Aula manifestações musculo esqueleticas na gravidez

6.704 visualizações

Publicada em

Aula dirigida a alunos de graduação do curso de Medicina e pós-graduação em Ginecologia e Obstetricia da Universidade Federal de Juiz de Fora .Aborda os transtornos musculo-esqueleticos mais frequentes na gravidez

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.704
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
164
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula manifestações musculo esqueleticas na gravidez

  1. 1. <ul><li>Manifestações Músculo - esqueléticas na Gravidez </li></ul><ul><li>Dr.Elmano Loures </li></ul>Serviço de Ortopedia e Traumatologia PRM em Ortopedia e Traumatologia
  2. 2. Aspectos gerais <ul><li>Alta incidência / transitoriedade </li></ul><ul><li>Sintomas persistem após o parto em 50% </li></ul><ul><li>Causas relacionadas às alterações hormonais e anatômo-fisiológicas </li></ul><ul><li>Limitações* ao uso de medicamentos e medidas terapêuticas usuais: </li></ul><ul><li>*tratamento difícil=sofrimento </li></ul><ul><li>Bom prognóstico:cronificação é rara </li></ul>
  3. 3. Principais alterações fisiológicas na gravidez <ul><li>1-Aumento do peso corporal e protusão abdominal : </li></ul><ul><li>Acentuação da lordose lombar e anteriorização do centro de gravidade corporal </li></ul><ul><li>Sobrecarga e fadiga musculares </li></ul><ul><li>2-Translação das art. Sacro-iliacas e diastáse da sínfise púbica </li></ul><ul><li>Adaptação biomecânica da pelve </li></ul><ul><li>Relaxamento ligamentar ligado ao hormônio relaxina secretado pelo corpo amarelo </li></ul><ul><li>3- Retenção hídrica : atribuído a prolactina </li></ul>
  4. 4. I- Lombalgia <ul><li>50-70% das gestantes </li></ul><ul><li>5º ao 8º mês , sintomas prévios em 30% </li></ul><ul><li>Causas : > peso ,> lordose , sedentarismo </li></ul><ul><li>Sintomas : dor lombar baixa imprecisa </li></ul><ul><li>paravertebral / sacroilíaca , sem irradiação, alivio com repouso , contratura mm. </li></ul><ul><li>Radiculopatia / hérnia discal : raras </li></ul><ul><li>Diag. Diferencial : calculose renal </li></ul>
  5. 6. Hernia discal extrusa L5-S1
  6. 7. Lombalgia <ul><li>Propedêutica </li></ul><ul><li>Rx : não recomendado </li></ul><ul><li>RNM : somente em ciática severa/refratária e síndrome da cauda eqüina </li></ul><ul><li>Tratamento </li></ul><ul><li>Conservador /sintomático* </li></ul><ul><li>Repouso e alongamentos Willians / ex. Mackenzie </li></ul><ul><li>Termoterapia,fisioterapia (tens/ex isom./ along) </li></ul><ul><li>Analgésicos leves por curto período </li></ul><ul><li>*Exceção : quadro neurológico progressivo , síndrome da cauda eqüina(disfunção esfincteriana) </li></ul>
  7. 8. Prevenção da lombalgia* na grávida <ul><li>Controle do peso corporal </li></ul><ul><li>Cuidados posturais </li></ul><ul><li>Inicio de programa de exercícios físicos assistidos desde o 1º mês </li></ul><ul><li>Instituir tratamento médico e fisioterápico precocemente </li></ul><ul><li>Abordagem multidisciplinar </li></ul><ul><li>*Acupuntura :< eficaz que placebo </li></ul><ul><li>(Revisão sistemática , Issue 3 , Cochrane Library ,2004) </li></ul>
  8. 9. Profilaxia da lombalgia: Atividades físicas específicas sob supervisão
  9. 10. II- Síndrome do Túnel do Carpo <ul><li>Conceito:compressão do nervo mediano no túnel osteo-fibroso do punho </li></ul><ul><li>Etiologia: retenção hídrica(Prolactina) </li></ul><ul><li>Sintomas : parestesias em território mediano , dor e “formigamento” noturno,transtornos funcionais leves,surge no 2º e 3º trimestres </li></ul><ul><li>Sinal de Phalen + , Tinel +,preserva 5º dedo </li></ul><ul><li>Não necessita ex. complementares </li></ul><ul><li>Sinais de alerta: atrofia tenar e paresia </li></ul><ul><li>Freqüente recorrência e/ou persistência dos sintomas no puerperio </li></ul>
  10. 12. Teste de Phalen :1 minuto Tinel +
