Estruturaeformaodaspalavras 110320151038-phpapp02

287 visualizações

Publicada em

formação das palavras

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
287
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estruturaeformaodaspalavras 110320151038-phpapp02

  1. 1. Crateús/CECrateús/CE FORMAÇÃO DASFORMAÇÃO DAS PALAVRASPALAVRAS Disciplina: Português Educador: Edson Alves
  2. 2. ESTRUTURA DAS PALAVRASESTRUTURA DAS PALAVRAS     A palavra é subdivida em partes menores,A palavra é subdivida em partes menores, chamadas dechamadas de elementos mórficoselementos mórficos.. Exemplos:Exemplos:  gatinho = gat + inh + ogatinho = gat + inh + o  Infelizmente = in + feliz + menteInfelizmente = in + feliz + mente   
  3. 3.  ELEMENTOS MÓRFICOSELEMENTOS MÓRFICOS Os elementos mórficos são:Os elementos mórficos são:    1.1. Radical;Radical; 2.2. Vogal temática;Vogal temática; 3.3. Tema;Tema; 4.4. Desinência;Desinência; 5.5. Afixo;Afixo; 6.6. Vogais e consoantes de ligação.Vogais e consoantes de ligação.   
  4. 4. RADICALRADICAL    O significado básico da palavra estáO significado básico da palavra está contido nesse elemento; a ele sãocontido nesse elemento; a ele são acrescentados outros elementos.acrescentados outros elementos. Exemplos:Exemplos:  pedrpedra,a, pedrpedreiro,eiro, pedrpedrinha.inha.
  5. 5. VOGAL TEMÁTICA VERBALVOGAL TEMÁTICA VERBAL  Tem como função preparar o radical para ser acrescidoTem como função preparar o radical para ser acrescido pelas desinências e também indicar a conjugação a quepelas desinências e também indicar a conjugação a que o verbo pertence.o verbo pertence.     Exemplo:Exemplo: cantcantaarr,, vendvendeer,r, partpartiir.r.     OBSERVAÇÃO:OBSERVAÇÃO:     Nem todas as formas verbais possuem a vogal temática.Nem todas as formas verbais possuem a vogal temática.     Exemplo: parto (radical + desinência)Exemplo: parto (radical + desinência)
  6. 6. TEMATEMA  É o radical com a presença da vogalÉ o radical com a presença da vogal temática.temática.     Exemplo:Exemplo: chorchoroo,, cantcantaa..
  7. 7. DESINÊNCIASDESINÊNCIAS  São elementos que indicam as flexões que os nomes e os verbos podemSão elementos que indicam as flexões que os nomes e os verbos podem apresentar. São subdivididas em:apresentar. São subdivididas em:  DESINÊNCIAS NOMINAIS;DESINÊNCIAS NOMINAIS;  DESINÊNCIAS VERBAIS.DESINÊNCIAS VERBAIS.     DESINÊNCIAS NOMINAISDESINÊNCIAS NOMINAIS – indicam o gênero e número. As desinências– indicam o gênero e número. As desinências de gênero sãode gênero são aa ee oo; as desinências de número são o; as desinências de número são o ss para o plural e opara o plural e o singular não tem desinência própria.singular não tem desinência própria.    Exemplo:Exemplo: gat +gat + oo                    Radical desinência nominal de gêneroRadical desinência nominal de gênero                 Gat +Gat + oo ++ ss  Radical d.n.g d.n.nRadical d.n.g d.n.n     d.n.g » desinência nominal de gênerod.n.g » desinência nominal de gênero  d.n.n » desinência nominal de númerod.n.n » desinência nominal de número
  8. 8. DESINÊNCIAS VERBAISDESINÊNCIAS VERBAIS Indicam oIndicam o modo, número, pessoamodo, número, pessoa ee tempotempo dos verbos.dos verbos.  Exemplo:Exemplo: cant +cant + áá ++ vava ++ mosmos              Radical  v.t  d.m.t  d.n.pRadical  v.t  d.m.t  d.n.p     v.t » vogal temáticav.t » vogal temática  d.m.t » desinência modo-temporald.m.t » desinência modo-temporal  d.n.p » desinência número-pessoald.n.p » desinência número-pessoal   
