Restinga - Rio Grande do Norte

1.380 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.380
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Restinga - Rio Grande do Norte

  1. 1. PorAdalberto Jorge Damião Jéssica de Souza Maria Nailde Natal/2012
  2. 2. Rio Gr ande do Nor te
  3. 3. O Rio Grande do Norte está situado entre osparalelos de 4°49’53’’ e 6°58’57” latitude sul, e osmeridianos de 35°58’03” e 38°36’12” a oeste deGreenwich. Possui uma área de 52.810,7 km²,correspondendo a 0,62% do território nacional. Adistância entre os pontos extremos Norte-Sul éde 233 km e entre os pontos extremos Leste-Oeste, 403 km. O ecosistema de restingaestende-se por quase todos os 400km deextensão que compreende o litoral do estado.
  4. 4.  O Clima Úmido e Sub-Úmido Seco – no litoral oriental do estado favorece ao bioma de restinga, estes climas abrangem em média 20% da superfície estadual. Possui um excedente de água que pode variar de 150 a 1040 mm durante os meses de fevereiro a junho, aproximadamente. Parte dessa água é coletada pelas dunas, que formam lençóis freáticos e abastece boa parte do litoral.
  5. 5. Latossolo Vermelho Amarelo .Estende-se por quase todo o litoral do RioGrande do Norte e caracteriza-se por apresentarsolos profundos, acima de um metro, bemdrenados, porosos, friáveis, com baixos teores dematéria orgânica e predominantemente ácidos.
  6. 6. Neossolos (Areias Quartzosas, Regossolos, Solos Aluviais, Solos Litólicos).Ocupam também quase todo o litoral e a margem dosprincipais rios. São solos não hidromórficos, arenosos,desde ácidos até alcalinos e excessivamente drenados. .Essas condições do solo favorece o aparecimento darestinga, que se adaptou aos altos teores desalinidade, grandes temperaturas e ventos constantes.
  7. 7. .A principal característica do relevo litorâneo é a PlanícieCosteira, estende-se por todo o litoral do Estado e éformada por praias que se limitam de um lado com omar e do outro com as restingas e demais tabuleiroscosteiros, apresentando, ainda, a formação de dunas. .Em sua extensão encontram-se as principais praias denosso litoral que ainda mantém unidades depreservação da restinga: Baia Formosa (Mata Estrela)Diogo Lopes e Barreiros (Ponta do Tubarão) e Natal(Parque das Dunas).
  8. 8. - Salinidade- Extremos de temperatura- Forte presença de ventos - Escassez de água - Solo instável - Insolação forte e direta
  9. 9. Comunidade Halófilavegetação rasteira, salinidade, sol, ventos, altas temperaturas e solo pobre.Vegetação Esclerófila –maresia, ventos, insolação,solo pobre, vegetação densa e ressecadaComunidade Hidrófilaúmidos e alagado, mata paludosas, herbáceos e arbustivos.Mata Secasolo fértil, microclima ameno, herbáceos, mata arbustiva e arbórea
  10. 10. ÁREAS DE PRESERVAÇÃO DA RESTINGA BRASILEIRASegundo a Resolução n° 303, de 20 de março de 2003,do Conselho Nacional de Meio Ambiente – CONAMA,considera-se área de preservação permanente nasrestingas a área situada:.Em faixa mínima de 300 metros, medidos a partir dalinha de preamear máxima; .Em qualquer localização ou extensão, quandorecoberta por vegetação com função fixadora dedunas ou estabilizadora de mangues.
  11. 11. RPPN MATA ESTRELAO maior remanescente de mata atlântica do Rio Grandedo Norte, com 2.039 hectares, foi transformado numaReserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN),unidade de conservação que tem caráter perpétuo. Aárea fica em Baía Formosa, no Litoral Sul do Estado, epertence ao grupo pernambucano Antônio Farias. ARPPN Mata Estrela se estende até a praia e incluivegetação de restinga, lagoas e dunas, classificadoscomo ecossistemas associados de mata atlântica.
  12. 12. RDS PONTA DO TUBARÃO A Reserva de Desenvolvimento SustentávelEstadual Ponta do Tubarão, criada pela Lei nº 8.342 de 18 de julho de 2003, pertence,como especifica as normas do Sistema Nacionalde Unidades de Conservação ao Grupo deUnidades de Uso Sustentável, constituindo-se asegunda da categoria a ser instituída no Brasil.Sua criação decorreu da iniciativa dascomunidades de Barreira e Diogo Lopes 
  13. 13. PARQUE DAS DUNAS O Parque das Dunas, constitui uma unidade doIDEMA- Instituto de Desenvolvimento Econômico eMeio Ambiente do Rio Grande do Norte, o ParqueEstadual Dunas de Natal “Jornalista Luiz MariaAlves” foi criado através do Decreto Estadual nº7.237 de22/11/1977, primeira Unidade deConservação Ambiental implantada no Estado,possui 1.172 hectares de mata nativa, é parteintegrante da Reserva da Biosfera da MataAtlântica Brasileira.
  14. 14. CONSIDERAÇÕES FINAISA atual situação da Restinga no Rio Grande do Norte, ou oque ainda resta dela, sofre um processo de abandono e umgrande risco de extinção, com intensa degradação da suaárea. Observar-se que não há políticas públicas ouorganizações não-governamentais que priorize aconservação da restinga, principalmente na regiãometropolitana de Natal. Algumas áreas ainda estãopreservadas por estar associadas às áreas de MataAtlântica.A Restinga ocupa um ambiente frágil e vulnerável, ameaçadapelo desenvolvimento das grandes cidades, a especulaçãoimobiliária e áreas destinada ao turismo e ao lazer, que nãoestão contemplados em projetos sustentáveis. O futuro daRestinga é incerto, a recuperação de sua vegetação é lentae economicamente inviável. Sua destruição é praticamenteum caminho sem volta.

×