Orações subordinadas adverbiais

347 visualizações

Publicada em

GRAMÁTICA

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
347
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Orações subordinadas adverbiais

  1. 1. Crateús/CE ORAÇÕESORAÇÕES SUBORDINADASSUBORDINADAS ADVERBIAISADVERBIAIS Disciplina: Português Educador: Edson Alves
  2. 2. Orações Subordinadas Adverbiais Para finalizar o estudo das orações subordinadas, estudaremos as orações subordinadas adverbiais. Elas funcionam como adjunto adverbial, ou seja, são orações que indicam a existência de uma circunstância.
  3. 3. Oração subordinada adverbial • É aquela que tem valor de um advérbio ( ou de locução adverbial) e exerce, em relação ao verbo da oração principal, a função de adjunto adverbial. • Ex: “Mandar um Claro Torpedo é como beijo na boca. Quando você começa, não quer mais parar”. • “como dar beijo na boca”- comparação • “quando você começa”- tempo
  4. 4. Para que servem as orações adverbiais? • As orações adverbiais estabelecem relações lógicas e coesivas importantes na construção do sentido de um texto. Servem para inserir noções de tempo, finalidade, condição, concessão ou, ainda, para estabelecer comparação, concomitância ou relações de causa e consequência entre dois fatos.
  5. 5. Para que servem as orações adverbiais? • Embora as orações adverbiais sejam comuns na fala, alguns dos seus tipos aparecem mais frequentemente em textos escritos de acordo com a variedade padrão da língua e com certo grau de elaboração de ideias.
  6. 6. 1 - Causal Funciona como adjunto adverbial de causa. Principais conjunções: porque, porquanto, visto que, já que, uma vez que, como, que. Exemplos: - Saímos rapidamente, visto que estava armando um tremendo temporal. - Como estava chovendo, não saímos de casa. - Por ter chegado atrasada, não pôde entrar na palestra.
  7. 7. Atenção • Fazer a distinção entre uma oração coordenada explicativa e uma oração subordinada adverbial causal nem sempre é fácil, porque ambas podem ser introduzidas pelas conjunções que e porque. Para eliminar a dúvida, você deve fazer estas considerações: • 1 - A oração coordenada explicativa explica a razão da afirmação feita na oração anterior: Ex: O sol estava muito forte, porque as flores estão murchas.
  8. 8. Atenção • 2 - A oração subordinada adverbial causal tem o papel de advérbio em relação à oração principal, isto é, indica a causa do efeito expresso pelo verbo da oração principal: • Ex: Fomos ao passeio porque houve algumas desistências. • 3 - A oração coordenada explicativa é frequentemente empregada depois de orações imperativas e optativas : • Ex: Não fique muito tempo diante do computador, que a sua coluna pode sentir. • Deus te guie, porque você merece!
  9. 9. Por causa que ou causa de? • Na variedade padrão da língua, emprega-se a locução por causa de. • Em vez de, por exemplo, “Voltei para casa por causa que ia chover”, a variedade padrão recomenda outras construções, como “voltei para casa porque ia chover”, “…uma vez que ia chover”ou “…por causa da chuva”.
  10. 10. 2 - Comparativa Funciona como adjunto adverbial de comparação. Geralmente, o verbo fica subentendido. É iniciada por uma conjunção subordinativa comparativa. São elas: (mais) ... que, (menos)... que, (tão)... quanto, como. Exemplos: - Vinícius era mais esforçado que o irmão. - Leal é tão esforçado como o irmão.
  11. 11. 3 - Concessiva Funciona como adjunto adverbial de concessão. Principais conjunções: embora, conquanto, não obstante, apesar de que, se bem que, mesmo que, posto que, ainda que, em que pese. Exemplos: - Todos se retiraram, apesar de não terem terminado a prova. - Mesmo que ele tenha razão, posicionar-me-ei contrário às suas ideias.
  12. 12. 4 - Condicional Funciona como adjunto adverbial de condição. Conjunções: se, a menos que, desde que, caso, contanto que. Também pode ser iniciada pela preposição a, estando o verbo no infinitivo. Exemplos: - Você terá um futuro brilhante, desde que se esforce. - Contanto que se esforce, conquistará aquela garota. - A continuar agindo dessa maneira, tudo se dificultará. -