  9. 9. AFIXOSAFIXOS     São elementos que se juntam aos radicais para formaçãoSão elementos que se juntam aos radicais para formação de novas palavras. Os afixos podem ser:de novas palavras. Os afixos podem ser:     PREFIXOSPREFIXOS – quando colocado antes do radical;– quando colocado antes do radical;  SUFIXOSSUFIXOS – quando colocado depois do radical– quando colocado depois do radical     Exemplo:Exemplo:     PedrPedrada.ada.  InInviável.viável.  InInfelizfelizmentemente
  10. 10.  VOGAIS E CONSOANTES DEVOGAIS E CONSOANTES DE LIGAÇÃOLIGAÇÃO     São elementos que são inseridos entre osSão elementos que são inseridos entre os morfemas (elementos mórficos), em geral, pormorfemas (elementos mórficos), em geral, por motivos de eufonia, ou seja, para facilitar amotivos de eufonia, ou seja, para facilitar a pronúncia de certas palavras.pronúncia de certas palavras.     Exemplo: silvExemplo: silvíícola, paucola, paullada, cafeada, cafeiicultura.cultura.
  11. 11.    PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRASPROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS     Inicialmente observemos alguns conceitos sobre palavrasInicialmente observemos alguns conceitos sobre palavras primitivas e derivadas e palavras simples e compostas:primitivas e derivadas e palavras simples e compostas:     PALAVRAS PRIMITIVASPALAVRAS PRIMITIVAS – palavras que não são– palavras que não são formadas a partir de outras.formadas a partir de outras.     Exemplo: pedra, casa, paz, etc.Exemplo: pedra, casa, paz, etc.     PALAVRAS DERIVADASPALAVRAS DERIVADAS – palavras que são formadas– palavras que são formadas a partir de outras já existentes.a partir de outras já existentes.     Exemplo: pedrada (derivada de pedra), ferreiro (derivadaExemplo: pedrada (derivada de pedra), ferreiro (derivada de ferro).de ferro).      
  12. 12. PALAVRAS SIMPLES – são aquelas que possuem apenas um radical.   Exemplo: cidade, casa, pedra.   PALAVRAS COMPOSTAS - são palavras que apresentam dois ou mais radicais.   Exemplo: pé-de-moleque, pernilongo, guarda- chuva.   Na língua portuguesa existem dois processos de formação de novas palavras: derivação e composição.  
  13. 13. DERIVAÇÃODERIVAÇÃO     É o processo pelo qual palavras novasÉ o processo pelo qual palavras novas (derivadas) são formadas a partir de outras que(derivadas) são formadas a partir de outras que já existem (primitivas). Podem ocorrer dasjá existem (primitivas). Podem ocorrer das seguintes maneiras:seguintes maneiras: 1.1. Prefixal;Prefixal; 2.2. Sufixal;Sufixal; 3.3. Parassintética;Parassintética; 4.4. Regressiva;Regressiva; 5.5. Imprópria.Imprópria.
  14. 14. 1.1. PREFIXALPREFIXAL – processo de derivação– processo de derivação pelo qual é acrescido umpelo qual é acrescido um prefixoprefixo a uma um radical.radical.     Exemplo:Exemplo: desdesfazer,fazer, ininútil.útil.  Vejamos alguns prefixos latinos eVejamos alguns prefixos latinos e gregos mais utilizados:gregos mais utilizados:   
  15. 15. 2.2. SUFIXALSUFIXAL –– processo de derivação pelo qualprocesso de derivação pelo qual é acrescido umé acrescido um sufixo (NOMINAL OUsufixo (NOMINAL OU VERBAL)VERBAL) a um radical.a um radical.   Exemplos:Exemplos:  PedrPedreiroeiro  LivrLivraria  CivilCivilizarizar
  16. 16. 3. PARASSINTÉTICA3. PARASSINTÉTICA –– processo de derivação pelo qual é acrescido umprocesso de derivação pelo qual é acrescido um prefixo e sufixoprefixo e sufixo simultaneamentesimultaneamente ao radical.ao radical.  