Sistemas

1.036 visualizações

Publicada em

Aula do curso de Pós-Graduação em Ergodesign de Interfaces: Usabilidade e Arquitetura de Informação da PUC-Rio. Mais informações em http://www.eduardobrandao.com/aulas/aulas-de-ergonomia-e-usabilidade/sistemas/

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.036
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
87
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistemas

  1. 1. sistemasEduardo Rangel Brandão, M.Sc.A reprodução, total ou parcial, dos textos e imagens deste documento só é permitida para fins não comerciais,sendo obrigatória a citação da fonte.
  2. 2. O conteúdo desta aula foi ministrado no Curso de Pós-Graduação em Ergodesign de Interfaces: Usabilidade e Arquitetura de Informação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
  3. 3. definição de sistemaA importância do conceito de sistemareside no fato de que, sem esse conceito,a noção de desempenho da tarefa emrelação a uma meta de nível mais altoperde o significado.
  4. 4. definição de sistemaO foco principal da ergonomia é odesenvolvimento de sistemas.O projeto de qualquer tipo de máquina,equipamento ou produto não é umaatividade isolada, mas destina-se adesenvolver certas funções e habilidadesque complementem aquelas do serhumano.
  5. 5. definição de sistemaUm sistema significa um conjunto departes que interatuam (a modificação emuma ou mais partes resulta na alteraçãode, pelo menos, outra parte do todo) apartir de elementos dados (inputs), parafornecer certos resultados (a interaçãoentre as partes visa a um determinadofim), considerando as limitações impostaspor um dado ambiente.
  6. 6. * Fonte: livro “Ergonomia: projeto e produção”, de Itiro Iida“ Sistema é um conjuntointeragem entre (ou sub-sistemas) que de elementos si, com um objetivo comum e que evoluem no tempo. ”
  7. 7. * Fonte: livro “Human factors in system engineering”, de Alphonse Chapanis definição de sistema A ação do operador sobre os controles muda o comportamento da máquina e a informação apresentada nos mostradores, completando o ciclo.
  8. 8. * Fonte: livro “Human factors in system engineering”, de Alphonse Chapanis definição de sistema O operador lê a informação, processa a mesma e toma decisões sobre as ações a fazer. A combinação homem-máquina não trabalha em um vácuo, mas em um ambiente específico.
  9. 9. definição de sistema•  Os sistemas existem para atender uma•  determinada necessidade humana.•  Os sistemas são planejados e•  construídos pelo ser humano.•  São os homens que manejam os•  sistemas, alimentando-os,•  supervisionando-os e cuidando de sua•  manutenção.
  10. 10. definição de sistemaUm sistema é composto pelos seguinteselementos:•  Fronteira: são os limites do sistema,•  que podem ser físicos ou imaginários.•  Sub-sistemas: são os elementos que•  compõem o sistema.
  11. 11. definição de sistemaUm sistema é composto pelos seguinteselementos (continuação):•  Processamento: são as atividades•  desenvolvidas pelos sub-sistemas, que•  interagem entre si para converter as•  entradas em saídas.
  12. 12. definição de sistemaUm sistema é composto pelos seguinteselementos (continuação):•  Entradas (inputs): representam os•  insumos, ou variáveis independentes*,•  do sistema.•  Saídas (outputs): representam os•  produtos, ou variáveis dependentes**,•  do sistema.
  13. 13. definição de sistema* Variáveis independentes do sistema:são aquelas que variam deliberadamente,para se descobrir o que acontece aomodificá-las.
  14. 14. definição de sistema** Variáveis dependentes do sistema: sãoos fatores que aparecem, desaparecemou variam à medida que modificam-se asvariáveis independentes.Logo, as variáveis dependentes sãoaquelas que deseja-se medir, ou seja,são os critérios da análise.
  15. 15. variáveis independentes x variáveis dependentes“ A classe social da mãe influencia no Variável independente: Classe social. tempo de Variável dependente: amamentação dos Tempo de amamentação. ” filhos.
