Tfc josé edumildo oliveira (edu)

1.522 visualizações

Publicada em

sistema de gestão de alojamento

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.522
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tfc josé edumildo oliveira (edu)

  1. 1. DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DE CABO VERDE Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Trabalho Final de Curso Relatório Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil José Edumildo Oliveira Borges josee.borges@student.unicv.edu.cv Orientador: Isaías Barreto da Rosa Praia, Campus - Palmarejo Julho de 2012
  2. 2. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página I Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil José Edumildo Oliveira Borges Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Julho de 2012.
  3. 3. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página II Identificação do Relatório Entidade: Universidade de Cabo Verde – Uni-CV Organização: Departamento de Ciências & Tecnologias – DCT Título: Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Autor: José Edumildo Oliveira Borges Orientador: Professor Doutor Isaias Barreto da Rosa Local de realização do Projecto: Residência Estudantil de Santa Catarina Ano Lectivo: 2011/2012
  4. 4. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página III UNIVERSIDADE DE CABO VERDE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA LICENCIATURA EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E DE COMPUTADORES José Edumildo Oliveira Borges Trabalho de Fim de Curso defendida e aprovada pela banca examinadora composta pelos Júris: ………………………………………………………………………………………………… ………………………………………………………………………………………………… ………………………………………………………………………………………………… Trabalho de Fim de Curso aprovado no dia ____ / ____ / ____ pelo Departamento de Ciências e Tecnologia da Universidade de Cabo Verde
  5. 5. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página IV Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? (Romanos 8:31) Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. (Romanos 8:37)
  6. 6. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página V Dedicatória Ao meu filho, Ariel Ricardo Fernandes Borges
  7. 7. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página VI Agradecimentos Gostaria de endereçar os meus reconhecimentos e agradecimentos a meu orientador, Dr. Isaías Barreto que me apoiou durante a realização deste trabalho, pelo tempo despendido e pela sua boa ajuda. Agradeço aos meus pais, Zeca e Alcinda por absolutamente tudo. Cada um de seus actos foi uma oportunidade que eu tive para crescer e me tornar o que sou. Às minhas irmãs, Indira e Isa e ao meu irmão Elves, pelo apoio e amor incondicional e que felizmente posso dizer ser recíproco. Agradeço a minha amada Indira Moura. Pela força e apoio, por ter me aturado e consertado e, por fim, colocar-me no rumo certo. Agradeço à todos os funcionários da Residência Estudantil de Santa Catarina, mas não poderia deixar de mencionar, Cesaltina, que atenciosamente atendeu-me e pelo tempo despendido para as entrevistas e dados fornecidos. Agradeço aos professores que desempenharam com dedicação as aulas ministradas. Agradeço também a turma LEI-Licenciatura em Engenharia Informática, da qual tive orgulho de fazer parte, juntamente com Roberto, Vindo, Narciso, Charles o qual batalhamos quase todas noites ao estudo, agradeço à todos pela amizade, paciência, ternura e convivência destes 4 anos, que serão infindáveis. Agradeço à todos que de uma forma directa ou indirectamente apoiaram dando animo e força para que esse trabalho fosse terminado um muito obrigado a todos. E finalmente agradeço a Deus, por proporcionar estes agradecimentos à todos que tornaram minha vida mais afetuosa, além de ter me dado uma família maravilhosa e amigos sinceros. Deus, que a mim atribuiu alma e missões pelas quais já sabia que eu iria batalhar e vencer, agradecer é pouco. Por isso lutar, conquistar, vencer e até mesmo cair e perder, e o principal, viver é o meu modo de agradecer sempre.
  8. 8. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página VII Declaração de Honra Declaro por minha honra que o presente trabalho foi resultado da minha própria investigação e o mesmo foi concebido para ser submetido como trabalho para obtenção do grau de Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores na Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), Departamento de Ciência e Tecnologia. Praia, Julho 2012 O Autor ________________________________________ (José Edumildo Oliveira Borges)
  9. 9. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página VIII Resumo O grande desafio no desenvolvimento de software é desenvolver software correcto que vai ao encontro das necessidades do utilizador e à custo aceitáveis. Assim sendo este projecto intitulado Sistema de Gestão de Alojamento para residência estudantil denominado por SGAPRE, foi concebido a partir da necessidade levantada junto a Residência estudantil de Santa Catarina. No entanto, este relatório descreve o desenvolvimento de SGAPRE para informatizar todo processo de alojamento de estudantes e pagamento de mensalidade de estadia na residência estudantil de Santa Catarina. Faz parte deste documento planeamento do projecto, paradigmas de desenvolvimento de software, e análise de sistema. O produto final é um sistema pronto para ser implementado na residência estudantil, sendo acessível via browser nas estações via intranet. A modelagem do sistema foi feita usando notação UML, utilizando o modelo de prototipagem. O sistema foi desenvolvido em linguagem Hipertext Preprocessor (PHP), JavaScript e com sistema de gestão de bases de dados MySQL. Palavra-chave: Sistema de Informação, implementação de software, análise de sistema
  10. 10. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página IX Índice Geral Lista de Abreviaturas ....................................................................................................XI Índice de Tabelas..........................................................................................................XII Índice de Figuras ........................................................................................................ XIV Glossário...................................................................................................................... XVI 1. Introdução .............................................................................................................18 1.1 Enquadramento.......................................................................................................18 1.2 Objectivo geral .......................................................................................................19 1.3 Objectivo específico...............................................................................................19 1.4 Justificativa do projecto.........................................................................................19 1.5 Metodologias ..........................................................................................................20 1.6 Estrutura do relatório .............................................................................................22 2. Sistemas de Informação.......................................................................................23 2.1 Conceito da organização........................................................................................23 2.2 Informação e conhecimento...................................................................................24 2.2.1 Informação.......................................................................................................24 2.2.2 Conhecimento..................................................................................................24 2.3 Conceito de Sistema...............................................................................................25 2.4 Conceito de Sistemas de Informação ....................................................................25 2.5 Componentes de um Sistemas de Informação......................................................26 2.6 Tipos de Sistemas de Informação .........................................................................27 2.7 Vantagens de Sistemas de Informação .................................................................27 2.8 Objectivos dos Sistemas de Informação ...............................................................28 2.9 Principais benefícios dos Sistemas de Informação ..............................................29 2.10 Arquitectura dos Sistemas de Informação ....................................................30 3. Processo de desenvolvimento de SI ...................................................................32 3.1 Modelo em cascata .................................................................................................32 3.2 Modelo de Prototipagem........................................................................................35 3.2.1 Tipo de protótipo ............................................................................................35 3.2.2 Como funciona este modelo...........................................................................36 3.2.3 Vantagens ........................................................................................................37 3.2.4 Desvantagens...................................................................................................37 3.3 Modelo Espiral .......................................................................................................38 4. Planeamento do projecto.....................................................................................40 4.1 Meta do projecto e âmbito .....................................................................................40 4.1.1 Objectivo do projecto .....................................................................................40 4.1.2 Descrição do âmbito do projecto ...................................................................41 4.2 Restrinções e pressupostos do projecto ................................................................42 4.3 Ferramentas a serem utilizadas .............................................................................42 4.4 Work Breakdown Structure (WBS) ......................................................................43 4.5 Precedência de actividade......................................................................................44 4.6 Estimativa de duração ............................................................................................45 4.7 Cronograma.............................................................................................................46 5. Análise de Sistema................................................................................................48 5.1 Residência Estudantil.............................................................................................49 5.2 Descrição da situação actual..................................................................................49 5.3 Levantamento (Elicitação) e identificação de requisitos ....................................51 5.3.1 Requisitos Funcionais.....................................................................................51
  11. 11. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página X 5.3.2 Requisitos não funcionais ..............................................................................53 5.4 Análise de requisitos ..............................................................................................54 5.4.1 Requisitos funcionais detalhados...................................................................54 5.4.2 Requisitos não funcionais classificados........................................................57 5.4.3 Lista de Stakeholders......................................................................................58 5.5 Especificação de requisitos funcionais com caso de uso ....................................58 5.5.1 Diagrama de Caso de uso ...............................................................................59 5.5.1.1 Especificação de caso de uso......................................................................62 5.5.2 Diagrama de sequência...................................................................................75 5.6 Desenho...................................................................................................................91 5.6.1 Desenho das estruturas de dados fundamentais............................................91 5.6.1.1 Diagrama de classes ....................................................................................91 5.6.1.2 Diagrama de Actividade .............................................................................96 5.6.2 Desenho da arquitectura do sistema ..............................................................98 5.6.2.1 Diagrama de pacotes ...................................................................................98 5.6.3 Desenho da base de dados............................................................................102 5.6.3.1 Diagrama de entidade relacionamento (DER).........................................102 5.6.3.2 Modelo físico de base de dados................................................................104 5.6.4 Desenho da arquitectura física do sistema ..................................................111 5.6.5 Desenho de interface ....................................................................................112 5.6.5.1 Menus .........................................................................................................112 5.6.5.2 Formulários................................................................................................116 6. Implementação....................................................................................................122 6.1 Procedimentos utilizado.......................................................................................122 6.2 Tecnologia utilizada.............................................................................................122 6.2.1 PHP ................................................................................................................122 6.2.2 MySQL ..........................................................................................................123 6.2.3 Abstrações de base de dados (ADOdb).......................................................123 6.2.4 Dreamweaver.................................................................................................123 6.2.5 Wamp server..................................................................................................123 7. Avaliação..............................................................................................................124 7.1 Como instalar o sistema SGAPRE......................................................................124 7.2 Como usar o sistema SGAPRE ...........................................................................124 7.2.1 Página de acesso ...........................................................................................125 7.2.2 Página principal ............................................................................................125 7.2.3 Alojar estudante ............................................................................................127 7.2.4 Atribuir pagamento pendente.......................................................................128 7.2.5 Inserir pagamento pendente .........................................................................129 7.2.6 Registar pagamento ......................................................................................130 7.2.7 Cancelar estudante ........................................................................................132 7.3 Descrição dos testes realizados ...........................................................................133 8. Conclusão.............................................................................................................136 Referências bibliográficas ........................................................................................137
  12. 12. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página XI Lista de Abreviaturas Abreviaturas Designação UML Unified Modeling Language (Linguagem Unificada de Modelação) SI Sistema de Informação SGBD Sistema de Gestão de base de dados PHP Hipertext Preprocessor IDE Integrated Development Environment apud Citado por, segundo (citação indirecta ou de segunda mão) et al. E outros WWW World Wide Web HTML HyperText Markup Language, DER Diagrama entidade relacionamento AS Análise de Sistema RN Regras de negócio RF Requisito funcional RNF Requisito não funcional RNFP Requisito não funcional performance RNFS Requisito não funcional segurança FK Forieng key B.I Bilhete de Identidade GB Gigabytes DSI Desenvolvimento de Sistema de Informação TI Tecnologia de Informação LES Laboratório de Engenharia de Software SIBC Sistema de Informação Baseado em Computador WBS Work Breakdown Structure (Estrutura de Decomposição do Trabalho) PDF Portable Document Forma (Formato de Documentos Portável)
