VII E P A E M
Encontro Paraense de Educação Matemática
Cultura e Educação Matemática na Amazônia
ISSN 2178 - 3632
08 a 10 ...
VII E P A E M
Encontro Paraense de Educação Matemática
Cultura e Educação Matemática na Amazônia
ISSN 2178 - 3632
08 a 10 ...
VII E P A E M
Encontro Paraense de Educação Matemática
Cultura e Educação Matemática na Amazônia
ISSN 2178 - 3632
08 a 10 ...
VII E P A E M
Encontro Paraense de Educação Matemática
Cultura e Educação Matemática na Amazônia
ISSN 2178 - 3632
08 a 10 ...
VII E P A E M
Encontro Paraense de Educação Matemática
Cultura e Educação Matemática na Amazônia
ISSN 2178 - 3632
08 a 10 ...
VII E P A E M
Encontro Paraense de Educação Matemática
Cultura e Educação Matemática na Amazônia
ISSN 2178 - 3632
08 a 10 ...
VII E P A E M
Encontro Paraense de Educação Matemática
Cultura e Educação Matemática na Amazônia
ISSN 2178 - 3632
08 a 10 ...
VII E P A E M
Encontro Paraense de Educação Matemática
Cultura e Educação Matemática na Amazônia
ISSN 2178 - 3632
08 a 10 ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Contribuições do gemm para a educação matemática paraense (2015 03 28 13_13_45 utc)

77 visualizações

Publicada em

Discute-se sobre as contribuições do grupo de estudo em modelagem matemática, GEMM/UFPA, ao ensino de ciências e matemática paraense.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
77
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Contribuições do gemm para a educação matemática paraense (2015 03 28 13_13_45 utc)

  1. 1. VII E P A E M Encontro Paraense de Educação Matemática Cultura e Educação Matemática na Amazônia ISSN 2178 - 3632 08 a 10 de setembro de 2010 Belém – Pará – Brasil - 1 - CONTRIBUIÇÕES DO GEMM1 PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA PARAENSE Ednilson Sergio Ramalho de Souza UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ-UFOPA ednilson.souza@yahoo.com.br Lênio Fernandes Levy UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ-UFPA leniolevy@ig.com.br RESUMO O objetivo desse artigo é apresentar as contribuições das dissertações defendidas pelo GEMM (Grupo de Estudos em Modelagem Matemática) para a Educação Matemática e Científica no contexto paraense. Por meio de pesquisa bibliográfica buscamos responder à seguinte questão de pesquisa: quais as contribuições do GEMM para a Educação Matemática e Cientifica paraense? Catalogamos dez (10) dissertações que enfocam a temática Modelagem Matemática no Ensino. Os resultados mostraram que todas as dissertações produzidas até então são de caráter didático- pedagógico. O Grupo tem contribuído, portanto, para a prática em sala de aula por meio de experiências em classe e construção de propostas didático-pedagógicas voltadas ao ensino fundamental, médio e superior. Palavras-Chave: GEMM; Modelagem Matemática; Educação Matemática. INTRODUÇÃO Muitos foram os trabalhos em Modelagem Matemática publicados nos últimos tempos, tanto em âmbito nacional quanto internacional (BIEMBENGUT, 2009). Esse número elevado de trabalhos mostra que a modelagem matemática no ensino vem ganhando ênfase em sala de aula. No entanto, em termos regional, ainda são poucas as pesquisas que procuram investigar a problemática do ensino de Matemática e Ciências por meio da Modelagem Matemática. Nosso objetivo principal é apresentar as contribuições do Grupo de Estudos em Modelagem Matemática (GEMM/UFPA) no que se refere à Educação em Ciências e Matemáticas no contexto paraense. Para isso, buscamos 1 Grupo de Estudos em Modelagem Matemática.
  2. 2. VII E P A E M Encontro Paraense de Educação Matemática Cultura e Educação Matemática na Amazônia ISSN 2178 - 3632 08 a 10 de setembro de 2010 Belém – Pará – Brasil - 2 - responder à seguinte questão de pesquisa: quais as contribuições do GEMM para a Educação Matemática e Cientifica paraense? Começaremos fazendo um breve histórico sobre a origem do GEMM. A seguir, fundamentaremos teoricamente nossa metodologia de pesquisa, mostraremos um quadro demonstrativo contendo 10 pesquisas de dissertações defendidas pelo Grupo no período de 2003 a 2009. Baseando-nos na leitura crítica dessas pesquisas, relacionaremos em outro quadro as principais contribuições desses trabalhos para a Educação em Ciências e Matemáticas de nosso Estado. UM BREVE HISTÓRICO SOBRE O GEMM O Grupo de Estudos em Modelagem Matemática (GEMM) originou- se nas disciplinas sobre o tema Modelagem Matemática e Ensino, ministradas pelo Professor Adilson Oliveira do Espírito Santo, no Programa de Pós- Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas da Universidade Federal do Pará (UFPA). O início das reuniões do grupo deu-se no primeiro semestre de 2004 onde se realizavam trocas de idéias sobre Modelagem Matemática e Ensino. Inicialmente, o grupo era composto pelos professores Adilson Oliveira, Francisco Hermes, Lênio Levy, Maria Lucia Chaves e pelos então mestrandos Maria Isaura de Albuquerque Chaves e Arthur Gonçalves e também pela aluna de graduação Marcela Sarmento. À medida que novas turmas de mestrado foram ingressando no Programa de Pós-Graduação, o grupo foi se ampliando e hoje, entre os membros que participam ativamente das reuniões e aqueles que participam de forma menos ativa, o grupo conta com aproximadamente 20 membros.