  16. 16. variáveis independentes x variáveis dependentes“ O reforço do professor tem Variável independente: Reforço do professor. como efeito Variável dependente: melhoria na leitura Melhoria na leitura do aluno. do aluno. ”
  17. 17. variáveis independentes x variáveis dependentes“ Católicos tendem a ser menos Variável independente: Religião. favoráveis ao Variável dependente: divórcio que os Concordar com o divórcio. protestantes. ”
  18. 18. variáveis independentes x variáveis dependentes“ O capitalismo só se desenvolve Variável independente: Existência de trabalhadores livres. quando existem Variável dependente: trabalhadores Desenvolvimento do ” capitalismo. livres.
  19. 19. variáveis independentes x variáveis dependentes“ Observa-se a existência de Variável independente: Urbanização. relação entre Variável dependente: urbanização e Secularização. secularização. ”
  20. 20. variáveis independentes x variáveis dependentes“ O aproveitamento dos alunos está Variável independente: Tempo dedicado ao estudo. relacionado ao Variável dependente: tempo dedicado ao Aproveitamento dos alunos. estudo. ”
  21. 21. variáveis independentes x variáveis dependentes“ Adolescentes, filhos de pais viúvos ou divorciados, Variável independente: Novo casamento dos pais. passam a ter auto- Variável dependente: estima em menor Rebaixamento da auto-estima. grau quando seus pais se casam novamente. ”
  22. 22. variáveis independentes x variáveis dependentes“ Pessoas autoritárias Variável independente: Autoritarismo. manifestam Variável dependente: preconceito racial Preconceito racial. em grau elevado. ”
  23. 23. variáveis independentes x variáveis dependentes Na hipótese “a inclinação do teclado é capaz de melhorar a exatidão com que os usuários digitam letras e números”... •  Qual é a variável independente? •  Qual é a variável dependente?
  24. 24. variáveis independentes x variáveis dependentes No texto “em uma análise de 2 sacos-de- dormir fabricados especialmente para o uso em regiões com neve, classificou-se tais sacos-de-dormir como F e G. Em um quarto refrigerado, um grupo de homens dormiu utilizando o saco-de-dormir F e outro grupo de homens utilizou o saco-de- dormir G, todos nas mesmas condições de temperatura. Verificou-se que os homens que utilizaram o saco-de-dormir G permaneceram mais aquecidos”... •  Qual é a variável independente? •  Qual é a variável dependente?
  25. 25. variáveis independentes x variáveis dependentes No texto “em um teste sobre o choque que a abertura de um para- quedas sobre o corpo-humano, foram utilizadas avaliações realísticas com saltos de para- quedistas a partir de um avião voando em diferentes altitudes e velocidades. Os resultados mostraram que os para-quedas utilizados a uma altitude de 25.000 pés produziram um choque de abertura significativamente maior do que aqueles utilizados em alturas de 35.000 pés”... •  Qual é a variável independente? •  Qual é a variável dependente?
  26. 26. definição de sistemaApós entender o que são variáveisindependentes e variáveis dependentes,vamos voltar à composição do sistema...
  27. 27. exemplo:uma fábrica pode ser umsistema
  28. 28. * Fonte: livro “Ergonomia: projeto e produção”, de Itiro Iida | Imagem retirada da internet (através da busca por imagens do Google) exemplo de sistema: fábrica Na fábrica, entra matéria prima (entrada), que após uma série de transformações (processamento) em diversas operações (sub- sistemas) resulta no produto final (saída). As fronteiras desse sistema coincidem com as paredes da própria fábrica.
  29. 29. * Fonte: livro “Ergonomia: projeto e produção”, de Itiro Iida exemplo de sistema: fábricaEntrada Fronteirade Fronteira domatérias- do sub- sistemaprimas recepção sistema de solda material estam- corte pagem Saída de produtos usinagem montagem expedição
  30. 30. exemplo:um posto de trabalhodentro da fábrica podeser um sistema
  31. 31. * Fonte: livro “Ergonomia: projeto e produção”, de Itiro Iida | Imagem retirada da internet (através da busca por imagens do Google) exemplo de sistema: posto de trabalho dentro de uma fábrica Em uma operação particular que ocorre dentro da fábrica, como a solda, por exemplo, podemos restringir o sistema, colocando a fronteira em torno dessa operação. Esse novo sistema é composto dos sub- sistemas soldador e o aparelho da solda. As entradas são as peças a serem soldadas e as saídas são as peças já soldadas. O processamento é representado pela operação de soldagem.