  13. 13. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página XII Índice de Tabelas Tabela 1.Vantagens competitivas dos SI (adaptado de Rascão (2004)) ..................................28 Tabela 2. Precedência de actividades.......................................................................................44 Tabela 3. Estimativa de duração de actividade ........................................................................45 Tabela 4. Requisitos não funcionais ........................................................................................53 Tabela 5. Requisito funcional (registar estudante)...................................................................54 Tabela 6. Requisito funcional (efectuar pagamento) ...............................................................54 Tabela 7. Regra de negócio (efectuar pagamento)...................................................................54 Tabela 8. Requisito funcional (consultar dívidas) ...................................................................55 Tabela 9. Requisito funcional (efectuar alojamento)...............................................................55 Tabela 10. Requisito funcional (efectuar desalojamento)........................................................55 Tabela 11. Requisito funcional (listar vagas no quarto) ..........................................................55 Tabela 12. Requisito funcional (pesquisar estudante residente)..............................................55 Tabela 13. Requisito funcional (estatística).............................................................................56 Tabela 14. Requisito funcional (registar utilizador) ................................................................56 Tabela 15. Requisito funcional (registar área ou curso) ..........................................................56 Tabela 16. Requisito funcional (registar concelho) .................................................................56 Tabela 17. Requisito funcional (registar quarto) .....................................................................56 Tabela 18. Requisito não funcional (performance)..................................................................57 Tabela 19. Requisito não funcional (segurança)......................................................................57 Tabela 20. Requisito não funcional (usabilidade)....................................................................57 Tabela 21. Lista dos Stakeholders............................................................................................58 Tabela 22. Identificação dos casos de uso por actor................................................................60 Tabela 23. Caso de Uso efectuar autenticação de utilizador....................................................62 Tabela 24. Caso de Uso registar utilizador ..............................................................................63 Tabela 25. Caso de uso consultar lista de utilizador................................................................64 Tabela 26. Caso de uso efectuar pagamento ............................................................................65 Tabela 27. Extensão do caso de uso efectuar pagamento ........................................................65 Tabela 28. Caso de uso registar dívidas mensal ......................................................................66 Tabela 29. Caso de uso registar estudante ...............................................................................66 Tabela 30. Caso de uso Listar estudantes residentes ...............................................................67 Tabela 31. Caso de uso pesquisar estudantes residentes..........................................................68 Tabela 32. Caso de uso consultar dívidas de todos estudantes ................................................68 Tabela 33. Caso de uso actualizar estudantes residentes .........................................................69 Tabela 34. Caso de uso registar escolas...................................................................................70 Tabela 35. Caso de uso registar áreas ......................................................................................70 Tabela 36. Caso de uso registar quarto ....................................................................................71 Tabela 37. Caso de uso listar vaga no quarto...........................................................................72 Tabela 38. Caso de uso efectuar alojamento de estudante no quarto.......................................73 Tabela 39. Caso de uso efectuar desalojamento de estudantes residentes...............................74 Tabela 40. Dicionário de dados estudantes............................................................................106 Tabela 41. Dicionário de dados Pai .......................................................................................106
  14. 14. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página XIII Tabela 42. Dicionário de dados Mãe .....................................................................................106 Tabela 43. Dicionário de dados encarregados de educação...................................................107 Tabela 44. Dicionário de dados encarregado e estudante ......................................................107 Tabela 45. Dicionário de dados concelho ..............................................................................107 Tabela 46. Dicionário de dados nível de escolaridade...........................................................107 Tabela 47. Dicionário de dados estudante e nível..................................................................108 Tabela 48. Dicionário de dados área......................................................................................108 Tabela 49. Dicionário de dados área e escola ........................................................................108 Tabela 50. Dicionário de dados escola...................................................................................108 Tabela 51. Dicionário de dados dívidas.................................................................................108 Tabela 52. Dicionário de dados LançamentoMes..................................................................109 Tabela 53. Dicionário de dados recibo...................................................................................109 Tabela 54. Dicionário de dados vencimento ..........................................................................109 Tabela 55. Dicionário de dados quarto ..................................................................................109 Tabela 56. Dicionário de dados alojamento...........................................................................110 Tabela 57. Dicionário de dados tarefa ...................................................................................110 Tabela 58. Dicionário de dados estudante_tarefa ..................................................................110 Tabela 59. Testes de unidades................................................................................................133 Tabela 60. Teste de Interface .................................................................................................134 Tabela 61. Teste de performance ...........................................................................................134 Tabela 62. Teste de segurança ...............................................................................................135
  15. 15. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página XIV Índice de Figuras Figura 1. Arquitectura Lógica do Sistema de Informação (adaptado de Rascão (2004)) ........31 Figura 2. Arquitectura Física do Sistema de Informação (adaptado de Rascão (2004)) .........31 Figura 3. Modelo de processo em cascata (adaptado de Lopes et al. (2009)) .........................33 Figura 4. Modelo de Prototipagem (adaptado de Miguel (2010)) ...........................................36 Figura 5. Modelo Espiral (adaptado de Lopes et al. (2009)) ...................................................38 Figura 6. Work Breakdown Structure (WBS)..........................................................................43 Figura 7. Cronograma (Gráfico de Gantt)................................................................................47 Figura 8. Simbologia para caso de uso e actor.........................................................................59 Figura 9. Simbologia relação de generalização .......................................................................60 Figura 10. Diagrama de Casos de uso (visão geral).................................................................61 Figura 11. Simbologia de estereótipos para objecto (adaptado de LES (2012)) .....................75 Figura 12. Objecto usados num diagrama de sequência (adaptado de Lopes et al. (2009)) ....76 Figura 13. Diagrama de sequência autenticar utilizador..........................................................78 Figura 14. Diagrama de sequência efectuar pagamento ..........................................................81 Figura 15. Diagrama de sequência consultar dívidas...............................................................83 Figura 16. Diagrama de sequência registar estudante..............................................................86 Figura 17. Diagrama de sequência efectuar alojamento ..........................................................88 Figura 18. Diagrama de sequência efectuar desalojamento .....................................................90 Figura 19. Simbologia usada para representar uma classe ......................................................92 Figura 20. Diagrama de classe .................................................................................................95 Figura 21. Diagrama de actividade efectuar pagamento..........................................................96 Figura 22. Diagrama de actividade registar estudante .............................................................97 Figura 23. Diagrama de actividade efectuar alojamento..........................................................97 Figura 24. Diagrama de pacotes (visão geral)..........................................................................98 Figura 25. Diagrama de pacote gestão estudante .....................................................................99 Figura 26. Diagrama de pacote gestão tarefa ...........................................................................99 Figura 27. Diagrama de pacote gestão de pagamento............................................................100 Figura 28. Diagrama de pacote gestão estadia .......................................................................100 Figura 29. Diagrama de pacote estatística .............................................................................101 Figura 30. Diagrama de pacote Administrativa .....................................................................101 Figura 31. Diagrama de entidade relacionamento .................................................................104 Figura 32. Modelo físico de base de dados............................................................................105 Figura 33. Arquitectura física ................................................................................................111 Figura 34. Menu administração .............................................................................................112 Figura 35. Menu estudante.....................................................................................................113 Figura 36. Menu Estadia ........................................................................................................113 Figura 37. Menu estatística ....................................................................................................114 Figura 38. Menu Controle de mensalidade ............................................................................115
  16. 16. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página XV Figura 39. Menu tarefa...........................................................................................................115 Figura 40. Formulário para criar conta de utilizador .............................................................116 Figura 41. Formulário para inserir os dados quartos .............................................................117 Figura 42. Formulário para inserir áreas ou cursos................................................................117 Figura 43. Formulário inserir concelho .................................................................................118 Figura 44. Formulário para inserir escola ..............................................................................118 Figura 45. Formulário para registar dados de estudante ........................................................119 Figura 46. Formulário efectuar alojamento............................................................................120 Figura 47. Formulário para distribuição de tarefa..................................................................120 Figura 48. Formulário efectuar pagamento............................................................................121 Figura 49.Página de acesso do sistema ..................................................................................125 Figura 50. Página principal (Utilizador que pertence o perfil de Administrador) .................126 Figura 51. Alojar estudante....................................................................................................127 Figura 52. Atribuir pagamento pendente ...............................................................................128 Figura 53. Inserir pagamento pendente..................................................................................129 Figura 55. Pesquisar o nome de estudante .............................................................................130 Figura 54. Acessar menu registar pagamento ........................................................................130 Figura 56. Lista com nome de estudante ...............................................................................131 Figura 57. Lista de dívidas.....................................................................................................131 Figura 58. Acessar menu cancelar estudante .........................................................................132 Figura 59. Lista de estudantes................................................................................................132
  17. 17. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página XVI Glossário Análise de sistemas - consiste no processo de recolha e interpretação de factos, diagnóstico de problemas e levantamento de necessidades de informação para melhoria de conhecimento do sistema. Aplicação web - é o termo utilizado para designar de forma geral, sistemas informáticos projectados para utilização através de navegador (em inglês browser), na Internet ou Intranet (redes privadas). Abordagem orientado a objecto - é uma abordagem que permite ver o mundo como objectos com estrutura de dados e comportamentos. Base de Dados (BD) – é uma colecção de dados operacionais armazenados, usados pelos sistemas de aplicação de uma empresa específica. Código aberto (em inglês Open Source) – é um termo criado pela Open Source Initiative (OSI) e refere-se a um software também conhecido por software livre. Um software livre pode ser usado, copiado, estudado e redistribuído sem restrições. Ferramentas CASE – são sistemas de software, cujo objectivo é fornecer suporte automatizado para as actividades do processo de desenvolvimento de software, como a engenharia de requisitos, o projecto, o desenvolvimento do programa e os testes. Internet – é uma rede global de computadores interligados, pelo protocolo de comunicação TCP/IP que permite o acesso a informações e todo tipo de transferência de dados. Regras de negócio – dizem respeito às operações, definições e restrições de uma organização para alcançar seus objectivos. Servidor Web – é uma entidade composta por hardware ou software que fornece serviços de consulta por hipertexto (WWW) na Internet ou Intranet. Sistema de Gestão de Base de Dados (SGBD) – é um conjunto de software, destinado a gerir todo o armazenamento e manipulação dos dados do sistema, fazendo a interface entre o nível aplicacional e a base de dados propriamente dita.