  11. 13. Síndrome do Túnel do Carpo Tratamento <ul><li>Fisioterapia , termoterapia (“contraste”) </li></ul><ul><li>Uso de órteses </li></ul><ul><li>Discutível: infiltração c/ corticóides e diuréticos </li></ul><ul><li>Complexo B </li></ul><ul><li>Analgésicos leves por curto período </li></ul><ul><li>Tratamento cirúrgico: 10% casos* </li></ul><ul><li>*Sempre aguardar o final da gestação </li></ul>
  12. 15. III - Tenosinovite estenosante de De Quervain <ul><li>Conceito: inflamação dos tendões abdutor longo e extensor curto do polegar no punho (“Tendinite da grávida”) </li></ul><ul><li>Etiologia : sobrecarga mecânica / over use e/ou retenção hídrica (prolactina) </li></ul><ul><li>Freqüente no 3º trimestre da gestação e inicio do puerpério (cuidados com bebê agravantes) </li></ul><ul><li>Dor e edema sobre estilóide radial </li></ul><ul><li>Sinal de Finkelstein + </li></ul><ul><li>Não necessita exames complementares </li></ul>
  13. 16. Sinal de Finkelstein +
  14. 17. Tenosinovite estenosante de De Quervain <ul><li>Tratamento </li></ul><ul><li>Fisioterapia , termoterapia (“contraste”) </li></ul><ul><li>Uso de órteses / imobilização </li></ul><ul><li>Controverso: infiltração c/ corticóides e uso de diuréticos </li></ul><ul><li>Analgésicos leves por curto período </li></ul><ul><li>Tratamento cirúrgico: exceção* </li></ul><ul><li>*Sempre aguardar o final do puerpério e efetivar um tratamento completo </li></ul>
  15. 18. Tratamento conservador Tratamento cirúrgico X
  16. 19. IV- Osteonecrose da cabeça femoral ( Necrose avascular/necrose asséptica) <ul><li>Doença grave com potencial de graves seqüelas = Artrite degenerativa </li></ul><ul><li>Conceito: Diminuição ou interrupção da circulação sanguínea numa área especifica do osso medular com conseqüente necrose tecidual </li></ul><ul><li>Etiologia obscura : > níveis de cortisol (?) </li></ul><ul><li>3º trimestre, dor profunda na coxofemoral, limitação da ADM, claudicação, </li></ul><ul><li>*Atenção para dor referida no joelho :padrão </li></ul><ul><li>n. obturatório </li></ul>
  17. 20. ONCF <ul><li>Diagnóstico precoce é crucial ! </li></ul><ul><li>RNM : alta sensibilidade e especificidade </li></ul><ul><li>fundamental para estadiamento </li></ul><ul><li>Bilateral em 60-80% casos </li></ul><ul><li>RX + somente em fase avançada </li></ul><ul><li>Tratamento </li></ul><ul><li>Descarga imediata de peso </li></ul><ul><li>Analgésicos </li></ul><ul><li>Pós-parto :procedimentos de salvação da cabeça em caráter urgente </li></ul>
  18. 23. T.M.O.C. 49 anos Nav. / Metalsul ®
  19. 24. V- Cãibras <ul><li>Contrações dolorosas e espasmódicas de músculos ou grupo muscular </li></ul><ul><li>Comuns no 2º e 3º trimestres da gestação </li></ul><ul><li>Geralmente durante o sono / triceps sural </li></ul><ul><li>Etiologia presumida: </li></ul><ul><li>> demanda por Ca pelo feto = < Ca e Mg </li></ul><ul><li>Tratamento: suplemento de Ca e minerais </li></ul><ul><li>Complexo B , alongamentos + exercícios </li></ul><ul><li>Prevenção : suplementação mineral precoce +programa de exercícios </li></ul>
  20. 25. VI- Meralgia parestésica (Síndrome de Roth) <ul><li>Compressão do nervo cutâneo femoral da coxa. Bilateral em 2/3 dos casos </li></ul><ul><li>3º trimestre de gestação </li></ul><ul><li>Sintomas: parestesia no 1/3 proximal da coxa, desconforto , sensação de fraqueza no membro afetado </li></ul><ul><li>Causas: > volume abdome com tensionamento da parede , retenção hídrica </li></ul>
  21. 26. <ul><li>ANATOMIA </li></ul><ul><li>Nervo cutâneo lateral da coxa: </li></ul><ul><li>emerge através do ligamento </li></ul><ul><li>Inguinal medial à EIAS </li></ul><ul><li>lateral ao sartório </li></ul><ul><li>medial ao tensor do fascia </li></ul>
  22. 27. Tratamento da meralgia parestésica <ul><li>Conduta conservadora expectante </li></ul><ul><li>Complexo B </li></ul><ul><li>Termoterapia(contraste) </li></ul><ul><li>Repouso </li></ul><ul><li>Regra geral resolução espontânea </li></ul><ul><li>no pós parto </li></ul>
  23. 28. MUITO OBRIGADO! Dr.Elmano Loures UFJF- Hospital Universitário

×