  3. 3. VII E P A E M Encontro Paraense de Educação Matemática Cultura e Educação Matemática na Amazônia ISSN 2178 - 3632 08 a 10 de setembro de 2010 Belém – Pará – Brasil - 3 - CAMINHOS METODOLÓGICOS Para escolher um caminho norteador, baseamo-nos teoricamente na obra de Fiorentini e Lorenzato (2007) “Investigação em Educação Matemática: percursos teóricos e metodológicos” o qual trata da pesquisa científica na área da Educação Matemática. Segundo os autores, existem dois momentos fundamentais em um processo de investigação: o de formulação do problema ou da questão de investigação e o de construção das conclusões da pesquisa (figura 1). O que diz a literatura ou realidade X o que inquieta o pesquisador Determina um PROBLEMA QUESTÃO Hipóteses Pesquisa de Campo ou de Laboratório Pesquisa teórica ou Bibliográfica Coleta e análise de dados/material empírico ou experiencial Coleta/organização de documentos e tratamento analítico de informações RESULTADOS CONCLUSÕES -Prática Profissional -Área de Conhecimento - D e s e n v o l v i m e n t o p r o f i s s i o n a l d o pesquisador SUSTENTAÇÃO TEÓRICO E EPISTEMOLÓGICA Trazem implicações para Figura 1. Estrutura de uma investigação (Fonte: Fiorentini e Lorenzato, 2007, p. 62). Nosso problema de pesquisa (quais as contribuições do GEMM para a Educação Matemática e Cientifica paraense?) sugere que sigamos o caminho inferior da figura 1, ou seja, nossa metodologia tem característica de pesquisa bibliográfica onde faremos coleta, organização e análise crítica de trabalhos publicados pelo citado Grupo de Estudos em Modelagem Matemática no período de 2003 a 2009. Primeiramente, acessamos o site do acervo de dissertações do Instituto de Educação Matemática e Científica (IEMCI) cujo endereço é
  4. 4. VII E P A E M Encontro Paraense de Educação Matemática Cultura e Educação Matemática na Amazônia ISSN 2178 - 3632 08 a 10 de setembro de 2010 Belém – Pará – Brasil - 4 - http://www.ufpa.br/ppgecm/index.php?option=com_content&view=category&layout =blog&id=25&Itemid=10. Em seguida coletamos os trabalhos que traziam expressamente em seus títulos o termo “modelagem matemática”. Analisamos de maneira crítica esses trabalhos observando: o objetivo, a questão de pesquisa, a metodologia e os resultados encontrados. DISSERTAÇÕES DEFENDIDAS PELO GEMM NO PERÍODO DE 2003 A 2009 O quadro a seguir mostra o resultado dessa pesquisa bibliográfica. Quadro 1. Dissertações defendidas pelo GEMM no período de 2003 a 2009. Ano Autor(a) Temática 2009 Roberta Modesto Braga Modelagem Matemática e tratamento do erro no processo de ensino-aprendizagem das equações diferenciais ordinárias. 2008 Alyne Maria Rosa de Araújo Modelagem Matemática nas aulas de cálculo: uma estratégia que pode contribuir com a aprendizagem dos alunos de engenharia. 2008 Silvia Danielle da Cunha Smith Modelagem Matemática gerando ambiente de ensino e aprendizagem para a educação de jovens e adultos. 2007 Edilene Farias Rozal Modelagem Matemática e os temas transversais na educação de jovens e adultos. 2007 Elizabeth Gomes Souza Modelagem Matemática no contexto dos ciclos de formação. 2007 Pedro Estevão da Conceição Moutinho CTS e a Modelagem Matemática na formação de professores de Física. 2005 Arthur Conçalves Machado Júnior Modelagem Matemática no ensino- aprendizagem: ação e resultados. 2005 Maria Isaura de Albuquerque Chaves Modelando matematicamente questões ambientais relacionadas com a água a propósito do ensino-aprendizagem de funções na 1ª série-EM. 2004 Maria Lúcia Pessoa Chaves Rocha Matemática e cartografia: como a cartografia pode contribuir no processo de ensino-aprendizagem da matemática. 2003 Lênio Fernandes Levy Os professores, uma proposta visando a transdisciplinaridade e os atuais alunos de matemática da educação pública municipal de jovens e adultos de Belém, Pará.