Exemplos:Exemplos: aa ++ noit +noit + ecerecer = ANOITECER= ANOITECER PREFIXO RADICAL SUFIXOPREFIXO RADICAL SUFIXO perper ++ noit +noit + arar. = PERNOITAR. = PERNOITAR     OBSERVAÇÃOOBSERVAÇÃO ::     Existem palavras que apresentam prefixo e sufixo, mas nãoExistem palavras que apresentam prefixo e sufixo, mas não são formadas por parassíntese. Para que ocorra asão formadas por parassíntese. Para que ocorra a parassíntese é necessários que o prefixo e o sufixo juntem-parassíntese é necessários que o prefixo e o sufixo juntem- se ao radical ao mesmo tempo. Para verificar tal derivaçãose ao radical ao mesmo tempo. Para verificar tal derivação basta retirar o prefixo ou o sufixo da palavra. Se a palavrabasta retirar o prefixo ou o sufixo da palavra. Se a palavra deixar de ter sentido, então ela foi formada por derivaçãodeixar de ter sentido, então ela foi formada por derivação parassintética. Caso a palavra continue a ter sentido, mesmoparassintética. Caso a palavra continue a ter sentido, mesmo com a retirada do prefixo ou do sufixo, ela terá sido formadacom a retirada do prefixo ou do sufixo, ela terá sido formada por derivação prefixal e sufixal.por derivação prefixal e sufixal.
  17. 17.  4. REGRESSIVA4. REGRESSIVA - processo de derivação em que- processo de derivação em que são formados substantivos a partir de verbos.são formados substantivos a partir de verbos.     Exemplos:Exemplos:  Ninguém justificou oNinguém justificou o atrasoatraso. (do verbo atrasar). (do verbo atrasar)  OO debatedebate foi longo. (do verbo debater)foi longo. (do verbo debater)   
  18. 18. 5.IMPRÓPRIA5.IMPRÓPRIA - processo de derivação- processo de derivação que consiste na mudança de classeque consiste na mudança de classe gramatical da palavra sem que sua formagramatical da palavra sem que sua forma se altere.se altere.     Exemplo: OExemplo: O jantarjantar estava ótimoestava ótimo   
  19. 19. COMPOSIÇÃOCOMPOSIÇÃO     É o processo pelo qual a palavra éÉ o processo pelo qual a palavra é formada pela junção de dois ou maisformada pela junção de dois ou mais radicais. A composição pode ocorrerradicais. A composição pode ocorrer de duas formas:de duas formas:     POR JUSTAPOSIÇÃOPOR JUSTAPOSIÇÃO  POR AGLUTINAÇÃO.POR AGLUTINAÇÃO.   
  20. 20.  JUSTAPOSIÇÃOJUSTAPOSIÇÃO – quando não há alteração nas palavras e– quando não há alteração nas palavras e continua a serem faladas (escritas) da mesma forma comocontinua a serem faladas (escritas) da mesma forma como eram antes da composição.eram antes da composição.    Exemplo: girassol (gira + sol), pé-de-moleque (pé + de +Exemplo: girassol (gira + sol), pé-de-moleque (pé + de + moleque)moleque)     AGLUTINAÇÃOAGLUTINAÇÃO – quando há alteração em pelo menos uma– quando há alteração em pelo menos uma das palavras seja na grafia ou na pronúncia.das palavras seja na grafia ou na pronúncia.     Exemplo: planalto (plano + alto)Exemplo: planalto (plano + alto)     Além da derivação e da composição existem outros tipos deAlém da derivação e da composição existem outros tipos de formação de palavras que sãoformação de palavras que são hibridismohibridismo,, abreviação eabreviação e onomatopéia.onomatopéia.
  21. 21. ABREVIAÇÃO OU REDUÇÃOABREVIAÇÃO OU REDUÇÃO     É a forma reduzida apresentada por algumasÉ a forma reduzida apresentada por algumas palavras:palavras:    Exemplo:Exemplo: autoauto (automóvel),(automóvel), quiloquilo (quilograma),(quilograma), motomoto (motocicleta).(motocicleta).    HIBRIDISMOHIBRIDISMO    É a formação de palavras a partir da junção deÉ a formação de palavras a partir da junção de elementos de idiomas diferentes.elementos de idiomas diferentes.    Exemplo:Exemplo: automóvelautomóvel (auto – grego + móvel – latim),(auto – grego + móvel – latim), burocraciaburocracia (buro – francês + cracia – grego).(buro – francês + cracia – grego).
  22. 22.    ONOMATOPÉIAONOMATOPÉIA     Consiste na criação de palavras através daConsiste na criação de palavras através da tentativa de imitar vozes ou sons da natureza.tentativa de imitar vozes ou sons da natureza.     Exemplos:Exemplos:  fonfomfonfom  cocoricócocoricó  tique-taquetique-taque  boom!.boom!.      
  23. 23. ReferenciasReferencias

×