  32. 32. * Fonte: livro “Ergonomia: projeto e produção”, de Itiro Iida exemplo de sistema: posto de trabalho dentro de uma fábrica Fronteira do recepção Entrada de peças a serem soldadas sistema de solda material Saída de estam- peças corte pagem soldadas usinagem montagem expedição
  33. 33. exemplo:o curso de ergodesign deinterfaces pode ser umsistema
  34. 34. exemplo de sistema: curso de ergodesign de interfaces puc-rio departamento “xpto” departamento de artes e design laboratório “xpto” leui graduação pós-graduação projeto de stricto sensu produto mestrado comunicação visual doutorado lato sensu Entrada: Saída: alunos em busca curso “xpto” alunos com conhecimento de conhecimento apreendido ergodesign Fronteira do sistema
  35. 35. exemplo:sistema homem-automóvel
  36. 36. * Fonte: livro “Ergonomia: projeto e produção”, de Itiro Iida | Imagem retirada da internet (através da busca por imagens do Google) exemplo: sistema homem-automóvel O homem recebe informações do automóvel através dos instrumentos, ruído do motor, etc. O campo de trabalho é constituído pela rua ou estrada, que também fornece diversas informações ao homem. As informações sobre o ambiente são representadas pela paisagem, sinalização das estradas, temperatura, iluminação externa, etc. Além disso, o homem pode receber instruções, como o trajeto que deve executar, a velocidade máxima permitida, etc. Com todas essas informações, ele dirige o automóvel atuando nos dispositivos de controle representados pelos pedais, volante, câmbio, botões e outros comandos. A saída, ou resultado do sistema, é o deslocamento do automóvel.
  37. 37. * Fonte: livro “Ergonomia: projeto e produção”, de Itiro Iida exemplo: sistema homem-automóvel Estado do trabalho ambiente máquina homem Informações dispositivos receptores instruções de informação sensoriais Saída sistemacampo de mecanismos deci- são nervoso trabalho internos central Ações dispositivos movimentos de controle musculares Fronteira do sistema Cadeia de informações
  38. 38. sistemas: sistemasabertos e fechados
  39. 39. sistemas abertosQuando um jogador de futebol dá umchute na bola em direção ao gol, podemaparecer diversas perturbações, como:•  O vento.•  A atuação do goleiro.Tais perturbações desviam a bola de suatrajetória e o gol deixa de acontecer.
  40. 40. sistemas abertosO jogador de futebol, depois do chute,não tem mais nenhum controle sobre abola.Então, dizemos que o sistema é aberto.
  41. 41. sistemas fechadosNo caso de aviões, o piloto (humano ouautomático) precisa observarcontinuamente a rota, introduzindocorreções (através de mecanismos derealimentação ou feedback) paracompensar os desvios provocados porqualquer tipo de perturbação.Quando isso ocorre, diz-se que o sistemaé fechado (servossistema).
  42. 42. sistemas:sistema-alvo
  43. 43. sistema-alvoUm sistema é sempre um sub-sistema deum sistema mais amplo.Deve-se, portanto, escolher a escala deenfoque mais adequada para a análise dosistema.
  44. 44. * Imagem retirada da internet (através da busca por imagens do Google) o sistema-alvo é aquele que se está analisando... Quando se estuda ou analisa a empresa como um todo, esta é o sistema-alvo.
  45. 45. * Imagem retirada da internet (através da busca por imagens do Google) o sistema-alvo é aquele que se está analisando... Quando se estuda ou analisa o centro de processamento de dados da empresa, este é o sistema-alvo.
  46. 46. * Imagem retirada da internet (através da busca por imagens do Google) o sistema-alvo é aquele que se está analisando... Quando se estuda ou analisa o posto de trabalho em terminais informatizados, este é o sistema-alvo.
