Trabalho

1.521 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.521
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho

  1. 1. MERCOSUL
  2. 2. Introdução <ul><li>O mercado comum do sul - MERCOSUL – representa um salto qualitativo nas relações econômicas entre os quatros estados que o integram. </li></ul><ul><li>Com tudo nos dias atuais percebe-se que este bloco ainda não concretizou o MERCOSUL , estando na etapa da união aduaneira. </li></ul>
  3. 3. O MERCOSUL <ul><li>O MERCOSUL é uma associação econômica integrada pela argentina , o Paraguai , Brasil e Uruguai é não só uma área de livre comercio entre esses países, mais também uma união alfandegária como o desejo de visar um mercado comum, uma das formas mais acabadas de integração, só superada pela figura da união econômica. </li></ul>
  4. 4. Fundação <ul><li>O Mercado Comum do Sul ( MERCOSUL ) foi criado em 26/03/1991 com a assinatura do Tratado de Assunção no Paraguai. Os membros deste importante bloco econômico do América do Sul são os seguintes países : Argentina, Brasil , Paraguai , Uruguai e Venezuela (entrou em julho de 2006). </li></ul>
  5. 5. Países Membros <ul><li>Argentina, se engressou no MERCOSUL em (1991), Brasil em (1991),Paraguai em (1991), Uruguai (1991) e Venezuela em (2006). </li></ul>
  6. 6. PRINCIPAIS PLOBLEMAS <ul><li>As economias dos países não são desenvolvidas de forma equânime, ou seja, existem países mais desenvolvidos (Brasil e Argentina) e outros menos desenvolvidos (Uruguai e Paraguai). O comércio normalmente dá certo entre países com desenvolvimento parecido (na UE, por exemplo, o grosso do comércio é frança/ Alemanha). </li></ul><ul><li>2- Existem pressões políticas externas (EUA) para que o comércio setorial não dê certo. Os Estados Unidos (e alguns países da América do sul, como o Chile) preferem o ALCA e precionam políticamente os países do cone Sul. </li></ul><ul><li>3- Desavenças entre Brasil e Argentina. Os dois gigantes do MERCOSUL não param de brigar. O último exemplo foi na desvalorização do real em que a Argentina deu um passo para trás colocando limites na importação de automóveis. </li></ul><ul><li>5- Ausência de estabilidade política na região. Diversos acordos como abolição de impostos de importação já foram tentados para dinamizar o comércio no cone Sul, mas a frágil política local não permitiu que ocorresse avanço significativo. </li></ul><ul><li>7- Alguns países olham o MERCOSUL com a mesma desconfiança que muitos brasileiros olham o ALCA. </li></ul>
  7. 7. PONTOS POSITIVOS DO MERCOSUL <ul><li>-Ampliação do mercado para produtos brasileiros </li></ul><ul><li>Maior força política e econômica dentro da economia mundial </li></ul>
  8. 8. Escola Estadual 12 de Abril <ul><li>Alunas : Isabela , jhenefer , Ariely </li></ul><ul><li>Professora : Neli </li></ul><ul><li>‘’ 7’’ Bº </li></ul>
  9. 9. GRÁFICO

×