  18. 18. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página XVII Sistema de Informação (SI) – é uma entidade sociotécnica que reúne, guarda, processa e faculta informação relevante para a organização (ou para a sociedade), de modo a torna-la acessível e útil para aqueles que desejam (e possam) utilizarem. Software – são programas de computador e toda documentação associada, ou seja, é a componente lógica da informática (programas, aplicações, sistemas operativos) que comanda o hardware. Tempo Optmista- é definido como tempo de menor duração considerando uma combinação de recursos de forma favorável. Tempo Medio- é definido como tempo mais provável de ocorrer a execução da actividade, pois baseado em condições consideradas normais. Tempo pessimista – é definido como estimativa de tempo de maior duração, dado a possível ocorrência de uma conjugação de acontecimentos desfavoráveis para execução da actividade. Tecnologia de Informação (TI) – é um conjunto de equipamentos e suportes lógicos (hardware e software) que permitem executar tarefas como aquisição, transmissão, armazenamento, recuperação e exposição de dados. URL (Uniform resource Locator) – é o endereço único atribuído a cada página Web.Conhecendo URL podes mostrar instantaneamente qualquer página Web. Web – é o termo conhecido por WWW. World Wide Web (WWW) – rede virtual de informação, composta por um conjunto de máquinas denominados servidores Web.
  19. 19. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 18 1. Introdução Oliveira (2012), define sistema de informação de gestão como um sistema de informação tipicamente baseado em computadores, utilizado no seio de uma organização. E as actividades envolvidas incluem a introdução de dados, processamento dos dados em informação, armazenamento de ambos, e a produção de resultados, como relatórios de gestão. Sendo que a informação é um conjunto de dados que, quando fornecido de forma e a tempo adequado, melhora o conhecimento da pessoa que o recebe, ficando ela mais habilitada a desenvolver determinada actividade ou a tomar determinada decisão. Amaral et al. (2000) Na verdade gerir é tomar decisões, como nos diz Amaral et al. (2000) onde a matéria- prima necessária ao processo de tomada de decisões é a informação. O aumento crescente dessa informação tem uma gestão eficaz só quando é suportado por sistemas informáticos1 (SI) que lhes assegurem a informação necessária para o desejado desenvolvimento das suas actividades. É evidente que uma instituição como a residência estudantil (internato) também necessita de sistema de informação baseado em computador, a fim de suportar as suas actividades e ter uma gestão eficaz das informações. 1.1 Enquadramento Este projecto consiste em um Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil denominado SGAPRE, com o intuito de contribuir para a gestão de pagamento de mensalidade de estadia e alojamento de estudantes. Com o desenvolvimento deste projecto pode ser implantado na residência estudantil (internato), nomeadamente os que alojam estudantes das escolas técnicas que querem controlar eficaz e eficientemente o processo de pagamento e alojamento. Portanto a escolhida para o desenvolvimento do projecto é a residência estudantil de Santa Catarina localizado na cidade de Assomada. Actualmente, ela utiliza um sistema manual que permite efectuar a gestão do processo de alojamento e pagamento de mensalidades de estadia e neste constatou-se alguns problemas tais como: a demora de obter informação sobre estudantes, a dificuldade de elaborar estatísticas sobre os estudantes residentes, a demora no saber os estudantes que não efectuaram pagamento de mensalidade de estadia. 1 Utiliza-se a designação sistema informático, um sistema de informação baseada em computador. Lopes et al. (2009)
  20. 20. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 19 É neste âmbito que surge o presente trabalho de licenciatura que visa fundamentalmente conceber um sistema de informação de gestão de alojamento de estudante na residência estudantil com recurso a tecnologia Web, com o objectivo de torná-lo um sistema mais eficiente e fácil de gerir. 1.2 Objectivo geral Este projecto visa desenvolver um Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil com recurso a tecnologias web. 1.3 Objectivo específico  Analisar e descrever o processo de alojamento e pagamento de mensalidade de estadia para melhor percepção do sistema actual.  Modelar o Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil utilizando ferramentas presentes na linguagem de modelação de dados UML (Unified Modeling Language).  Criar uma estrutura de base de dados a que todas as entidades intervenientes do sistema possam aceder (Monitores, empregado da secretaria e gestor);  Desenhar interface web para o acesso ao sistema de informação desenvolvido. 1.4 Justificativa do projecto A residência estudantil de Santa Catarina tem tido o aumento significativo dos estudantes nos últimos anos, preenchendo todas vagas, também há um aumento dos volumes de papel com dados dos estudantes e encarregados de educação. Ademais o elevado compra de talão de recibos para controlo de pagamento e dívida das mensalidades de estadia. Desta forma este projecto dará grande contributo na redução de uso de papel para armazenar dados, informatizando todas essa informação. Deste modo este sistema de informação torna-se muito importante porque facilita os funcionários em obter informações rápidas dos residentes, e encarregados de educação que permite agilidade nas tomadas de decisões. Este sistema possibilita a Residência estudantil uma maior flexibilidade na forma de controlar o pagamento e dívidas de estadia, pois permite o cálculo de multa automático.
  21. 21. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 20 1.5 Metodologias No processo de obtenção de informação que permitiu analisar e descrever o processo de alojamento e pagamento de mensalidade de estadia para melhor percepção de situação actual foram usadas as seguintes técnicas de recolha de dados:  Entrevistou-se na secretaria da residência estudantil de Santa Catarina a chefe da secretaria de modo a obter informações relevantes para o entendimento claro do processo de alojamento e pagamento de mensalidade de estadia e saber alguns dos constrangimentos da situação actual.  Consultou-se os formulários usados pela residência de Santa Catarina relacionados com alojamento e pagamento, nomeadamente, ficha de inscrição, facturas e relatórios, de modo a perceber-se do tipo de dados que o sistema irá guardar bem como aspectos de funcionamento.  Outra ajuda para o delineamento de soluções foi consulta de bibliografia sobre desenvolvimento de sistemas de informação e tecnologias de informação. Para modelar o sistema de gestão de alojamento, foram usadas as seguintes técnicas de modelação:  Foi usada uma abordagem orientada a objectos, uma vez que enquadra-se perfeitamente com o tipo de problema presente, pelo facto de ser do domínio do autor e também facilita a comunicação entre desenvolvedores e clientes.  Usou-se as ferramentas case presente na linguagem de modelação de dados UML que segundo Nunes e O’Neill (2003) é uma linguagem de modelação que utiliza a notação padrão para especificar, construir, visualizar e documentar SI orientados a objectos. Para implementar o sistema de gestão de alojamento, foram usadas as seguintes ferramentas:  Foi usado o sistema de gestão de base de dados (SGBD) MySQL, por este permitir o armazenamento de dados, uma vez que, é muito rápido e ocupa menos espaço no disco em relação a outros SGBD tais como: oracle, SQLserver, portanto é fácil de configurar e é portátil.  Foi usado a linguagem de programação PHP para criação de aplicação, uma vez que é de fácil conexão com base de dados.