  5. 5. VII E P A E M Encontro Paraense de Educação Matemática Cultura e Educação Matemática na Amazônia ISSN 2178 - 3632 08 a 10 de setembro de 2010 Belém – Pará – Brasil - 5 - ANÁLISES E DISCUSSÕES Uma análise quantitativa dos temas pesquisados nos permite verificar que, das dez (10) dissertações defendidas, nove (90%) preocupam-se em investigar a aprendizagem de Matemática por meio do ambiente gerado pela Modelagem. Verifica-se também que uma (01) dissertação (10%) tem como objetivo investigar o ensino de Física por meio desse ambiente. Portanto, o Grupo tem suas ações voltadas à pesquisa na área da Educação em Ciências e Matemáticas. Qualitativamente, observa-se que a totalidade das dissertações produzidas pelo Grupo são pesquisas de caráter didático-pedagógico, ou seja, caracterizam-se por apresentarem o desenvolvimento de experiência de sala de aula ou propostas pedagógicas de ensino por meio da Modelagem. De maneira geral, tais propostas abrangem o Ensino Fundamental, o Médio e o Superior. A abordagem didático-pedagógica como característica principal dos trabalhos publicados pelo GEMM pode ser consequência da concepção de Modelagem Matemática que predomina no Grupo. Tal concepção pode ser abstraída da citação abaixo, Entendemos que um ambiente de ensino e aprendizagem é construído no espaço sala de aula, sem necessariamente se restringir a ele, a partir do momento em que, cada um de seus participantes, alunos e professores, assumem responsabilidades e obrigações pelo desenvolvimento de atividades que visem o ensino e a aprendizagem do conhecimento, aqui, em particular, o matemático. E, ao entender Modelagem Matemática como um processo gerador de um ambiente de ensino e aprendizagem que tem as atividades como mote, englobamos nesse processo várias possibilidades para o uso da Modelagem na perspectiva da Educação Matemática (CHAVES e ESPÍRITO SANTO, 2008, p. 159) [grifo nosso]. Ou seja, predomina no Grupo a idéia de que o processo de modelagem matemática é gerador de um ambiente favorável ao ensino e aprendizagem. Essa concepção possui uma ampla dimensão didático-pedagógica para o emprego do processo de modelagem no ensino. São várias as possibilidades de aplicação do ambiente gerado pelo processo de modelagem,
  6. 6. VII E P A E M Encontro Paraense de Educação Matemática Cultura e Educação Matemática na Amazônia ISSN 2178 - 3632 08 a 10 de setembro de 2010 Belém – Pará – Brasil - 6 - podendo tal ambiente ser voltado não apenas para o ensino de Matemática, como também de Física, Química, Economia etc. Deste modo, considerando a leitura crítica das dissertações alocadas no quadro 1, podemos resumir as seguintes contribuições dos trabalhos defendidos pelo GEMM para a Educação Matemática e Científica paraense: Quadro 2. Principais contribuições do GEMM para a Educação Matemática e Científica paraense.  O estudo sistemático do processo de Modelagem por meio da análise de registros escritos, gravações em vídeos e em áudio. Todas as dissertações defendidas até então pelo Grupo empregam recursos pedagógicos para analisar o desenvolvimento do processo de Modelagem Matemática.  O estudo das formas de envolvimento e aprendizagem apresentadas por estudantes do Ensino Fundamental regular em ambiente de Modelagem Matemática, visando ao ensino de Matemática (MACHADO JÚNIOR, 2005);  Aprendizagem em Matemática na Educação de Jovens e Adultos (EJA) por meio da modelagem matemática e temas transversais (ROZAL, 2007);  Reflexões filosóficas e propostas didáticas enfocando a inter-relação entre transdisciplinaridade e Modelagem Matemática voltados ao ensino de Matemática na EJA (LEVY, 2003);  Possíveis formas de se conceber e materializar a Modelagem Matemática como método de ensino e aprendizagem no estudo de funções em cursos regulares do Ensino Médio (CHAVES, 2005);  Propostas pedagógicas objetivando o estudo de conceitos matemáticos em turmas do Ensino Médio por meio da reconstrução de mapas cartográficos entendidos como modelos matemáticos (ROCHA, 2004);  O estudo do erro no processo de aprendizagem de equações diferenciais ordinárias em ambiente de Modelagem Matemática por alunos de um curso de Licenciatura em Matemática na cidade de São Miguel do Guamá (BRAGA, 2009);  Análise do processo de Modelagem Matemática como gerador de ambiente favorecedor para o ensino de Matemática em uma turma de EJA (SMITH, 2008);  Análise dos efeitos que o uso da Modelagem Matemática provoca no processo de ensino e aprendizagem de equações diferencias ordinárias em uma turma de Engenharia da Computação da UFPA (ARAÚJO, 2008);  Análise das barreiras devido ao uso da modelagem matemática em um sistema escolar organizado em ciclos de formação (SOUZA, 2007);  O uso da tendência CTS e a modelagem matemática como ambiente para a formação de professores de Física de um curso de Licenciatura em Física do Centro Federal Tecnológico do Pará (CEFET/PA) (MOUTINHO, 2007).
