Jovens Empreendedores V08 16 11 09

728 visualizações

Publicada em

Apresentação realizada pelo presidente do BACEN, Henrique Meireles, no Congresso de Jovens Empreendedores/SP em 16/11/09

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
728
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
237
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jovens Empreendedores V08 16 11 09

  1. 1. Congresso Paulista de Jovens Empreendedores Henrique de Campos Meirelles Novembro de 2009 1
  2. 2. Novo Modelo Econômico: Estabilidade Macroeconômica com Distribuição de Renda 2
  3. 3. Reservas Internacionais 6/nov ago/08 233,6 205,1 patamar 200 recorde US$ bilhões 150 100 50 0 Jan Jan Jan Jan Jan Jan Jan Jan 02 03 04 05 06 07 08 09 Fonte: Banco Central 3
  4. 4. Credor Líquido Internacional dívida externa líquida total (pública e privada) +5 +0,9 +1,8 + credor 0 - devedor -6,9 ciclo econômico -5 atual % do PIB -11,9 -12,7 -11,6 -10 -9,0 -11,5 -12,3 -15 -15,5 -20 milagre -20,4 econômico -25 -27,3 -30 1970 1971 1972 1973 1974 1975 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Fonte: Banco Central 4
  5. 5. Inflação sob Controle IPCA acumulado em 12 meses e metas 10 expectativas de mercado Ago 09 8 2009 4,36% 4,30% 6 % a.a. 4 2 0 Jan Jan Jan Jan Jan Jan Jan 04 05 06 07 08 09 10 Fontes: Banco Central e IBGE 5
  6. 6. Taxa de Juros de Mercado 29 26 23 % ao ano mínimos 20 históricos taxa 180 dias 17 14 taxa 360 dias 9/Nov 11 9,86 8 8,90 Jan Jan Jan Jan Jan Jan Jan 03 04 05 06 07 08 09 Fonte: BM&F Bovespa 6
  7. 7. Taxa de Juros Real taxa de juros descontadas as expectativas de inflação 18 16 14 % ao ano 12 10 mínimos históricos 8 6 5,3% 4 Jan Jan Jan Jan Jan Jan Jan 03 04 05 06 07 08 09 Fontes: BM&F Bovespa e Banco Central (Focus) 7
  8. 8. Dívida Pública Líquida previsão 55 53,5 de mercado 51,3 50 48,2 48,0 45,9 45 43,9 44,0 % do PIB 42,0 38,8 39,5 40 38,3 36,1 35 30 25 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 Fonte: Banco Central 8
  9. 9. Crescimento com Distribuição de Renda e Acesso ao Crédito 9
  10. 10. Operações de Crédito operações de crédito do sistema financeiro 50 45 45,7 40 35 recorde % do PIB 30 histórico 25 21,8 20 15 10 5 0 Jan Jan Jan Jan Jan Jan Jan Set 03 04 05 06 07 08 09 09 Fonte: Banco Central 10
  11. 11. Perspectivas para o Crédito  Continuação da estabilidade macroeconômica propiciará crescimento de crédito com prazos mais longos, ampliando oportunidades em setores que requerem créditos de mais longo prazo, como habitação e infra-estrutura.  Crescentes oportunidades na economia brasileira tendem a expandir ainda mais o mercado de crédito em geral  Diminuição do prêmio de risco e a crescente confiança propiciarão maior disponibilidade de recursos 11
  12. 12. Massa Salarial massa salarial real ampliada 135 Ago 09/Ago 08: +3,9% (massa salarial, programas 130 de proteção social e benefícios previdenciários) 125 2004 = 100 massa salarial real 120 Set 09/Set 08: +2,5% 115 110 salário real 105 Set 09/Set 08: +1,9% 100 95 Jan Jul Jan Jul Jan Jul Jan Jul Jan Jul Jan Jul 04 04 05 05 06 06 07 07 08 08 09 09 Fonte: IBGE 12
  13. 13. Massa Salarial Ampliada e Vendas de Supermercados vendas de 120 supermercados 115 2006 = 100 110 massa salarial real ampliada 105 100 95 Jan Jul Jan Jul Jan Jul Jan Jul 06 06 07 07 08 08 09 09 Fonte: ABRAS e Banco Central 13
  14. 14. Vendas no Comércio vendas em Supermercados correspondem a 52% 125 das vendas no varejo 120 115 jan 2007 = 100 110 PMC comércio varejista 105 Set 09 / Set 08: +5,0% Set 09 / Ago 09: +0,3% 100 95 Jan Abr Jul Out Jan Abr Jul Out Jan Abr Set 07 07 07 07 08 08 08 08 09 09 09 Fonte: IBGE (com ajuste sazonal) 14
  15. 15. Classe Média e Baixa classe média classe baixa 52,3 53,2 50,2 50 48,2 44,1 45,5 42,4 41,6 40 % da população 29,2 30,4 30 27,9 24,4 23,0 20,8 18,4 18,3 20 10 0 Jun Jun Jun Jun Jun Jun Jun Jun 02 03 04 05 06 07 08 09 Fonte: FGV-CPS 15
  16. 16. Classe Média e Baixa Entre 2003 e 2008  25,9 milhões entraram na classe média 19,4 milhões de pessoas deixaram a classe baixa Fonte: FGV-CPS 16
  17. 17. Desigualdade de Renda índice de Gini 0,6001 0,60 0,5937 0,5947 0,5957 0,5886 0,5829 0,58 0,5717 0,5680 0,5620 0,56 0,5546 0,54 0,52 0,50 98 99 00 01 02 03 04 05 06 07 Fonte: FGV-CPS 17