  22. 22. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 21 Por fim como ferramentas de apoio usou-se o Microsoft office 2007, Microsoft office visio 2007, Apache 2.2.17, Visual Paradigm for UML 6.4, DBDesigner 4 e adobe Dreamweaver CS 3:  O Microsoft Office word 2007 foi usado para escrever os relatórios do projecto.  A arquitectura do sistema proposto e o modelo lógico de base de dados presentes no trabalho foram desenhados com ajuda do Microsoft Office Visio 2007.  O Apache 2.2.17 foi escolhido como servidor local de aplicação, não só pelo facto de ser open source, mas também por ser um servidor de aplicação mais leve se comparando com outros como Oracle Weblogic e de fácil configuração.  Visual Paradigm foi usado para desenhar os diagramas de UML.  DBDesigner 4 foi usado para desenhar o modelo físico de base de dados.  Como ambiente de desenvolvimento integrado (IDE2) de desenvolvimento da aplicação Web, seleccionou-se o Adobe Dreamweaver CS 3. 2 IDE - do inglês Integrated Development Environment ou Ambiente Integrado de Desenvolvimento, é um programa de computador que reúne características e ferramentas de apoio ao desenvolvimento de software como objectivo de agilizar este processo. WIKIPÉDIA (2012 a)
  23. 23. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 22 1.6 Estrutura do relatório O presente trabalho está estruturado da seguinte maneira:  Capítulo I – Introdução, faz-se uma breve contextualização, os objectivos, metodologia que foi seguida para se concretizar os diversos objectivos específicos deste trabalho e apresenta-se a estrutura do trabalho.  Capítulo II – Sistema de Informação, aborda-se de forma superficial sobre o conceito sistema de informação, alguns tipos de sistema de informação baseada em computadores, apresenta-se a arquitectura do SI e as vantagens e objectivo do SI numa organização.  Capítulo III – Processo de desenvolvimento de SI, aborda-se de forma superficial alguns modelos utilizados no desenvolvimento de SI com objectivo de posteriormente escolher o modelo julgado ideal para o desenvolvimento de SI proposto, de acordo com o recurso tempo, dinheiro e pessoas.  Capítulo IV – Planeamento do Projecto, faz-se de uma forma sucinta o plano do projecto, quais são as actividades que serão realizadas para que os objectivos possam ser atingidos com pleno sucesso.  Capítulo V – Análise do Sistema, faz-se a análise do Sistema de Gestão de Alojamento para residência estudantil.  Capítulo VI – Implementação, apresenta-se, neste capítulo, procedimentos utilizados para implementar este projecto e as tecnologias utilizada, nomeadamente a linguagem de programação PHP, abstrações de base de dados (ADOdb), e SGDB MySQL.  Capítulo VII – Avaliação, apresenta-se breve descrição de como instalar, como usar ou aceder ao sistema desenvolvido e a descrição dos testes realizados.  Capítulo VIII – Conclusões, são apresentados as conclusões do presente trabalho.  Apresenta-se as Referências Bibliográficas.
  24. 24. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 23 2. Sistemas de Informação Falar em sistemas de informação (SI) leva-nos a pensar em organizações e informação. “Também vários autores relacionam estes três conceitos: sistema, informação e sistema de informação (Checkland, 2002; Rivas, 1989) apud Lopes et al. (2009), mostrando que entre eles há uma forte interligação”. Poder-se-á dizer que não há organização sem informação nem sistema de informação sem informação e, de tal forma que não há organização sem sistema de informação. Portanto neste capítulo, é apresentado o conceito de organização, informação, conhecimento, assim como o conceito de sistema e sistema de informação. No entanto, esses conceitos são pertinentes, porque estão relacionados com o trabalho desenvolvido e que os conceitos apresentados servem de enquadramento. 2.1 Conceito da organização Segundo Galbraith (1977) apud Lopes et al. (2009) “defende que uma organização fica definida quando: (i) se escolhe a intenção da organização e se estabelece, assim, qual o seu domínio de actividade e, consequentemente, qual a sua fronteira, (ii) se subdividem as principais tarefas a executar pelos indivíduos na organização”. Na verdade estas concepções podem-se claramente identificar três objectos caracterizadores de uma organização: a intenção, o trabalho e as pessoas. Portanto é importante salientar o que se entende por cada objecto caracterizadores de uma organização, assim o trabalho não é mais do que o exercício para fazer ou conseguir alguma coisa, podendo ser levado a cabo por pessoas e/ou máquinas como resultado final um produto ou um serviço, enquanto que a intenção é geralmente expressa a nível de objectivos que a organização tenta alcançar e que são consubstanciados através da sua estratégia. E as pessoas são quem realiza o trabalho organizacional, pensam, tomam decisão conforme os seus interesses, opiniões e motivações.
  25. 25. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 24 2.2 Informação e conhecimento Nesta secção é apresentado o conceito de informação e conhecimento, com o objectivo de distingui-los, porque pretende-se adoptar uma posição que seja apropriada no contexto da organização e, em particular, dos sistemas de informação. 2.2.1 Informação Para saber o que é informação é preciso diferencia-lo dos dados, uma vez que os termos dados e informação usam-se com muita frequência de uma forma indiferenciada. Segundo Rascão (2004),“dados são factos e ou eventos, imagens ou sons que podem ser pertinentes ou úteis para desempenho de uma tarefa, mas que por si só não conduzem à compreensão desse facto ou situação (exemplo: o numero 3500 é um dado) ”. Ainda Segundo Varajão (2005) “dados são factos isolados, representações não estruturadas que poderão ou não ser pertinentes ou úteis numa determinada situação. Por outras palavras, são apenas elementos ou valores discretos que isoladamente não tem qualquer utilidade e cuja simples posse não assegura a obtenção de quaisquer benefícios”. Enquanto que informação tem significado para o receptor. Poder-se-á definir informação segundo Amaral et al. (2000), como um conjunto de dados, colocados num contexto útil e de grande significado que, quando fornecido atempadamente e de forma adequada a um determinado propósito, proporciona orientação, instrução e conhecimento ao seu receptor, ficando este mais habilitado para desenvolver determinada actividade ou decidir. 2.2.2 Conhecimento Segundo Lopes et al. (2009), conhecimento “obtém-se pela transformação da informação. No entanto, assume-se que o conhecimento é possuído e criado pelo indivíduo podendo ser partilhado na organização através do que se designa por informação.” Por exemplo, quando um leitor de um livro sobre fundamental de UML não percebe o que leu, não criou novo conhecimento. O que está escrito não pode ser considerado informação para esse leitor, podendo sê-lo, no entanto, para outro, quando o que está escrito tem contexto e significado para essa pessoa. Por outro lado informação é uma forma de representar o conhecimento e pode ser partilhada e comunicada no seio da organização, mas a capacidade mentais dos indivíduos
  26. 26. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 25 que constituem a organização não podem ser transferidas para outros, mantendo-se sempre como propriedade do indivíduo, isto é “ saber fazer” alguma coisa. De acordo com Rocha (2002), o conhecimento poderá estar representado numa dessas formas: Tácito (conhecimento que uma pessoa possui individualmente), Partilhado (conhecimento possuído por grupos ou equipas) ou Incorporado (explicito e distribuído; usualmente possuído por mecanismos ou máquinas (como aplicações informáticas), processos e práticas de negócios (procedimentos manuais) ou pelo ambiente e cultura. 2.3 Conceito de Sistema Antes de compreender os sistemas de informação é necessário conhecer o conceito de sistema, uma vez que o conhecimento do conceito de sistema é fundamental para a compreensão da aplicação do mesmo nas organizações, ao tratamento da informação e ao sistema de informação. Exemplos de sistemas podem ser encontrados nas novas tecnologias, na física, nas ciências biológicas. Segundo Mannino (2008), “sistema é um conjunto de componentes relacionados que trabalham juntos para realizar alguns objectivos”. Por exemplo, o sistema circulatório humano, que consiste em sangue, vasos sanguíneos e o coração, faz o fluxo de sangue chegar a várias partes do corpo. O sistema circulatório interage com outros sistemas do corpo para assegurar que a quantidade e a composição corretas do sangue cheguem de uma maneira oportuna a várias partes do corpo. 2.4 Conceito de Sistemas de Informação Um sistema de informação é semelhante a um sistema físico (como o sistema circulatório), excepto que um sistema de informação manipula dados e não um objecto físico, como sangue. Segundo Mannino (2008) “ sistema de informação aceita dados de seu ambiente, processa dados e produz dados de saída para tomada de decisão.” Ainda Buckingam (1987) apud Lopes et al. (2009) define os SI como sendo “um sistema que recolhe, processa, armazena e distribui informação relevante para organização de modo que a informação seja acessível e útil para aqueles que dela necessitam incluindo gestores, funcionários, clientes. Um sistema de informação é um sistema de actividade humana que pode ou não envolver a utilização de computadores.”
