o É evidente que a qual admite que dificuldade a ser enfrentada por esse processos mentais dualismo reside na e processos explicação de por que corporais parece haver uma (físicos/fisiológicos) interação, se de fato não há (por que quando funcionam em damos uma topada paralelo sem que imediatamente haja qualquer sentimos dor, dando a ligação de fato impressão de que foi a entre as duas topada causou a dor?) séries.
  6. 6. É verdade que a maioria dosproblemas, que surgem na aceitaçãodo dualismo, desaparece quando nos filiamos ao fisicalismo.
  7. 7. Esclarecendo, o fisicalismo é uma posição reducionista, na exata medida em que se propõe tratar a mente como algo físico. Isso quer dizer que a mente (e tudo que consideramos como mental, tal como emoções,sentimentos, sensações, desejos, etc.) identifica- se com processos cerebrais e, portanto, um estudo exaustivo do funcionamento do cérebro revelará o funcionamento da mente.
  8. 8. O primeiro problema da aceitação do fisicalismo é justamente a idéia de que há uma identidade realentre uma infinidade de processos eletroquímicos queocorrem no cérebro e, por exemplo, o gosto que sinto quando saboreio uma fruta. Sem dúvida há algum tipo de relação entre essasduas coisas, o que pode ser traduzido pelo enunciado banal de que sem um cérebro não sentimos gosto algum, mas aceitar que há uma relação não é omesmo que defender que se trata de uma relação de identidade.
  9. 9. O segundo problema trazido pelo fisicalismo diz respeito ao estatuto de uma ciência psicológica.Se levarmos o programa reducionista até as suasúltimas conseqüências, chegaremos à conclusão de que a psicologia não é um campo de conhecimento legítimo.
  10. 10. Implicações para a psicologia: Isso porque, de acordo com o fisicalismo, sealcançarmos uma neurofisiologia (ou mesmo uma neuroquímica) avançada o suficiente não há motivo para continuarmos a falar de psicologia como uma disciplina autônoma. Desse modo, parece que nenhuma das duas soluções clássicas do problema mente-corpo (dualismo e fisicalismo) é satisfatória para a psicologia.

×