  18. 18. Criação de Empregos Formais  8,7 milhões de empregos gerados desde janeiro de 2003  800 mil empregos perdidos durante a crise  1 milhão de vagas criadas desde fevereiro Fonte: MTE (CAGED) 18
  19. 19. Desemprego 13 12 11 % 10 2004 9 2009 2005 8 7,7 2006 2007 7 2008 6 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Fonte: IBGE 19
  20. 20. Taxa de Desemprego dados dessazonalizados 13 Brasil 11 9,7 Out 9,5 Set 9 % Área do Euro 8,0 Set 7 Estados Unidos 5 Set Set Set Set Set Set Set Set 02 03 04 05 06 07 08 09 Fontes: IBGE, BLS, Eurostat e Statistics Bureau (Japão) 20
  21. 21. Resultado: Brasil sai mais forte da crise e sem passivos para o futuro 21
  22. 22. Custo Fiscal da Crise custo dos pacotes de estímulo fiscal (exceto setor financeiro) 8,3 8 6,8 7 5,8 6 5,4 5,1 4,9 % do PIB 5 4,2 3,8 3,6 3,6 4 3 2,5 2 2 1,6 1,5 1,5 1,2 1,2 1,1 1 0,3 0 Argentina África do Sul Índia China Indonésia Itália França Rússia Estados Unidos Canadá Japão México Reino Unido Brasil Coreia do Sul Arábia Saudita Austrália Alemanha Turquia Fonte: FMI 22
  23. 23. Produção Industrial dados dessazonalizados 128,4 128,2 130 126,3 127,0 125,9 119,2 118,8 118,3 120 114,4 112,3 109,6 110 103,9 Jan 07 = 100 100 90 80 70 60 50 Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai Jul Set 08 08 08 08 08 08 09 09 09 09 09 Fonte: IBGE 23
  24. 24. Confiança da Indústria dados dessazonalizados 65,9 65 62,0 Out 08: todos 60,159,4 60,4 os setores 60 58,5 58,1 58,2 apresentaram 54,4 índice acima índice de 0 a 100 55 52,5 de 50 49,4 50 47,4 45 40 35 30 25 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 06 06 06 06 07 07 07 07 08 08 08 08 09 09 09 09 Fonte: IBGE 24
  25. 25. Produção de Veículos produção estoques 350 318 316 297 295 300 275 284 273 250 milhares 198 204 200 185 150 97 100 50 0 Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai Jul Set 08 08 08 08 08 08 09 09 09 09 09 Fonte: Anfavea 25
  26. 26. Vendas de Veículos média móvel de seis meses 210 190 Brasil 170 Jan 2006 = 100 150 130 Japão 110 Europa 90 70 Estados Unidos 50 Jan Jul Jan Jul Jan Jul Jan Ago 06 06 07 07 08 08 09 09 Fonte: Bloomberg 26
  27. 27. Concessões de Crédito (Média Diária) – Impacto e Recuperação 7,5 média diária média diária Jan-Set 08 Mar-Set 09 7,3 7,1 7,1 7,1 R$ bilhões 6,7 6,3 5,9 5,5 Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai Jul Set 08 08 08 08 08 08 09 09 09 09 09 Fonte: Banco Central 27
  28. 28. Criação de Empregos Formais 242 253 250 200 milhares de empregos 150 132 138 119 106 100 50 35 9 0 -50 -100 -102 -150 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set 09 09 09 09 09 09 09 09 09 Fonte: MTE (CAGED) 28
  29. 29. Confiança do Consumidor 116.0 115.6 116 115.4 114.7 114 112 111.4 111.5 111.0 2001 = 100 110.3 109.8 109.8 110 108 106.3 106 104 102 100 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 2006 2007 2008 2009 Fonte: CNI (INEC) 29
  30. 30. Crescimento do PIB na Saída da Crise variação do 2º trimestre de 2009 contra trimestre anterior 15 dados dessazonalizados 10 5 % 0 -5 EUA Índia Rússia França Suíça Canadá Zona do Euro Indonésia Polônia México Noruega Japão Brasil Reino Unido Chile Suécia África do Sul China Itália Alemanha Austrália Coréia do Sul Fonte: Global Data Watch (JP Morgan) e IBGE 30
  31. 31. Crescimento do PIB PIB trimestral com ajuste sazonal 105 103 Brasil 4º trimestre de 2007 = 100 101 99 Coreia do Sul 97 Área do Euro 95 93 Japão 91 89 87 Estados Unidos 85 1º trim. 2º trim. 3º trim. 4º trim. 1º trim. 2º trim. 2008 2009 Fonte: Bloomberg 31
  32. 32. Alongamento dos Prazos de Retorno de Investimentos 32
  33. 33. Investimento de Longo Prazo  Instabilidade macroeconômica inviabilizava planejamento de longo prazo, requerendo ajustes macroeconômicos persistentes  Cenário mais promissor para retorno de longo prazo, atraindo investidores que visam maior retorno em prazo mais estendido  Necessidade de investimentos em infraestrutura no Brasil abre oportunidades para investidores 33
  34. 34. Redução de Incertezas  Aperfeiçoamento do marco regulatório  Consolidação institucional da responsabilidade fiscal  Sucesso do Sistema de Metas para Inflação, que tem mantido a inflação baixa e previsível  Regime de câmbio flutuante e política de acumulação de Reservas Internacionais eliminou a vulnerabilidade externa que abortava ciclos de expansão econômica 34
  35. 35. Henrique de Campos Meirelles Novembro de 2009 35

×