  27. 27. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 26 Por outro lado Laudon e Laudon (2001) apud Lopes et al. (2009) definem SI como “ um conjunto de componentes inter-relacionadas que coleccionam (ou acedem), processam, armazenam e distribuem informação para suportar a tomada de decisão e controlo numa organização. Portanto poder-se-á dizer que “um Sistema de Informação é a expressão utilizada para descrever um sistema automatizado (que pode ser denominado como Sistema de Informação Computadorizado ou sistemas de informação baseado em computadores), ou mesmo manual, que abrange pessoas, máquinas, e/ou métodos organizados para recolher, processar, transmitir e disseminar dados que representam informação para o utilizador” de acordo com WIKIPÉDIA (2012 b) e poder-se-á dizer ainda que o SI:  É um conjunto de elementos interdependentes (subsistemas), logicamente associados, para que de sua interacção sejam geradas informações necessárias à tomada de decisões.  É o sistema da organização responsável pela recolha, tratamento, armazenamento e distribuição da relevante para a organização com o propósito de facilitar o planeamento, o controlo, a coordenação, a análise e a tomada de decisão ou acção em qualquer tipo de organização.  É uma combinação de procedimentos, informação, pessoas e tecnologias de informação (TI), organizados para o alcance de objectivos de uma organização. Com essas definições ficou bem claro o que os SI engloba as actividades organizacionais que lidam com informação e que se podem enumerar como: adquirir, armazenar, recuperar, manipular, transmitir e utilizar informação. 2.5 Componentes de um Sistemas de Informação Nem todos os sistemas de informação usam as tecnologias de informação e de comunicação (computadores e redes) e muitos processam a informação das actividades utilizando a tecnologia de lápis e do papel (tecnologia manual). Segundo Rascão (2004) os componentes que constituem um Sistema de Informação são os seguintes:  A Tecnologia do Processo – o computador;  A Tecnologia do Produto – o software que permite por a funcionar todos os componentes do computador (software de base), bem como transformar os dados em informações (software aplicacional);  O Produto – armazenado em Base de Dados (os dados e as informações);
  28. 28. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 27 2.6 Tipos de Sistemas de Informação Existem vários tipos de sistemas de informação conforme o tipo de tarefas a serem desempenhados ou de acordo com o tipo de informação que eles processam, Castro (2001) classifica quatro tipos de Sistemas de informação baseado em computadores:  Sistemas de Processamento de Dados (PD):- Pode armazenar, gerenciar e processar grande quantidade de informação para transações rotineiras de trabalho é o caso de sistema de conta de cliente de um banco.  Sistemas de Gestão de Informação (SGI):- Sistema que oferece relatórios periódicos para planejar, controlar e tomar decisão, por exemplo, gera no final do mês relatórios que mostram o número das novas contas, os volumes de transações, etc.  Sistema de Suporte à Decisão (SSD):- Sistema cujo objectivo é oferecer informações sob demanda aos responsáveis por tomar decisões, por exemplo, um sistema online que associa uma planilha a uma base de dados para auxiliar os executivos a extraírem um novo orçamento.  Sistemas Especialistas (SE):- Sistema que capturam a experiência, tanto na interpretação de informação quanto na solução de problemas, dos responsáveis por tomar decisões e ficam como assistentes para os utilizadores de um sistema de informação, é o caso de sistema que oferece concelhos a um gerente financeiro. 2.7 Vantagens de Sistemas de Informação De acordo com Rascão (2004) basicamente poder-se-á dizer que as vantagens dos sistemas de informação estão diferenciadas em três áreas distintas, a eficácia (melhor produtividade), a eficiência (a optimização dos recursos escassos) e as vantagens competitivas (tirar vantagens face aos concorrentes). Segundo WIKIPÉDIA (2012 c), em um sistema, várias partes trabalham juntas visando um objectivo em comum. Em um Sistema de Informação não é diferente, porém o objectivo é um fluxo mais confiável e menos burocrático das informações. O potencial uso da informação é grande; o não uso pode ser catastrófico, a sobrevivência das organizações vai depender do uso da informação. Em um Sistemas de Informação bem construído, suas principais vantagens são:  Acesso rápido às informações;
  29. 29. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 28  Garantia de integridade e veracidade da informação;  Garantia de estabilidade;  Garantia de segurança de acesso à informação;  Informações de boa qualidade são essenciais para uma boa tomada de decisão.  Vantagens competitivas Tabela 1.Vantagens competitivas dos SI (adaptado de Rascão (2004)) Descrição Vantagens Custo Reduzir os custos Produtos/Serviços Diferenciar os produtos e os serviços Mercado Detectar nichos de mercado Oferta de produtos e serviços Aumentar a oferta Inovação Criar novos produtos e processos Clientes Melhorar a qualidade dos produtos e serviços Concorrência Mudar as bases da concorrência 2.8 Objectivos dos Sistemas de Informação De acordo com Rosângela e Júnia (2005), SI tem como objectivo a transformação dos dados em informação que permitem tomar decisões eficientes e eficazes. E ainda Rascão (2004) afirma que um Sistema de informação é constituído por vários subsistemas que têm diferentes funções e são subsistemas diferentes, mas todos eles tentam alcançar os seguintes objectivos:  Recolher, seleccionar, tratar e analisar os dados capazes de serem transformados em informação que pode apoiar os gestores na tomada de decisão;
  30. 30. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 29  Proporcionar, regularmente a informação operacional requerida pelos gestores operacionais de forma a assegurar o funcionamento do dia-a-dia da organização;  Proporcionar de forma regular a informação aos gestores intermédios, de modo a coordenarem as actividades da sua área de responsabilidade, para atingir os objectivos e tomarem as decisões de corrigir os eventuais desvios;  Proporcionar de forma regular e/ou irregular a informação aos gestores de nível intermédio e de topo, de modo a permitir-lhes tomar as melhores decisões acerca do futuro da organização;  Acrescentar valor à organização. Isto significa que o sistema de informação da organização se relacionara com sistemas de informação externos, tais como, com os dos seus clientes e fornecedores, criando assim benefícios e proporcionando melhor informação. 2.9 Principais benefícios dos Sistemas de Informação De acordo com Rascão (2004), poder-se-á apresentar os seguintes como os principais benefícios de um sistema de informação:  Redução de custos;  Aumento da produtividade;  Redução do risco na tomada de decisão;  Melhoria da qualidade dos produtos e/ou serviços;  Aumento da eficiência e da eficácia;  Motivação dos recursos humanos Ainda Neto e Sperb (2012) afirmam que Sistemas de Informações têm papel fundamental nas organizações é através deles que o administrador consegue ter um acesso com facilidade as informações de todos aspectos de sua organização e com base nelas os executivos podem decidir o rumo da empresa. Os Sistemas de Informação proporcionam de acordo com Rascão (2004), “muitos e importantes benefícios para as organizações. De entre outros, um dos principais benefícios é a qualidade da informação para apoio na tomada de decisão, aos três níveis de gestão (operacional, intermédia e de topo). Os Sistemas de Informação armazenam e processam a informação em tempo oportuno, que é a base para uma boa tomada de decisão, de modo a
  31. 31. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 30 reduzir o risco do insucesso. Quando os gestores tomam a decisão, eles seleccionam uma das alternativas na tomada de decisão”. Outro benefício dos Sistemas de Informação é a melhoria da qualidade dos serviços prestados aos clientes, visto que são a razão de ser de qualquer organização, com fins lucrativos ou não. Isto significa que muitos clientes podem ser conquistados pela qualidade dos serviços. Ainda Rascão (2004) “outro benefício não menos importante nas organizações é o incremento da produtividade. O aumento da produtividade significa que as pessoas fazem mais trabalho no mesmo intervalo de tempo. O incremento da produtividade significa que os custos diminuem; isto significa que os preços podem baixar e que é possível aumentar o volume de vendas e a rentabilidade do negócio, visto que as pessoas apenas trabalham com a informação essencial para apoio à tomada de decisão ”. Portanto, em meu entender sistemas de informação proporcionam os benefícios tais como rapidez na obtenção dos dados, permite transferência da informação entre emissor e receptor, diminuem tempo do trabalho e aumenta produtividade. 2.10 Arquitectura dos Sistemas de Informação De acordo com Rascão (2004), “em termos de arquitectura da informação há que distinguir dois tipos de arquitectura, ou seja a arquitectura lógica da informação, enquanto sistema e a arquitectura física de suporte à informação, ou seja a infra-estrutura tecnológica o objectivo da arquitectura (lógica e física) é mostrar como os componentes informação, tecnologia, pessoas e organização se enquadram no todo.” A visão de qualquer arquitectura é justificada pela necessidade de representar o todo (a informação e ou a tecnologia de suporte) podendo assim através do desenvolvimento da arquitectura global representar o todo, as partes e os seus inter-relacionamentos. As figuras abaixo mostram as duas arquitecturas.
  32. 32. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 31 Figura 1. Arquitectura Lógica do Sistema de Informação (adaptado de Rascão (2004)) Figura 2. Arquitectura Física do Sistema de Informação (adaptado de Rascão (2004))
  33. 33. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 32 3. Processo de desenvolvimento de SI Apresenta-se, neste capítulo alguns modelos de processo de desenvolvimento de sistemas de informação a escolha do autor, e tem como objectivo analisar e escolher o modelo que julga ser ideal para o desenvolvimento de sistema de informação em questão. Um sistema bem-sucedido é aquela que satisfaz ou supera as expectativas do cliente, isto quer dizer que devemos verificar que caminho que passos devem percorrer a fim de ter um produto de alta qualidade, o produto com maior possibilidade daquilo que o cliente queria. Como nos diz Miguel (2010), processo de desenvolvimento de SI é um conjunto ordenado de actividades que, após concluídas, resulta num produto de software que é entregue a um cliente. Conforme os objectivos deste trabalho, escolheu-se como modelos para análise os seguintes: modelo em cascata, modelo espiral e modelo de prototipagem. Estes modelos serão abordados de forma superficial e resumida. 3.1 Modelo em cascata O modelo em cascata foi a primeira abordagem ao desenvolvimento de software, apresentada em agosto de 1970 por Winston Royce. Royce (1970) apud Miguel (2010) Na figura 3 mostra as fases do modelo em cascata, propõe uma abordagem sistemática, linear e sequencial ao desenvolvimento de software. Cada rectângulo representa uma fase, e setas mostram a possibilidade de existência de iteração entre as fases, por exemplo relativamente à identificação de requisitos, as setas mostram que não é um passo que uma vez terminado não se repete, mas que, se houver algo numa fase posterior que afecte os requisitos, poder-se-á voltar à fase de identificação de requisitos. Segundo este modelo, o desenvolvimento de software é constituído por um conjunto de actividades executadas de forma sequencial e sistemática, que se iniciam ao estudo de viabilidade e prosseguem com as fases de identificação de requisitos, análise sistema detalhada, desenho, codificação, implantação e teste, e manutenção.
  34. 34. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 33 Figura 3. Modelo de processo emcascata (adaptado de Lopes et al. (2009)) A figura 3 mostra o modelo em cascata. Cada fase tem objectivos bem definidos, nomeadamente:  O estudo de viabilidade que consiste em analisar o problema existente e, de uma forma breve, apontar soluções alternativas, resultando uma proposta descrita em termos técnicos, operacionais e económicos que poderá ou não ser aceite.  A identificação de requisitos que consiste em fazer uma recolha exaustiva de informação sobre o sistema a desenvolver: requisitos funcionais e não funcionais, restrições a que é preciso obedecer, volume e tipo de informação processada.  A análise detalhada que consiste em desenvolver uma especificação dos requisitos levantados na fase anterior, construindo modelos consistentes.  O desenho que, tendo como base a fase anterior, desenvolve a arquitectura do sistema, especificando as suas componentes, o modelo físico de dados e seus algoritmos.