  13. 13. 5 - Conformativa     Funciona como adjunto adverbial de conformidade.  Conjunções: como, conforme, segundo. Exemplos: - Pintamos sua casa, conforme havia pedido. - Como combinamos ontem, eis os documentos. 
  14. 14. 6 - Consecutiva    Funciona como adjunto adverbial de consequência.  É iniciada pela conjunção subordinativa consecutiva que. Na oração principal normalmente surge um advérbio de intensidade tal, tanto, tamanho(a): (tão)... que, (tanto)... que, (tamanho)... que. Exemplos: - Ele fala tão alto, que não precisa do microfone. - Ele é de tamanha capacidade, que a todos encanta. 
  15. 15. 7 - Temporal    Funciona como adjunto adverbial de tempo. É iniciada  por uma conjunção subordinativa temporal ou por uma  locução  conjuntiva  subordinativa  temporal.  São  elas:  quando, enquanto, sempre que, assim que, desde que, logo que, mal. Também pode ser iniciada por ao, estando o verbo no infinitivo. Exemplos: - Fico triste, sempre que os alunos chegam atrasados. - Ao terminar essa discussão, sairemos daqui.
  16. 16. 8 - Final         Funciona  como  adjunto  adverbial  de  finalidade.  É  iniciada por uma conjunção subordinativa final ou por  uma locução conjuntiva subordinativa final. São elas: a fim de que, para que, porque. Também pode ser iniciada pela preposição para, estando o verbo no infinitivo. Exemplos: - Aqui estamos para estudar. - “Eu vim para que todos tenham vida.”
  17. 17. 9 - Proporcional      Funciona como adjunto adverbial de proporção. É iniciada  por uma locução conjuntiva subordinativa proporcional.  São elas: à proporção que, à medida que, tanto mais. Exemplo: - À medida que o tempo passa, mais experientes ficamos.
  18. 18. Encontra-SE a seguinte classificação  para “porque” enquanto conjunção  Dicionário da Língua Portuguesa (Verbo) conj[unção] 1. Exprime causa, razão, POIS. Caí ~ tropecei numa pedra. Cheguei atrasado ~ adormeci. 2. Introduz justificação de frase anterior, JÁ QUE, POIS  QUE, UMA VEZ QUE. Ele está cá, ~ ainda há pouco o vi!Grande  Dicionário da Língua Portuguesa e Dicionário da Língua Portuguesa 2009 — Acordo Ortográfico (Porto Editora): conj[unção] uma vez que; já que; como; por causa   De Priberam: conj[unção] introduz uma oração causal: Ele ganhou as eleições porque fez uma boa campanha.Dicionário Houaiss da Língua.  Portuguesa (Círculo de Leitores/Temas e Debates/Objetiva): conj[unção] coord[coordenativa] (…) 1 conj[unção] expl[i]c[ativa] liga duas  orações coordenadas, numa das quais se explica ou se justifica a asserção  contida na outra; pois, porquanto, que http://livrodeestilo.blogs.sapo.pt/167867.html
  19. 19. EXEMPLOS DE ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS CAUSAIS  Carla não foi à escola porque estava doente. = Como estava doente não foi à escola.  Não almoço, porque não tenho fome. = Como não tenho fome, não almoço.  O Vítor domina o vocabulário, porque lê muito. = Como o Vítor lê muito, domina o vocabulário.  Marta não comprou o vestido, porque era muito caro. = Como o vestido era muito caro, Marta não o comprou.  O menino caiu, porque ia distraído. = Como ia distraído, o menino caiu.  Aplaudiram o orador, porque o discurso foi brilhante. = Como o discurso foi brilhantes, aplaudiram o orador.
  20. 20. Exemplos de orações coordenadas explicativas  Sobe, que te quero mostrar uns livros. = Sobe, pois quero mostrar-te uns livros.  Come a sopa toda, que está muito boa. = Come a sopa toda, pois está muito boa.  Não tenhais medo, que o mundo não acaba agora. = Não tenhais medo, pois o mundo não acaba agora.  Manuel tem dinheiro, pois comprou um carro novo.  O pai já está deitado, pois as luzes estão apagadas
  21. 21. • Pedro vai à praia porque está bom tempo. • Pedro estuda pois tem boas notas. • Não atravesse a rua, porque você pode ser atropelado. • Façam silêncio, que estou falando. • Precisavam enterrar os mortos em outra cidade porque não havia cemitério no local.

×