  7. 7. VII E P A E M Encontro Paraense de Educação Matemática Cultura e Educação Matemática na Amazônia ISSN 2178 - 3632 08 a 10 de setembro de 2010 Belém – Pará – Brasil - 7 - CONSIDERAÇÕES FINAIS Nosso objetivo foi apresentar as contribuições do Grupo de Estudo em Modelagem Matemática (GEMM/UFPA) para a Educação Matemática e Científica paraense. Organizamos em um quadro dez (10) pesquisas de dissertação defendidas no período de 2003 a 2009. Tais trabalhos evidenciam para uma vertente didático-pedagógica como metodologia de pesquisa predominante do grupo. Observou-se que todos os trabalhos até então defendidos pelo Grupo tratam do desenvolvimento de relatos de experiência ou construção de propostas didático-pedagógicas para a sala de aula. De maneira geral, essas experiências de Modelagem tiveram como lócus turmas do Ensino Fundamental, Médio e do Ensino Superior. Desse modo, as contribuições do GEMM para a Educação em Ciências e Matemáticas de nosso Estado têm grande importância, uma vez que subsidiam professores iniciantes que se interessem em estudar a Modelagem Matemática como geradora de ambiente de ensino e aprendizagem. BIBLIOGRAFIA ARAÚJO, A. M. R. Modelagem matemática nas aulas de cálculo: uma estratégia que pode contribuir com a aprendizagem dos alunos de engenharia. 2008. 94f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas) – Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém. BIEMBENGUT, M. S. 30 anos de modelagem matemática na educação brasileira: das propostas primeiras às propostas atuais. Alexandria – Revista de Educação em Ciência e Tecnologia. Rio Grande do Sul, v. 2, n. 2, p. 7-32, jul. 2009. Disponível em http://www.ppgect.ufsc.br/alexandriarevista/v2_n2_jul_2009.htm . Acesso em 14 fev 2010. BRAGA, R. M. Modelagem matemática e tratamento do erro no processo de ensino-aprendizagem das equações diferenciais ordinárias. 2009. 180f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas) – Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém.
  8. 8. VII E P A E M Encontro Paraense de Educação Matemática Cultura e Educação Matemática na Amazônia ISSN 2178 - 3632 08 a 10 de setembro de 2010 Belém – Pará – Brasil - 8 - CHAVES, M. I. A. Modelando matematicamente questões ambientais relacionadas com a água a propósito do ensino-aprendizagem de funções na 1ª série do ensino médio. 2005. 151f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas) – Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém. CHAVES, M. I. A.; ESPÍRITO SANTO, A. O. Modelagem matemática: uma concepção e várias possibilidades. Bolema - Boletim de Educação Matemática. São Paulo, ano 21, n. 30, p. 149-161, 2008. Disponível em http://cecemca.rc.unesp.br/ojs/index.php/bolema/article/view/1781/1568. Acesso em 14 fev 2010. FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológicos. 2 ed. São Paulo: Autores Associados, 2007, 226p. LEVY, L. F. Os professores, uma proposta visando à transdisciplinaridade e os atuais alunos de matemática da educação pública municipal de jovens e adultos de Belém, Pará. 2003. 139f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas) – Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém. MACHADO JÚNIOR, A. G. Modelagem matemática no ensino-aprendizagem: ação e resultados. 2005. 142f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas) – Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém. MOUTINHO, P. E. C. CTS e a modelagem matemática na formação de professores de Física. 2007. 115f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas) – Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém. ROCHA, M. L. P. C. Matemática e cartografia: como a cartografia pode contribuir no processo de ensino-aprendizagem da Matemática? 2004. 128f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas) – Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém. ROZAL, E. F. Modelagem matemática e os temas transversais na educação de jovens e adultos. 2007. 164f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas) – Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém. SMITH, S. D. C. Modelagem matemática gerando ambiente de ensino e aprendizagem para a educação de jovens e adultos. 2008. 106f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas) – Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém.

×