  35. 35. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 34  A codificação que visa traduzir as especificações obtidas na fase de desenho para uma linguagem de programação. Criar documentação, tal como manuais do utilizador e de instalação.  A implantação e testes que consiste em executar testes ao sistema resultante, em definir a forma de conversão na organização do sistema antigo para o novo e fazer a formação dos utilizadores.  E finalmente a manutenção que consiste em fazer as alterações necessárias durante a vida do sistema, quer sejam correcções a erros existentes quer a alterações resultantes de novos requisitos. O modelo em cascata foi criticado por várias razões. Primeiro o tempo associado com a progressão das actividades, em particular o tempo entre a especificação de requisitos e a entrega do sistema que é tão grande que, por vezes, na altura da entrega do sistema, os requisitos já mudaram. Segundo a ausência de envolvimento do utilizador no processo de desenvolvimento. Devido a essa ausência muitas vezes difícil ao cliente/utilizador expressar, de forma explícita, todos os seus requitos.
  36. 36. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 35 3.2 Modelo de Prototipagem De acordo com Miguel (2010), utiliza-se essencialmente em situações de incerteza ou risco em relação ao produto final. No entanto, muitas vezes o cliente define um conjunto de requisitos que ele quer ver no sistema, mas não identifica detalhadamente os dados necessários para implementar tais requisitos. Nestas situações o modelo de prototipagem permite disponibilizar uma proposta de desenvolvimento que apresenta resultados sem ter necessidade de possuir toda informação, uma vez que o analista constrói o protótipo e apresenta-o ao cliente de forma a saber se é ou não aquilo que o cliente pretende. “Protótipo é uma versão inicial do sistema, construído com o objectivo de ser explorado, experimentado ou avaliado. Uma primeira versão do sistema é construída sendo melhorada através de sucessivas iterações até que reflicta correctamente o sistema requerido. Estas sucessivas iterações consistem em verificações por parte dos utilizadores do sistema, sugerindo alterações a introduzir, se necessários”. Lopes et al. (2009) Na figura 4 mostra o modelo de prototipagem. 3.2.1 Tipo de protótipo Segundo Lopes et al. (2009) eles diferenciaram dois tipos de protótipos: o protótipos “deita-fora” ou (Interacção Homem-Máquina) que muitas vezes não incluem a funcionalidade (código) e ignoram os requisitos não funcionais, é construído com o objectivo de ajudar a levantar e validar requisitos, uma vez que não são usados depois do sistema ser desenvolvido, enquanto que o protótipo evolucionários incluem funcionalidade limitadas, são disponibilizados ao utilizador e vai-se actualizando o sistema até chegar à versão final.
  37. 37. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 36 Figura 4. Modelo de Prototipagem(adaptado de Miguel (2010)) 3.2.2 Como funciona este modelo Segundo Nascimento (2002), o modelo de prototipagem começa com a definição de requisitos. O analista de sistema e o cliente se reúnem e definem objectivos gerais do sistema, identificam as necessidades e delineiam áreas que necessitam de mais definições. Uma vez que esteja recolhida a primeira informação dos requisitos, um projecto rápido é realizado. E é entregue ao cliente uma versão inicial do projecto, este poderia ser um layout. Este projecto concentra-se na representação daqueles aspectos de sistema que vão ficar visíveis ao cliente/utilizador (Ex: abordagens de entrada e formatos de saída). O protótipo é apresentado ao cliente para que este faça uma revisão. Os comentários e as sugestões são atendidas pelo analista. Após a avaliação, o analista incorpora no protótipo as sugestões e os comentários provenientes da revisão do cliente, e é então que o protótipo é refinado.
  38. 38. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 37 As interacções ocorrem a medida que o protótipo é ajustado para que as necessidades do cliente sejam satisfeitas e ao mesmo tempo permite o analista entender o que precisa ser feito. Ao final do protótipo ter-se-á o sistema todo delineado e já especificado o que deve ser feito. A partir daí, o protótipo deverá ser utilizado apenas como um documento base para o que deve ser desenvolvido. O desenvolvimento de um software com qualidade começa a partir deste ponto. 3.2.3 Vantagens Segundo Lopes et al. (2009) “prototipagem permite aumentar a participação e interesse dos utilizadores no processo de desenvolvimento e construir sistemas em que os requisitos, a priori, estão mal definidos, ajudando na definição e clarificação dos mesmos”. 3.2.4 Desvantagens O cliente vê o que parece ser uma versão executável do software, ignorando que o protótipo apenas consegue funcionar precariamente, sem saber que na pressa de fazê-lo rodar, ninguém considerou a sua qualidade global ou a manutenção a longo prazo. O protótipo não deve ser reutilizado, pois foi feito apenas para que os requisitos do sistema fossem compreendidos.
  39. 39. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 38 3.3 Modelo Espiral Foi originalmente proposto por Boehm em 1988. Uma maneira simples de analisar este modelo é considerá-lo como um modelo cascata onde cada fase é precedida por uma análise de risco e sua execução é feita evolucionariamente (ou incrementalmente). Como nos diz Lopes et al. (2009) “Este foi desenvolvido para incluir os melhores aspectos do ciclo convencional (cascata) e da prototipagem, acrescentando uma nova fase, a análise de risco, inexistente em qualquer um dos modelos anteriormente referidos”. Figura 5. Modelo Espiral (adaptado de Lopes et al. (2009)) A figura 5 mostra o modelo espiral. Um ciclo se inicia com a “Determinação de objetivos, alternativas e restrições” (primeira tarefa) onde ocorre o comprometimento dos envolvidos e o estabelecimento de uma estratégia para alcançar os objetivos. Na segunda tarefa “avaliação de alternativas, identificação e solução de riscos”, executa-se uma análise de risco. Prototipação é uma boa ferramenta para tratar riscos. Se o risco for considerado inaceitável, pode parar o projeto. Na terceira tarefa ocorre o desenvolvimento do produto.
  40. 40. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 39 Neste quadrante pode-se considerar o modelo cascata. Na quarta tarefa o produto é avaliado e se prepara para iniciar um novo ciclo. Cada ciclo representa uma sequência repetida de passos e começa com a identificação de objectivos e restrições. Tendo como base esta informação, o passo seguinte avalia as alternativas, determinando riscos para a fase que se segue. Cada ciclo do modelo espiral termina com uma revisão que engloba as pessoas da organização que requereram o sistema de informação a desenvolver; esta revisão engloba todos os produtos desenvolvidos durante as fases anteriores, bem como o plano para o ciclo seguinte. Uma das vantagens deste modelo é a consideração dos riscos em todas as etapas do processo, o que poderá permitir reduzir os riscos antes que eles se tornem problemáticos. Este modelo não está muito difundido e é muito menos usado, comparativamente com ciclo de vida tradicional e a prototipagem. Portanto a análise que efectuei sobre estes três modelos leva-me a dizer que o ideal para o desenvolvimento do sistema em questão é o modelo de prototipagem, uma vez que permite levantar e avaliar os requisitos funcionais que estão confusos.
  41. 41. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 40 4. Planeamento do projecto Este capítulo apresenta de uma forma sucinta o planeamento do projecto do sistema desenvolvido, nomeadamente o âmbito do projecto e as actividades que serão realizadas para que os objectivos possam ser atingidos com pleno sucesso. Segundo o PMBOK (Project Management Body of Knowledge), um projecto pode ser definido como um empreendimento temporário, realizado com o objectivo de criar um produto ou serviço único. Temporário porque possui um tempo de realização limitado, atingindo o projecto o seu final quando os seus objectivos foram alcançados. É nesse sentido que fizemos o cronograma para a realização do projecto.  Título do projecto: - Sistema de Gestão de Alojamento para Residência estudantil.  Cliente do projecto: - Residência Estudantil de Santa Catarina (RESC), localizada na cidade de Assomada-Achada Riba. 4.1 Meta do projecto e âmbito Nesta secção apresenta a meta e âmbito para desenvolver o sistema (SGAPRE). Entende-se por meta do projecto como critérios de sucesso mensuráveis e âmbito do projecto como uma clara definição dos requisitos, para poder desenvolver o produto. 4.1.1 Objectivo do projecto Desenvolver e implantar sistema de gestão de alojamento para Residência estudantil. Prazo prevista para este projecto é de 10 meses, inicia-se em Setembro de 2011 e terminará em Junho de 2012, quando o sistema deve ser entregue com todos os módulos planejadas devidamente testados e em pleno funcionamento.
  42. 42. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 41 4.1.2 Descrição do âmbito do projecto A proposta do projecto consiste na documentação, desenvolvimento e implantação de um sistema de informação que apoie a administração dos quatro residências estudantil da escola técnica, entre os quais do Porto novo Santo Antão, São Vicente, Praia, e Santa Catarina. Serão disponibilizadas rotinas simples mais voltadas à gestão, constituído com diferentes módulos (pacotes) que seguem descrito abaixo:  Gestão de estadia: através deste módulo permite alojar e desalojar estudantes no quarto, listar as vagas existente no quarto. Entre estes pontos estão também a exclusão e alteração.  Gestão estudante: através deste módulo permite registrar e listar os estudantes e ainda listar os encarregados de educação.  Gestão de pagamento: este módulo visa registar o pagamento mensal da estadia, emitindo os recibos e também calcula de forma automática as multas de 10 % para os alunos que efectuarem pagamento fora do prazo estabelecido, permite fazer a listagem dos estudantes com dívidas de um determinado mês e calcula os pagamentos pendentes a partir da data do primeiro pagamento pendentes (data vencimento).  Gestão de Estatísticas: este módulo permite que director, funcionário da secretária, e monitores saber: número de vagas existentes; quantidade de estudante por concelhos, por sexo, por área, novo estudante e a relação de estudante por quarto.  Módulo de Administração do Sistema: permite realizar registro com todas informações existente da escola, da área do estudo, dos monitores, de utilizadores de sistema, dos concelhos, das ilhas, quarto, piso. Entre estes pontos estão também a exclusão e alteração.  Módulo Gestão tarefa: este módulo permite que o funcionário monitor inserir as tarefas a serem executados pelo estudante, e também permite distribuir estas tarefas para os estudantes.