  47. 47. * Imagem retirada da internet (através da busca por imagens do Google) o sistema-alvo é aquele que se está analisando... Quando se estuda ou analisa a tomada de informações e o seu processamento pelo usuário, a partir das telas do monitor de vídeo, este é o sistema-alvo.
  48. 48. sistema-alvoApós fixar os limites do sistema, procede-se à descrição da tarefa, recolhendo (apartir de observações e de entrevistas) osprincipais dados que caracterizam osistema.
  49. 49. sistemas:meta do sistema
  50. 50. meta do sistemaDurante a análise da tarefa, realiza-se acaracterização da tarefa, que envolve:•  A definição do objetivo da tarefa.•  A definição dos requisitos para a•  realização da tarefa.•  A presença humana na tarefa.
  51. 51. meta do sistemaÉ imprescindível, para a explicitação datarefa, o conhecimento da meta dosistema.•  Os objetivos da tarefa relacionam-se às•  atividades do usuário.•  A meta do sistema compreende a•  relação homem-tarefa-máquina.
  52. 52. * Fonte: livro “Ergonomia: conceitos e aplicações”, de Anamaria de Moraes e Cláudia Mont’Alvão | Imagem retirada da internet (através da busca por imagens do Google) meta do sistema Sistema-alvo: ônibus. Meta do sistema: transportar pessoas com segurança, segundo um itinerário previsto, de um ponto de origem até o seu destino. Objetivo da tarefa: focaliza o motorista - conduzir o veículo com segurança, segundo um itinerário, durante sua jornada de trabalho.
  53. 53. meta do sistemaAo realizar a análise de um sistema,deve-se começar pela meta, pelasentradas e pelas saídas.
  54. 54. sistemas: referênciasbibliográficas
  55. 55. referências bibliográficas: livros
  56. 56. referências bibliográficas: livros •  Ergonomia: conceitos e aplicações •  Anamaria de Moraes •  Cláudia Mont’Alvão
  57. 57. referências bibliográficas: livros •  Ergonomia: projeto e produção •  Itiro Iida
  58. 58. referências bibliográficas: livros •  Human factors in system engineering •  Alphonse Chapanis
  59. 59. sistemas:sobre o professor
  60. 60. sobre o professor Eduardo Rangel Brandão atua desde 1995 na criação de produtos digitais. É gestor da equipe de UX (User eXperience) na área de novas mídias da Globosat, onde desenvolve projetos de sites e aplicativos (smartphones, tablets, smart-TVs, set-top boxes, consoles de games, etc.) para canais de televisão como GNT, SporTV, Multishow, Viva, Gloob, Telecine, Universal Channel, GloboNews, Canal Brasil, MegaPix, SyFy, Futura, PremiereFC, Combate, Sexy-Hot, Off, Muu, Philos, entre outros. É professor em cursos de pós-graduação, em disciplinas correlatas a arquitetura de informação, design de interfaces, usabilidade, interação humano-computador e metodologia de pesquisa. Participa do comitê organizador e do comitê técnico científico de congressos internacionais nas áreas de ergonomia, usabilidade, design de interfaces e interação humano-computador. Trabalhou como arquiteto de informação na Globo.com e como designer de interfaces nas empresas Agência Click, Starmedia, Cadê?, MTEC Informática e Rio Datacentro. Atuou em projetos para Amil, Banco do Brasil, Brasil Telecom, Oi, Petrobras, White Martins, Fundação Planetário, Museu Villa-Lobos, Projeto Portinari, Plaza Shopping Niterói, Pinto de Almeida Engenharia, Decta Engenharia, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e Programa de Despoluição da Baía de Guanabara. Publicou diversos trabalhos (entre capítulos de livros, monografias, dissertações e artigos em congressos), concluiu 7 orientações e 38 co-orientações de monografias de alunos de pós-graduação lato sensu e participou de 44 bancas examinadoras em cursos de pós-graduação lato sensu. TITULAÇÃO: mestre em interação humano-computador, especialista em ergonomia e usabilidade e bacharel em desenho industrial, nas habilitações de comunicação visual e projeto de produto.
  61. 61. fim :-)Eduardo Rangel Brandão, M.Sc.brandaoedu@gmail.comwww.eduardobrandao.com

×