  43. 43. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 42 4.2 Restrinções e pressupostos do projecto Somente serão utilizados softwares livres para o desenvolvimento da aplicação. O servidor não é uma máquina de grande porte e não é dedicado. Envolvimento com outras actividades deixando apenas 2 horas por dia para trabalhar no projecto. 4.3 Ferramentas a serem utilizadas Para realizar este projecto serão utilizadas as seguintes ferramentas, nomeadamente software e hardware:  Webserver apache 2.2.17  SGBD MySQL 5.5.8  Adobe Dreamweaver CS 3 para editar código em linguagem de programação PHP  Microsoft office visio 2007  Microsoft Project 2007  Microsoft office word 2007  Visual paradigm for UML 6.4  Computador portátil 2GB de memória RAM e 160 GB de Hard disk
  44. 44. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 43 4.4 Work Breakdown Structure (WBS) Na perspectiva de Miguel (2010), work Breakdown Structure, ou estrutura de decomposição do trabalho é uma descrição hierárquica do trabalho que tem de ser realizado para concluir o projecto. Por outras palavras são as tarefas necessárias para produzir o produto especificado. Figura 6. Work Breakdown Structure (WBS) A figura 6 mostra a estrutura de decomposição do trabalho para a realização deste projecto.
  45. 45. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 44 4.5 Precedência de actividade A tabela 2 visualiza as precedências de actividades. Como se pode observar por esta tabela, indica as decisões sobre o sequenciamento das actividades, por exemplo faz-se o protótipo de interface depois de ter sido levantado alguns requisitos. Tabela 2. Precedência de actividades Actividade Depende de 1 Definir objectivos e escopo - 2 Definir requisito 1 3 Diagramas (WBS, precedência de actividade, Estimativa de duração; Gráfico de Gantt) 1 e 2 4 Documentar requisitos 2 5 Protótipo Interface 2 e 4 6 Especificação e validação de caso de uso com interface 4 e 5 7 Diagrama de caso de uso 2, 4 e 6 8 Diagrama de sequência 7 9 Diagrama de classe 8 10 Diagrama da actividade 2 11 Diagrama entidade relacionamento (DER) 8 e 9 12 Modelo físico de base de dados 11 13 Desenho de Interface 7 14 Desenho da Arquitectura do sistema 8 e 9 15 Codificação 14 16 Instalação 15 17 Plano de teste 16 18 Realizar teste de sistema 17 19 Realizar teste de aceitação 17 20 Manutenção adaptativa 15 a 19 21 Manutenção correctiva 15 a 19 22 Apresentação 1 a 21
  46. 46. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 45 4.6 Estimativa de duração A tabela 3 visualiza o tempo estimado para realização de cada actividades. Tabela 3. Estimativa de duração de actividade Número Actividade Tempo Optimista Tempo Médio Tempo3 Pessimista Tempo Estimado 1 Definir objectivos e escopo 4 dias 6 dias 7 dias 6 dias 2 Definir requisito 24 dias 27 dias 30 dias 27 dias 3 Diagramas (WBS, precedência de actividade, Estimativa de duração; Gantt) 5 dias 6 dias 6 dias 6 dias 4 Documentar requisitos 22 dias 23 dias 24 dias 23 dias 5 Protótipo Interface 15 dias 17 dias 23 dias 17 dias 6 Especificação e validação de caso de uso com interface 13 dias 14 dias 14 dias 14 dias 7 Diagrama de caso de uso 3 dias 4 dias 6 dias 4 dias 8 Diagrama de sequência 15 dias 16 dias 17 dias 16 dias 9 Diagrama de classe 5 dias 6 dias 7 dias 6 dias 10 Diagrama da actividade 3 dias 4 dias 5 dias 4 dias 11 Diagrama entidade relacionamento (DER) 2 dias 3 dias 4 dias 3 dias 12 Modelo físico de base de dados 6 dias 7 dias 8 dias 7 dias 13 Desenho de Interface 6 dias 8 dias 10 dias 8 dias 14 Desenho da Arquitectura do sistema 3 dias 4 dias 5 dias 4 dias 15 Codificação 45 dias 50 dias 60 dias 50 dias 16 Instalação 1 dias 2 dias 2 dias 2 dias 17 Plano de teste 2 dias 3 dias 3 dias 2 dias 18 Realizar teste de sistema 10 dias 15 dias 15 dias 10 dias 19 Realizar teste de aceitação 12 dias 14 dias 15 dias 14 dias 20 Manutenção adaptativa 5 dias 6 dias 7 dias 5 dias 21 Manutenção correctiva 13 dias 13 dias 13 dias 13 dias 3 Ver a definição no glossário
  47. 47. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 46 4.7 Cronograma Nesta secção apresenta-se as actividades do projecto, extraídas a partir da construção do WBS, bem como a duração das actividades, que segundo Miguel (2010), há duas formas de apresentar o cronograma do projecto: Gráfico de Gantt e Diagrama de rede.  Gráfico de Gantt é eficaz para projectos simples e de curta duração. Para construir um gráfico de Gantt o gestor de projecto começa por associar uma barra rectangular a cada actividade.  Diagrama de rede é uma representação figurativa da sequência em que podem ser executadas as variadas actividades que compõem o projecto. Na figura 7 mostra o cronograma (Gráfico de Gantt) do projecto desenvolvido.
  48. 48. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 47 Figura 7. Cronograma (Gráfico de Gantt)
  49. 49. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 48 5. Análise de Sistema Em qualquer desenvolvimento de sistema, análise de sistema é uma actividade importante porque tem como objectivo determinar, especificar e documentar os requisitos4 do sistema em desenvolvimento, que um utilizador necessita para resolver um problema: Por Análise de Sistemas (AS) entende-se a actividade inicial do processo de desenvolvimento de sistemas em que se determina e especifica o que um sistema deve fazer bem como as circunstâncias sob as quais deve operar, envolvendo geralmente um esforço colaborativo entre analistas de sistemas e utilizadores, no qual os primeiros procuram obter a partir dos segundos, num processo gradual e cumulativo, o maior conhecimento possível acerca do domínio do discurso do sistema e respectivo ambiente. Rocha (2008) Ainda segundo Rocha (2008), “AS é uma actividade crítica no processo de desenvolvimento de sistema, por ser uma etapa inicial e cujas falhas terão efeito no produto final”. Por outras palavras levantamento e especificações de requisito incompletas, pouco claras ou incorrectas provocam dificuldades significativas durante as etapas de desenvolvimento seguintes, levando à produção de sistemas com pouca qualidade - por não cumprirem as necessidades reais dos utilizadores - e fora da calendarização e orçamento previstos. Neste capítulo são apresentadas: a descrição da situação actual do sistema em questão; algumas fases do processo de desenvolvimento de sistema de informação (DSI), nomeadamente levantamento de requisitos, análise de requisitos e desenho, usado no processo de DSI modelo de prototipagem e também as ferramentas que utilizou-se para documentar os modelos de sistema desenvolvido. Seleccionou-se as ferramentas presentes na linguagem de modelação de dados (UML- Unified Modeling Language), nomeadamente o diagrama de caso de uso para especificações de requisitos funcionais, e diagrama de classes, diagrama de sequência, diagrama de actividades, diagrama de pacotes para desenho do sistema desenvolvido. 4 Requisito é uma condição que um utilizador necessita para resolver um problema. Lopes (2009)
  50. 50. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 49 5.1 Residência Estudantil Residência estudantil (internato) – são moradias como qualquer outra, mas que se destina exclusivamente ao alojamento de estudantes que frequentam o ensino técnico, pela qual moram longe da escola técnica. No entanto, parte considerável de estudante da Escola Técnica Grão Duque Henri depende de residência estudantil de Santa Catarina destinada ao alojamento de estudantes de ambos os sexos dos diversos concelhos da ilha de Santiago, e das outras ilhas, que não tem familiar na cidade de Assomada. Actualmente, ela aloja estudantes de universidade Santiago e de Liceu Amílcar Cabral. Ela tem capacidade de alojar 120 estudantes, possui 15 quartos para sexo masculino, e também 15 quartos para sexo feminino. 5.2 Descrição da situação actual A Residência Estudantil de Santa Catarina destina-se a alojamento de estudante de outros concelhos ou ilhas que se desloquem a cidade de Assomada, a fim de estudarem na Escola Técnica ou Liceu Amilcar Cabral durante o período do ano escolar. Como sabemos uso de tecnologias de informação numa organização é hoje universalmente aceite, constituindo senão o mais importante, pelo facto de ser um dos recursos que mais influência o sucesso da organização. Actualmente a Residência Estudantil não tem uma aplicação que gere a suas informações de forma automática, o que dificulta o gerenciamento do mesmo, uma vez que todas as informações dos estudantes e encarregado de educação são armazenadas no papel, e o controle de pagamento e dívidas de estadia é armazenada na folha de cálculo de Excel, e utiliza talão de o recibo. Todavia, os estudantes que em cada ano lectivo, pretendam alojamento na residência de estudantes, poderão proceder á sua inscrições mediante preenchimento do respectivo boletim e a entrega dos seguintes documentos: fotocópia de Bilhete de Identidade, dois fotos, atestado médico e declaração de comportamento, para ficar no arquivo da residência numa pasta de residentes. Na sequência da inscrição é criado o respectivo ficha do estudante. No caso de não ingressar na residência no início do ano lectivo para confirmar a inscrição perde o direito da vaga, caso seja preenchido por outro estudante.
  51. 51. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 50 Os estudantes residentes devem fazer o pagamento da estadia mensalmente dentro do prazo estabelecido. Caso não paguem no prazo estabelecido é lhe aplicado uma multa de 10%, caso haja persistência de atraso no pagamento o estudante é expulso da residência. Apenas o funcionário da secretaria tem a possibilidade de fazer a cobrança, e consultar os residentes com dívidas. Os funcionários monitores registam os dados de estudantes tais como: nome, data de nascimento, concelho, sexo, nome de estabelecimento de ensino, área ou curso que estuda, nome de encarregado de educação, contacto, etc. E alojam os estudantes por nível de escolaridade no quarto, e ainda distribuem tarefas para os estudantes. Desta forma o processamento manual da informação, tem surgido alguns problemas ao nível de gestão, nomeadamente o controle de pagamento e dívidas de estadia, demora em saber o contacto do encarregado de educação na situação de urgência, com efeito a principal problema é a demora em obter informação para a tomada de decisões. Por tudo isto, urge a necessidade de adoptar uma estratégia para uma gestão adequada de informação dos estudantes.
  52. 52. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 51 5.3 Levantamento (Elicitação5) e identificação de requisitos Esta é a primeira fase do processo de DSI, nomeadamente modelo de prototipagem. Ao desenvolver Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudatil (SGAPRE) identificou-se requisitos junto do clientes/utilizadores da residência estudantil de Santa Catarina, quais são as necessidades e objectivos do sistema. Na perspectiva de Lopes et al. (2009), “ qualquer processo de análise de sistema começa com o levantamento de requisitos, ou melhor, tentar perceber quais as necessidades e restrições do sistema a desenvolver”. O autor constata que o levantamento e identificação de requisito é uma base fundamental para o desenvolvimento de qualquer sistema que satisfaz a necessidade de utilizador, quer isto dizer que com o levantamento do requisito identificamos as classes6 que estarão envolvidas no desenvolvimento de sistema e reconhecemos os principais actores e casos de uso nos quais cada um deles participa. De acordo com Lopes et al. (2009), análise de documentação, entrevistas, observação directa e protótipo são as técnicas mais comum para o levantamento e identificação de requisitos. Portanto, para elicitação de requisitos utilizou-se observação directa, protótipo e a entrevistas com os utilizadores, porém, num processo de identificação de requisitos geralmente determinam-se dois grandes tipos de requisito: funcionais e não funcionais. 5.3.1 Requisitos Funcionais “Descrevem o que um sistema faz ou é esperado que faça. Estes são os requisitos que inicialmente serão levantados, abrangendo a descrição de processamentos a efectuar pelo sistema, entradas e saídas de informação em papel ou ecrã que derivam da interacção com pessoas e outro sistema”. Nunes e O’Neill (2003). Por outras palavras requisitos funcionais são as funcionalidades do sistema, o que o sistema deve fazer. A seguir estão os requisitos funcionais do sistema desenvolvido (SGAPRE):  O sistema deve permitir o registo de todos os estudantes inscrito que foram seleccionados.  O sistema deve permitir o registo de pagamento de mensalidade de estadia que os estudantes efectuaram ao balcão da secretaria. Caso é feito fora do prazo estabelecido deve calcular uma multa de 10%. 5 Elicitação é obter e tornar explícito o máximo de informações possíveis para o conhecimento de umobjeto em questão. Rocha (2008) 6 Classe é a representação de um conjunto de objectos que partilham os mesmos atributos e comportamentos. Lopes (2009)
  53. 53. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 52  O sistema deve fornecer um relatório com o nome de todos estudantes residente.  O sistema deve fornecer recursos para criação e impressão de ficha de estudante residente a partir das informações que o sistema possui sobre os estudantes. Uma vez gerada a ficha, o utilizador pode optar por relatório impresso no papel ou somente visualizar no ecrã.  O sistema deve permitir consulta das dívidas de um determinado estudantes. A consulta é realizada a partir do nome do estudante, assim o sistema apresenta para o utilizador todos os pagamentos pendentes (datas de vencimentos) a ser pago.  O sistema deve permitir consulta de todos os estudantes que não efectuaram pagamento de mensalidade de um determinado mês (data vencimento). A consulta é realizada a partir da informação meses pendentes (data vencimento), assim sendo o sistema apresenta todos os estudantes com dívida daquele mês (data vencimento).  O sistema deve permitir alojamento dos estudantes no quarto. O quarto deve conter estudantes do mesmo nível de escolaridade e no máximo quatro estudantes.  O sistema deve permitir desalojamento dos estudantes. O desalojamento acontece por motivo de: conclusão de 12º ano; expulsão da residência; morte do estudante; não pagamento de mensalidade; abandono da residência sem justificação prévia num período superior a 30 dias.  O sistema deve permitir a listagem das vagas no quarto.  O sistema deve fornecer as seguintes estatísticas: quantidade de estudantes por sexo; quantidade de estudante por concelho; quantidade de novos estudantes e a relação de estudante por quarto.  O sistema deve permitir a inserção, alteração, exclusão de utilizador, quarto, escola, área, concelho.  O sistema deve permitir a distribuição das tarefas para estudantes, bem como listar estas tarefas distribuídas.
  54. 54. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 53 5.3.2 Requisitos não funcionais Requisitos não funcionais são as características que o sistema deve possuir e que estão relacionadas as suas funcionalidades. Como nos diz Nunes e O'Neill (2003) “Relacionados com as características qualitativas do sistema, descrevendo a qualidade com que o sistema deverá fornecer os requisitos funcionais. Abrange medidas de desempenho como, por exemplo, tempos de resposta, volume de dados, segurança”, A tabela 4 visualiza os requisitos não funcionais do sistema desenvolvido. Como se pode observar por esta tabela as características do sistema, é o caso de desempenho e segurança. Tabela 4. Requisitos não funcionais Requisitos não Funcionais Operacionais: o ambiente físico e tecnológico no qual o sistema deve operar. O sistema deve funcionar em qualquer browser (Internet Explorer, FireFox, Google Chrone). O sistema deverá rodar com base no servidor Web onde é hospedado o site. Usar SGBD MySQL. Desempenho: velocidade, capacidade, fiabilidade. Cada página não deverá demorar a descarregar completamente mais do que 4 segundos. O sistema deve estar disponível para uso 24h por dia, 365 dias por ano. Segurança: Quem está autorizado a aceder ao sistema e sob que circunstâncias. Somente o administrador do sistema pode registar, utilizador, quartos, áreas, concelhos, escolas e aceder os registos individuais do utilizador. Os funcionários (monitor) somente poderão registar novos estudantes, aceder a lista de estudantes, alojar e desalojar estudantes. Somente funcionário da secretaria pode aceder a lista das dívidas de estudantes e efectuar pagamento.
  55. 55. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 54 5.4 Análise de requisitos “A análise de requisitos possibilita que o analista de sistema especifique as funcionalidades, classificando e detalhando os requisitos encontrados na fase de elicitação. Os requisitos funcionais serão descritos em detalhes. E os requisitos não funcionais serão classificados”. Santos (2007) 5.4.1 Requisitos funcionais detalhados Segundo Santos (2007), “os requisitos funcionais devem ser detalhadas, e afirma que devemos usar um formato padrão para esta actividade”. As tabelas abaixo é o formato padrão que utilizou-se para detalhar os requisitos funcionais do sistema desenvolvido. Tabela 5. Requisito funcional (registar estudante) Actor: Edumildo Revisão:12-06-2012 Data Actualização: Nome Código Descrição Registar estudantes RF01 Esta funcionalidade deverá permitir funcionário (monitor) registar todos os novos estudantes inscritos que foram seleccionados. As acções que estarão disponíveis são: adicionar, editar, consultar estudantes, ver fichas. Tabela 6. Requisito funcional (efectuar pagamento) Actor: Edumildo Revisão: 12-06-2012 Data Actualização: Nome RN02 Descrição Código Efectuar pagamento RF02 Esta funcionalidade deverá permitir funcionário da secretaria registar todos pagamentos de mensalidade da estadia que estudantes efectuaram ao balcão da secretaria. Tabela 7. Regra de negócio (efectuar pagamento) Id Nome da Regra Descrição da Regra de Negócio RN01 Data de pagamento de mensalidade O pagamento deverá ser paga até dia 10 do mês subsequente. RN02 Efectuar pagamento Pagamentos realizados após a data estabelecida serão acrescidos a multa de 10%.
  56. 56. Relatório do Projecto de Fim de Curso Sistema de Gestão de Alojamento para Residência Estudantil Página 55 Tabela 8. Requisito funcional (consultar dívidas) Actor: Edumildo Revisão: 12-06-2012 Data Actualização: Nome Código Descrição Consultar dívidas estudante RF03 Esta funcionalidade deverá permitir o funcionário da secretaria, consultar as mensalidades em dívidas que o determinado estudante tem para pagar. Actor: Edumildo Revisão: 12-06-2012 Data Actualização: Nome Código Descrição Consultar dívidas por data vencimento (meses). RF04 Esta funcionalidade deverá permitir o funcionário da secretária, consultar quais são os estudantes que ainda não pagaram o mês x. Tabela 9. Requisito funcional (efectuar alojamento) Actor: Edumildo Revisão: 12-06-2012 Data Actualização: Nome Código Descrição Efectuar alojamento RF05 Esta funcionalidade deverá permitir o funcionário (monitor) alojar o novo estudante no quarto se houver vagas. Tabela 10. Requisito funcional (efectuar desalojamento) Actor: Edumildo Revisão: 12-06-2012 Data Actualização: Nome Código Descrição Efectuar desalojamento RF06 Esta funcionalidade deverá permitir o funcionário (monitor) cancelar o alojamento dos estudantes que concluíram o 12º ano ou por outros motivos. Tabela 11. Requisito funcional (listar vagas no quarto) Actor: Edumildo Revisão: 12-06-2012 Data Actualização: Nome Código Descrição Listar vagas no Quarto RF07 Esta funcionalidade deverá permitir o funcionário (monitor) listar todas as vagas existente nos quartos. Tabela 12. Requisito funcional (pesquisar estudante residente) Actor: Edumildo Revisão: 12-06-2012 Data Actualização: Nome Código Descrição Pesquisar estudante residente RF08 Esta funcionalidade deverá permitir o funcionário pesquisar estudantes residentes, através do parâmetro nome de estudante.

×